bibliotecas

Depois do parque da Juventude, Villa-Lobos ganha nova biblioteca

0

Luiza Wolf, na Folha de S.Paulo

Há quatro anos, o parque da Juventude, na zona norte da cidade, ganhou a Biblioteca de São Paulo (BSP). O projeto deu certo e abriu caminho para uma segunda unidade: a biblioteca Villa-Lobos será inaugurada no parque da zona oeste em meados de setembro.

No Villa-Lo-bos, a nova biblioteca ocupará um prédio que já existe no parque, ao lado do orquidário Ruth Cardoso.

Com 4.000 m² e três andares, a biblioteca, assim como a sua percursora, será acessível a deficientes, com equipamentos como folheador de páginas (para pessoas com dificuldade motora) e conversor de texto para braile.

Andreia Naomi Narihisa/Divulgação
Biblioteca Villa-Lobos ocupará o prédio ao lado do orquidário do parque e será inaugurada em setembro
Biblioteca Villa-Lobos ocupará o prédio ao lado do orquidário do parque e será inaugurada em setembro

Parceria entre as secretarias do Meio Ambiente (que cedeu o espaço) e da Cultura, a biblioteca Villa-Lobos seguirá os moldes da BSP e terá atividades gratuitas como saraus, peças teatrais e oficinas. A novidade é que a programação será temática sobre meio ambiente, para estreitar a relação com o parque.

O objetivo é atrair pessoas que não leem livros com frequência. “As pessoas vão ao parque para um momento de lazer e encontram uma biblioteca lá. Ou seja, há uma quebra de estereótipo: os livros deixam de ser tão ligados ao estudo e às obrigações”, diz Adriana Ferrari, coordenadora da BSP e da biblioteca Villa-Lobos.

A biblioteca Villa-Lobos dispõe de uma verba de R$ 4,7 milhões. “Temos que fazer com que os equipamentos e mobiliários caibam nesse orçamento. O custeio para que a biblioteca se mantenha aberta já é outra história”, diz Ferrari.

FIM DA LINHA

O projeto Embarque na Leitura, que levava espaços gratuitos de empréstimo de livros a estações do metrô, encerrou as atividades em dezembro de 2013.

A unidade da estação Paraíso, das linhas 2-verde e 1-azul, a primeira a ser aberta e a última a fechar as portas, ficou ativa por nove anos. Coordenados pelo IBL (Instituto Brasil Leitor), os espaços fecharam por falta de patrocínio.

Apesar da popularidade —segundo o IBL, o Embarque na Leitura da Paraíso tinha mais de 22 mil sócios—, o projeto não atraiu o interesse de órgãos públicos e deixou de ser um investimento para empresas privadas.

“O problema é que a leitura não é considerada um valor na sociedade brasileira. Na esfera política, há outros interesses, sempre maiores”, diz Ivani Nacked, diretora do IBL. O Embarque na Leitura da estação Paraíso funcionou por mais de um ano sem apoio privado. Mas, na ausência de novos patrocinadores, ficou impossível mantê-lo.

De acordo com Gustavo Gouveia, coordenador da rede de bibliotecas do IBL, a ideia é trazer o projeto de volta, em terminais de ônibus como o Sacomã. “Mas antes nós precisamos atrair o interesse do público e financiadores.”

Biblioteca à beira mar reúne centenas de livros em praia do litoral Sul do RN

0

Proposta foi lançada há três anos pelo professor de surf Adalberon Omena.
Biblioteca fica na Praia do Amor, uma das mais conhecidas de Tibau do Sul.

Biblioteca montada na Praia do Amor recebeu doações e cresceu (Foto: Aldaberon de Omena/G1)

Biblioteca montada na Praia do Amor recebeu doações e cresceu (Foto: Aldaberon de Omena/G1)

Felipe Gibson, no G1

Na Praia do Amor, no litoral Sul do Rio Grande do Norte, chama atenção um atrativo que foge ao sol e mar admirados por turistas de todo o mundo. Localizada ao lado da famosa Praia da Pipa, no município de Tibau do Sul, o local possui uma biblioteca à beira mar. No acervo, centenas de livros em português, mas também em idiomas como inglês, francês e mandarim. A biblioteca funciona todos os dias das 9h às 17h.

A proposta foi lançada há três anos pelo surfista Adalberon Batista de Omena, 37 anos, que mantém uma escola de surf na praia. Natural de Olinda, em Pernambuco, Adalberon chegou a Pipa em 1995 para surfar. Veio e ficou. “Cheguei por causa do surf, mas vi todo o potencial da cidade para o turismo”, explica.

Pernambucano chegou a Tibau do Sul em 95 (Foto: Arquivo Pessoal/Adalberon Omena)

Pernambucano chegou a Tibau do Sul em 95
(Foto: Arquivo Pessoal/Adalberon Omena)

De acordo com o sufista, a biblioteca surgiu por acaso. “Começou com um banquinho e foi crescendo. Recebemos doações, ajuda de moradores, e também comprei alguns. A comunidade e o turismo fizeram crescer”, conta. Com o tempo o banquinho deu lugar às prateleiras que guardam centenas de livros atualmente.

Aberta ao público, a biblioteca pode ser usufruída pelos visitantes na praia, mas também existe a opção de levar o livro para outro local. “Quando as pessoas querem levar cobro um ‘calção’ de R$ 10. Quando o livro volta, o dinheiro está lá. Também faço trocas”, ressalta o criador da Biblioteca da Praia, que mensalmente promove eventos voltados para crianças.

Para Adalberon, as aulas de surf e a biblioteca vão além de atrativos turísticos. “Vi que com esporte e educação é dá para fazer algo, buscar uma mudança. Falo principalmente das crianças, que ainda estão aprendendo com a vida e têm uma consciência para formar”, encerra o pernambucano.

Biblioteca de Stuttgart em forma de cubo

0

1

Publicado por Eu amo leitura

Essa é a Biblioteca de Stuttgart na Alemanha, inaugurada em outubro de 2011.

Em 1999, o escritorio de arquitetura do Coreano Eun Young Yi foi o escolhido dentre 235 projetos para construir a nova Biblioteca de Stuttgart na Alemanha.

A construçao da nova Biblioteca custou 80 milhões de Euros. Ela começou em 2008 e foi inaugurada em outubro de 2011.

2

A palavra Biblioteca se encontra em quatro linguas nas paredes externas:

-Na parede Norte em alemão (lingua local)
-Na parede Oeste em Inglês (lingua franca)
-Na parede Sul em Árabe (lingua dos antigos conhecimentos)
-Na parede Leste em Coreano (idioma nativo do Eun Young Yi que projetou o prédio)

3

O Prédio é totalmente branco, tem formato de cubo, possui 11 andares, dois deles subterrâneos, todos intercalados pelas escadarias e teto de vidro.

4

Qual é a opinião de vocês sobre essa mais nova Biblioteca de Stuttgart?

Britânico transforma cabine telefônica sem uso em biblioteca

0

Um morador de Londres transformou uma cabine telefônica antiga em uma espécie de “microbiblioteca” pública.

Imagem de Amostra do You Tube

Publicado por BBC

Sebastian Handley 'adotou' cabine e transformou em micro-biblioteca

Sebastian Handley ‘adotou’ cabine e transformou em micro-biblioteca

Sebastian Handley “adotou” a cabine, que é oferecida pela empresa de telecomunicações BT. A telefônica quer incentivar pessoas a reinventarem usos para as obsoletas cabines.

O britânico pagou uma libra (pouco mais de R$ 3) pela cabine no bairro de Lewisham, no sul da cidade.

Em três meses, ninguém vandalizou a cabine, que é chamada informalmente de “a menor biblioteca pública de Londres”. Os leitores têm respeitado a regra de pegar um livro emprestado e deixar outro no lugar.

Empresa japonesa irá digitalizar 15 mil manuscritos da Biblioteca do Vaticano

0
AFP O presidente da NTT Data Corporation, Toshio Iwamoto, e o arquivista do Vaticano, Jean-Louis Bruges, cumprimentam-se após a assinatura do acordo

AFP
O presidente da NTT Data Corporation, Toshio Iwamoto, e o arquivista do Vaticano, Jean-Louis Bruges, cumprimentam-se após a assinatura do acordo

Publicado no MSN

A empresa japonesa NTT DATA irá digitalizar cerca de 3.000 manuscritos da Biblioteca do Vaticano em um período de quatro anos, e 15 mil no total até 2018, no âmbito de um acordo inédito assinado nesta quinta-feira.

Durante uma coletiva de imprensa, o arquivista e bibliotecário do Vaticano, o francês Jean-Louis Bruguès, o prefeito da Biblioteca, o italiano Cesare Pasini, e o presidente e CEO da NTT DATA Corporation, Toshio Iwamoto, apresentaram o acordo no valor de 18 milhões de euros (22,6 milhões de dólares) e válido até 2018, que constitui apenas “a primeira fase da colaboração” entre as duas partes.

O bispo Casini explicou que o grande projeto para digitalizar todos os livros da Biblioteca começou há alguns anos e que o contrato com a NTT DATA vai possibilitar a digitalização de um total de 15.000 manuscritos até 2018.

“A NTT DATA e a Biblioteca Apostólica do Vaticano (BAV) assinaram um contrato inicial para a operação que digitalizará e preservará cerca de 80.000 volumes e 41 milhões de páginas, que podem ser consideradas patrimônio histórico da humanidade, escritas entre o II e o XX séculos”, informou Iwamoto.

A Biblioteca do Vaticano é única em razão de sua variedade geográfica e antiguidade dos documentos. Dez manuscritos de valor histórico e artístico estão entre os 3.000 que serão digitalizados pela NTT DATA, segundo o Vaticano.

O bispo Bruguès ressaltou a vontade da Santa Sé “em disponibilizar este imenso tesouro que lhe foi confiado, oferecendo-o para livre consulta na web”.

“Os manuscritos que serão digitalizadas vão da América pré-colombiana ao Extremo Oriente chinês e japonês, passando por todas as línguas e culturas que alimentaram a Europa”, observou o prelado francês.

A missão da Biblioteca é “levar à periferia as mais diversas culturas”,  acrescentou, repetindo uma fórmula do Papa Francisco.

A NTT DATA Corporation, que fornece serviços em mais de 40 países, foi selecionada por ser especializada na preservação a longo prazo de manuscritos digitalizados.

Go to Top