Emanuelle Najjar, no Cabine Literária

Segundo o Los Angeles Times, novas normas do sistema prisional do Reino Unido estão despertando revolta por parte de ONGs e escritores: pelas novas regras, os detentos não podem receber livros, revistas, cuecas ou cartões de aniversário caseiros.

1

As restrições que envolvem a leitura estão sendo rebatidas tanto pela comunidade jurídica quanto por autores e ONGs. A chefe executiva da ONG The Howard League for Penal Reform, Francis Cook, chamou a proibição de “sórdida e desprezível”. Uma petição disponibilizada pelo site Change.org pede revisão e alterações das normas e conta com 12 mil assinaturas, incluindo nomes importantes como Mark Haddon, Ian Rankin e Philip Pullman.

Segundo informações do site Consultor Jurídico, a ideia das normas é criar um sistema de recompensas e punições para assim estimular o bom comportamento dos detentos. Os presos que se comportam de maneira adequada ganham o direito de usar seu dinheiro ou créditos para comprar livros, solicitados por meio de catálogo.

Já quem não dispõe dos créditos poderá contar apenas com o acervo disponível na biblioteca do presídio, que em muitas ocasiões é limitado e desatualizado.

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments