Os morcegos se tornaram uma forma eficiente de lidar com as traças que atacam os livros (Foto: Wikimedia Commons)

Os morcegos se tornaram uma forma eficiente de lidar com as traças que atacam os livros (Foto: Wikimedia Commons)

Biblioteca do Palácio Nacional de Mafra, em Lisboa, garante a janta dos mamíferos, que já estão famosos na região e já viraram atração turística na cidade

Publicado no Globo Rural

Costumeiramente visto como vilões, os morcegos possuem a fama hollywoodiana de estarem sempre associados às trevas e ao mal – exceto os companheiros do Batman. Mas, em uma tradicional biblioteca localizada no Palácio Nacional de Mafra, em Portugal, esses pequenos mamíferos são muito bem quistos.

Os morcegos da biblioteca já viraram atração na região, pois trabalham como guardiões noturnos dos mais de 36 mil livros da biblioteca. Os bichinhos da espécie morcego-anão e morcego-orelhudo-castanho fazem uma verdadeira “faxina noturna” e garantem a própria janta.. Eles se alimentam de insetos, principalmente daquelas traças que adoram devorar as páginas de livros. O sonar dos morcegos é que ajuda na tarefa de localizar as traças e garante o banquete.

Os morcegos acabaram se tornando uma forma ecológica de lidar com esse problema muito comum em bibliotecas. E os pequenos voadores ganharam tanta fama que já fazem parte do tour do local. Alguns deles foram encontrados mortos no chão da biblioteca e foram guardados para serem exibidos aos visitantes, segundo o Jornal de Mafra.

Biblioteca do Palácio Nacional de Mafra (Foto: Wikimedia Commons)

Biblioteca do Palácio Nacional de Mafra (Foto: Wikimedia Commons)

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments