Dom Filipe disse que não há nada decidido em relação a essa questão

Thiago Jansen e Fábio Teixeira em O Globo

Sala de aula do Colégio São Bento, no Centro do Rio Foto: Gabriel de Paiva / Agência O Globo (03/04/2008)

Sala de aula do Colégio São Bento, no Centro do Rio Foto: Gabriel de Paiva / Agência O Globo (03/04/2008)

RIO — Um dia depois de anunciar que passaria a aceitar meninas, o Colégio São Bento voltou atrás na decisão. Em entrevista ao GLOBO na tarde desta quarta-feira, Dom Filipe, abade do Mosteiro de São Bento, disse que a instituição não abrirá vagas para meninas em 2015. De acordo com ele, as discussões internas sobre essa possibilidade são constantes, e tendem aumentar com a divulgação dos resultados do Exame Nacional do Ensimo Médio (Enem). Ele enfatiza que nenhuma decisão final foi tomada em relação ao tema.

— É algo que muitos pais desejam, mas é uma decisão que não depende só da escola, da sua administração, nem do reitor, e sim do monastério. A questão está em discussão, já há bastante tempo, mas no momento não há confirmação disso e nem previsão de quando a mudança pode acontecer — afirmou Dom Filipe.

O abade afirma que as declarações dadas pela supervisora pedagógica do São Bento, Maria Elisa Penna Firme Pedrosa, em que ela diz que a instituição permitirá a matrícula de mulheres no colégio, não corresponde à visão do São Bento.

— Talvez ela tenha antecipado um anseio pessoal dela —, afirma o abade.

Segundo ele, houve uma conversa entre os dois desde que a notícia foi publicada. Ele nega qualquer tipo de desentendimento e descarta a possibilidade de demissão ou sanção à supervisora. Procurada, a assessoria de imprensa do São Bento informa que Maria Elisa se procuncia apenas em relação aos resultados do colégio no Enem. A supervisora não retornou as ligações do GLOBO.

Dom Filipe, porém, diz não estar desautorizando Maria Elisa, e sim esclarecendo informações dadas na última terça-feira.

— Não estamos desmentindo, apenas ampliando a informação. Não somos levianos de simplesmente anunciar uma coisa.

Ele diz ter recebido as informações a respeito da entrevista dada pela supervisora apenas à noite, após uma tarde dedicada à orações. Para o abade, a instituição não estaria preparada para atender às necessidades das meninas. Dom Fililpe coloca como principal obstáculo a falta das instalações adequadas e o período curto que o colégio teria para realizar as obras de ampliação necessárias até 2015.

Perguntado, o abade disse não se opor pessoalmente à matrícula de meninas.

— Acho que há ganhos com a presença feminina, mas precisamos nos preparar porque o colégio sempre foi voltado para receber meninos, então o acesso vai precisar ser adaptado.

Caso a decisão de aceitar matrículas de meninas fosse tomada, ela seguiria o modelo descrito por Maria Elisa, com sorteio para entrada no 1º ano do ensino fundamental e prova para entrada no 1º ano do ensino médio. De acordo com Dom Filipe, este é o procedimento padrão.

Projeto de unidade na Barra segue em análise

Dom Filipe, porém, não negou a informação de que estaria em análise pelo São Bento a abertura de uma unidade na Barra da Tijuca. De acordo com ele, há dois meses uma imobiliária apresentou ao colégio a proposta de abrir uma filial em um condomínio de grande porte a ser erguido na região.

— É um projeto de uma ‘quase cidade’ que vai surgir lá. Eles disseram que gostariam de ter uma unidade do São Bento integrando isso —, conta o abade — Há cerca de dois ou três anos chegou proposta parecida de outro grupo, que descartamos de início.

O São Bento é o último colégio da cidade a ter apenas estudantes do sexo masculino. Esta não foi a primeira vez que o Colégio de São bento desiste da ideia de ter alunos do sexo feminino. Em 2004, a instituição já havia cogitado a aceitação de matrículas de meninas, mas a proposta não vingou porque o prédio, no Centro, precisaria passar por adaptações para receber as estudantes. Junto com a decisão de aceitar meninas em seu quadro de alunos, a instituição havia anunciado a construção de uma unidade na Barra da Tijuca e, segundo a supervisora pedagógica da instituição, Maria Elisa Penna Firme Pedrosa, teria sido tomada no fim do mês passado.

O Colégio de São Bento conquistou, no Rio, o topo do ranking do Enem de 2012, divulgado nesta terça-feira. O tradicional estabelecimento de ensino foi fundado pelo Mosteiro de São Bento em 1858 e é uma das instituições de ensino mais antigas do Rio. A unidade, administrada por monges beneditinos, é uma escola de formação católica, que oferece ensino fundamental e médio, e só aceita alunos do sexo masculino.

A disciplina e a boa formação dos professores são dois trunfos do São Bento, que figura entre as melhores escolas do país. Mais da metade do corpo docente tem pelo menos uma pós-graduação, embora os cursos lato ou stricto sensu não sejam uma exigência. Ao todo, os professores lecionam 16 disciplinas, e esses esforços têm valido a pena. Os estudantes conquistaram o topo da lista no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em quatro edições: 2005, 2007, 2008 e 2010.

 

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments