Vitrali Moema

listas

“The Handmaid’s Tale” lidera lista de livros esquecidos em quartos de hotéis

0

“The Handmaid’s Tale” lidera a lista de livros mais populares esquecidos em quartos de hotéis por viajantes || Créditos: reprodução

Publicado no Glamurama

Quem nunca levou aquele livro para ler nas férias e acabou esquecendo? Segundo a Travelodge, empresa privada que opera na indústria hoteleira em todo o Reino Unido, em 2017, mais de 70 mil livros foram deixados para trás nas 550 unidades da rede. De acordo com o levantamento, metade dos 20 títulos mais populares esquecidos pelos hóspedes foram “livros de bolso” que se tornaram filmes e séries de TV aclamados pela crítica e pelo público. O primeiro da lista é “The Handmaid’s Tale”, escrito em 1985 pela escritora Margaret Atwood, que voltou a fazer sucesso por conta da série produzida pelo Hulu. A lista ainda inclui títulos como “A Garota no Trem”, “Harry Potter e a Pedra Filosofal”, “Animais Fantásticos e Onde Habitam” e “Os Treze Porquês”.

Espia a lista completa!

1 -“O Conto da Aia” de Margaret Attwood
2 -“O Casal do Lado” de Sharri Lapena
3 -“Pai Sarilho” de David Walliams
4 -“Origem” de Dan Brown
5 -“O segredo” de Rhonda Byrne
6 -“A garota no trem” de Paula Hawkins
7 -“Paul O’Grady’s Country Life” de Paul O’Grady
8 -“Na Própria Carne” de Gillian Flynn
9 -“Diário de um Banana: Apertem os Cintos” de Jeff Kinney
10 -“Harry Potter e a pedra filosofal” de J.K Rowling
11 -“Jardim Secreto: Livro de Colorir e Caça ao Tesouro” de Johanna Basford
12 -“IT” de Stephen King
13 -“The World’s Worst Children” de David Walliams
14 -“Animais Fantásticos e Onde Habitam” de J.K Rowling
15 -“Pequenas Grandes Mentiras” de Liana Moriarty
16 -“All Out War: The Full Story of How Brexit Sank Britain’s Political Class” de Tim Shipman
17 -“O Livro De Colorir Do Harry Potter” de Warner Bros
18 -“Os Treze Porquês” de Jay Asher
19 -“Trump: A Arte da Negociação” de Donald Trump
20 -“Disney Princess Beauty and the Beast Magical Story” de Disney

11 grandes livros que podem ser comprados por menos de R$ 20

0

Vitor Paiva, no Hypeness

Em Por Que Ler Os Clássicos, o grande escritor italiano Ítalo Calvino define de mil formas o que é um clássico da literatura. “Um clássico é um livro que nunca terminou de dizer aquilo que tinha para dizer”, escreve Calvino, sugerindo que devemos não só ler os clássicos na juventude, como retornar a eles (sendo sempre uma nova leitura como uma primeira vez) em uma fase mais madura.

Ler pode ser visto como um exercício de linguagem, comunicação, de escrita, ético, estético, artístico, terapêutico, de autoconhecimento, de estudo, de empatia, de conhecimento da história e de expansão de consciência, de entendimento do mundo e da própria vida – e muito mais.

Antes mesmo de começar a ler, no entanto, levantar uma biblioteca e manter as prateleiras repletas de possibilidades de leitura pode, além de trabalhoso, ser bastante caro. Nada mais é barato nessa vida, e juntar o infinito de livros que gostaríamos – precisamos – para nos tornarmos quem sonhamos em ser pode nos custar uma pequena fortuna. Sabemos também, no entanto, que livros são mais importantes do que dinheiro, logo, para resolver tal dilema, separamos aqui 11 grandes livros, clássicos reconhecidos ou não, capazes de deixar Calvino orgulhoso, e que, inversamente proporcionais ao alto valor das letras em suas páginas, custam pouco dinheiro – a maioria menos de R$ 15, muitos em promoções abaixo de R$ 10, mas nenhum passando dos R$ 20.

São grandes obras em sua maioria reeditadas em coleções de bolso ou em versões menos luxuosas em seu acabamento (mas, nem por isso menos valiosas em seu conteúdo) mas que, quando lidas, seguem valendo mais do que qualquer tesouro. Para reunir essa fortuna crítica em sua casa sem precisar vender um estimado órgão de seu corpo, a pesquisa para feitura dessa seleção recorreu ao valor de venda virtual de coleções como Saraiva de Bolso, Companhia de Bolso e às edições especiais das editoras Penguin e L&PM.

Basta pesquisar em qualquer site de grande livraria para encontrar tais clássicos em edições especiais à venda por preços quase tão especiais quanto os próprios livros – e se preferir os e-books, os preços são ainda mais baratos. Alguns livros, especialmente os mais antigos, foram lançados por mais de uma editora, e podem apresentar variações de preço – logo, a pesquisa por preços ainda melhores pode ser frutífera. Com o passar do tempo os preços aqui dispostos podem mudar, assim como promoções podem ser encerradas.

1. Em Busca do Tempo Perdido, de Marcel Proust

Um dos maiores (literal e criticamente) romances da literatura universal, Em Busca do Tempo Perdido, de Marcel Proust, é dividido em 7 volumes. Naturalmente que o valor dos 7 livros, se comprados ao mesmo tempo, superam os preços estimados aqui – mas em algumas coleções cada volume é vendido por cerca de cinco reais, para se adentrar em um dos mais densos mergulhos literários possíveis – uma leitura para uma vida inteira.

2. A Grande Arte, de Rubem Fonseca

Brutal, violento, marginal, crítico e brilhante, o brasileiro Rubem Fonseca, reconhecido como autor de grandes obras policiais, encontra para muitos seu auge em A Grande Arte. Se valendo do usual universo do assassinato para debater sobre o dilema entre “alta arte” e “literatura de massas” (e o próprio romance policial), Fonseca criou, assim, uma obra-prima.

3. Orlando, de Virginia Woolf

Um dos mais complexos e estudados personagens da literatura universal, Orlando, de Virginia Woolf, debate com graça, lirismo e profundidade questões como as noções de gênero, o tempo e principalmente a sexualidade humana (e os dilemas entre o feminino e o masculino) com a genialidade da escrita de Woolf em uma narrativa impressionantemente corajosa para um livro publicado em 1928. Filosófico, crítico, bravo e luminoso, Orlando é uma profunda declaração de amor – inclusive à própria literatura.

4. Sagarana, de João Guimarães Rosa

Primeiro livro publicado do brasileiro João Guimaraes Rosa, Sagarana apresenta a dimensão de sua genialidade em nove contos imortais. Já trazendo o universo do sertão, dos vaqueiros, jagunços, seus dilemas e sentimentalidades e principalmente sua linguagens – trazendo a oralidade marcante e a escrita brilhante de Rosa como um dos pontos altos da literatura do século XX.

5. A Legião Estrangeira, de Clarice Lispector

Reunindo 13 contos do impressionante repertório de Clarice Lispector, A Legião Estrangeira traz alguns dos contos que colocam a autora no olimpo dos contistas em todo o século XX. O cotidiano e as relações humanas mundanas são reveladas de forma elegante e assombrosa pela pena de Clarice, em uma permanente tensão que parece nos levar às epifanias mais profundas sobre nós, o outro, o mundo.

6. A Teus Pés, de Ana Cristina César

Reunindo o único livro lançado por Ana Cristina César em vida por uma editora comercial, A Teus Pés traz poemas inéditos ao lado de Cenas de Abril, de 1979, Correspondência Completa, de 1979, e Luvas de Pelica, de 1980 – os três lançados previamente de forma independente. Ao mesmo tempo uma marca da época e profundamente atual, não é por acaso que Ana C. cada vez é celebrada como uma das mais importantes poetas e escritoras de sua geração, e A Teus Pés traz a marca definitiva de uma escritora imensa que nos deixou cedo demais.

7. A Morte de Ivan Ilitch, de Leon Tolstói

Reconhecida como uma das melhores e mais importantes novelas em todos os tempos, A Morte de Ivan Ilitch é considerada por muitos a obra-prima de Leon Tolstói – em uma obra que inclui clássicos como Anna Karenina e Guerra e Paz. Tolstói havia abandonado a literatura e rejeitado a própria obra para se dedicar à vida espiritual, e A Morte… representa a volta às letras de um dos maiores escritores em todos os tempos, para a realização de um dos mais impressionantes livros da história.

8. O Livro dos Abraços, de Eduardo Galeano

Como faz de modo geral em sua obra, o uruguaio Eduardo Galeano mergulha poeticamente no inconsciente sentimental e afetivo da América Latina através de pequenas histórias, coletadas em viagens ou imaginadas pelo autor. Através de tais pequenas memórias e diminutas narrativas O Livro dos Abraços traça uma delicada natureza da vida pelos olhos sensíveis do autor.


9. Os Sofrimentos do Jovem Werther, de J. W. Goethe

Um dos mais impactantes e escandalosos livros de todos os tempos, Os Sofrimentos do Jovem Werther, ao fundar o romantismo como uma das grandes obras-primas da história da literatura, impactou de tal forma o mundo à sua volta que a lenda reza que tenha provocado uma onda de suicídios em seus leitores. Para além da veracidade desse “efeito Werther”, o fato é que se trata de um dos mais incríveis romances sobre juventude, amor, sofrimento e desilusão já escritos.

10. Razão e Sentimento, de Jane Austen

Em Razão e Sentimento, Jane Austen nos leva a observar os costumes da Inglaterra do século XVIII, com as durezas e os sofrimentos velados de uma família, em especial as irmãs que, após a morte do pai, se veem sozinhas diante dos desafios da vida. Como o título sugere, os binômios da vida da época, que muitas vezes moldam ainda nossa moralidade hoje, atravessam as personagens em busca da experiência profunda do amor.

11. Frankenstein ou O Prometeu Moderno, de Mary Shelley

Foi de um pesadelo, em que viu um monstro criado pela ciência, que Mary Shelley criou uma das mais influentes obras da literatura moderna, dando vida a um personagem imortal: Frankenstein, uma criação verdadeiramente a frente de seu tempo. Shelley coloca em pauta, no início do século XIX, temas como a moral e a ética científica, a criação da vida por mãos humanas, a luta da ciência e do homem com a noção de deus, em uma escrita brilhante e assombrosa.

Os 10 livros mais vendidos da Flip 2018

0

 

Hilda Hilst e Djamila Ribeiro estão no topo da lista de livros mais vendidos da Travessa, a livraria oficial

Maria Fernanda Rodrigues, na Folha de S.Paulo

Autora homenageada da 16.ª Festa Literária Internacional de Paraty, Hilda Hilst foi a best-seller na Livraria da Travessa, a loja oficial da Flip 2018.

Até as 16h45 deste domingo, último dia de festa, Júbilo, Memória e Noviciado da Paixão estava no topo da lista, com mais de 500 exemplares comercializados.

O livro de Hilda era seguido por O Que é o Lugar da Fala, de Djamila Ribeiro, e por O Sol na Cabeça, de Geovani Martins.

Entre os 10 best-sellers está Bráulio Bessa, que autografou no evento, mas não estava na programação oficial.

A Companhia das Letras domina a lista, com 5 títulos, os outros foram publicados por editoras variadas – uma delas, a independente Malê.

Veja a lista dos 10 livros mais vendidos da Flip
Júbilo, Memória e Noviciado da Paixão, de Hilda Hilst (Companhia das Letras)
O Que é o Lugar da Fala?, de Djamila Ribeiro (Letramento
O Sol na Cabeça, de Geovani Martins (Companhia das Letras)
Canção de Ninar, de Leila Slimani (Tusquets/Planeta)
Quem Tem Medo do Feminismo Negro?, de Djamila Ribeiro (Companhia das Letras)
De Amor Tenho Vivido – 50 Poemas, de Hilda Hilst (Companhia das Letras)
Poesia Que Transforma, de Bráulio Bessa (Sextante)
Era Uma Vez Uma Mulher Que Tentou Matar o Bebê ad Vizinha, de Liudmila Petruchévskaia (Companhia das Letras)
Memórias de Porco-espinho, de Alain Mabanckou (Malê)
Caderno de Memórias Coloniais, de Isabela Figueiredo (Todavia)

6 Livros para ler em um único dia

0

Laura Coelho de Almeida, no Feededigno

Julho está quase chegando ao fim e com ele as férias. Você aí quer curtir os últimos dias livres lendo algum livro antes de voltar a rotina e não sabe como? A gente te ajuda! Que tal ler alguns livros maravilhosos e que podem ser lidos em um dia?

Confira abaixo a lista de livros com suas respectivas “mini resenhas”:

A Probabilidade Estatística do Amor à Primeira Vista (Jennifer E. Smith)

O livro em si já se passa em 24 horas e por mais que ele tenha 223 páginas a leitura flui muito rápido.

A Probabilidade Estatística do Amor à Primeira Vista vai contar a história de Hadley, uma menina que está indo para Londres para o casamento do pai, porém ela acaba perdendo o voo e fica presa no aeroporto. Lá, ela conhece o Oliver, um britânico que estuda nos Estados Unidos e que também está indo para Londres. Os dois acabam se conhecendo e conversando sobre tudo.

Por mais que o foco seja o romance entre os protagonistas, a relação de Hadley com o pai também recebe bastante destaque, bem como a história do motivo do Oliver estar indo para Londres.

Sinopse:

“Com certa atmosfera de ‘Um Dia’, mas voltado para o público jovem adulto, A Probabilidade Estatística do Amor à Primeira Vista é uma história romântica, capaz de conquistar fãs de todas as idades. Quem imaginaria que quatro minutos poderiam mudar a vida de alguém? Mas é exatamente o que acontece com Hadley. Presa no aeroporto em Nova York, esperando outro voo depois de perder o seu, ela conhece Oliver. Um britânico fofo, que se senta a seu lado na viagem para Londres. Enquanto conversam sobre tudo, eles provam que o tempo é, sim, muito, muito relativo. Passada em apenas 24 horas, a história de Oliver e Hadley mostra que o amor, diferentemente das bagagens, jamais se extravia.”

Veja os detalhes da obra:

Título: A Probabilidade Estatística do Amor à Primeira Vista
Autor: Jennifer E. Smith
Editora: Galera Record
Número de Páginas: 223
Ano de Publicação: 2013

Outros Jeitos de Usar a Boca (Rupi Kaur)

Outros Jeitos de Usar a Boca é uma coletânea de poemas sobre a experiência de violência, o abuso, o amor, a perda e a feminilidade. É dividido em quatro partes: A Dor, O Amor, A Ruptura e A Cura. Em cada parte a autora reúne poemas (e ilustrações) de um mesmo tema e nos apresenta histórias de luto, perda, estupro, repressão, tesão, amor, traição, término, perdão e recomeço.

Sinopse:

“Outros jeitos de usar a boca é um livro de poemas sobre a sobrevivência. Sobre a experiência de violência, o abuso, o amor, a perda e a feminilidade. O volume é dividido em quatro partes, e cada uma delas serve a um propósito diferente. Lida com um tipo diferente de dor. Cura uma mágoa diferente. Outros jeitos de usar a boca transporta o leitor por uma jornada pelos momentos mais amargos da vida e encontra uma maneira de tirar delicadeza deles. Publicado inicialmente de forma independente por Rupi Kaur, poeta, artista plástica e performer canadense nascida na Índia – e que também assina as ilustrações presentes neste volume –, o livro se tornou o maior fenômeno do gênero nos últimos anos nos Estados Unidos, com mais de 1 milhão de exemplares vendidos.”

Título: Outros Jeitos de Usar a Boca
Autor: Rupi Kaur
Editora: Planeta
Número de Páginas: 208
Ano de Publicação: 2017

O Garoto dos Meus Sonhos (Lucy Keating)

O Garoto dos Meus Sonhos conta a história de Alice, uma garota que sempre sonhou com o mesmo garoto, Max, durante a vida toda. Quando ela se muda com o pai para uma nova cidade Alice vê, surpreendentemente, na vida real, o garoto dos seus sonhos. Porém, o Max real não a reconhece e é muito diferente do Max dos sonhos. E apesar do livro ter 264 páginas, a leitura flui muito rápido, pois o leitor fica preso na história querendo saber o que irá acontecer a cada passo de Alice e Max.

Sinopse:

“Desde quando consegue se lembrar, Alice tem sonhado com Max. Juntos eles viajaram o mundo, passearam em elefantes cor-de-rosa, fizeram guerra de biscoitos no Metropolitan Museum of Art… e acabaram se apaixonando. Max é o garoto dos sonhos – e somente dos sonhos – até o dia em que Alice o vê, surpreendentemente, na vida real. Mas ele não faz ideia de quem ela é… Ou faz? Enquanto começam a se conhecer, Alice percebe que o Max dos Sonhos em nada se parece com o Max Real. Ele é complicado e teimoso, além de ter uma namorada e uma vida inteira da qual Alice não faz parte. Quando coisas fantásticas dos sonhos começam estranhamente a aparecer na vida real – como pavões gigantes que falam, folhas de outono cor-de-rosa incandescente, e constelações de estrelas coloridas –, Alice e Max precisam tomar a difícil decisão de fazer isso tudo parar. Mesmo que os sonhos sejam mais encantadores que a realidade, seria realmente bom viver neles para sempre?”

Título: O Garoto dos Meus Sonhos
Autor: Lucy Keating
Editora: Globo Alt
Número de Páginas: 264
Ano de Publicação: 2016

O Vilarejo (Raphael Montes)

O Vilarejo é um livro com sete contos de terror, do autor brasileiro Raphael Montes. Cada conto é fechado, porém se passam no mesmo vilarejo e em cada um mostra como cada demônio de cada um dos sete pecados capitais se manifesta nas pessoas, fazendo perceber o quanto um sentimento pode destruir tudo ao seu redor.

A leitura flui muito rápido por ser em formato de contos, porém pode ser que você tenha que largar o livro por uns minutinhos para superar o que você leu. O livro também conta com ilustrações maravilhosas e um tanto quanto bizarras!

Sinopse:

“Em 1589, o padre e demonologista Peter Binsfeld fez a ligação de cada um dos pecados capitais a um demônio, supostamente responsável por invocar o mal nas pessoas. É a partir daí que Raphael Montes cria sete histórias situadas em um vilarejo isolado, apresentando a lenta degradação dos moradores do lugar, e pouco a pouco o próprio vilarejo vai sendo dizimado, maculado pela neve e pela fome.

As histórias podem ser lidas em qualquer ordem, sem prejuízo de sua compreensão, mas se relacionam de maneira complexa, de modo que ao término da leitura as narrativas convergem para uma única e surpreendente conclusão.”

Título: O Vilarejo
Autor: Raphael Montes
Editora: Suma de Letras
Número de Páginas: 109
Ano de Publicação: 2015

Nada (Janne Teller)

Neste livro, Janne Teller conta a história de Pierre Anthon, uma criança que constatou que nada na vida importa, que nada tem significado. Seus colegas de classe então decidem fazer uma “pilha de significados” para mostrar a Pierre que a vida tem significado. A pilha é composta de coisas que são importantes para cada umas das crianças, porém as coisas ficam complicadas quando eles decidem que outra pessoa deve escolher o que o outro irá colocar na pilha e tudo toma um rumo extremo.

Sinopse:

“‘Nada importa. Você começa a morrer no instante em que nasce.’ Pierre Anthon está no sétimo ano e tem a certeza de que nada na vida tem importância. Por isso, ele decide abandonar a sala de aula e passar os dias nos galhos de uma ameixeira, tentando convencer seus companheiros de classe a pensar do mesmo modo. Agora, diante da recusa do menino de descer da árvore, seus colegas farão uma pilha de objetos que significam muito para cada um deles, e com isso esperam persuadi-lo de que está errado.

A pilha começa com uma coleção de livros, uma vara de pescar, um hamster de estimação… Contudo, com o passar do tempo, os participantes se desafiam a abrir mão de coisas ainda mais especiais. A pilha de significados logo se transforma em algo macabro e doentio, que coloca em xeque a fé e a inocência da juventude.”

Título: Nada
Autor: Janne Teller
Editora: Record
Número de Páginas: 128
Ano de Publicação: 2013

A Hora do Lobisomem (Stephen King)

Neste clássico de Stephen King com uma nova edição e com uma belíssima capa dura em alto relevo, temos também uma história rápida e ao mesmo tempo cativante. O mestre da literatura consegue nos prender com sua escrita de forma que a devoremos com a ferocidade de um lobisomem.

Sinopse:

“O primeiro grito veio de um trabalhador da ferrovia isolado pela neve, enquanto as presas do monstro dilaceravam sua garganta. No mês seguinte, um grito de êxtase e agonia vem de uma mulher atacada no próprio quarto.
Agora, a cada vez que a lua cheia brilha sobre a cidade de Tarker’s Mill, surgem novas cenas de terror inimaginável. Quem será o próximo?

Quando a lua cresce no céu, um terror paralisante toma os moradores da cidade. Uivos quase humanos ecoam no vento. E por todo lado as pegadas de um monstro cuja fome nunca é saciada.

Um clássico de Stephen King, com as ilustrações originais de Bernie Wrightson”

Título: A Hora do Lobisomem
Autor: Stephen King
Editora: Suma de Letras
Número de Páginas: 152
Ano de Publicação: 2017

As dicas de livros africanos de Barack Obama

0

Barack Obama participa de homenagem à Nelson Mandela na África do Sul

Ex-presidente americano recomendou títulos de Chimamanda Ngozi Adichie e Nelson Mandela em post no Facebook

Camilo Rocha, no Nexo

O ex-presidente americano Barack Obama, que esteve no cargo entre 2009 e 2017, mantém há anos o costume de divulgar uma lista de recomendações de leitura.

Este ano, Obama aproveitou que iria viajar para o continente africano para oferecer uma seleção focada em autores africanos. A viagem inclui passagens pelo Quênia, terra do pai de Obama e à África do Sul, onde discursará em uma festa em homenagem aos 100 anos do nascimento de Nelson Mandela.

“Através dos anos, frequentemente me inspirei na tradição literária extraordinária da África”, escreveu Obama em um post no Facebook. Segundo ele, suas sugestões incluem vários dos melhores escritores e pensadores da África, “cada um dos quais ilumina nosso mundo de maneiras poderosas e únicas”.

Além dos cinco títulos de escritores da África, o ex-presidente incluiu na lista também “The world as it is”, de seu conselheiro e ex-membro de gabinete Ben Rhodes, que, nas palavras de Obama, “consegue ver o mundo através dos meus olhos como poucos”.

“O mundo se despedaça”, de Chinua Achebe

Escrito em 1958, foi um dos primeiros títulos de literatura africana em inglês a obter reconhecimento internacional. A história mostra a sociedade nigeriana lidando com a chegada dos primeiros europeus, no fim do século 19. Considerado o livro maior do escritor nigeriano Chinua Achebe, já vendeu mais de 20 milhões de cópias em todo o mundo. “Uma obra-prima que inspirou gerações de escritores na Nigéria, pela África, e por todo o mundo”, escreveu Obama.

“Um grão de trigo”, de Ngũgĩwa Thiong’o

“Uma crônica dos eventos que antecederam a independência do Quênia e uma estimulante história de como fatos transformadores da história influenciam em vidas individuais e relacionamentos”, comentou o ex-presidente sobre o livro de 1967 do queniano Thiong’o. O autor, que chegou a ser preso em 1977 no Quênia, por causa de uma peça teatral, era um dos cotados para o Nobel de Literatura de 2017.

“Longa caminhada até a liberdade”, de Nelson Mandela

A biografia do ex-presidente sul-africano Nelson Mandela traça a história, “épica” nas palavras de Obama, desde a infância em uma vila do interior até a presidência, passando por seus 27 anos na cadeia. Publicado em 1994, o livro é “leitura essencial para qualquer um que queira entender a história – e depois partir para mudá-la”.

“Americanah”, de Chimamanda Ngozi Adichie

Adichie é chamada por Obama de “uma das grandes escritoras contemporâneas do mundo”. Este livro de 2014 da escritora nigeriana usa a história de dois personagens que têm de viver no exterior para discutir “questões universais de raça e pertencimento”. Segundo a autora declarou ao The Guardian em 2013, o livro “é sobre amor. Quis escrever uma história de amor à moda antiga assumida. Mas é também sobre raça e como nos reinventamos”. O romance foi eleito pelo jornal The New York Times como um dos dez melhores daquele ano.

“The Return” (O retorno, em tradução livre), de Hisham Matar

A obra de 2016 do escritor líbio-britânico trata de seu retorno à Líbia para investigar o desaparecimento em 1990 de seu pai, opositor do regime de Muammar Gaddafi. Para Obama, a escrita de Matar “habilidosamente equilibra um gracioso guia pela história recente da Líbia com a missão obstinada do autor”.

Go to Top