Facilidade de adaptação é um dos atrativos, diz diretor da Minerva. Inscrições estão abertas até dia 31 de dezembro; inglês é imprescindível.

Vanessa Fajardo, no G1

Alex Aberg Cobo é diretor da Minerva para a América Latina (Foto: Projeto Minerva/ Divulgação)

Alex Aberg Cobo é diretor da Minerva para a América
Latina (Foto: Projeto Minerva/ Divulgação)

A facilidade de adaptação do povo latino, principalmente dos brasileiros, atrai a atenção da Universidade Minerva que busca um grupo de pelo menos 19 alunos para a classe inaugural de um curso de ensino superior inovador. Por um ano os estudantes terão aulas nos Estados Unidos, depois passarão por seis países diferentes utilizando as cidades como campi a céu aberto. A primeira turma só pagará as mensalidades a partir de 2016, e os alunos serão tutores do grupo seguinte. As aulas começam no segundo semestre de 2014.

A proposta da Minerva é formar líderes em cursos de três grandes áreas: artes, ciências e negócios. A sede da universidade fica em São Francisco, nos Estados Unidos. Nas cidades de Hong Kong, Sydney, Londres, Mumbai, Cidade do Cabo haverá residências Minerva que vão abrigar os alunos. A única unidade da América Latina será no Brasil, mas ainda não se sabe se em São Paulo ou no Rio de Janeiro.

“A cidade vai ser o campus, o aluno fará a imersão, vai aprender a língua, a cultura, conhecer o sistema de transporte de cada cidade”, afirma o argentino Alex Aberg Cobo, diretor da Minerva para América Latina, que esteve no Brasil para divulgar o projeto. Segundo ele, a escolha das cidades não foi aleatória, ela tinha de ser “cosmopolita.” “Também avaliamos a potência da economia do país, infraestrutura, segurança e custo.”

Prazo de inscrições
As inscrições estão abertas e ficam disponíveis para interessados no mundo todo até o dia 31 de dezembro, pelo site www.minerva.kgi.edu. Para concorrer às vagas é preciso ter fluência de inglês comprovada pelo Test of English as a Foreign Language (Toefl) e fazer uma prova, uma espécie de vestibular próprio da Minerva que vai avaliar inclusive aspectos cognitivos do candidato. Também haverá entrevista, feitas via skype. Os aprovados serão notificados até fevereiro de 2014.

“Há uma grande expectativa por alunos brasileiros por conta do empreendedorismo. Além disso, os latinos têm boa capacidade de adaptação até pela história de seus países”, afirma Cobo.

O primeiro ano do curso é comum a todos os alunos. No segundo, eles partem para as disciplinas específicas de acordo com a escolha. As aulas serão transmitidas pela internet, via computador, mas ocorre ao vivo, e o sistema vai permitir uma interação individual. Os alunos terão, obrigatoriamente, de assistir as aulas em dias e horários determinados. Porém, o local é por conta do estudante. A participação será um dos itens avaliados, e os alunos terão feedback dos professores semanalmente.

“Queremos formar líderes globais para liderar companhias, empresas e até países. O curso vai desenvolver hábitos, métodos e conceitos. Desenvolver o pensamento crítico, ensinar a pensar”, diz Cobo.

O custo anual para estudar na Minerva é de cerca de US$ 28 mil, segundo Cobo, o equivalente a um terço do preço cobrado pelas universidades que compõem a Ivy League (grupo das instituições mais prestigiadas dos Estados Unidos como Harvard, Princeton, Columbia, Yale, entre outras). Haverá programas de bolsas de estudo.

 

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments