Ansiedade 3 - Ciúme

bibliotecas

Companhia de Limpeza de Niterói monta biblioteca com livros doados para seus funcionários

0
Prateleiras cheias na biblioteca montada na sede da Clin com livros descartados por moradores. - Divulgação / Alexandre Vieira

Prateleiras cheias na biblioteca montada na sede da Clin com livros descartados por moradores. – Divulgação / Alexandre Vieira

Espaço será inaugurado na sede da companhia em Niterói

Leonardo Sodré, em O Globo

NITERÓI — Aquele livro que não serve mais pode representar um universo fascinante de descobertas e emoções para quem não tem acesso às livrarias. Em tempos de arquivos digitais, vale considerar a equação entre quem não tem mais interesse por publicações impressas e a quantidade de gente que busca acesso a elas. Em Niterói, não é difícil fechar essa conta. A partir de segunda-feira, uma nova ação passará a auxiliar a erguer a ponte que facilita o acesso à leitura: na sede da Companhia de Limpeza de Niterói (Clin), no Centro, será inaugurada, para os funcionários, uma biblioteca montada com livros que moradores jogam fora diariamente e que são recolhidos por meio do programa de coleta seletiva.

O espaço será destinado a todos os profissionais da limpeza urbana da cidade e tem como objetivo promover a doação dos livros que são descartados no lixo domiciliar e entregues voluntariamente nos 14 Distritos de Limpeza Urbana (DLU) da cidade. De acordo com o coordenador de reciclagem da Clin, Luiz Abelha, a expectativa é que cerca de 400 títulos, dentre livros didáticos e de literatura, sejam disponibilizados diariamente na biblioteca. Ele diz que a ideia de criar o local surgiu depois de constatar a grande quantidade de livros que chega diariamente à triagem de materiais reciclados da companhia.

— Percebemos que chegam muitos livros no galpão onde fazemos a separação do material reciclado. Então pensei em dar um destino a eles sem que fosse a reciclagem como papel, apenas. Até porque gosto muito de ler e sei que eles têm um valor muito maior que está se perdendo. Paralelamente, comecei a perceber um interesse da equipe pelos livros que chegavam. Conseguimos um espaço adequado para montar a biblioteca e vamos começar a doá-los — conta.

Segundo a Clin, uma média de 200 livros são descartados semanalmente em Niterói nas lixeiras de casas e condomínios ou levados até às LDUs. Há títulos didáticos, romances, de filosofia, história e infantis. Luiz Carlos Fróes, presidente da Clin, explica que não haverá limitação de exemplares por funcionário, nem restrição em relação ao conteúdo.

— Eles poderão levar os livros para casa, para os seus filhos e familiares ou ainda trocar com amigos. O mais importante é disseminarmos o hábito da leitura e fazer o conhecimento circular entre todos democraticamente — acrescenta Fróes.

 

Morcegos ajudam a conservar livros em biblioteca de Portugal

0
Os morcegos se tornaram uma forma eficiente de lidar com as traças que atacam os livros (Foto: Wikimedia Commons)

Os morcegos se tornaram uma forma eficiente de lidar com as traças que atacam os livros (Foto: Wikimedia Commons)

Biblioteca do Palácio Nacional de Mafra, em Lisboa, garante a janta dos mamíferos, que já estão famosos na região e já viraram atração turística na cidade

Publicado no Globo Rural

Costumeiramente visto como vilões, os morcegos possuem a fama hollywoodiana de estarem sempre associados às trevas e ao mal – exceto os companheiros do Batman. Mas, em uma tradicional biblioteca localizada no Palácio Nacional de Mafra, em Portugal, esses pequenos mamíferos são muito bem quistos.

Os morcegos da biblioteca já viraram atração na região, pois trabalham como guardiões noturnos dos mais de 36 mil livros da biblioteca. Os bichinhos da espécie morcego-anão e morcego-orelhudo-castanho fazem uma verdadeira “faxina noturna” e garantem a própria janta.. Eles se alimentam de insetos, principalmente daquelas traças que adoram devorar as páginas de livros. O sonar dos morcegos é que ajuda na tarefa de localizar as traças e garante o banquete.

Os morcegos acabaram se tornando uma forma ecológica de lidar com esse problema muito comum em bibliotecas. E os pequenos voadores ganharam tanta fama que já fazem parte do tour do local. Alguns deles foram encontrados mortos no chão da biblioteca e foram guardados para serem exibidos aos visitantes, segundo o Jornal de Mafra.

Biblioteca do Palácio Nacional de Mafra (Foto: Wikimedia Commons)

Biblioteca do Palácio Nacional de Mafra (Foto: Wikimedia Commons)

De graça! Saiba onde você pode se deliciar com centenas de livros em BH

0
Escolas municipais comportam importantes acervos para consulta in loco

Escolas municipais comportam importantes acervos para consulta in loco

Publicado no SouBH

Muita gente não imagina, mas diversas escolas da rede municipal em BH oferecem biblioteca aberta a comunidade durante a semana. A novidade é que boa parte destas instituições também abre as portas aos sábados, das 8h às 13h. O acesso aos livros é gratuito para leitura in loco ou consulta.

A iniciativa faz parte do projeto Leituras em Conexões, desenvolvido pela Secretaria Municipal de Educação, que tem como objetivo dar ênfase na leitura. São 38 bibliotecas públicas que funcionam a semana toda e 27 aos sábados.

“A Rede Municipal de Educação de Belo Horizonte é hoje composta por 191 escolas, cada uma delas contendo uma biblioteca. Dessas, 38 são bibliotecas base, que têm como função atender também à comunidade situada no entorno da escola e de agregar em torno de si outras cinco ou seis bibliotecas escolares, coordenando o trabalho”, explica Ricardo José Miranda, gerente da Rede Municipal de Bibliotecas Escolares.

Durante a semana, os frequentadores das bibliotecas devem apresentar um documento de identidade e comprovante de endereço para o preenchimento da ficha de cadastro. Já aos sábados, não é feita nenhuma exigência para usufruir dos livros.

Confira no mapa abaixo qual biblioteca está mais perto de você:

Veja no mapa

A Biblioteca Nacional da França reabriu após 10 anos e é de visita obrigatória

0

Publicado no Nômades Digitais

Os arquitetos Bruno Gaudin e Virginie Brégal trabalharam por uma década na reforma da Biblioteca Nacional da França, que finalmente abre suas portas novamente.

Localizada na rue de Richelieu, em Paris, o complexo histórico abriga coleções e salas de leitura, um museu de moedas e medalhas, o escritório de artes performáticas e, desde 1993, também é sede da Biblioteca Nacional de Arte Francesa.

A renovação foi dividia em duas fases, e a conclusão da segunda está prevista para 2020. Mas desde já, o espaço vale a visita! Veja só:

Biblio-2

Biblio-3

Biblio-4

Biblio-5

Biblio-6_normal

Biblio-7

BIblio-8

Biblio-9

Biblio-10

Todas as fotos © Takuji Shimmura

dica do Marcos Vichi

Rocinha ganha biblioteca com 1.200 livros e brinquedos para crianças

1
Crianças brincam no primeiro espaço do projeto Cantos de Leitura no Rio, em Vila Isabel - Quezia Feliciano / Divulgação

Crianças brincam no primeiro espaço do projeto Cantos de Leitura no Rio, em Vila Isabel – Quezia Feliciano / Divulgação

 

Projeto Cantos de Leitura chega na comunidade no dia 10

Gabriel Rosa, em O Globo

RIO — A creche da Ação Social Padre Anchieta (ASPA), na Rocinha, vai ganhar uma biblioteca com 1.200 livros, brinquedos e mobiliário novo na próxima quinta-feira. A ação é fruto da parceria entre a associação e a Rede Educare, empresa responsável pelo programa Cantos de Leitura.

— Este projeto representa o resgate da leitura para muitas crianças. Por não saberem ler nem escrever, os pais acabam incentivando os filhos a usar muito o celular e a internet. O projeto significa um retorno ao livro — conta Suely Figueiredo, coordenadora institucional da ASPA.

Atualmente, a creche atende a 200 crianças (179 com idade entre 6 meses e 3 anos e 11 meses; e outras 21 maiores de 4 anos). Num primeiro momento, apenas estas crianças terão acesso à biblioteca. Mas o objetivo, de acordo com Suely, é expandir ao máximo a cobertura do espaço.

— A ideia é levar o projeto a todas as crianças que conseguirmos. Queremos abrir o espaço a todas as que vivem na comunidade — diz Suely.

Uma das etapas do projeto é a capacitação dos educadores que atuam na instituição. Kátia Rocha, diretora da Rede Educare e coordenadora do projeto Cantos de Leitura, explica que um dos principais objetivos da iniciativa é criar locais onde os pequenos possam se sentir relaxadas.

— Por causa da violência, as crianças de algumas localidades perderam muitos espaços de lazer. Acreditamos que precisamos criar locais de paz onde possam se sentir bem.

O Cantos de Leitura tem apoio do Ministério da Cultura através da Lei Rouanet. A primeira biblioteca no Rio foi inaugurada em julho, no Lar Cantinho Feliz, em Vila Isabel, na Zona Norte. A cidade ainda vai ganhar outros dois espaços. O objetivo é que haja 12 espalhados por todo o Brasil ainda em 2017.

Go to Top