Caixas estarão espalhadas pela Feira do Livro de Porto Alegre.
Em 2009, aposentado doou 180 mil obras para a campanha.

Em cinco anos, campanha já arrecadou mais de 450 mil exemplares (Foto: Luciane Kohlmann/RBS TV)

Em cinco anos, campanha já arrecadou mais de 450 mil exemplares (Foto: Luciane Kohlmann/RBS TV)

Luciane Kohlmann, no G1

Com o objetivo de estimular nas pessoas o desapego de livros esquecidos em prateleiras, o projeto Banco de Livros terá caixas de coleta espalhadas pela Feira do Livro de Porto Alegre, de 1º a 17 de novembro, para receber doações. As obras esquecidas poderão, assim, chegar às mãos de novos leitores.

Em cinco anos, a campanha arrecadou mais de 450 mil exemplares. “O lema dos bancos sociais é o seguinte: ‘transformar o desperdício em benefício social’. E a gente acha um tremendo desperdício ficar com os livros parados na estante”, diz o presidente do Banco de Livros, Waldir Silveira.

Procurador aposentado conhece bem o projeto Banco de Livros (Foto: Luciane Kohlmann/RBS TV)

Procurador aposentado conhece bem o projeto
Banco de Livros (Foto: Luciane Kohlmann/RBS TV)

O procurador aposentado Itálico Marcon conhece bem o projeto. E participa dele. Somente em 2009, ele doou 180 mil obras. Ele afirma que já chegou a ter quatro apartamentos tomados pelas obras. “Só para livros, inclusive os banheiros”, conta. A doação, admite ele, não foi fácil. “Mas eles estavam estragando, mofando, se deteriorando”, justifica.

Uma pequena coleção com preciosidades ficou guardada em uma sala. Entre elas está o exemplar de “O Tempo e o Vento” de 1965, com dedicatória do autor, Erico Verissimo.

É essa a ideia da campanha. Praticar o desapego. “Liberte seus autores da estante, doe livros! Os autores estão presos na estante, e a gente quer que as pessoas se desapeguem dessa posse”, ressalta o presidente do Banco de Livros.

Cada livro doado é tratado com cuidado. Uma seleção é feita em todo o tipo de material que chega ao banco para evitar que alguma obra danificada, com traças, espalhe o problema para as outras. “Depois que o material é higienizado, ele é separado pelos grandes assuntos da classificação universal, e aí ele vem para a prateleira”, explica a bibliotecária Neli Miotto.

Entidades são beneficiadas com campanha Banco de Livros (Foto: Luciane Kohlmann/RBS TV)

Entidades são beneficiadas com campanha Banco
de Livros (Foto: Luciane Kohlmann/RBS TV)

Mais de 200 entidades já foram beneficiadas com doações. “Como serviram para mim, vão servir para outras pessoas”, salienta seu Itálico. “Eu me realizo em plenitude. Todos os meus sonhos, minhas fantasias, meus amores, minhas paixões. Tudo isso eu encontro no livro”, conta o aposentado doador de obras.

Qualquer empresa pública, privada, ou pessoa física pode colaborar com as atividades do Banco de Livros. Instituições de Porto Alegre devem encaminhar suas demandas e projetos ao Balcão de Projetos Sociais do Conselho de Cidadania da Fiergs, na Avenida Assis Brasil, 8787, bloco 10, 3º andar. Lá a solicitação é protocolada e encaminhada ao Comitê de Avaliação e Análise, que tomará as providências sobre o atendimento.

A Feira do Livro de Porto Alegre

A edição deste ano será realizada de 1º a 17 de novembro, na Praça da Alfândega, no Centro de Porto Alegre. Professor de Literatura Brasileira da UFRGS, escritor e ensaísta, Luís Augusto Fischer é o patrono da feira.

Serão 140 expositores, e uma programação composta por mais de 700 sessões de autógrafos, 156 eventos em salas (mesas-redondas, palestras, seminários), 31 oficinas ligadas ao livro e à criação literária, 31 eventos artísticos e culturais, com literatura internacional e uma área dedicada a crianças e jovens com 293 atividades.

A programação completa da Feira do Livro de Porto Alegre pode ser encontrada no site oficial

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments