Vitto Reis no Homo Literatus

Livros_para_aprender_a_escrever

Não acredite em manuais. Escrever ficção é algo que vem de dentro, desta insanidade humana que é imaginar outra vida, outros personagens e deitá-los ao papel, transformando as ideias em histórias.

Contudo, nem sempre é possível aprender sozinho, ou pelo menos se poupa muito tempo entendendo o que já foi aplicado, no que tange à técnica narrativa. Você não precisa reinventar a roda. Se pensarmos na Epopeia de Gilgamesh ou na Odisseia, são pelo menos vinte e oito séculos de literatura; se formos para Dom Quixote, talvez o primeiro romance, são quatro séculos; se pensarmos em Madame Bovary, o primeiro romance moderno, mais de cento e cinquenta anos. Você definitivamente não precisa começar tudo do zero.

Isto não é um assassinato da criatividade. Uma ideia pode ser boa, mas ninguém pode escrevê-la como você. E aprender a técnica literária apenas potencializará seu talento. Pense em alguém que nasceu com a habilidade de cantar. Esta pessoa sobe num palco, e, esgoelando-se, é aplaudida por cinquenta ou cem pessoas. Agora imagine que esta pessoa usou a “técnica”.  Ela segura um microfone ligado a uma enorme parefernalha de caixas amplificadoras. A pessoa passa a cantar com seu talento potencializado e alcança cem mil pessoas que a cercam. A “técnica” não serviria de nada se a pessoa não tivesse talento, mas justamente por ela ter, aumenta o seu alcance.

Por isso, abaixo você confere cinco livros que servem como um “guia de sobrevivência” para quem deseja aprender a escrever ficção:

1 – Cartas a um jovem escritor, de Mário Vargas Llosa
Cartas_a_um_jovem_escritor_llosaQue tal se corresponder com um Prêmio Nobel de Literatura? Neste livro, o peruano Mário Vargas Llosa, vencedor do Nobel em 2010, escreve missivas direcionadas aos jovens escritores, misturando referências de ficção à sua experiência pessoal. Llosa, mestre no foco narrativo, cita contos e romances de autores como: Borges, Faulkner e Kafka. Para quem está começando, é um prato cheio, mas para quem já desfila pelos buffets da ficção há algum tempo, o livro também não deve em nada.

2 – Como escrever diálogos, de Silvia Adela Kohan
Difícil é a tarefa de escrever diálogos para o jovem escritor. É preciso observar e ouvir como as pessoas falam, mas ao mesmo tempo não descrever e sim recriar, literariamente, o que é uma conversa. Há grandes mestres neste quesito, como Flaubert, Joyce e García Márquez, que são citados nesta obra de Silvia Adela Kohan. Como escrever diálogos é um livro curtinho, mas que discute todos os desafios da escrita de diálogos.

3 – Para ler como escritor, de Francine Prose
 O que é preciso para ser um escritor? “Ler” é a resposta mais ouvida. Neste livro, Francine Prose, escritora de mais de uma dezena de obras de ficção e professora de oficinas literárias, expõe sua perspectiva do pensamento ficcional, batendo na tecla da importância da leitura. Para se ter uma ideia de tamanha especificidade e apuro na abordagem, os capítulos de dois a quatro são intitulados como: Palavras, Frases e Parágrafos. Em resumo, é um livro que muda sua visão do que á a leitura.

a_tecnica_literaria_Carmelo_Bonet4 – A técnica literária e seus problemas, de Carmelo M. Bonet
Não se acha tão facilmente, porém vale o esforço (dica: procure em sebos online). Apesar de escrito por um catedrático, A técnica literária e seus problemas possui uma linguagem simples e prática, mais que indicado para quem inicia na literatura, ou mesmo já trilha este caminho. O livro é um estudo onde o autor se debruça sobre a questão da estilística do texto, aprofundando-se na forma e composição de um romance. Quem procura aperfeiçoar sua técnica ou descobrir sua voz, encontra o amparo na obra de Carmelo M. Bonet.

5 – Como funciona a ficção, de James Wood
Se você decidir ler apenas um livro desta lista, leia este do Wood. Escrito no formato de pequenas notas que se conectam, Como funciona a ficção traz uma visão analítica do texto ficcional da crítica para o escritor. É como um passeio pelas principais áreas da ficção: narrador, detalhe, personagem, linguagem e diálogo, mas de forma acessível ao leitor. Ao citar grandes obras da literatura universal, o crítico inglês as esmiúça, fazendo a comparação entre este e aquele autor.

***

Ler estes livros vai tornar você um escritor de sucesso, seja de crítica ou de público? Não. Isto depende de uma série de outros fatores. Porém certamente ao agregar estas leituras, você terá ainda mais consciência de como funcionam os motores da ficção.

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments