Publicado em O Globo

O ano foi marcado pelo sucesso de vendas da poesia de Paulo Leminski, de volta às livrarias após anos fora de catálogo. A ficção nacional teve entre seus destaques Veronica Stigger, Adriana Lisboa e a estreia da atriz Fernanda Torres na literatura. E um ensaio do filósofo Marcos Nobre alimentou debates sobre a política brasileira e a onda de protestos.

11 ‘Amanhã não tem ninguém’

Gênero:Ficção
Editora:Rocco

‘Amanhã não tem ninguém’
Flávio Izhaki
Narrado por seis vozes de quatro gerações de uma família de origens judaicas, o segundo romance do carioca Flávio Izhaki investiga, com um misto de delicadeza e desencanto, as fraturas afetivas, religiosas e sociais de personagens às voltas com a consciência da morte e a descoberta da solidão.

12 ‘Deixa comigo’

Gênero:Ficção
Editora:Rocco

‘Deixa comigo’
Mario Levrero
Autor uruguaio que morreu em 2004, deixando uma obra inventiva e cultuada, Mario Levrero foi publicado no Brasil pela primeira vez este ano. A novela “Deixa comigo”, traduzida por Joca Reiners Terron, é protagonizada por um escritor que se vê transformado em um desastrado detetive, numa releitura irônica do gênero noir.

PV Rio de Janeiro (RJ) 23/12/2013 Capa de livro. Foto divulgação3 ‘O drible’

Gênero:Ficção
Editora:Companhia das Letras

‘O drible’
Sérgio Rodrigues
Em um romance que procura captar ao mesmo tempo o lado épico do futebol e seus ecos mais íntimos, o mineiro Sérgio Rodrigues narra o amargo reencontro de um velho cronista esportivo à beira da morte com seu filho e as peripécias fabulosas de um esquecido jogador dos anos 1960 que poderia ter sido melhor que Pelé.

PV Rio de Janeiro (RJ) 19/12/2013 Capa de Livro Foto: Reprodução4 ‘Fim’

Gênero:Ficção
Editora:Companhia das Letras

‘Fim’
Fernanda Torres
Em seu primeiro romance, a atriz Fernanda Torres demonstra habilidade para construir personagens e um humor tingido de melancolia ao contar a história de um grupo de amigos de Copacabana que, já no fim de suas vidas, relembram o passado e refletem sobre a velhice e a passagem do tempo.

15 ‘Hanói’

Editora:Alfaguara

‘Hanói’
Adriana Lisboa
Radicada nos EUA, a carioca Adriana Lisboa faz do trânsito entre culturas o pano de fundo de seu romance mais recente, que narra o encontro, em Chicago, do brasileiro David, assombrado por uma doença terminal, com a jovem Alex, descendente de vietnamitas que nunca pisou na terra de seus pais.

16 ‘O homem que amava os cachorros’

Gênero:Ficção
Editora:Boitempo

‘O homem que amava os cachorros’
Leonardo Padura
Um dos principais autores cubanos de sua geração, e que ao contrário de muitos deles ainda vive em seu país, Leonardo Padura reconta neste romance, traduzido por Helena Pitta, a morte de Trotski no exílio mexicano, lançando um olhar empático sobre o líder comunista que em Cuba ainda é visto como “traidor da revolução”.

17 ‘Opisanie Swiata’

Gênero:Ficção
Editora:Cosac Naify

‘Opisanie Swiata’
Veronica Stigger
Primeiro romance da gaúcha Veronica Stigger, “Opisanie swiata” (“descrição do mundo”, em polonês) mantém a concisão e o humor de seus contos em uma narrativa que explora gêneros diversos a partir do percurso de um personagem polonês que, nos anos 1930, viaja da terra natal à Amazônia em busca do filho.

18 ‘O problema da habitação’

Gênero:Poesia
Editora:7Letras

‘O problema da habitação’
Ruy Belo
Ainda pouco conhecido no Brasil, o português Ruy Belo (1933-1978) é considerado um dos grandes nomes da poesia lusófona pós-Fernando Pessoa. “O problema da habitação”,de 1962, foi um dos três livros de Belo lançados este ano pela 7Letras, que publica suas obras completas no país pela primeira vez.

PV Rio de Janeiro (RJ) 19/12/2013 Capa de Livro Foto: Reprodução9 ‘Toda poesia’

Gênero:Poesia
Editora:Companhia das Letras

‘Toda poesia’
Paulo Leminski
Depois de mais de uma década fora de catálogo, os poemas do curitibano Paulo Leminski, morto em 1989, foram editados pela primeira vez em um só volume e comprovaram sua atualidade: “Toda poesia” vendeu mais de 60 mil exemplares, fazendo da obra de vanguarda do autor um surpreendente fenômeno pop.

110 ‘Ximerix’

Gênero:Poesia
Editora:Cosac Naify

‘Ximerix’
Zuca Sardan
Pioneiro da poesia marginal e radicado desde os anos 1960 fora do país, Zuca Sardan já era admirado por poetas e críticos, mas conquistou um público mais amplo em 2013, aos 80 anos, com uma participação arrebatadora na Flip e o lançamento de “Ximerix”, uma amostra de seus poemas e desenhos desconcertantes.

PV Rio de Janeiro (RJ) 19/12/2013 Capa de Livro Foto: Reprodução11 ‘História das Livrarias cariocas’

Gênero:Não-ficção
Editora:Edusp

História das Livrarias cariocas
Ubiratan Machado
Fruto de 13 anos de pesquisa, o monumental estudo de Ubiratan Machado repassa a trajetória de 660 livrarias cariocas, dos pioneiros do século XVIII aos tempos do e-book, retratando estabelecimentos famosos e anônimos que foram palco da vida literária, termômetro da economia e espaço de debate político.

112 ‘Holocausto brasileiro’

Gênero:Não-ficção
Editora:Geração Editorial

Holocausto brasileiro
Daniela Arbex
Com uma minuciosa investigação sobre a história do manicômio de Barbacena (MG), onde ao longo de cinco décadas dezenas de milhares de pessoas morreram por abandono e maus-tratos, a jornalista Daniela Arbex
traz à tona antigas e novas questões sobre as políticas de saúde mental no Brasil.

PV Rio de Janeiro (RJ) 19/12/2013 Capa de Livro Foto: Reprodução13 ‘Imobilismo em movimento’

Gênero:Não-ficção
Editora:Companhia das Letras

Imobilismo em movimento
Marcos Nobre
Desenvolvendo seu conceito de “peemedebismo”, que define como o arranjo encontrado pelo sistema político para se blindar contra as forças sociais, o filósofo e professor da Unicamp Marcos Nobre oferece uma eloquente reflexão sobre as causas dos protestos populares que se espalharam pelo país em 2013.

114 ‘O mundo insone’

Gênero:Não-ficção
Editora:Zahar

‘O mundo insone’
Stefan Zweig
Agora em domínio público, a obra do austríaco Stefan Zweig , autor de “Brasil, país do futuro”, começou a ser reeditada este ano pela Zahar, em coleção organizada por Alberto Dines. “O mundo insone”, com tradução de Kristina Michahelles, traz seus melhores ensaios, entre eles uma série sobre a Europa no limiar da Primeira Guerra.

115 ‘A Rosa o que é de Rosa’

Gênero:Não-ficção
Editora:Difel

‘A Rosa o que é de Rosa’
Benedito Nunes
Morto em 2011, o crítico paraense Benedito Nunes, um dos principais estudiosos da obra de Guimarães Rosa, teve ensaios clássicos e textos raros reunidos nesta coletânea organizada por Victor Sales Pinheiro, que mostra a evolução de suas reflexões sobre o autor de “Grande sertão: veredas” ao longo de cinco décadas.

OS MELHORES LIVROS EM 2013 FORAM ESCOLHIDOS POR GUILHERME FREITAS, JOSÉ CASTELLO, LEONARDO CAZES, MÀNYA MILLEN E MAURÍCIO MEIRELES
Fotos: Reprodução

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments