Vitor Paiva, no Hypeness

Em Por Que Ler Os Clássicos, o grande escritor italiano Ítalo Calvino define de mil formas o que é um clássico da literatura. “Um clássico é um livro que nunca terminou de dizer aquilo que tinha para dizer”, escreve Calvino, sugerindo que devemos não só ler os clássicos na juventude, como retornar a eles (sendo sempre uma nova leitura como uma primeira vez) em uma fase mais madura.

Ler pode ser visto como um exercício de linguagem, comunicação, de escrita, ético, estético, artístico, terapêutico, de autoconhecimento, de estudo, de empatia, de conhecimento da história e de expansão de consciência, de entendimento do mundo e da própria vida – e muito mais.

Antes mesmo de começar a ler, no entanto, levantar uma biblioteca e manter as prateleiras repletas de possibilidades de leitura pode, além de trabalhoso, ser bastante caro. Nada mais é barato nessa vida, e juntar o infinito de livros que gostaríamos – precisamos – para nos tornarmos quem sonhamos em ser pode nos custar uma pequena fortuna. Sabemos também, no entanto, que livros são mais importantes do que dinheiro, logo, para resolver tal dilema, separamos aqui 11 grandes livros, clássicos reconhecidos ou não, capazes de deixar Calvino orgulhoso, e que, inversamente proporcionais ao alto valor das letras em suas páginas, custam pouco dinheiro – a maioria menos de R$ 15, muitos em promoções abaixo de R$ 10, mas nenhum passando dos R$ 20.

São grandes obras em sua maioria reeditadas em coleções de bolso ou em versões menos luxuosas em seu acabamento (mas, nem por isso menos valiosas em seu conteúdo) mas que, quando lidas, seguem valendo mais do que qualquer tesouro. Para reunir essa fortuna crítica em sua casa sem precisar vender um estimado órgão de seu corpo, a pesquisa para feitura dessa seleção recorreu ao valor de venda virtual de coleções como Saraiva de Bolso, Companhia de Bolso e às edições especiais das editoras Penguin e L&PM.

Basta pesquisar em qualquer site de grande livraria para encontrar tais clássicos em edições especiais à venda por preços quase tão especiais quanto os próprios livros – e se preferir os e-books, os preços são ainda mais baratos. Alguns livros, especialmente os mais antigos, foram lançados por mais de uma editora, e podem apresentar variações de preço – logo, a pesquisa por preços ainda melhores pode ser frutífera. Com o passar do tempo os preços aqui dispostos podem mudar, assim como promoções podem ser encerradas.

1. Em Busca do Tempo Perdido, de Marcel Proust

Um dos maiores (literal e criticamente) romances da literatura universal, Em Busca do Tempo Perdido, de Marcel Proust, é dividido em 7 volumes. Naturalmente que o valor dos 7 livros, se comprados ao mesmo tempo, superam os preços estimados aqui – mas em algumas coleções cada volume é vendido por cerca de cinco reais, para se adentrar em um dos mais densos mergulhos literários possíveis – uma leitura para uma vida inteira.

2. A Grande Arte, de Rubem Fonseca

Brutal, violento, marginal, crítico e brilhante, o brasileiro Rubem Fonseca, reconhecido como autor de grandes obras policiais, encontra para muitos seu auge em A Grande Arte. Se valendo do usual universo do assassinato para debater sobre o dilema entre “alta arte” e “literatura de massas” (e o próprio romance policial), Fonseca criou, assim, uma obra-prima.

3. Orlando, de Virginia Woolf

Um dos mais complexos e estudados personagens da literatura universal, Orlando, de Virginia Woolf, debate com graça, lirismo e profundidade questões como as noções de gênero, o tempo e principalmente a sexualidade humana (e os dilemas entre o feminino e o masculino) com a genialidade da escrita de Woolf em uma narrativa impressionantemente corajosa para um livro publicado em 1928. Filosófico, crítico, bravo e luminoso, Orlando é uma profunda declaração de amor – inclusive à própria literatura.

4. Sagarana, de João Guimarães Rosa

Primeiro livro publicado do brasileiro João Guimaraes Rosa, Sagarana apresenta a dimensão de sua genialidade em nove contos imortais. Já trazendo o universo do sertão, dos vaqueiros, jagunços, seus dilemas e sentimentalidades e principalmente sua linguagens – trazendo a oralidade marcante e a escrita brilhante de Rosa como um dos pontos altos da literatura do século XX.

5. A Legião Estrangeira, de Clarice Lispector

Reunindo 13 contos do impressionante repertório de Clarice Lispector, A Legião Estrangeira traz alguns dos contos que colocam a autora no olimpo dos contistas em todo o século XX. O cotidiano e as relações humanas mundanas são reveladas de forma elegante e assombrosa pela pena de Clarice, em uma permanente tensão que parece nos levar às epifanias mais profundas sobre nós, o outro, o mundo.

6. A Teus Pés, de Ana Cristina César

Reunindo o único livro lançado por Ana Cristina César em vida por uma editora comercial, A Teus Pés traz poemas inéditos ao lado de Cenas de Abril, de 1979, Correspondência Completa, de 1979, e Luvas de Pelica, de 1980 – os três lançados previamente de forma independente. Ao mesmo tempo uma marca da época e profundamente atual, não é por acaso que Ana C. cada vez é celebrada como uma das mais importantes poetas e escritoras de sua geração, e A Teus Pés traz a marca definitiva de uma escritora imensa que nos deixou cedo demais.

7. A Morte de Ivan Ilitch, de Leon Tolstói

Reconhecida como uma das melhores e mais importantes novelas em todos os tempos, A Morte de Ivan Ilitch é considerada por muitos a obra-prima de Leon Tolstói – em uma obra que inclui clássicos como Anna Karenina e Guerra e Paz. Tolstói havia abandonado a literatura e rejeitado a própria obra para se dedicar à vida espiritual, e A Morte… representa a volta às letras de um dos maiores escritores em todos os tempos, para a realização de um dos mais impressionantes livros da história.

8. O Livro dos Abraços, de Eduardo Galeano

Como faz de modo geral em sua obra, o uruguaio Eduardo Galeano mergulha poeticamente no inconsciente sentimental e afetivo da América Latina através de pequenas histórias, coletadas em viagens ou imaginadas pelo autor. Através de tais pequenas memórias e diminutas narrativas O Livro dos Abraços traça uma delicada natureza da vida pelos olhos sensíveis do autor.


9. Os Sofrimentos do Jovem Werther, de J. W. Goethe

Um dos mais impactantes e escandalosos livros de todos os tempos, Os Sofrimentos do Jovem Werther, ao fundar o romantismo como uma das grandes obras-primas da história da literatura, impactou de tal forma o mundo à sua volta que a lenda reza que tenha provocado uma onda de suicídios em seus leitores. Para além da veracidade desse “efeito Werther”, o fato é que se trata de um dos mais incríveis romances sobre juventude, amor, sofrimento e desilusão já escritos.

10. Razão e Sentimento, de Jane Austen

Em Razão e Sentimento, Jane Austen nos leva a observar os costumes da Inglaterra do século XVIII, com as durezas e os sofrimentos velados de uma família, em especial as irmãs que, após a morte do pai, se veem sozinhas diante dos desafios da vida. Como o título sugere, os binômios da vida da época, que muitas vezes moldam ainda nossa moralidade hoje, atravessam as personagens em busca da experiência profunda do amor.

11. Frankenstein ou O Prometeu Moderno, de Mary Shelley

Foi de um pesadelo, em que viu um monstro criado pela ciência, que Mary Shelley criou uma das mais influentes obras da literatura moderna, dando vida a um personagem imortal: Frankenstein, uma criação verdadeiramente a frente de seu tempo. Shelley coloca em pauta, no início do século XIX, temas como a moral e a ética científica, a criação da vida por mãos humanas, a luta da ciência e do homem com a noção de deus, em uma escrita brilhante e assombrosa.

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments