Vitrali Moema

notícias

Garota de 8 anos que já leu mais de 400 livros faz doação para biblioteca de Pederneiras

0

Maria Laura Rached, de 8 anos, já leu mais de 400 títulos entre livros e gibis — Foto: TV TEM/Reprodução

Maria Laura Rached acredita que os livros e gibis doados podem incentivar outras crianças a criarem o hábito da leitura. Tia-avó da menina dá nome à biblioteca da cidade.

Publicado no G1

Uma menina de 8 anos conhecida em Pederneiras (SP) por já ter lido mais de 400 títulos, entre livros e gibis, voltou a virar assunto na cidade depois de decidir doar parte de seu acervo particular para a biblioteca municipal.

Maria Laura Pereira Rached Afonso se diferencia das crianças da mesma idade por preferir as páginas de papel aos smartphones, tablets e outros equipamentos eletrônicos.

Sua atividade favorita é ler, principalmente na cama ou durante passeios com a família.

A garota é um orgulho para a família. Seu hábito de sempre ter por perto um livro já começa a influenciar até mesmo o irmão Pedro, de 4 anos.

Maria Laura Rached ao lado de Daniela Martelini, coordenadora da biblioteca, durante a doação: “Agora podemos atrair mais crianças” — Foto: TV TEM/Reprodução

A menina decidiu decidiu doar mais de 100 livros de sua coleção pessoal para a biblioteca após conhecer a história da moradora que deu nome ao local. Paula Rached era tia-avó da Maria Laura e morreu aos 18 anos, em 1977, após enfrentar uma leucemia.

A própria Maria Laura explica que a decisão é a forma que ela encontrou de homenagear sua tia-avó e também incentivar outras crianças a terem o mesmo gosto pela leitura.

Maria Laura fez questão de levar pessoalmente os livros atér a biblioteca. Durante a doação, a pequena leitora explicou que as histórias contidas nesta centena de títulos já estão bem guardadas em sua memória.

Fenômeno editorial planetário, ‘A amiga genial’ enfim chega à TV no domingo

0

Atrizes escolhidas para viverem Lila e Lenù em ‘A amiga genial’ Foto: Divulgação

Série contará as primeiras histórias da saga napolitana de Elena Ferrante que já vendeu 10 milhões de cópias

Carlos Heli de Almeida, em O Globo

RIO — Saverio Costanzo andou cortejando a misteriosa escritora Elena Ferrante muito antes do sucesso planetário de “A amiga genial”. Lançado na Itália no fim de 2011, o livro e suas três sequências venderam, até aqui, mais de 10 milhões de cópias em cerca de 40 países (no Brasil, a série é publicada pela Biblioteca Azul/Globo Livros). Mas era 2007, e o cineasta estava de olho no romance “A filha perdida”, que Ferrante publicara um ano antes e ele queria adaptar para as telas. Decepcionada com propostas anteriores, ela não deu sinal verde.

Daí a surpresa de Costanzo quando foi informado de que havia sido escolhido pela própria escritora para dirigir a série de TV “My brilliant friend”, que estreia neste domingo, às 22h, na HBO. Os dois nunca se viram — mesmo consagrada mundialmente, a autora mantém até hoje sua identidade em segredo e concede poucas entrevistas (sempre por escrito).

— Adoro os livros, mas não me via à frente de uma superprodução desse porte, que cobre décadas da relação entre duas personagens — reconheceu o realizador romano de 43 anos durante o Festival de Veneza, em setembro, onde exibiu os dois primeiros capítulos de “My brilliant friend” em première mundial. — Mas o convite me deixou mais animado do que tenso, porque compartilhávamos do mesmo imaginário e, portanto, sabia qual caminho tomar. Os livros são muito precisos.

A temporada tem apenas oito episódios. Como no livro inicial, eles cobrem a infância de Elena (a Lenu) e Lila, duas amigas que crescem num pobre subúrbio de Nápoles, no Sul da Itália, nos anos 1950. Vizinhas no mesmo bairro operário da cidade costeira italiana, elas vivem os percalços de uma infância cheia de violência e limitações financeiras, as descobertas da adolescência e os primeiros contatos com o mundo adulto. É uma história de uma amizade de uma vida inteira, que sobrevive não só a imposições externas mas também a sentimentos pessoais — nem todos necessariamente edificantes, como inveja e repulsa.

Elisa Del Genio, ou ‘Lenú’, vive ‘Elena Greco’ criança. A personagem é protagonista e narra o romance. Lenu, como é chamada, cresce na pobreza em Nápoles. Divulgação / Divulgação

— Ferrante fala de amizade de um jeito perigoso, tocando em assuntos espinhosos e investigando a verdade do ser humano — argumenta o diretor, que chama Ferrante de escritora “de culhões”. — Digo perigoso porque suas histórias iluminam aspectos obscuros de nós mesmos, com que, por mais pesados e grotescos que sejam, somos capazes de nos identificar. O apelo universal de seus livros vem daí. Ela confronta o leitor com o que ele realmente é, dando-lhe a chance de se aprimorar. É o que a arte costuma fazer.

A série de TV é fiel ao espírito dos livros, mas faz pequenas mudanças na estrutura e na cronologia dos eventos. O roteiro foi desenvolvido pelo diretor, em colaboração com os roteiristas Francesco Piccolo e Laura Paolucci, e a própria Ferrante. Mesmo após tudo isso, o diretor jura que nunca viu a escritora pessoalmente e que as trocas entre os dois aconteceram por email.

Ludovica Nasti é ‘Lila’, ou ‘Raffaella Cerullo’, a amiga genial do título, em sua infância. Filha de um sapateiro, bonita e carismática, ela é uma personagem manipuladora e imprevisível. Divulgação

Ferrante acompanhou todo o processo de escrita, fez sugestões e até escreveu algumas cenas. Foi uma espécie de guia pela trama. Produção da HBO em parceria com a RAI italiana, “My brilliant friend” tem Paolo Sorrentino (de “A grande beleza”) como produtor associado. Principal cenário dos primeiros capítulos da série, o conjunto habitacional onde moram as protagonistas foi construído no terreno de uma antiga fábrica de vidro a 37km de Nápoles. Elisa Del Genio e Margherita Mazzucco vivem Lenu criança e adolescente, e Ludovica Nasti e Gaia Girace encarnam Lila nas duas fases. O elenco foi selecionado entre atores da região.

— Grande parte dos diálogos é em dialeto napolitano, como nos livros. Claro que poderíamos escalar atores de outras regiões, que aprenderiam o dialeto, mas não soaria autêntico — explica o diretor. — Ferrante fez uma tetralogia sobre a alma napolitana, que acredito ser a matriz da identidade italiana.

As jovens que encarnam Lenu e Lila não tinham qualquer experiência anterior com atuação. Elisa entrou para o seriado quase por acaso, porque foi acompanhar o irmão mais velho, de 15 anos, numa sessão de testes. O rapaz não conseguiu um lugar no elenco, mas a irmã chamou a atenção dos produtores, foi convidada a participar das audições e acabou com o papel de Lenu.

— Comecei a fazer os testes a dois meses do fim da seleção, os outros candidatos estavam no processo há sete. Então, fui descoberta nos últimos momentos da fase de casting — lembra a pequena Elisa, de 11 anos. — Tenho alguma experiência como modelo infantil, mas só fiz dois trabalhos até agora.

Ludovica, de 12 anos, também posa para fotos de propaganda. Conhecia pouco — ou quase nada — sobre a tetralogia de Ferrante: até entrar para a série de TV, só havia lido “as três primeiras páginas do primeiro livro da série”. Terminou de ler a obra porque sentiu “curiosidade para saber o que acontecia” com sua personagem”, mas diz que não havia necessidade d isso:

—Minha avó me contou como era viver na Nápoles dos anos 1950. Até o dialeto napolitano, que naquela época era diferente do de hoje, eu aprendi com ela.

Elisa Del Genio e Ludovica Nasti vivem as protagonistas mais velhas Foto: Divulgação

Das quatro, Gaia Girace, 15 anos, a Lila adolescente, é a única que tinha planos de se tornar atriz. Entrou recentemente para uma escola de cinema em Nápoles e aposta no sucesso da série de TV, que impulsionará “a carreira internacional” que almeja.

A tímida Margherita Mancuzzo, que interpreta a Elena teen, só se apresentou para os testes porque vários colegas de colégio foram. Foi escalada no último dia, e diz que se apaixonou pela série:

— Gosto de como as personagens de Elena e Lila se equilibram no primeiro livro, uma apoiando a outra. São livros mágicos, especialmente no jeito como as personagens são descritas, física e psicologicamente.

Série de suspense baseada no best-seller Perfume ganha primeiro trailer

0

Marcel Plasse, no Pipoca Moderna

A Netflix divulgou o primeiro trailer de “Perfume”, sua nova série alemã. Com legendas em inglês, a prévia mostra que, após o sucesso de “Dark”, a segunda atração alemã da plataforma se mantém no terreno sombrio do suspense com uma versão contemporânea do best-seller homônimo de Patrick Suskind.

A trama do livro se passa na França do século 18 e segue Jean-Baptiste Grenouille, um assassino em série com um senso de olfato apurado e habilidade para manipular pessoas usando perfumes especializados. O livro já virou filme, dirigido por Tom Tykwer (“A Viagem”) em 2006, com Ben Whishaw no papel do serial killer.

Já a série atualiza a trama para os dias atuais e usa a ideia da manipulação das pessoas por meio de perfumes como ponto de partida. Uma detetive policial que trabalha no caso de uma série de assassinatos brutais, rastreia os crimes até um pequeno grupo de jovens de uma escola de elite, que experimentam criar perfumes poderosos com aromas humanos.

“Parfum” (título original alemão) inclui atores conhecidos do cinema em seu elenco, como Wotan Wilke Mohring (“Operação Valquíria”), August Diehl (“Bastardos Inglórios”), Friederike Becht (“O Leitor”), Christian Friedel (“A Fita Branca”) e Ken Duken (“Bastardos Inglórios”).

Todos os seis episódios da série têm direção de Philipp Kadelbach, premiado com o Emmy Internacional pela série alemã “Generation War”, além de ter comandado a série distópica britânica “SS-GB”.

A atração tem produção do estúdio alemão Constantin (da franquia cinematográfica “Resident Evil”) em parceria com o canal de televisão ZDFneo. A Netflix fará a distribuição para o mercado internacional fora da Europa.

A estreia acontece em 21 de dezembro em streaming.

Nightflyers: Veja os primeiros minutos da nova série inspirada em livros do autor de Game of Thrones

0

Marcel Plasse, no Pipoca Moderna

O canal pago americano Syfy divulgou os primeiros cinco minutos de “Nightflyers”, série sci-fi baseada no livro de mesmo nome de George R.R. Martin (autor da franquia literária “As Crônicas de Gelo e Fogo”, que inspirou “Game of Thrones”). O vídeo explora o clima de terror espacial, com Gretchen Mol (série “Boardwalk Empire”) tentando escapar de um psicopata com machado – basicamente, “O Iluminado” no espaço. Até um desfecho sangrento e inesperado, que sugere que toda a série será um grande flashback para explicar como a situação chegou àquele ponto.

A trama espacial se passa num futuro apocalíptico. Às vésperas da destruição do planeta Terra, uma tripulação de cientistas e um poderoso telepata embarcam no veículo mais avançado da galáxia, a nave Nightflyer, para interceptar uma misteriosa fonte de sinais do espaço que pode representar uma chance de sobrevivência para a humanidade. Contudo, à medida em que a tripulação se aproxima de seu destino, descobre que a inteligência artificial da nave e seu misterioso capitão estão conduzindo-os para horrores mortais.

A adaptação está a cargo do roteirista Jeff Buhler (“O Último Trem”) e o elenco também inclui Eoin Macken (série “The Night Shift”), David Ajala (“Velozes e Furiosos 6”), Sam Strike (novela britânica “EastEnders”), Maya Eshet (série “Teen Wolf”), Angus Sampson (série “Fargo”), Jodie Turner-Smith (série “The Last Ship”) e Brían F. O’Byrne (série “The Magicians”).

Vale lembrar que “Nightflyers” já rendeu um filme, bem trash, em 1987. Já a nova versão resulta num investimento milionário, considerada a série mais cara do Syfy, que para compensar os custos negociou um acordo com a Netflix em troca dos direitos de exibição internacional.

Assim, a série será disponibilizada em ritmo de maratona, entre 2 e 13 de dezembro nos Estados Unidos, chegando logo em seguida aos demais países pela Netflix.

Roteiro original de Animais Fantásticos: Os crimes de Grindelwald chega no Brasil

0

Victor Tadeu, no Desencaixados

Em agosto a Editora Rocco teve o prazer de compartilhar com seus leitores o lançamento do roteiro original de Animais Fantásticos: Os crimes de Grindelwald, cujo a escritora é J. K. Rowling, o livro é o trabalho cinematográfico do segundo filme de uma série derivada de Harry Potter, na qual a editora também tem a responsabilidade pela distribuição dos exemplares no Brasil.

Utilizando as redes sociais, ontem (22) a Editora Rocco notificou aos leitores que todos os exemplares de Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald — Roteiro Original chegou ao departamento da casa editorial, na qual está previsto para ser comercializado no dia 01 de dezembro de 2018, porém a pré-venda já está aberta.

Com a estreia do filme no dia 15 de novembro, muitos fãs já disponibilizaram suas opiniões na internet, críticas que estão dividindo opiniões. E devido toda essa dualidade, muitos estão ansiosos para conhecerem o roteiro por trás de toda a fantasia presente nas criações de J. K Rowling.

“É com grande alegria que trazemos para o Brasil mais um episódio do fantástico mundo bruxo criado por JK Rowling, e que tão brilhantemente conecta o universo de Animais Fantásticos às histórias eternizadas em Harry Potter”, afirma Paulo Rocco.

Diante dos exemplares expostos na internet, é possível visualizar um acabamento incrível de Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald — Roteiro Original, onde a responsabilidade está sob a MinaLima, a equipe de design gráfico por trás dos filmes da série Harry Potter e Animais Fantásticos.

J.K. Rowling é autora da série best-seller Harry Potter de sete livros, publicados entre 1997 e 2007, que venderam mais de 500 milhões de exemplares em todo o mundo, traduzida para mais de oitenta línguas e transformada em oito sucessos de bilheteria no cinema.

O lançamento será no dia 01 de dezembro de 2018.

Go to Top