Força para Vencer

livros

Conheça a história de três educadores que estão superando os desafios da vulnerabilidade e conquistando ótimos resultados nos anos finais

0

equidade-principal

Publicado na Nova Escola

Práticas de escolas e redes de ensino nas quais o contexto social não impede a aprendizagem

Aprender é, sim, para todos
Inspire-se em três educadores que estão superando os desafios da vulnerabilidade e conquistando ótimos resultados nos anos finais

Conhecer as práticas de escolas que conseguem garantir o aprendizado de seus alunos em contextos sociais desfavoráveis pode ajudar mais educadores a melhorar suas práticas. São histórias assim que relatam o professor Ademir Almagro, o diretor escolar Amaral Barbosa e o diretor pedagógico municipal Francisco Jucelio dos Santos. Esses educadores foram identificados no estudo Excelência com Equidade, da Fundação Lemann, que, em parceria com o Itaú BBA, levantou em 2012 histórias de instituições públicas em todo Brasil com resultados surpreendentes no Ensino Fundamental 1. Em 2016, com apoio do Instituto Credit Suisse Hedging-Griffo, traz bons casos nos anos finais. As estratégias usadas pelos três são exemplos de formas possíveis e replicáveis de ajudar a transformar a Educação dos estudantes brasileiros.

Durante a pesquisa, o desafio de identificar escolas de sucesso do 6º ao 9º ano em situações adversas se mostrou complexo. Isso porque, além do contexto, existem fatores inerentes a essa fase que ajudam a aumentar o fracasso escolar. Entre eles, o fato das novas aprendizagens dependerem de saberes que deveriam ter sido consolidados nas etapas anteriores e a fragilidade da formação docente em didática nos cursos de licenciatura. Diante desse quadro, os critérios de seleção utilizados no levantamento dos anos iniciais – como ter ao menos 70% dos estudantes com aprendizagens adequadas e apresentar um baixo percentual de alunos com saberes insuficientes na Prova Brasil – tiveram de ser adaptados para encontrar escolas que estejam no caminho certo para alcançar a excelência com equidade.

Seis instituições se destacaram e sete ações comuns a todas ficaram evidentes para atingir os resultados: oferecer condições para que os estudantes permaneçam na escola, como projetos estimulantes; ter apoio pedagógico da Secretaria de Educação; contar com gestores que fortaleçam o vínculo dos professores com a instituição; considerar o contexto dos estudantes na prática educacional; garantir o tempo pedagógico necessário; ter formas de avaliação que ofereçam elementos para melhorar o trabalho em aula e ter a leitura como rotina. São algumas dessas práticas que Ademir, Amaral e Francisco Jucelio usam em suas rotinas educacionais.

Estimular os alunos com propostas envolventes é o que o professor Ademir busca todos os dias em suas aulas na EMEB Professora Hebe de Almeida Leite Cardoso, em Novo Horizonte, no estado de São Paulo. Depois de se formar em licenciatura em História e não ter tido nenhuma disciplina específica sobre didática, ele buscou nos livros respostas sobre como poderia melhorar sua forma de ensinar. “No início, achava que bastava dar o conteúdo, mas via que não estava ajudando os alunos”, conta o docente. Depois de passar dez anos lendo sobre Educação para aprimorar sua docência, ele reuniu algumas estratégias e se apoia em três pilares para melhorar os resultados de sua turma: relacionar o conteúdo com a vida dos alunos, quebrar a monotonia com atividades que garantam a participação de todos e envolver a classe na revisão. “Cada um tem seu estilo de aula, eu encontrei o meu, mas a verdade é que só nos tornamos professor quando conseguimos que os alunos aprendam”, afirma o docente.

Na EEF Miguel Antonio de Lemos, onde Amaral atua como diretor, 95% dos educadores foram estudantes da escola, o que por si só já garante um intenso vínculo com a instituição. Porém, a parceria que ele estabelece com a equipe docente, assumindo a corresponsabilidade pela aprendizagem dos alunos, torna esse comprometimento dos professores ainda mais forte. Junto com a coordenação pedagógica, o diretor faz observações das aulas para ajudar a aprimorar o trabalho em sala. “Muitos docentes servem de inspiração aos nossos alunos, que os veem como um exemplo de conhecimento e de futuro. Já os educadores se enxergam naquelas crianças, pois já foram elas um dia”, diz Amaral. Os resultados da pequena unidade de ensino localizada em uma comunidade rural e extremamente carente de Pedra Branca, no sertão cearense, surpreendem e mostram que eles estão no caminho certo.

Por fim, Francisco Jucelio comprova o quanto o apoio pedagógico da Secretaria de Educação pode fazer toda a diferença no desempenho escolar dos estudantes. Em Brejo Santo, no Ceará, os profissionais da rede estão perto dos professores. Eles visitam periodicamente todas as escolas e fazem acompanhamento do trabalho pedagógico. São as informações coletadas nesses momentos que pautam a formação realizada bimestralmente. “Há uma noção muito maior de conjunto e uma identificação dos professores com os formadores. Com isso, fortalecemos a prática e valorizamos o trabalho docente”, afirma o coordenador.

Game of Thrones | Autor tirará férias em 2017 para completar novo livro da saga

0

george-rr-martin

Caio Coletti, no Observatório do Cinema

George R.R. Martin avisou os fãs em seu blog pessoal que não vai fazer muitas aparições públicas ou encontro com os fãs em 2017 – tudo porque ele deseja se concentrar na finalização do novo livro da saga As Crônicas de Gelo e Fogo, de onde saiu a série Game of Thrones.

O volume intitulado Winds of Winter é aguardado há anos, mas Martin garantiu que de 2017 não passa: “Vou aparecer na Feira de Livros de Guadalajara e será minha última aparição em 2016. Minha agenda em 2017 será muito limitada até que eu complete Winds”, escreveu o ator.

Game of Thrones volta para sua sétima e penúltima temporada em meados de 2017.

Os novos livros de Gilmore Girls

0
Lorelai lê Wild, livro com papel importante no revival de Gilmore Girls

Lorelai lê Wild, livro com papel importante no revival de Gilmore Girls

 

Os 4 novos episódios exibidos pela Netflix trazem mais referências literárias.

Gabriela Morandini, no Blasting News

Quem é fã da série #Gilmore Girls (exibido no Brasil como “Tal mãe, tal filha”) sabe que o revival feito pela #Netflix já está no ar. E com ele, aqueles que encararam o Rory Gilmore Reading Challenge (Desafio de Leitura de Rory Gilmore) podem ficar felizes em saber que os novos episódios fazem referência a mais títulos que podem ser adicionados ao desafio.
Os novos livros de Gilmore Girls

Nos episódios de Gilmore Girls – A Year in the Life, lançados pela Netflix no último dia 25/11, acompanhamos 4 dias na vida das garotas Gilmore, um em cada estação do ano. Cada parte dura cerca de 90 minutos, e ao longo desse tempo, não vemos Rory lendo tantos #Livros quanto antigamente – apenas no episódio Summer (Verão) ela está com um livro em mãos, mas não foi possível identificá-lo.

Mas, mesmo assim, são citados – por Rory, Lorelai e outras personagens – diversos livros e autores, demonstrando que o universo literário ainda é uma grande referência da série. Com isso, a lista com 339 títulos compilados pelo escritor australiano Patrick Lenton – que deu origem ao desafio de leitura da série – agora soma pelo menos 6 títulos não citados anteriormente (alguns livros do revival já haviam aparecido nas temporadas televisivas).

Vamos aos novos livros:

1. Trainspotting (Irvine Welsh)

No episódio inicial (Inverno) Lorelai usa como referência esse livro (também poderia ser o filme) para explicar como era o apartamento que Rory tinha alugado no Brooklyn (Nova Iorque).

2. The Life-Changing Magic of Tidying Up (Marie Konde)

Essa indicação de leitura foi feita a Emily para que ela tentasse arrumar sua vida após a morte de Richard, e ela decidiu que a pergunta principal do livro (“isso me traz felicidade?”) realmente devia ser sua guia.

3. “Consider the Lobster” (David Foster Wallace)

Quando Rory finalmente consegue um horário para conversar com o pessoal da revista de viagens Condé Nast, o editor menciona o ensaio “Consider the Lobster”, de David Wallace.

4. Wild (Cheryl Strand)

O livro mais importante mencionado no revival e um dos poucos que aparecem fisicamente talvez seja Wild. Seu impacto é tanto que Lorelai resolve fazer a viagem relatada na obra.

5. Tevya the Dairyman and the Railroad Stories (Sholem Aleichem)

Quando estão avaliando o musical sobre a história de Stars Hollow, Babette cita uma fala da peça teatral americana Tevya the Dairyman and the Railroad Stories.

5. I Feel Bad About My Neck and Other Thoughts in Being a Woman (Nora Ephron)

Na redação da Gazeta de Stars Hollow, enquanto conversa com a colega de trabalho Esther – que repete sempre o mesmo movimento ao arquivar papéis – Rory faz referência ao livro de Nora Ephron, no qual a autora conta como é ser uma mulher que está envelhecendo, incluindo as dores físicas do processo.

6. My Struggle (Karl Ove Knausgard)

No episódio final (Outono), Jess passa na casa de Lorelai e Luke para falar com o tio antes do grande dia e podemos vê-lo lendo um exemplar de My Struggle, do autor norueguês Karl Ove Knausgard.

Mentores recomendam: 5 livros para acelerar o crescimento da sua empresa em 2017

0
iStock

iStock

 

Selecionamos livros que oferecem caminhos para você e sua empresa se prepararem para um futuro com mais crescimento. A ideia é inspirar você na construção de uma organização marcante.

Publicado no Administradores

A temporada de planejamento estratégico está a todo vapor! E, com ela, a possibilidade de o empreendedor revisitar seu plano de crescimento, os avanços, as conquistas e também o caminho que existe pela frente. Nessa seleção, apostamos nos livros voltados para o crescimento de organizações sustentáveis e marcantes –e que são feitas para durar.

1. Organizações Exponenciais –por que elas são 10 vezes melhores, mais rápidas e mais baratas que a sua (e o que fazer a respeito), por Salim Ismail

Aconteceu com a gente: fomos procurar o livro em uma livraria de um grande shopping de São Paulo, e o vendedor nos entregou a obra em questão de segundos. Isso porque o título já foi recomendado por lideranças de grandes empresas da cidade, o que fez o estoque acabar em alguns dias. Esse livro também foi tema de uma palestra dada pelo Juliano Seabra, diretor-geral da Endeavor, para todo o time em julho deste ano. E tem servido de inspiração para o nosso trabalho.

As chamadas Organizações Exponenciais têm um impacto desproporcionalmente grande –pelo menos dez vezes maior– comparadas aos seus pares, por usarem novas técnicas organizacionais que alavancam as tecnologias aceleradas. Na prática, falamos de empresas como o Uber, o TED, o Google, o Waze e o Snapchat. À medida que as tecnologias disponíveis se entrelaçam, o ritmo da inovação acelera ainda mais. E cada intersecção de tecnologia acrescenta mais um multiplicador na equação, tornando essa mudança exponencial!

Por que ler?

Além de falar sobre os efeitos da tecnologia, os autores deixam claro: esse é apenas 1% do caminho que ainda temos para ser percorrido. Por isso, apresentam uma série de 10 atributos, de ordem interna e externa, que caracterizam essas novas organizações. Cabe a você entender esse cenário e desenhar também uma organização preparada para crescer exponencialmente. Se achou o tema interessante, não precisa esperar seu pedido chegar pelo correio. Já pode conhecer esse resumo criado pelo coautor do livro, e que está disponível no SlideShare. Editora HSM Management (valor: a partir de R$ 28,00).

2) A Mentalidade do Fundador, por Chris Zook e James Allen

Se você perguntar aos empreendedores apoiados pela Endeavor qual é o livro que estão lendo nesse momento, provavelmente a resposta vai ser o The Founder’s Mentality, do Chris Zook. Há poucos meses distribuímos para todos eles uma edição para que conheçam os elementos que tornam uma empresa realmente grande e duradoura.

A lição central do livro é que a maioria dessas organizações tem uma incrível característica que corre como um fio áureo por cultura, identidade e vantagem competitiva: a mentalidade do seu fundador.

O que se traduz em algumas características em comum:

1. Uma clara missão insurgente

2. Uma inequívoca cabeça de dono

3. Uma implacável obsessão com a linha de frente

Por que ler?

Os autores passaram alguns anos realizando mais de 450 reuniões e workshops em mais de 50 países, na busca pelo que torna essas empresas especiais, duradouras e grandes exemplos. Por meio de várias análises e exemplos inspiradores, esse livro mostra como qualquer líder –e não apenas um fundador– pode incutir e fomentar uma mentalidade de fundador em toda a sua organização e encontrar um crescimento rentável duradouro. Editora Figurati Valor.

3) Execução: a disciplina para atingir resultados, por Larry Bossidy e Ram Charam

É provável que isso também aconteça na sua empresa: o maior desafio do planejamento estratégico não está na definição da missão, das metas ou das iniciativas, mas sim na execução do que foi planejado. Essa lacuna entre o pensado e o feito impede a empresa de sair do lugar e dar o próximo passo em direção ao futuro que os empreendedores veem pela frente.

Por que ler?

Se você está recomeçando o processo de planejamento estratégico para 2017, esse livro é de grande ajuda. Use cada capítulo para orientar sua comunicação, partindo do seu papel como líder do processo até a criação de uma cultura focada na execução, o que passa pelo recrutamento, pela comunicação com o time e até pelo jeito como as reuniões são conduzidas. Editora CAMPUS Valor.

4) Built to Last: successful habits of Visionary Companies, por Jim Collins

“Este não é um livro sobre líderes visionários carismáticos. Nem mesmo sobre conceitos de produtos inovadores com insights de mercado inéditos. Este é um livro sobre algo muito mais importante, duradouro e substanciais: organizações visionárias.”. É assim que os autores dão início a esse guia prático, útil para todos aqueles que desejam criar empresas que são marcos em um determinado setor –e que sobrevivam com a passagem do tempo.

Para isso, eles desconstroem os principais mitos que giram em torno de companhias famosas e de reconhecido sucesso. Alguns deles são:

1. É preciso uma grande ideia para começar uma empresa. Poucas empresas visionárias começaram com uma grande ideia. Muitas delas começaram sem uma ideia específica –como a HP e a Sony– e outras foram grandes fracassos –até se reinventarem. De fato, uma grande ideia logo no início pode levar ao risco de uma empresa nunca estar pronta para se adaptar às mudanças do mercado.
2. As empresas de maior sucesso tomam decisões por meio de complexos planejamentos estratégicos Apesar de manterem rituais de planejamento, na prática, essas empresas experimentam uma série de coisas e mantém aquilo que funciona, sem apego ao plano.
3. A maioria delas se concentra primeiramente em acabar com seus concorrentes Se nós imaginávamos que essas empresas estavam muito preocupadas com o que os outros fazem, nos engajamos. Elas podem se concentrar em se “autodestruir”, se reinventar e criar algo novo. Antes que outra companhia vá lá e o faça.

Por que ler?

Desconstruindo o mito de que é necessário um líder visionário ou uma grande ideia, os autores propõem a todos os empreendedores um mapa, usando o exemplo de empresas que conhecemos, com o que é preciso para construir uma empresa feita para durar. Editora Collins (valor: a partir de R$37,00).

5) Discovery Driven-Growth: A Breakthrough Process to Reduce Risk and Seize Opportunity, por Rita Gunther McGrath e Ian C. MacMillan

Como você incentiva a inovação e persegue um crescimento ambicioso, minimizando as possibilidades de risco?

Neste livro, os autores mostram como os empreendedores podem planejar e buscar um crescimento mais agressivo com mais ousadia. Planejando com cuidado suas oportunidades estratégicas de crescimento, testando cada projeto com uma série de checkpoints e criando uma cultura que atua sobre evidências e aprendizados, as empresas podem controlar melhor seus custos, minimizar as surpresas e saber quando se desfazer de projetos questionáveis –antes que seja tarde demais.

Por que ler?

Com ferramentas que ajudam a selecionar e melhor avaliar o potencial de qualquer risco estratégico, de novas linhas de produtos a novos negócios, os autores desenham um processo claro que torna possível identificar, administrar e alavancar todo o portfólio de oportunidades da sua empresa. Editora Harvard Business School Press (valor: a partir de R$93,00).

Biografia de Tolkien ganha edição especial nos 125 anos de seu nascimento

0
Tolkien é considerado um dos maiores autores de fantasia de todos os tempos | Foto: DarkSide Books / Divulgação / CP

Tolkien é considerado um dos maiores autores de fantasia de todos os tempos | Foto: DarkSide Books / Divulgação / CP

 

DarkSide Books lançou publicação comemorativa do livro escrito por Michael White

Publicado no Correio do Povo

No próximo 3 de janeiro, os fãs do universo do “Senhor dos Aneis” comemoram os 125 anos do nascimento do escritor J.R.R. Tolkien. Mas as celabrações já começaram: a DarkSide Books lançou uma edição comemorativa do livro “J.R.R. Tolkien – O Senhor da Fantasia”, que terá uma capa e um mapa-pôster exclusivos da Terra Média. A biografia reconta a vida do autor, que é considerado um dos maiores autores de fantasia de todos os tempos e cujas obras se tornaram clássicos da literatura e atravessaram gerações.

A publicação, escrita por Michael White, acompanha a vida e a trajetória do escritor morto em 2 de setembro de 1973, começando por sua infância na África do Sul, seguida do retorno da família para a Inglaterra, onde os Tolkien estabeleceram-se em Birmingham, na região norte do país. Já é clássico o momento inspirador quando era professor em Oxford e um dia, corrigindo exames, ao se deparar com uma página em branco que um aluno havia deixado no caderno de exercícios, Tolkien escreve de repente: “Em uma toca no chão vivia um Hobbit”. O cenário que reunia o coração industrial do Império britânico e bosques foi determinante para as ideias e a escrita do autor.

White é autor de 20 livros e ex-editor de ciência da revista britânica “GQ” e colunista do jornal londrino “Sunday Express”. Seus livros incluem a premiada biografia “Isaac Newton: Último Feiticeiro” (Record, 2000) e os best-sellers internacionais “Stephen Hawking: Uma Vida para a Ciência” (Record, 2005) e “Leonardo: O Primeiro Cientista” (Record, 2000), além de biografias sobre CS Lewis, Maquiavel, Galileu e Giordano Bruno.

Além disso, em maio de 2017 será publicada a inédita “Beren and Lúthien”, uma história de amor entre o mortal Beren e a imortal elfa Lúthien, que apareceram em outras obras de Tolkien. “The Lay of Aotrou and Itroun”, raro poema escrito por Tolkien em 1930 e que só havia sido publicado uma única vez em uma revista literária nos anos 40, foi lançado em novembro nos Estados Unidos e na Inglaterra.

Go to Top