Romances de Época Gutenberg

livros

Nove adaptações literárias que você precisa conhecer

0

Publicado no Canal do Leitor

Acho que muitos de nós, cinéfilos, temos notado que ultimamente a quantidade de filmes com roteiros originais diminuiu bastante, isso porque as adaptações cinematográficas de livros e até quadrinhos viraram uma febre e estão enriquecendo os estúdios Hollywoodianos. Se é mais fácil eu não sei, mas é fato que unir o melhor dos dois mundos e criar representações visuais para histórias que só eram vivas em nossas imaginações, tem cativado muitas pessoas.

Muitas vezes essa troca entre as artes faz com que o leitor vá até o cinema e o espectador busque ler os livros, é um casamento perfeito que estimula as pessoas, apesar de todos os mimimis envolvidos.

Acontece que muitas obras cinematográficas que amamos ou não são adaptações de livros (contos, novelas e etc.) e nós nem imaginávamos. Abaixo segue uma lista com os 09 filmes que são adaptações literárias e que, para não dizer ninguém, poucas pessoas sabiam.

1. CORALINE: Sim, o encantador filme que recebeu um toque especial da produção de Tim Burton, é a adaptação de um conto de terror do autor Neil Gaiman (Deuses Americanos) e fez um enorme sucesso antes de se tornar uma animação belíssima e brilhante do diretor Henry Sellick.

coraline

2. O Curioso caso de Benjamin Button: Um filme polêmico, com uma história emocionante e peculiar, que apesar de ser uma ficção tem muitas verossimilhanças. É uma adaptação de um conto do F. Scott Fitzgerald (O Grande Gatsby), bizarro e igualmente emocionante.

f-scott-fitzgerald-caso-benjamin-button

3. Orgulho e Preconceito E ZUMBIS: Por essa ninguém esperava! Esse filme trash é baseado em uma adaptação de uma adaptação do romance da escritora Jane Austen, Orgulho e Preconceito, que também ganhou um filme. O interessante é justamente que esse filme é adaptado do livro de comédia do autor Seth Grahamer Smith, que é adaptado do livro clássico da Austen. Confuso né?

orgulho-e-preconceito-e-zumbis-livro-679x1024

4. Cidade de Deus: Um dos mais prestigiados e consagrados filmes do cinema nacional, tem um roteiro brilhante que expõe as faces de um Brasil obscuro por meios de histórias de criminalidades retratas na favela Cidade de Deus. Adaptação do romance escrito por Paulo Lins é baseado em fatos reais e é considerada uma das maiores obras literárias contemporâneas, feita para um projeto de pesquisas antropológicas: “Crime e criminalidade nas classes populares”.

cidade-de-Deus

5. Bonequinha de Luxo: O Clássico perfeito e apaixonante, eternizado no cinema pela icônica Audrey Hepburn fez e ainda faz muito sucesso. É uma adaptação do livro do jornalista Truman Capote, que tem o mesmo nome, em inglês, Breakfast at Tiffany’s. É interessante porque para a época, apesar de sutil, essa história foi polêmica por contar a vida de uma prostituta de luxo. O livro tem uma narrativa muito mais completa, abrangente e explícita.

Bonequinha-de-luxo

6. SHREK: BOMBA! Uma das animações mais maravilhosas de todas que fez a alegria de várias gerações, que marcou nossa infância, que você tem todos os DVDs em casa e que todo mundo ama foi adaptado, ou mais precisamente, baseado em um livrinho infantil ilustrado e escrito por William Steig. Claro que a DreamWorks mais do que adaptou a história, modificou e temperou ela todinha, mas o que vale é a essência literária. Antes de chegar aos cinemas provavelmente era a leitura antes da soneca de muitas crianças.

Shrek (mais…)

11 livros escritos por mulheres que vão brilhar na Flip 2016

0
Clarice Lispector: escritora foi a primeira mulher a ser homenageada na Flip. Este ano o festival traz a segunda homenageada - Ana Cristina Cesar

Clarice Lispector: escritora foi a primeira mulher a ser homenageada na Flip. Este ano o festival traz a segunda homenageada – Ana Cristina Cesar

 

Caio Delcolli na Exame via HuffPost Brasil

A Festa Literária Internacional de Paraty (Flip) deste ano tem como marco ser a edição com a maior quantidade de mulheres convidadas até hoje.

Dos 39 autores a participarem do evento, 17 são escritoras – ou 44% do total. Em relação à festa de 2015, estamos diante de um aumento de representatividade: foram 32 homens e 11 mulheres.

Na edição de 2014, nove mulheres marcaram presença. Um número muito pequeno diante dos 38 homens. Em 2003, na estreia da Flip, apenas três autoras foram convidadas: Ana Maria Machado, Adriana Falcão e Patrícia Melo. Os homens, em contrapartida, eram 22.

O aumento – ainda longe do ideal – se deve à pressão que a Flip tem encontrado para expandir a representatividade de minorias neste que é um dos principais eventos literários do país.

Neste ano, a autora homenageada é a carioca Ana Cristina Cesar (1952-1983), a segunda em 14 anos de Flip. A primeira mulher a ser laureada na festa foi Clarice Lispector, em 2005.

Além de Ana C. estar no centro do debate, outras poetas brasileiras de porte estarão no rolê, como Marília Garcia, Laura Liuzzi e Annita Costa Malufe.

Entre as convidadas internacionais, estão Svetlana Aleksiévitch, Helen Macdonald e Kate Tempest lançando seus livros.

A Flip começa nesta quarta-feira (29) e vai até dia 3 de julho. Confira abaixo alguns exemplos de lançamentos das autoras que estarão por lá:

1 – ‘Crítica e Tradução’, de Ana Cristina Cesar

original_critica-e-traducao

Reunindo ensaios sobre vários temas – como mulheres na poesia, tradução e documentários brasileiros –, textos críticos e traduções – como a do conto Bliss (1918), de Katherine Mansfield –, Crítica e Tradução revela facetas da autora que vão além da poesia que a consagrou.

Editora: Companhia das Letras Páginas: 544 Preço: R$ 64,90

2 – ‘F de Falcão’, de Helen Macdonald

untitled

Um dos livros mais elogiados pela crítica em 2014 e 2015, F de Falcão traz o relato sincero e tocante da autora, que entrou em depressão após a morte do pai. A inglesa Helen Macdonald superou o luto de uma forma inusitada: treinando um falcão. Isolada das pessoas ao seu redor, Macdonald compra o animal e decide – e explica como – domesticá-lo e caçar com ele. Macdonald encontrou na companhia de um dos animais mais ferozes do mundo e de leituras sobre o escritor T. H. White a possibilidade de se recompor e encontrar um rumo para sua vida. Vencedor do Costa Book Award.

Editora: Intrínseca Páginas: 288 Preço: R$ 44,90; e-book R$ 29,90

3 – ‘Os Tijolos nas Paredes das Casas’, de Kate Tempest

original_os-tijolos-nas-paredes-das-casas

Rapper, escritora e artista de palavra falada, a inglesa Kate Tempest é a autora de Os Tijolos nas Paredes das Casas. Nele, duas jovens, Becky e Harry, estão entediadas na região sudeste de Londres, onde trabalham em empregos insignificantes e têm namorados ciumentos. Becky serve mesas e faz massagens eróticas à noite, enquanto Harry trafica cocaína – mas apenas até elas decidirem fugir da cidade. O Guardian elogiou o livro; classificou as metáforas como “explosivas” e destacou o “lirismo” da história.

Editora: Casa da Palavra/LeYa Páginas: 336 páginas Preço: R$ 44,90

4 – ‘A Teus Pés’, de Ana Cristina Cesar

original_a-teus-pes

O primeiro e único livro que Ana Cristina Cesar lançou em vida por uma editora, em 1982, condensa material inédito até aquele momento e publicações feitas antes de maneira independente: Luvas de Pelica (1980), Cenas de Abril (1979) e Correspondência Completa (1979). Elogiada por romper barreiras entre poema, prosa e ensaio, e o eu lírico e biográfico, Ana C. – como era chamada pelos amigos – deixou em A Teus Pés um registro de sua intimidade com as palavras e de sua escrita vertiginosa, desafiadora e direta. Um marco da poesia considerada “marginal” feita naquela época.

Editora: Companhia das Letras Páginas: 144 Preço: R$ 19,90

5 – ‘A História dos Meus Dentes’, de Valeria Luiselli

original_a-historia-dos-meus-dentes

O discreto Gustavo Sánchez Sánchez, ou simplesmente “Estrada”, quer trocar todos os dentes. Ele viaja pelo mundo aperfeiçoando habilidades que podem ajudá-lo nisso, como sua imitação da cantora Janis Joplin. O romance mostra a importância da arte em nossas vidas e da construção de nossas identidades. Entrou na lista do BuzzFeed de melhores livros de ficção de 2015.

Editora: Alfaguara Páginas: 126 Preço: R$ 34,90

6 – ‘A Guerra Não Tem Rosto de Mulher’, de Svetlana Aleksiévitch

original_a-guerra-nao-tem-rosto-de-mulherer

A jornalista bielorrussa vencedora do Nobel de Literatura de 2015 traz neste livro de não ficção relatos sobre a Segunda Guerra Mundial de um ponto de vista pouco lembrado: o das mulheres. Algumas soviéticas encararam de fato o confronto contra os nazistas – e trouxeram consigo lembranças de fome, tristeza, violência sexual e angústia, entre outras. A Guerra Não Tem Rosto de Mulher dá voz a voluntárias, enfermeiras e franco-atiradoras, por exemplo.

Editora: Companhia das Letras Páginas: 392 Preço: R$ 49,90

7 – ‘Um Caderno para Coisas Práticas’, de Annita Costa Malufe

original_um-caderno-para-coisas-praticas

Em seu novo livro, Annita Costa Malufe tece com suas poesias histórias sobre o cotidiano que se interligam. Além disso, a autora dá sinais de que, como o Estadão a classificou, ela é uma “herdeira” de seu principal objeto de estudo: a homenageada da Flip Ana Cristina Cesar. Malufe também é professora universitária de literatura.

Editora: 7Letras Páginas: 104 Preço: R$ 34,90

8 – ‘Paris Não Tem Centro’, de Marília Garcia

original_paris-nao-tem-centro

O novo lançamento de Marília Garcia, um dos principais nomes da poesia brasileira atual, é um longo poema que desafia as barreiras entre os gêneros de prosa e ensaio literário. Com edição artesanal limitada de 120 exemplares, a editora aposta que Paris Não Tem Centro se tornará item de colecionador.

Editora: 7Letras Páginas: 24 Preço: R$ 15 (mais…)

Jovem é presa na Índia por colar em exame

0
Pais flagrados escalando muro de locais de prova para passar cola - AP

Pais flagrados escalando muro de locais de prova para passar cola – AP

 

Rubi Rai teve a maior nota em humanidades, mas depois não soube soletrar ‘ciência política’

Publicado em O Globo

RIO- Uma adolescente indiana foi presa no estado de Bihar acusada de fraude em exames de ingresso no ensino superior do país. Rubi Rai, de 17 anos, havia conquistado a maior nota da prova de humanidades.

As suspeitas sobre o resultado da jovem começaram a surgir quando o vídeo de uma entrevista dada por ela viralizou na internet. Durante a conversa, Rubi não soube soletrar “ciência política”, justamente o curso que estava estudando. Além disso, a jovem afirmou que pensava que o assunto traria tópicos sobre culinária.

“Agora temos que prender um total de 18 pessoas, incluindo a menina”, afirmou o superintendente da polícia de Bihar, Manu Maharaj.

Após o surgimento das suspeitas, Rubi foi submetida a novos exames e teve um resultado desastroso. De acordo com as autoridades, quando foi pedido a ela que escrevesse um ensaio sobre o poeta indiano Tulsidas, a menina escreveu somente “saudações a Tulsidas”.

A decisão de conduzir Rubi à prisão tem sido criticada pelo fato da jovem ser menor de idade. O argumento é de que ela deveria ir para uma casa de detenção de menores e não para uma prisão comum. As autoridades afirmam, no entanto, que ela terá que provar sua idade.

Outros estudantes também foram alvo de mandados de prisão. Um deles havia liderado o ranking na prova de Ciências, mas quando submetido ao novo exame não sabia que “H2O” era água.

No ano passado, um grupo de pais e familiares de alunos foram flagrados em Bihar escalando paredes de locais de prova para passar colar aos estudantes. O caso foi um escândalo na Índia.

Nova versão de O Jardim Secreto será lançado pela mesma produtora de Harry Potter

0

JARDIM_INTERNA

Publicado no Hypeness

Certos temas não envelhecem jamais, especialmente dentro do universo infantil e fantástico. Locais proibidos e encantados, com passagens secretas e personagens mágicos são exemplos perfeitos desses assuntos eternamente infalíveis e instigantes. É por isso que o livro O Jardim Secreto, publicado pela autora inglesa Frances Hodgson Burnett pela primeira vez em 1911, ganhará nova adaptação para o cinema.

Tendo sido adaptado algumas vezes para o cinema, a versão de 1993 de O Jardim Secreto tornou-se a mais famosa, e um singelo clássico infantil – no Brasil, foi um daqueles deliciosos e onipresentes filmes de Sessão da Tarde.

O livro conta a história de três crianças vivendo sob os áridos cuidados de uma severa governanta. A órfã e rebelde Mary se junta a seu primo Colin, um garoto mimado e cheio de manias, e ao gentil e doce Dickon e juntos eles descobrem o jardim abandonado, secreto e encantado que dá nome à história.

Pela força dos sonhos e desejos das três crianças, e pelo encantamento dessa amizade o jardim volta à vida, tornando-se novamente um lugar mágico e tomado por flores, sonhos e alegria.

JARDIM7

O anuncio de uma nova versão cinematográfica, portanto, não só alegra o coração de crianças já crescidas, como traz as credenciais perfeitas para agradar também às crianças de agora. A produtora responsável pelo novo Jardim Secreto é a Heyday Films, responsável por todos os filmes da franquia Harry Potter, e o roteirista contratado pelo filme é Jack Thorne, o mesmo que roteirizou, ao lado de J.K. Rowling, a peça “Harry Potter e a Criança Amaldiçoada”.

JARDIM1

JARDIM2

JARDIM4

JARDIM5

© fotos: reprodução

5 Livros para ler se você sente falta da série: ‘DEXTER

0

dexter_1310284_616

Fabio Mourão, no Dito pelo Maldito

Todos temos nossas series favoritas, e se dependesse de nós, elas seriam produzidas ad infinitum para o nosso bel prazer; mas infelizmente o formato deste produto tende a passar por nossas vidas durante anos, marcar instantaneamente todo uma geração e deixar nada mais do que muita saudade ao fim de sua última temporada.

Foi pensando nisso que criamos este espaço banzo, com o intuito de indicar livros que possuam conceitos semelhantes ao de séries passadas, e assim tentar resgatar um pouco do espírito que projetou o sucesso desses programas.

Dexter é uma série televisiva americana de drama/suspense centrada em Dexter Morgan, um assassino em série com diferentes padrões que trabalha como analista forense especialista em padrões de dispersão de sangue no departamento da polícia do Condado de Miami-Dade. É considerada umas das melhores séries deste gênero. O programa estreou em 22 de setembro de 2013 no canal Showtime e teve o seu último episódio em 1 de outubro de 2006. Situado em Miami, sua primeira temporada foi largamente baseada no livro Dexter: A Mão Esquerda de Deus de Jeff Lindsay, o primeiro de sua série de romances Dexter. Temporadas posteriores apresentaram uma evolução distinta das obras de Lindsay. O livro foi adaptado para a televisão pelo roteirista James Manos Jr., que escreveu o episódio piloto.
Portanto, se você gostava de ‘DEXTER’, então vai adorar ler…

✔ As Revelações de Dark (Anthony E. Zuiker)
No último livro da inovadora série Grau 26, o implacável perito criminal Steve Dark precisa combater o maior e mais perigoso serial killer de sua carreira: Labirinto.
Motivados por ideologias deturpadas, seus crimes, executados com requintes de crueldade em diferentes lugares do mundo, são antecedidos de charadas, quebra-cabeças e enigmas, que anunciam os próximos alvos e atiçam a atenção da imprensa.

O caso envolve inúmeras vítimas importantes, sem mencionar agências do governo – incluindo a Divisão de Casos Especiais -, as quais fracassam ao tentar refrear o pânico global. Cabe a Dark, juntamente com uma equipe de elite montada a partir de uma comunidade internacional de investigação, encontrar Labirinto onde quer que ele esteja, e acabar de uma vez por todas com o caos. (Editora Record)

✔ Fissura (Karin Slaughter)
Ansley Park, um dos bairros mais tradicionais de Atlanta, é cenário de uma tragédia. Cacos de vidro pelo chão, móveis quebrados, marcas de sangue pela casa, e o mais assustador: um corpo ensanguentado e com o rosto desfigurado jaz no corredor. Ao lado do cadáver, há um homem com uma faca na mão. Esta é a cena com a qual Abigail Campano se depara ao chegar em casa. Desesperada, ela estrangula o sujeito, que ela acredita ter matado sua filha, com as próprias mãos.

Mas o que teria motivado aquele crime? Cabe ao agente Will Trent lidar com esse caso peculiar e cheio de reviravoltas. Mas nem o detetive nem os Campano imaginam trata-se apenas do início de seus mais terríveis dias. (Editora Record)

✔ Colega de Quarto (Victor Bonini)
O romance policial “Colega de Quarto” nasceu com um pé nas histórias de detetives e outro no drama jovem-adulto.

O livro narra a história do estudante Eric Schatz, que começa a encontrar indícios pelo apartamento de que há mais alguém morando com ele. Um par de chinelos novo e gasto, uma escova de dentes estranha. O micro-ondas é ligado sozinho durante a noite. Até que, em determinada noite, Eric enxerga o vulto do misterioso colega de quarto entrar em seu apartamento pela porta da frente. Desesperado, o rapaz vai atrás de Conrado Bardelli, detetive particular, e exige soluções rápidas. Mas Bardelli mal consegue ajudar. Pois nessa mesma madrugada, Eric despenca da janela de seu apartamento.

O suposto suicídio leva Bardelli a investigar os amigos e a família do rapaz – e a perceber que os envolvidos farão de tudo para guardar os seus segredos. Mas qual deles tem a ver com a morte do estudante? O detetive precisa lidar com pessoas de diferentes círculos sociais para esclarecer o mistério, como os ricos pais de Eric, os jovens amigos de faculdade e os funcionários do prédio residencial onde tudo aconteceu. (Faro Editorial)

✔ Os Amantes de Hiroshima (Toni Hill)
Os Amantes de Hiroshima é o terceiro e último volume desta trilogia de tirar o fôlego. No porão de uma casa abandonada, perto do aeroporto, policiais encontram dois corpos entrelaçados e decompostos, “reduzidos a pele e osso, fundidos em um abraço eterno”. No andar de cima, desenhos feitos em grandes telas brancas revestem as paredes e reproduzem com riqueza de detalhes o entorno da casa e os cadáveres no porão, que, a polícia descobre, poderiam ser Cristina e Daniel, um casal de namorados que desaparecera sete anos antes. A investigação do crime leva o inspetor Salgado a mergulhar no mundo de jovens cheios de sonhos perdidos e num universo familiar repleto de segredos e dores.

Ao mesmo tempo, Leire Castro continua a puxar o fio do complexo mistério que envolve o desaparecimento de Ruth, ex-mulher de Salgado, e sua persistência acaba por conduzi-la ao tempo em que as forças da ordem se infiltravam nas universidades para vigiar, prender e torturar aqueles que eram contrários ao regime. E o que ela descobre ao final é que o passado sempre vem à tona, por vezes trazendo trágicas consequências. (Editora Tordesilhas/Alaúde)

✔ Serial Killers – Anatomia do Mal (Harold Schechter)
O que faz gente aparentemente normal começar a matar e não parar mais? O que move – e o que pode deter – assassinos em série como Ed Gein, o psicopata americano que inspirou os mais célebres maníacos do cinema, como Norman Bates (Psicose), Leatherface (O Massacre da Serra Elétrica) e Hannibal Lecter (O Silêncio dos Inocentes). Como explicar a compulsão por matar e o prazer de causar dor, sem qualquer arrependimento? De onde vem tanta fúria? As respostas estão no novo lançamento da editora DarkSide Books: Serial Killers – Anatomia do Mal, dossiê definitivo sobre o universo sombrio dos psicopatas mais perversos da história. Escrito por Harold Schechter – que pesquisa o tema há mais de três décadas, o livro é referência fundamental a todos os que se interessam pelo universo da investigação e da criminologia.

Em Serial Killers, Anatomia do Mal você vai descobrir como eles matam e por que eles matam. Pontuado por curiosidades macabras, dados científicos e fatos pouco conhecidos sobre a trajetória e a mente dos principais criminosos em série dos Estados Unidos, O livro de Schechter abrange desde a criação do termo serial killer no início do século 20 até o fascínio exercido por matadores seriais na cultura pop (cinema, música, literatura).
Histórias reais, assassinos reais, de uma maneira que você nunca viu, estudados com profundidade, rigor científico e conhecimento psicológico. Um livro que vai atrair a atenção dos fãs das séries CSI, Dexter, Criminal Minds e do Canal Discovery Investigation e de todos aqueles que querem entender o que se passa na mente dos assassinos mais temidos e cruéis de todos os tempos. Sem dúvida, oriundos de uma sociedade que precisa repensar urgentemente como cicatrizar essas feridas abertas. (DarkSide Books)

BÔNUS:
É claro que tentamos evitar o caminho mais óbvio que seria citar aqui a saga de livros escrita por Jeff Lindsay, criadora do personagem, e que deu origem a série de TV. Mas como as histórias das duas mídias se distanciam bastante entre si enquanto avançam, deixamos aqui uma única dica dos livros, ligado justamente a maior reclamação dos fãs da série televisiva,… O final.

✔ Dexter Está Morto (Jeff Lindsay)
Depois de sete livros, a saga do analista forense da Polícia de Miami, Dexter Morgan, chega ao fim. E a última história desse serial killer, que só mata os bandidos nunca os mocinhos -, não começa nada bem. Ele está preso sob a acusação de duplo assassinato, incluindo o de sua mulher, Rita – crime que, por incrível que possa parecer, desta vez ele não cometeu -, e de pedofilia. Para se livrar das grades e limpar sua ficha policial, ele terá a ajuda de Brian, seu irmão, que contrata um competente advogado para tirá-lo da cadeia.

No entanto, livre para investigar o que andam tramando contra ele, Dexter se mete em confusões mais complexas e que podem custar-lhe a vida. Terá Jeff Lindsay a coragem de matar seu mais promissor e querido personagem? (Editora Planeta)

Go to Top