Na ampla concorrência, cada vaga recebeu 18 inscrições; na rede pública, são 16 candidatos

Paulo Saldaña, no Estadão

O Sistema de Seleção Unificada (Sisu) tem concorrência 12,5% maior entre os estudantes provenientes de escolas particulares do que entre os alunos cotistas que disputam vagas reservadas para a rede pública. Ontem, eram 18 candidatos por vaga na chamada “ampla concorrência”, ante 16 entre os cotistas.

Os dados de inscrições são os registrados entre anteontem, primeiro dia de seleção do Sisu, e 11 horas de ontem. O sistema do Ministério da Educação (MEC) centraliza as vagas de instituições de ensino público, sobretudo federais, que escolhem seus alunos com base na nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). As inscrições vão até sexta-feira.

Das 171 mil vagas disponíveis no Sisu, 44% são reservadas para estudantes de escola pública (com respeito a critérios raciais e de renda) e para ações afirmativas, como vagas para deficientes. A modalidade de ampla concorrência havia recebido 1,7 milhão de inscrições, enquanto para as vagas reservadas pela Lei de Cotas e para ações afirmativas eram 1,1 milhão – cada candidato pode se inscrever em até dois cursos.

A diferença na busca por vaga em cada modalidade mostra que os egressos de escolas públicas tiveram menor interesse em tentar uma instituição superior gratuita. No entanto, 80% dos concluintes de ensino médio inscritos no Enem 2013 eram da rede pública.

De acordo com o educador Mateus Prado, especialista em Enem, os dados revelam que, apesar das cotas, a maioria dos alunos estaduais e municipais não acredita que pode chegar à universidade pública. “Esses alunos não têm referência, um amigo ou vizinho, que tenha passado em uma universidade federal”, afirma ele. “Mas tem um monte de vizinho que passou no ProUni (Programa Universidade Para Todos).”

O Enem também é usado para quem concorre a bolsas em instituições particulares pelo ProUni. Em janeiro do ano passado, o programa teve 1,03 milhão de inscritos.

Procura. Mais de 1,6 milhão dos 5 milhões de participantes do Enem já haviam entrado no Sisu até as 18 horas de ontem. Minas Gerais teve o maior número de inscritos – são 199.961. Em seguida, surgem São Paulo (196.116) e Rio (158.614).

Os cursos de Administração, Direito e Medicina eram os mais procurados até ontem. Com dados referentes até as 11 horas, Administração tinha 192.582 inscrições, seguido de Direito, com 191.107. Com 2.925 vagas disponíveis no Sisu, o curso de Medicina era disputado por 176.876 estudantes – 60,47 candidatos por vaga.

A Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) era a instituição federal com o maior número de inscrições – 140 mil para 3.535 vagas. Uma proporção de 39,66 candidatos por vaga. Depois da UFMG, aparecem entre as mais procuradas a Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Rural de Pernambuco (UFRPE) e Federal do Ceará (UFC).

Corte. No fim de cada dia, os candidatos podem verificar a nota de corte de cada curso, por modalidade, calculada a partir da oferta de vagas e pela procura de candidatos. Ontem, a maior nota entre os cursos de Medicina, por exemplo, foi a registrada na Federal do Pará (UFPA) – 869,15. Para candidatos autodeclarados pretos, pardos ou indígenas, com renda familiar per capita igual ou inferior a 1,5 salário mínimo, a nota de corte era menor, de 701,64.

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments