Flávia Foreque, na Folha de S.Paulo

Portaria publicada nesta segunda-feira (25) no Diário Oficial da União define o modelo para concessão de bolsas a professores e coordenadores da rede pública do ensino médio no país.

O objetivo é valorizar a carreira e “rediscutir e atualizar as práticas docentes em conformidade com as Diretrizes Curriculares Nacionais do Ensino Médio”, como afirma o texto, assinado pelo ministro Aloizio Mercadante (Educação).

Caberá aos Estados e Distrito Federal aderir ao modelo de formação continuada dos docentes, que será dada por instituições públicas de ensino superior previamente cadastradas. Professores e coordenadores do ensino médio terão aulas com duração de 200 horas anuais – antes, os responsáveis por orientar esse público terão curso de carga horária de 90 horas ao ano.

A bolsa será paga pelo governo federal, responsável pelo “apoio técnico e financeiro”. O valor deve ser próximo ao montante hoje pago aos professores alfabetizadores.

Como mostrou reportagem da Folha publicada em junho, a concessão do benefício segue modelo definido para o pacto nacional voltado para a alfabetização. Esses docentes vêm recebendo desde 2012 auxílio de R$ 200 para participar de curso de formação de dois anos.

Os detalhes do chamado “Pacto Nacional pelo Fortalecimento do Ensino Médio” devem ser divulgados na tarde de hoje em coletiva de imprensa.

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments