Em 38º lugar no levantamento da EPI, país continua no grupo das nações com baixa proficiência no idioma estrangeiro

Brasil está na 38º posição em ranking de proficiência em inglês, que avaliou 60 países (Thinkstock)

Brasil está na 38º posição em ranking de proficiência em inglês, que avaliou 60 países (Thinkstock)

Publicado por Veja

O Brasil subiu oito posições no Índice de Proficiência em Inglês (EPI, na sigla em inglês), divulgado nesta terça-feira pela empresa de intercâmbio sueca Education First (EP). Agora, o país ocupa o 38º lugar entre sessenta nações avaliadas, passando a figurar no grupo dos países com “baixa proficiência” no idioma estrangeiro. Em 2012, quando ocupava a 46ª posição, o Brasil estava no time cuja proficiência é considerada “muito baixa”.

Com a evolução registrada neste ano, o Brasil ultrapassou nações como Peru (39ª posição), México (40ª), Chile (44ª) e Equador (48ª). Entre os latino-americanos, Argentina (19ª), Uruguai (29ª) e Costa Rica (37ª) seguem à nossa frente.

O estudo, contudo, alerta para o desempenho pífio do subcontinente no idioma: mais da metade dos países está classificada na pior categoria do EPI, a de domínio “muito baixo” da língua inglesa. A argentina é a única nação da região a se enquadrar na categoria de proficiência “moderada”, junto a países como Espanha, Coreia do Sul e Japão. A deficiência no domínio do inglês, segundo a EF, mina a capacidade competitiva da região.

No caso do Brasil, o estudo afirma que, a despeito dos avanços, não há motivo para celebração: mais de 80% da classe média não fala uma língua estrangeira. “Ainda que os adultos tenham aprimorado seu nível de inglês nos últimos seis anos, esse progresso não coincide com a magnitude do desenvolvimento econômico do país no mesmo período”, diz o texto da EF.

A Europa segue como o continente com melhor domínio da língua inglesa. Lá, estão localizados os dez primeiros colocados no ranking: Suécia, Noruega, Holanda, Estônia, Dinamarca, Áustria, Finlândia, Polônia, Hungria e Eslovênia.

Entre os asiáticos, Indonésia e Vietnã melhoraram substancialmente nos últimos anos e estão na categoria de proficiência “moderada”. A China tem apresentando progresso gradual (passou da 36ª posição, em 2012, para a 34ª neste ano), como reflexo de esforços governamentais e de empresas na qualificação de mão de obra.

Esta é a terceira edição do ranking da EF. Entre 2007 e 2012, quase 5 milhões de pessoas foram entrevistadas.

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments