Família retirou criança da escola após a direção da unidade dizer que os hábitos da estudante não seriam condizentes com sua sexualidade

Sunnie Kahle diz que gosta de colecionar bolas de beisebol autografadas, dentre outros hábitos (Foto: Reprodução / TV ABC)

Sunnie Kahle diz que gosta de colecionar bolas de beisebol autografadas, dentre outros hábitos (Foto: Reprodução / TV ABC)

Publicado em O Globo

A família de uma menina de oito anos retirou nesta semana sua filha da Escola Cristã de Timberlake, nos Estados Unidos, após a direção da unidade considerar que a aluna não era “feminina o suficiente”.

De acordo a reportagem da emissora de TV CBS, Sunnie Kahle guarda em seu quarto sua coleção de bolas de beisebol autografadas e facas de caça, ao lado de bichos de pelúcia e bijuterias. Os colegas de Sunnie na escola chegavam a perguntar se ela era menina de verdade.

Por conta do perfil da estudante, a direção da Escola Cristã de Timberlake, ligada à Igreja Batista, entregou aos responsáveis de Sunnie uma carta afirmando que o colégio não era o melhor lugar para a criança estudar.

“Você provavelmente está ciente de que Escola Cristã de Timberlake é uma instituição religiosa que crê na Bíblia, acreditando proporcionar educação em um ambiente distintamente cristão. Acreditamos que – ao menos que Sunnie e sua família entendam claramente que Deus a fez mulher, e suas vestimentas e seu o comportamento precisam seguir o mesmo caminho da indentidade feminina ordenada por Deus – que a TCS não é o melhor lugar para o seu futuro da educação. “, diz a carta.

A avó de Sunnie e sua tutora, Doris Thompson, disse à CBS que sua neta entende perfeitamente que ela é uma menina.

Já a direção da escola disse à CBS que não fez nenhuma acusação sobre a estudante, mas somente quis que ela e sua família seguissem as diretrizes da unidade.

A Escola Cristã de Timberlake foi fundada em 1966 e tem cerca de 400 alunos matriculados na pré-escola e no ensino fundamental.

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments