Cena de ‘Berenice Procura’, com Claudia Abreu. Foto: EH! FILMES

Cena de ‘Berenice Procura’, com Claudia Abreu. Foto: EH! FILMES

 

Seção ‘Mostra Brasil’ da 41.ª Mostra Internacional de Cinema tem vários filmes que tomaram a literatura como ponto de partida

Guilherme Sobota, no Estadão

A Mostra Internacional de Cinema de São Paulo chega à sua 41.ª edição este ano com cerca de 390 filmes entre curtas e longas metragens, estreias e reexibições, de filmes inéditos ou consagrados no Brasil.

É o evento em que todos vamos ver filmes persas com legendas em inglês em salas de cinema São Paulo afora, o que é ótimo.

Separei alguns filmes brasileiros que foram inspirados em livros (romances ou contos) ou têm personagens literárias.

A programação com datas, horários e locais está no site da Mostra.

O PADRE E A MOÇA, de Joaquim Pedro de Andrade (1965)

Na estreia do diretor na ficção de longa-metragem, o roteiro é inspirado no poema de Carlos Drummond de Andrade de mesmo título. O filme tem um ar mais solene do que os seus seguintes.

O HOMEM NU, de Roberto Santos (1968)

Comédia dirigida por Roberto Santos, tem roteiro de Fernando Sabino e do diretor, baseado em crônica de Sabino no livro O Homem Nu.

MACUNAÍMA, de Joaquim Pedro de Andrade (1969)

Inspirado no clássico de Mário de Andrade, o filme foi eleito o 10.º melhor filme da história do cinema brasileiro pela Abraccine em 2016.

SEVERINA, de Felipe Hirsch (2017)

O filme é inspirado num conto do escritor guatemalteco Rodrigo Rey Rosa (admirado por Bolaño). Conforme adiantou Ubiratan Brasil em julho, “Severina trata de um amor obsessivo – R., o dono de uma livraria, fica intrigado com uma moça que começa a frequentar sua loja. Logo, ele se descobre em um emaranhado que encobre Ana, moça que rouba volumes de livrarias para ler e compartilhar com um suposto avô. Aos poucos, o desorientado homem descobre que a fronteira entre o racional e o irreal é fina demais”.

TORQUATO NETO – TODAS AS HORAS DO FIM, de Eduardo Ades, Marcus Fernando (2017)

Poeta piauiense se engajou na Tropicália e ajudou a romper com convenções em vários níveis. Tirou a própria vida no dia de seu aniversário de 28 anos, em 1972. O documentário também foi exibido no Festival do Rio.

BERENICE PROCURA, de Allan Fiterman (2017)

Inspirado no livro de Luiz Alfredo Garcia-Roza, o filme de trama policial tem Claudia Abreu como protagonista.

A FERA NA SELVA, de Paulo Betti, Eliane Giardini, Lauro Escorel (2017)

“O longa, baseado numa novela de Henry James, dirigido e interpretado por Eliane Giardini e Paulo Betti, co-dirigido e fotografado por Lauro Escorel, adota tom teatral e não naturalista”, segundo Luiz Zanin Oricchio, lá no blog dele.

CALLADO, de Emília Silveira (2017)

Documentário faz perfil do jornalista e escritor Antonio Callado (1917-1997). O Sérgio Augusto escreveu no Aliás sobre o filme.

CARTAS PARA UM LADRÃO DE LIVROS, de Caio Cavechini, Carlos Juliano Barros (2017)

Laéssio Rodrigues de Oliveira é considerado pelas autoridades brasileiras o maior ladrão de livros raros do País — o documentário buscar contar a história do jovem balconista de padaria e por meio dela mostrar a “necessidade do Brasil de cuidar da própria história”.

NÃO DEVORE MEU CORAÇÃO, de Felipe Bragança (2017)

O filme com Cauã Reymond é inspirado em dois contos de Joca Reiners Terron.

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments