Professora Fernanda Bérgamo deu dicas para se construir um bom texto.
Repetições só devem ser usadas de forma intencional.

Publicado por G1

1Para o leitor, um bom texto precisa ter fluência, e isso envolve a escolha correta das palavras que irão formar orações, frases, parágrafos. Na reportagem desta quinta-feira (14) do Projeto Educação, a professora Fernanda Bérgamo explicou que os trava-línguas devem ser evitados numa redação de vestibular, a não ser que seja intencional.

Elizete Galvão é professora de canto há 33 anos. Antes de cada aula, ela faz exercícios de aquecimento vocal com os alunos. “O som produzido é basicamente pelas vogais, mas não podemos tirar o valor das consoantes. É importante que se articule bem para ser entendido. As palavras precisam das consoantes bem articuladas, pronunciadas para que som se projete bem. Exercícios com p, b, r vibrante e m são importantes”, comentou.

Repentistas utilizam trava-línguas (Foto: Reprodução / TV Globo)

Repentistas utilizam trava-línguas
(Foto: Reprodução / TV Globo)

Algumas músicas são difíceis de cantar porque têm sequências de palavras que exigem mais movimentos da boca e da língua. Em muitos casos, a complicação é um ato intencional, para dar uma sonoridade mais interessante. “Você tem que articular sem perder encanto da poesia, da música”, destacou Elizete.

Na redação, deve ocorrer o contrário desse tipo de situação. É importante escolher bem as palavras para evitar um trava-língua. “São frases folclóricas criadas pelo povo com objetivo de se divertir. A dificuldade está no fato de conter sílabas diferente e forçar movimentos repetidos da língua. É uma forma divertida e embaraçosa de brincar. Com o passar tempo, o trava-língua é usado para aperfeiçoar pronúncia e exercitar aquecimento”, comentou Fernanda Bérgamo.

Num texto, devemos evitar repetições, a não ser que sejam intencionais. “Devemos evitar queísmo, que é a repetição do ‘que’, o gerundismo, repetição do gerúndio, quando se coloca verbos que acabam em ‘endo’, ‘ando’, ‘indo’; e especial atenção para evitar o eco, que é a rima na prosa, repetição desagradável de sons iguais”, destacou a professora. Também é importante não repetir a mesma palavra várias vezes, como o “mas”. “Ele é facilmente substituído ou eliminado. Sobretudo eliminado quando a intenção é diminuir um período longo, dividindo em períodos médios ou curtos”, finalizou.

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments