Publicado na Folha de S. Paulo

A Bienal Internacional do Livro do Rio completa três décadas neste ano com número recorde de autores internacionais –27 confirmados, ante 21 na edição de 2011– e novos espaços voltados a temas como o futebol, por conta da Copa-2014 no país, e a convergência entre cultura e tecnologia.

A programação completa da 16ª edição do evento, com mais de cem encontros literários entre 29 de agosto e 8 de setembro, foi divulgada na manhã desta terça (6), no Rio, no Bistrô Escola do Pão, no Jardim Botânico –que funciona em um casarão onde morou o escritor José Lins do Rego (1901-1957).

Considerada mais charmosa que a Bienal paulistana, e também preferida pelos editores, a versão carioca costuma ser organizada com mais antecedência. Neste ano, isso resultou numa programação que inclui de grandes best-sellers, como Nicholas Sparks, James C. Hunter e Sylvia Day, a nomes elogiados pela crítica, como Cesar Aira, Mia Couto e Emma Donoghue.

Divulgação/Efe
Os escritores Nicholas Sparks (esq.) e Cesar Aira, símbolos dos lados pop e cult da Bienal do Livro do Rio de 2013
Os escritores Nicholas Sparks (esq.) e Cesar Aira, símbolos dos lados pop e cult da Bienal do Livro do Rio de 2013

Na área de não ficção, destacam-se a americana Mary Gabriel, biógrafa de Karl Marx indicada ao Pulitzer, e o britânico Will Gompertz, ex-diretor da Tate Gallery e autor de “Isto É Arte?” (Zahar). Devem receber a atenção juvenil nomes como o americano Corey May, roteirista dos jogos eletrônicos “Assassin’s Creed”, e Matthew Quick, do recente sucesso “O Lado Bom da Vida” (Intrínseca).

Confira a programação da Bienal do Livro do Rio

“A grande característica do Café Literário é essa pluralidade. Vamos ter do cult ao mainstream, do autor recolhido na sua concha ao autor que se comunica, o autor consagrado e o autor emergente”, disse Ítalo Moriconi, curador pela terceira vez da programação central, que neste ano ganhou reforço de 11 autores alemães, num trabalho feito em parceria com o Instituto Goethe e a Feira de Frankfurt.

FUTEBOL E TEENS

A programação do Placar Literário, com curadoria do jornalista João Máximo, tratará da literatura de futebol, com debates sobre escritores tradicionais que abordavam o tema em crônicas, como Paulo Mendes Campos e Carlos Drummond de Andrade, e entre autores contemporâneos que têm ficções a respeito, como Marcelo Backes e Sérgio Rodrigues. “Nunca se editou tanto livro de futebol no Brasil como agora”, disse Máximo.

O novo espaço para adolescentes, chamado #acampamento, remete ao #você + quem =?, que teve curadoria de Zeca Camargo na última Bienal do Livro de São Paulo. Desta vez, a curadoria ficou sob responsabilidade do historiador João Alegria.

Já o tradicional espaço infantil se chamará Planeta Ziraldo, com homenagem ao autor que costuma gerar filas quilométricas de autógrafos. Daniela Thomas e Felipe Tassara ficaram responsáveis pela cenografia e curadoria.

E o espaço Mulher & Ponto, com curadoria de Bianca Ramoneda, incluirá discussões sobre a nova literatura erótica e a arte de envelhecer, além de um debate sobre a obra de Lygia Fagundes Telles, autora de “As Meninas”, que completou 90 anos em 2013.

NEGÓCIOS

Além dos novos espaços culturais, haverá pela primeira vez um salão de negócios para profissionais do mercado.

Como neste ano a Bienal homenageia a Alemanha –parte das comemorações que culminarão com a presença do Brasil como convidado de honra da Feira do Livro de Frankfurt, em outubro–, haverá presença maciça de editores daquele país, além de estarem confirmadas as presenças de editores e agentes dos Estados Unidos, Canadá, Chile e Gana.

“A Bienal sempre foi voltada para público, mas a gente vem percebendo uma demanda de interesses pelo Brasil. Teremos agentes estrangeiros interessados em comprar e vender direitos no Brasil”, disse Sônia Machado Jardim, presidente da Sindicato Nacional dos Editores de Livro, que organiza a Bienal junto com a empresa de eventos Fagga.

ALUNOS
Cerca de 170 mil alunos das redes públicas e particular de ensino do Rio foram cadastrados para a visitação escolar ao evento. Cada um deles receberá uma Nota Bienal, no valor de R$ 5,50, para ajudar na aquisição de livros.

Depois de quatro edições a R$ 12, o ingresso da Bienal passou para R$ 14. Estudantes e maiores de 60 anos pagam meia-entrada, enquanto professores e profissionais da área têm acesso gratuito mediante cadastro prévio. Os ingressos podem ser adquiridos pelo site www.ingressomais.com.br.

Com patrocinadores como a CCR e a Bradesco Seguros e apoio cultural da Petrobras, o evento captou um total de R$ 4,8 milhões pelas Lei Rouanet e Lei Estadual de Incentivo à Cultura do Rio de Janeiro. Outros R$ 150 mil vieram como patrocínio sem incentivo fiscal.

O investimento total, incluindo o que cada expositor investiu em seus estandes, é de R$ 32 milhões. Desse total, R$ 1,6 milhão foi gasto na programação cultural –aumento de 20% em relação a 2011.

O evento acontece no Riocentro (av. Salvador Allende, nº 6.555, Barra da Tijuca), das 13h às 22h em 29 de agosto; das 9h às 22h nos demais dias úteis; e das 10h às 22h nos fins de semana.

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments