Amanda Nascimento estudou em escola pública e entrou em Letras na USP. Aulas, na Vila Guacuri, Zona Sul de SP, conta com mais oito voluntários.

Vanessa Fajardo no G1

Amanda Nascimento Vicente é professora voluntária (Foto: Lucas Belculfine/ Divulgação)

Amanda Nascimento Vicente é professora voluntária (Foto: Lucas Belculfine/ Divulgação)

Amanda Nascimento Vicente, de 20 anos, mora na Vila Guacuri, divisa entre Diadema, no ABC, e a Zona Sul de São Paulo, e sempre estudou em escolas públicas. Para conseguir entrar na Universidade de São Paulo (USP), onde cursa o primeiro ano do curso de letras, precisou trabalhar para pagar um curso pré-vestibular.

Foi inspirada na própria história que ela, com apoio de parceiros, criou no mês de agosto o primeiro cursinho popular do bairro, específico para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), onde também dá aulas de português e redação como professora voluntária.

A criação da unidade foi uma parceria com a Casa de Cultura e Cidadania, localizada no bairro, que disponibilizou a sede para as aulas, e com o Cursinho Popular Mafalda, que já atende jovens na região da Vila Carrão, Zona Leste de São Paulo, e ofereceu a metodologia de ensino. Criou-se, então, o Cursinho Popular

“Eu vejo uma situação triste no bairro, o ensino é fraco, a escola sucateada. Eu sempre quis fazer uma faculdade, mas o bairro oferecia muito pouco. Sempre pensei: seria muito bom ter um cursinho popular aqui”, diz Amanda que mora na Vila Guacuri com a família há cinco anos, mas o pai sempre foi de lá.

As aulas no cursinho ocorrem aos sábados de manhã, o período da tarde é usado para tirar dúvidas. A turma é formada por 40 candidatos da região que vão prestam o Enem. O perfil é variado, segundo a professora Amanda, vai desde o aluno que está no ensino médio, até adultos que voltaram a estudar para entrar na faculdade. As atividades são gratuitas. Além de Amanda, oito professores, um de cada disciplina, também dão aulas como voluntários.

Eu vejo uma situação triste no bairro, o ensino é fraco, a escola sucateada. Eu sempre quis fazer uma faculdade, mas o bairro oferecia muito pouco. Sempre pensei: seria muito bom ter um cursinho popular aqui”
Amanda Nascimento Vicente, de 20 anos,
estudante da USP”

Durante a semana Amanda trabalha com publicidade e mesmo depois de concluir a faculdade, não pretende atuar como professora do ensino formal. Os planos incluem trabalhos com cinema e arte de modo geral. “Quem tem vocação é bicho, os seres humanos podem desenvolver várias coisas ao mesmo tempo. Eu entrei na faculdade pensando na bagagem que o curso pode oferecer, pela literatura, pela escrita. Para mim, a educação é mais uma questão ideológica porque é algo que transforma.”

Para ela, é necessário criar oportunidades para melhorar a vida das pessoas. “Tem gente do bairro que consegue algo, se muda e esquece de onde veio. Lá tem muitas pessoas que sonham, mas não têm perspectivas. Sempre olhei para o bairro, e quis devolver as conquistas de certa forma.”

Amanda nunca tinha dado aulas antes e afirma que tem sido uma experiência gratificante. “É uma responsabilidade, mas eu me sinto realizada de estar contribuindo de alguma forma. Vejo que quando falo que estudo na USP, sou olhada de outra forma, mas eu, aluna de escola pública na USP não deveria ser uma exceção, e sim, regra.”

A partir de fevereiro de 2014, o cursinho vai funcionar com pelo menos duas turmas, com no mínimo 40 alunos cada, uma focada na preparação para o Enem, e a outra para os vestibulares.

Enem
O exame de 2103 será aplicado nos dias 26 e 27 de outubro em todo o país. Nos dois dias serão 180 questões de múltipla escolha e uma redação. Esta edição há um recorde de candidatos inscritos: 7.173.574 pessoas.

Aulas no cursinho da Vila Guaciru ocorrem aos sábados (Foto: Arquivo pessoal)Alexandre Leal dá aula de história no Cursinho Mafalda na Casa da Cultura da Vila Guacuri (Foto: Arquivo pessoal/ Amanda Nascimento)

 

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments