‘A vida psíquica do poder’ combina teoria social, filosofia e psicanálise

Publicado no Jornal do Brasil

Considerada uma das maiores pensadoras da atualidade, Judith Butler concilia, com originalidade, filosofia e psicanálise em A vida psíquica do poder, lançamento da Autêntica Editora. O objetivo é propor uma teoria da formação do sujeito que considere a ambivalência dos efeitos psíquicos do poder social. Ela toma como base o pensamento de Hegel, Nietzsche, Freud, Foucault e Althusser para demonstrar como o poder fundamenta o sujeito.

Para Butler, a operação social do poder é o que gera nossa vida psíquica, e nossa psique, paradoxalmente, oculta e fortalece o poder social que a gerou. Para ela, o poder não é entendido como algo que o sujeito “internaliza”, ao contrário: o sujeito é gerado como efeito ambivalente do poder. Nesse sentido, ele é uma operação da consciência.

Filósofa estará no Brasil entre os dias 7 e 9

Filósofa estará no Brasil entre os dias 7 e 9

 

Considerando a questão da subjetividade e da consciência de si, a autora faz uma investigação crítica sobre o processo de formação do sujeito que revela o sujeito consciente de si como paradoxo necessário; ela interroga como o poder produz subordinados e como estes vêm a se entender como tais.

Por mais que a maioria dos leitores de Foucault evite a teoria psicanalítica, e a maioria dos teóricos da psique evite Foucault, Judith Butler busca teorizar essa relação ambivalente entre o social e o psíquico como um dos efeitos mais dinâmicos e difíceis do poder.

Com tradução de Rogério Bettoni, a obra é lançada junto com a vinda da autora ao Brasil. Judith Butler participa do Simpósio Internacional “Os Fins da Democracia”, que acontece entre os dias 7 e 9 de novembro, no Sesc Pompeia. O seminário convida filósofos, sociólogos, antropólogos, cientistas políticos e psicanalistas da América Latina, Europa, EUA e África para discutirem as reações contemporâneas e locais ao enfraquecimento do potencial campo de consenso nas democracias liberais para o pensamento crítico contemporâneo.

Judith Butler é doutora em Filosofia pela Universidade Yale e hoje é professora de Retórica e Literatura Comparada na Universidade da Califórnia, em Berkeley. É autora de diversos livros, entre os quais se destacam Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade e Relatar a si mesmo: crítica da violência ética. Tem presença marcante em debates sobre direitos humanos e identidade de gênero e ganhou vários prêmios na área, entre eles o Adorno Prize, de Frankfurt (2012), por suas contribuições para os estudos de gênero, para a filosofia política e para a filosofia moral.

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments