State Ibirapuera

listas

9 livros incríveis para ler em dezembro

0

Dicas de livros para o fim do ano (Foto: Pixabay)

Isabela Moreira, na Galileu

Dezembro está chegando, mas isso ainda não significa que o ano acabou. Separamos alguns dos principais lançamentos literários para você incluir na sua lista de leitura ou de presentes. Boas festas — e boas leituras!

1 – Mary Poppins (edição de bolso), P.L. Travers (Zahar)
Não há momento melhor para ler Mary Poppins: além de ter um ar de nostalgia típico dessa época do ano, coincide com a estreia de O Retorno de Mary Poppins, filme da Disney que estreia nos cinemas no dia 20 de dezembro.

O livro conta a história de uma babá que é contratada para cuidar dos pequenos John, Barbara, Jane e Michael Banks. Com amizades e habilidades inusitadas, Mary Poppins conquista as crianças e muda suas vidas para sempre.

2 – As Horas Vermelhas, Leni Zumas (Planeta)
Um dos favoritos do ano: na onda de distopias como O Conto da Aia e O Poder, o livro se passa nos Estados Unidos, onde um presente eleito proíbe o aborto, a fertilização in vitro e a criação de filhos por pais solteiros.

A narrativa acompanha a perspectiva de diferentes mulheres — a Mãe, a Filha, a Reparadora, a Biógrafa — e mostra como as vidas de cada uma delas é afetada pela medida do governo.

3 – Fogo & Sangue, George R.R. Martin (Suma)
Enquanto George R.R. Martin não termina Os Ventos do Inverno, vale ler Fogo & Sangue, nova obra do autor que conta a origem e as principais lendas da família Targaryen. O livro é o primeiro de dois volumes e se passa 300 anos antes dos acontecimentos de “As Crônicas de Gelo e Fogo”, que inspiraram a série Game of Thrones.

4 – Breves Respostas para Grandes Questões, Stephen Hawking (Intrínseca)
O livro póstumo de Stephen Hawking, que faleceu no início deste ano, conta com as últimas reflexões do físico sobre temas como a formação do universo, a ideia de Deus e viagens no tempo.

A obra conta ainda com um prefácio escrito pelo ator Eddie Redmayne, que interpretou Hawking em A Teoria de Tudo, uma introdução do Nobel de Física Kip Thorne e um posfácio da filha do autor, Lucy Hawking.

5 – O Feminismo é para Todo Mundo, bell hooks (Rosa dos Tempos)
A feminista e ativista Gloria Jean Watkins, conhecida pelo pseudônimo bell hooks, escreve sobre como o feminismo pode mudar a vida de todos, abordando desde os recortes de gênero e raça até maternidade, paternidade e a masculinidade tóxica.

6 – Moxie: Quando as Garotas Vão à Luta, Jennifer Mathieu (Verus Editora)
Considerado um dos melhores livros juvenis de 2017 pela revista Time, Moxie conta a história de Vivian, uma adolescente que, cansada do machismo e da desigualdade de gênero entre os estudantes de sua escola, começa uma zine feminista, aprendendo mais sobre si e seus colegas.

7 – A História do Universo para quem Tem Pressa, Colin Stuart (Valentina)
Dos primórdios da astronomia à formação das galáxias como as conhecemos em apenas 216 páginas: essa é a proposta de A História do Universo para quem Tem Pressa, que aborda o tema com uma linguagem leve e acessível, ideal para quem quer ter um primeiro contato com o assunto.

8 – O Rei das Sombras, Javier Cercas (Biblioteca Azul)
Em forma de romance, Cercas conta a história de seu tio-avô, Manuel Mena, que, em 1936, se juntou ao exército de Franco na Guerra Civil Espanhola e por muito tempo foi considerado o herói de sua família.

9 – A História de Joe Shuster – O Artista por trás do Superman, Julian Voloj e Thomas Campi (Aleph)
Nada como uma graphic novel para relembrar a trajetória de uma lenda dos quadrinhos. Trata-se da história de Joe Shuster, um dos criadores do Superman, personagem que completou 80 anos em 2018 e foi responsável pelo início da Era de Ouro dos Quadrinhos

Livros para ler antes do ano acabar

0

 

Ana Carolina Becker, no Tudo e Todas

Falta só mais um final de semana para o Enem passar e, mais alguns dias, até que os vestibulares para o próximo semestre acabem. Sem contar que as férias escolares, faculdades e empresas também já se aproximam. Pensando nisso, separamos algumas dicas de leituras para fazer antes que o ano termine.

1. Ansiedade: como enfrentar o mal do século

De Augusto Cury, a obra já está a tempo sendo umas das mais vendidas no Brasil e, caso você ainda não tenha lido, essa é uma boa oportunidade. Além disso, será possível conhecer uma das doenças que mais atingem as pessoas, a ansiedade. Ela tem, na maioria das vezes, os sintomas desconhecidos.

2. A Garota do Trem

Para quem curte mais a literatura, vale ler ‘A Garota do Trem’ que conta a história de Rachel que, todos os dias, durante a semana, pega o trem para Londres, findingo que está indo trabalhar. A verdade é que essa mulher divorciada e solitária não tem mais nada para fazer dos seus dias, então passa o tempo no trem indo e voltando. Mas, o que ela não esperava é que fosse ser a chave para desvendar o desaparecimento de Megan, uma jovem que morava em uma das casas à beira dos trilhos. Em meio a momentos de lucidez, Rachel presenciou os acontecimentos da janela do trem e, agora, a sua missão é tentar convencer a polícia do seu testemunho.

3. Por que fazemos o que fazemos?

Talvez o fim de 2018 seja o melhor momento para ler a obra de Mario Sergio Cortella que fala na obra sobre motivação profissional. Na obra, o filósofo mostra que é preciso viver com um propósito. Se você está sempre pensando no seu presente e no seu futuro profissional, esse livro é como um guia, com vários ensinamentos como “Paciência na turbulência, sabedoria na travessia”.

4. It – A coisa

Pra quem curte aventura, amizade e companheirismo talvez essa seja uma boa obra para fechar 2018 com ‘chave de ouro’. A publicação, que já virou filme, conta a história de oito amigos moradores de Derry, uma pequena cidade no estado de Maine, que enfrentam, ainda quando crianças, o pior de seus pesadelos: a Coisa. Se apropriando, na maioria das vezes, da forma de um palhaço, esse ser sobrenatural e maligno está sempre escolhendo a melhor maneira para atrair cada vez mais crianças e delas se alimentar. Agora, quase 30 anos depois, os oito amigos se vêm prestes a enfrentar novamente a Coisa, graças a um juramento que fizeram no passado, e precisam retornar a Derry.

5 – A sutil arte de ligar o f*da-se

Que tal terminar o ano lendo esse livro? Depois de superar muitos desafios em 2018, pode ser um ótimo momento para entender as formas de lidar com a vida de maneira leve e eficiente. Além disso, mostra que nem sempre devemos nos preocupar excessivamente com um problema que não podemos resolver no momento, mas sim aprender a conviver com ele até que consigamos fazer algo a respeito. Um pensamento relativamente simples, mas que pode mudar a forma como enxergamos o mundo ao nosso redor.

“The Handmaid’s Tale” lidera lista de livros esquecidos em quartos de hotéis

0

“The Handmaid’s Tale” lidera a lista de livros mais populares esquecidos em quartos de hotéis por viajantes || Créditos: reprodução

Publicado no Glamurama

Quem nunca levou aquele livro para ler nas férias e acabou esquecendo? Segundo a Travelodge, empresa privada que opera na indústria hoteleira em todo o Reino Unido, em 2017, mais de 70 mil livros foram deixados para trás nas 550 unidades da rede. De acordo com o levantamento, metade dos 20 títulos mais populares esquecidos pelos hóspedes foram “livros de bolso” que se tornaram filmes e séries de TV aclamados pela crítica e pelo público. O primeiro da lista é “The Handmaid’s Tale”, escrito em 1985 pela escritora Margaret Atwood, que voltou a fazer sucesso por conta da série produzida pelo Hulu. A lista ainda inclui títulos como “A Garota no Trem”, “Harry Potter e a Pedra Filosofal”, “Animais Fantásticos e Onde Habitam” e “Os Treze Porquês”.

Espia a lista completa!

1 -“O Conto da Aia” de Margaret Attwood
2 -“O Casal do Lado” de Sharri Lapena
3 -“Pai Sarilho” de David Walliams
4 -“Origem” de Dan Brown
5 -“O segredo” de Rhonda Byrne
6 -“A garota no trem” de Paula Hawkins
7 -“Paul O’Grady’s Country Life” de Paul O’Grady
8 -“Na Própria Carne” de Gillian Flynn
9 -“Diário de um Banana: Apertem os Cintos” de Jeff Kinney
10 -“Harry Potter e a pedra filosofal” de J.K Rowling
11 -“Jardim Secreto: Livro de Colorir e Caça ao Tesouro” de Johanna Basford
12 -“IT” de Stephen King
13 -“The World’s Worst Children” de David Walliams
14 -“Animais Fantásticos e Onde Habitam” de J.K Rowling
15 -“Pequenas Grandes Mentiras” de Liana Moriarty
16 -“All Out War: The Full Story of How Brexit Sank Britain’s Political Class” de Tim Shipman
17 -“O Livro De Colorir Do Harry Potter” de Warner Bros
18 -“Os Treze Porquês” de Jay Asher
19 -“Trump: A Arte da Negociação” de Donald Trump
20 -“Disney Princess Beauty and the Beast Magical Story” de Disney

11 grandes livros que podem ser comprados por menos de R$ 20

0

Vitor Paiva, no Hypeness

Em Por Que Ler Os Clássicos, o grande escritor italiano Ítalo Calvino define de mil formas o que é um clássico da literatura. “Um clássico é um livro que nunca terminou de dizer aquilo que tinha para dizer”, escreve Calvino, sugerindo que devemos não só ler os clássicos na juventude, como retornar a eles (sendo sempre uma nova leitura como uma primeira vez) em uma fase mais madura.

Ler pode ser visto como um exercício de linguagem, comunicação, de escrita, ético, estético, artístico, terapêutico, de autoconhecimento, de estudo, de empatia, de conhecimento da história e de expansão de consciência, de entendimento do mundo e da própria vida – e muito mais.

Antes mesmo de começar a ler, no entanto, levantar uma biblioteca e manter as prateleiras repletas de possibilidades de leitura pode, além de trabalhoso, ser bastante caro. Nada mais é barato nessa vida, e juntar o infinito de livros que gostaríamos – precisamos – para nos tornarmos quem sonhamos em ser pode nos custar uma pequena fortuna. Sabemos também, no entanto, que livros são mais importantes do que dinheiro, logo, para resolver tal dilema, separamos aqui 11 grandes livros, clássicos reconhecidos ou não, capazes de deixar Calvino orgulhoso, e que, inversamente proporcionais ao alto valor das letras em suas páginas, custam pouco dinheiro – a maioria menos de R$ 15, muitos em promoções abaixo de R$ 10, mas nenhum passando dos R$ 20.

São grandes obras em sua maioria reeditadas em coleções de bolso ou em versões menos luxuosas em seu acabamento (mas, nem por isso menos valiosas em seu conteúdo) mas que, quando lidas, seguem valendo mais do que qualquer tesouro. Para reunir essa fortuna crítica em sua casa sem precisar vender um estimado órgão de seu corpo, a pesquisa para feitura dessa seleção recorreu ao valor de venda virtual de coleções como Saraiva de Bolso, Companhia de Bolso e às edições especiais das editoras Penguin e L&PM.

Basta pesquisar em qualquer site de grande livraria para encontrar tais clássicos em edições especiais à venda por preços quase tão especiais quanto os próprios livros – e se preferir os e-books, os preços são ainda mais baratos. Alguns livros, especialmente os mais antigos, foram lançados por mais de uma editora, e podem apresentar variações de preço – logo, a pesquisa por preços ainda melhores pode ser frutífera. Com o passar do tempo os preços aqui dispostos podem mudar, assim como promoções podem ser encerradas.

1. Em Busca do Tempo Perdido, de Marcel Proust

Um dos maiores (literal e criticamente) romances da literatura universal, Em Busca do Tempo Perdido, de Marcel Proust, é dividido em 7 volumes. Naturalmente que o valor dos 7 livros, se comprados ao mesmo tempo, superam os preços estimados aqui – mas em algumas coleções cada volume é vendido por cerca de cinco reais, para se adentrar em um dos mais densos mergulhos literários possíveis – uma leitura para uma vida inteira.

2. A Grande Arte, de Rubem Fonseca

Brutal, violento, marginal, crítico e brilhante, o brasileiro Rubem Fonseca, reconhecido como autor de grandes obras policiais, encontra para muitos seu auge em A Grande Arte. Se valendo do usual universo do assassinato para debater sobre o dilema entre “alta arte” e “literatura de massas” (e o próprio romance policial), Fonseca criou, assim, uma obra-prima.

3. Orlando, de Virginia Woolf

Um dos mais complexos e estudados personagens da literatura universal, Orlando, de Virginia Woolf, debate com graça, lirismo e profundidade questões como as noções de gênero, o tempo e principalmente a sexualidade humana (e os dilemas entre o feminino e o masculino) com a genialidade da escrita de Woolf em uma narrativa impressionantemente corajosa para um livro publicado em 1928. Filosófico, crítico, bravo e luminoso, Orlando é uma profunda declaração de amor – inclusive à própria literatura.

4. Sagarana, de João Guimarães Rosa

Primeiro livro publicado do brasileiro João Guimaraes Rosa, Sagarana apresenta a dimensão de sua genialidade em nove contos imortais. Já trazendo o universo do sertão, dos vaqueiros, jagunços, seus dilemas e sentimentalidades e principalmente sua linguagens – trazendo a oralidade marcante e a escrita brilhante de Rosa como um dos pontos altos da literatura do século XX.

5. A Legião Estrangeira, de Clarice Lispector

Reunindo 13 contos do impressionante repertório de Clarice Lispector, A Legião Estrangeira traz alguns dos contos que colocam a autora no olimpo dos contistas em todo o século XX. O cotidiano e as relações humanas mundanas são reveladas de forma elegante e assombrosa pela pena de Clarice, em uma permanente tensão que parece nos levar às epifanias mais profundas sobre nós, o outro, o mundo.

6. A Teus Pés, de Ana Cristina César

Reunindo o único livro lançado por Ana Cristina César em vida por uma editora comercial, A Teus Pés traz poemas inéditos ao lado de Cenas de Abril, de 1979, Correspondência Completa, de 1979, e Luvas de Pelica, de 1980 – os três lançados previamente de forma independente. Ao mesmo tempo uma marca da época e profundamente atual, não é por acaso que Ana C. cada vez é celebrada como uma das mais importantes poetas e escritoras de sua geração, e A Teus Pés traz a marca definitiva de uma escritora imensa que nos deixou cedo demais.

7. A Morte de Ivan Ilitch, de Leon Tolstói

Reconhecida como uma das melhores e mais importantes novelas em todos os tempos, A Morte de Ivan Ilitch é considerada por muitos a obra-prima de Leon Tolstói – em uma obra que inclui clássicos como Anna Karenina e Guerra e Paz. Tolstói havia abandonado a literatura e rejeitado a própria obra para se dedicar à vida espiritual, e A Morte… representa a volta às letras de um dos maiores escritores em todos os tempos, para a realização de um dos mais impressionantes livros da história.

8. O Livro dos Abraços, de Eduardo Galeano

Como faz de modo geral em sua obra, o uruguaio Eduardo Galeano mergulha poeticamente no inconsciente sentimental e afetivo da América Latina através de pequenas histórias, coletadas em viagens ou imaginadas pelo autor. Através de tais pequenas memórias e diminutas narrativas O Livro dos Abraços traça uma delicada natureza da vida pelos olhos sensíveis do autor.


9. Os Sofrimentos do Jovem Werther, de J. W. Goethe

Um dos mais impactantes e escandalosos livros de todos os tempos, Os Sofrimentos do Jovem Werther, ao fundar o romantismo como uma das grandes obras-primas da história da literatura, impactou de tal forma o mundo à sua volta que a lenda reza que tenha provocado uma onda de suicídios em seus leitores. Para além da veracidade desse “efeito Werther”, o fato é que se trata de um dos mais incríveis romances sobre juventude, amor, sofrimento e desilusão já escritos.

10. Razão e Sentimento, de Jane Austen

Em Razão e Sentimento, Jane Austen nos leva a observar os costumes da Inglaterra do século XVIII, com as durezas e os sofrimentos velados de uma família, em especial as irmãs que, após a morte do pai, se veem sozinhas diante dos desafios da vida. Como o título sugere, os binômios da vida da época, que muitas vezes moldam ainda nossa moralidade hoje, atravessam as personagens em busca da experiência profunda do amor.

11. Frankenstein ou O Prometeu Moderno, de Mary Shelley

Foi de um pesadelo, em que viu um monstro criado pela ciência, que Mary Shelley criou uma das mais influentes obras da literatura moderna, dando vida a um personagem imortal: Frankenstein, uma criação verdadeiramente a frente de seu tempo. Shelley coloca em pauta, no início do século XIX, temas como a moral e a ética científica, a criação da vida por mãos humanas, a luta da ciência e do homem com a noção de deus, em uma escrita brilhante e assombrosa.

Os 10 livros mais vendidos da Flip 2018

0

 

Hilda Hilst e Djamila Ribeiro estão no topo da lista de livros mais vendidos da Travessa, a livraria oficial

Maria Fernanda Rodrigues, na Folha de S.Paulo

Autora homenageada da 16.ª Festa Literária Internacional de Paraty, Hilda Hilst foi a best-seller na Livraria da Travessa, a loja oficial da Flip 2018.

Até as 16h45 deste domingo, último dia de festa, Júbilo, Memória e Noviciado da Paixão estava no topo da lista, com mais de 500 exemplares comercializados.

O livro de Hilda era seguido por O Que é o Lugar da Fala, de Djamila Ribeiro, e por O Sol na Cabeça, de Geovani Martins.

Entre os 10 best-sellers está Bráulio Bessa, que autografou no evento, mas não estava na programação oficial.

A Companhia das Letras domina a lista, com 5 títulos, os outros foram publicados por editoras variadas – uma delas, a independente Malê.

Veja a lista dos 10 livros mais vendidos da Flip
Júbilo, Memória e Noviciado da Paixão, de Hilda Hilst (Companhia das Letras)
O Que é o Lugar da Fala?, de Djamila Ribeiro (Letramento
O Sol na Cabeça, de Geovani Martins (Companhia das Letras)
Canção de Ninar, de Leila Slimani (Tusquets/Planeta)
Quem Tem Medo do Feminismo Negro?, de Djamila Ribeiro (Companhia das Letras)
De Amor Tenho Vivido – 50 Poemas, de Hilda Hilst (Companhia das Letras)
Poesia Que Transforma, de Bráulio Bessa (Sextante)
Era Uma Vez Uma Mulher Que Tentou Matar o Bebê ad Vizinha, de Liudmila Petruchévskaia (Companhia das Letras)
Memórias de Porco-espinho, de Alain Mabanckou (Malê)
Caderno de Memórias Coloniais, de Isabela Figueiredo (Todavia)

Go to Top