Diário da Maísa

Gabriel García Márquez deixou manuscrito inédito, diz editor mexicano

1

foto5

Segundo Cristóbal Pera, família não decidiu se vai permitir publicação de “En Agosto Nos Vemos”; trecho do que parece ser o primeiro capítulo foi divulgado por jornal espanhol

Publicado no Último Segundo

O escritor Gabriel García Márquez, que morreu na semana passada aos 87 anos, deixou o manuscrito de uma obra que decidiu não publicar quando estava vivo, disse um editor à agência Associated Press nesta terça-feira (22).

Cristóbal Pera, diretor-editoral da Penguim Random House México, disse que a família de García Márquez não decidiu se vai permitir a publicação póstuma do livro, nem qual editora teria os direitos. O manuscrito tem o título provisório de “En Agosto Nos Vemos”.

Um trecho do material publicado pelo jornal espanhol “La Vanguardia” mostrou o que parece ser o primeiro capítulo, que descreve a viagem de uma mulher casada de cerca de 50 anos que anualmente visita o túmulo da mãe em uma ilha tropical. No capítulo em questão, ela tem um caso com um homem mais ou menos da mesma idade, no hotel em que ela se hospeda.

O tom erótico do trabalho é fortalecido pelo charme tropical da ilha, com detalhes elaborados sobre o calor, a paisagem, a música e os habitantes locais.

Aparentemente, o manuscrito foi feito na época em que García Márquez escreveu seu último romance, “Memórias de Minhas Putas Tristes”, publicado em 2004.

Acredita-se que o colombiano não tenha escrito muito nos últimos anos. O autor mexicano Homero Aridjis se lembra de ter ouvido García Márquez dizer, em 2005, que não escreveria mais.

Gerald Martin, biógrafo de García Márquez, disse que o manuscrito aparententemente começou como um conto. “É uma surpresa para mim. Na última vez que falei com Gabo sobre esta história, tratava-se de uma peça única que seria incluída em um livro com três histórias semelhantes, mas independentes”, afirmou Martin.

“Agora estão falando em uma série de episódios no qual a mulher aparece e tem uma aventura diferente a cada ano”, escreveu, em entrevista por email. “Obviamente faz sentido, e presumo que Gabo realmente tenha brincado com a história há alguns anos.”

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments

Depois do parque da Juventude, Villa-Lobos ganha nova biblioteca

0

Luiza Wolf, na Folha de S.Paulo

Há quatro anos, o parque da Juventude, na zona norte da cidade, ganhou a Biblioteca de São Paulo (BSP). O projeto deu certo e abriu caminho para uma segunda unidade: a biblioteca Villa-Lobos será inaugurada no parque da zona oeste em meados de setembro.

No Villa-Lo-bos, a nova biblioteca ocupará um prédio que já existe no parque, ao lado do orquidário Ruth Cardoso.

Com 4.000 m² e três andares, a biblioteca, assim como a sua percursora, será acessível a deficientes, com equipamentos como folheador de páginas (para pessoas com dificuldade motora) e conversor de texto para braile.

Andreia Naomi Narihisa/Divulgação
Biblioteca Villa-Lobos ocupará o prédio ao lado do orquidário do parque e será inaugurada em setembro
Biblioteca Villa-Lobos ocupará o prédio ao lado do orquidário do parque e será inaugurada em setembro

Parceria entre as secretarias do Meio Ambiente (que cedeu o espaço) e da Cultura, a biblioteca Villa-Lobos seguirá os moldes da BSP e terá atividades gratuitas como saraus, peças teatrais e oficinas. A novidade é que a programação será temática sobre meio ambiente, para estreitar a relação com o parque.

O objetivo é atrair pessoas que não leem livros com frequência. “As pessoas vão ao parque para um momento de lazer e encontram uma biblioteca lá. Ou seja, há uma quebra de estereótipo: os livros deixam de ser tão ligados ao estudo e às obrigações”, diz Adriana Ferrari, coordenadora da BSP e da biblioteca Villa-Lobos.

A biblioteca Villa-Lobos dispõe de uma verba de R$ 4,7 milhões. “Temos que fazer com que os equipamentos e mobiliários caibam nesse orçamento. O custeio para que a biblioteca se mantenha aberta já é outra história”, diz Ferrari.

FIM DA LINHA

O projeto Embarque na Leitura, que levava espaços gratuitos de empréstimo de livros a estações do metrô, encerrou as atividades em dezembro de 2013.

A unidade da estação Paraíso, das linhas 2-verde e 1-azul, a primeira a ser aberta e a última a fechar as portas, ficou ativa por nove anos. Coordenados pelo IBL (Instituto Brasil Leitor), os espaços fecharam por falta de patrocínio.

Apesar da popularidade —segundo o IBL, o Embarque na Leitura da Paraíso tinha mais de 22 mil sócios—, o projeto não atraiu o interesse de órgãos públicos e deixou de ser um investimento para empresas privadas.

“O problema é que a leitura não é considerada um valor na sociedade brasileira. Na esfera política, há outros interesses, sempre maiores”, diz Ivani Nacked, diretora do IBL. O Embarque na Leitura da estação Paraíso funcionou por mais de um ano sem apoio privado. Mas, na ausência de novos patrocinadores, ficou impossível mantê-lo.

De acordo com Gustavo Gouveia, coordenador da rede de bibliotecas do IBL, a ideia é trazer o projeto de volta, em terminais de ônibus como o Sacomã. “Mas antes nós precisamos atrair o interesse do público e financiadores.”

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments

Aplicativo Wattpad une autores e leitores com textos mais curtos on-line

1
Allen Lau, presidente-executivo do Wattpad (Foto: Chris Young/The New York Times)

Allen Lau, presidente-executivo do Wattpad (Foto: Chris Young/The New York Times)

David Streitfeld, no The New York Times [via Folha de S.Paulo]

Se no ano de 1841 nova-iorquinos emboscavam viajantes chegados da Inglaterra para perguntar se a protagonista Nell Trent -do clássico de Dickens “A Loja de Antiguidades”- tinha morrido, em 2014 eles recorrem aos celulares para acompanhar as aventuras de Tessa e Harry, que se conheceram na universidade e criaram um relacionamento inspirador.

A autora, Anna Todd, 25, usa o aplicativo de ficção Wattpad. A cada alguns dias, um novo episódio da tórrida história do casal de “After” (“Após”) era postado. Momentos depois de publicar o capítulo 278, a ex-estudante universitária em Austin (Texas) contou que era o fim.

O primeiro comentário surgiu 13 segundos depois. No dia seguinte, já havia 10 mil comentários. “After” tem mais de 1 milhão de leitores, indica o Wattpad.

A internet há muito promoveu uma reorganização nas editoras e nas vendas de livros. Agora, a tecnologia está transformando a escrita de ficção, no passado a mais solitária e exigente das artes, em próximo da definição oposta. É uma prática social, informal e íntima, com resultados compostos e consumidos instantaneamente.

O Wattpad é o líder nesse novo ambiente narrativo, com mais de 2 milhões de escritores produzindo 10 mil textos ao dia para 20 milhões de leitores, em uma conectada rede social internacional.

Quando Jeff Bezos, CEO da Amazon, se questiona sobre a possibilidade de que surja algo capaz de tirar a liderança de sua empresa nos livros eletrônicos, ou Mark Zuckerberg, fundador do Facebook, pondera se a rede social será desertada pelos jovens, é bem provável que o Wattpad esteja em seus pensamentos.

Boa parte dos trabalhos mais populares do aplicativo (seja em inglês ou em português) são dirigidos a mulheres jovens e extraem sua energia das fileiras dos praticantes de “fan fiction” -Harry, de “After”, foi inspirado por Harry Styles, galã adolescente da banda One Direction. Outros hits são contos de vampiros à la “Crepúsculo” e tramas de mistério.

Os autores -que não são remunerados pelo trabalho- propõem histórias, as reformulam, abandonam e apagam quando querem. Trata-se de uma escrita reinventada para o mundo móvel, em que a atenção é fragmentada.

“Quase todos os nossos autores publicam seu conteúdo em forma seriada”, explica Allen Lau, o presidente-executivo do Wattpad, com sede em Toronto (Canadá) e cerca de 70 funcionários.

“Um texto de 2.000 palavras equivale a mais ou menos dez minutos de leitura. Isso permite que os leitores se ocupem, por exemplo, enquanto esperam numa fila.”

PROXIMIDADE

Outra característica marcante do Wattpad é eliminar a distância entre escritor e leitor. “Minha prioridade são os fãs”, diz Rebecca Sky, cujo romance “The Love Curse” (“A Maldição do Amor”) atraiu público numeroso.

“Se você procurar uma editora e disser que tem 15 mil leitores, isso contará mais do que uma pessoa sem qualquer seguidor que surja de seu porão com um manuscrito perfeito”, diz Sky.

Além de permitir que leitores postem comentários públicos, o Wattpad deixa que enviem mensagens privadas ao autor, votem em um texto e se tornem fãs dele.

Os fãs também podem dedicar capítulos de suas histórias a outros escritores, criar capas para seus livros e fazer imagens e vídeos para o YouTube e para o Pinterest.

Agora, o setor editorial tradicional está acompanhando o Wattpad de perto. Não apenas como fonte de novos talentos, mas em busca de técnicas para estimular o envolvimento dos leitores.

WATTPAD
iOS, Android
ONDE wattpad.com
QUANTO Gratuito

Tradução: Paulo Migliacci

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments

60 obras raras do Mosteiro de São Bento estão disponíveis na Internet

0
O setor de obras raras possui aproximadamente 13 mil obras impressas do séc. XVI ao XIX

O setor de obras raras possui aproximadamente 13 mil obras impressas do séc. XVI ao XIX

O Mosteiro de São Bento da Bahia foi o primeiro fundado pela ordem dos Beneditinos nas Américas

Publicado na Tribuna da Bahia

60 obras raras, dos séculos XVI ao XIX poderão ser acessadas pela internet a partir dessa terça-feira (22/4). Elas pertencem ao Mosteiro de Sâo Bento, em Salvador, e foram restauradas por uma equipe multidisciplinar de especialistas do Mosteiro e da Faculdade São Bento da Bahia, com técnicas inovadoras de desinfestação, higienização e restauro.

O projeto durou cerca de dois anos e absorveu investimentos de de R$ 500 mil, oriundos do Fundo de Cultura da Bahia, destinado pela Secretaria de Cultura do Estado da Bahia.

Entre as obras restauradas e digitalizadas estão a coleção “Obras Completas de Luiz de Camões”, edição crítica com as mais notáveis variantes, de 1873;; “Cartas Selectas”, de Padre Antônio Vieira, de 1856; “Index Librorum Prohibitorum”, do Papa Bento XIV, de 1764 e “Historia dos Judeos”, de Flavio José, de 1793. Os mais antigos da lista são: “Cometario as Sentenças de Duns Scoto, do Fr. Nicolau de Orbellis”, de 1503, e “Suma Theologica Secundæ”, de São Tomas de Aquino, de 1534.

Acesse as obras digitalizadas

O Mosteiro de São Bento da Bahia foi o primeiro fundado pela ordem dos Beneditinos nas Américas. Sua biblioteca, alvo de pesquisadores de todo o mundo, foi fundada em 1582 e é tombada pelo Patrimônio Histórico Artístico Nacional (IPHAN) desde a década de 1930.

O acervo completo ultrapassa os 200 mil volumes, e o setor de obras raras possui aproximadamente 13 mil obras impressas do séc. XVI ao XIX.

dica do Chicco Sal

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments

Conheça Westeros e detalhes de Game of Thrones como se você estivesse no Google Maps

0

20140421westeros1670

Matheus Gonçalves, no Digital Drops

Nós já mostramos pra vocês como visitar virtualmente a TARDIS, a nave espacial/máquina do tempo/torradeira/limpa chifre/facas Ginsu do seriado Doctor Who, através do Google Street View. Para quem não conhece, basta acessar este link.

Depois de uma semana turbulenta e cheia de discussões sobre Game of Thrones, nada melhor que um passeio por terras distantes para ficar longe de spoilers, certo? Ou não, se é pra saber, melhor saber tudo de uma vez.

Bem, de qualquer forma, aqui está uma mapa interativo de Westeros, Sothoryos e Essos, continentes fictícios criados por George R.R. Martin em sua obra As Crônicas de Gelo e Fogo (A Song of Ice and Fire) e fantasticamente retratados na série de TV Game of Thrones.

 

O mapa foi feito por fãs da saga, e usa recursos do Google Maps para navegação e exibição de conteúdos bem legais, como os reinados, a localização original das famílias e suas casas.

westeros2670

Ao navegante, é concedido o benefício de visitar Westeros, Sothoryos e Essos sem o risco de ser assassinado enquanto estiver viajando pela Kingsroad. Tenho certeza que alguns personagens adorariam ter acesso à uma ferramenta como esta, antes de certas, digamos… intempéries.

O que difere este site de um mapa em papel (como alguns que vem junto com edições luxuosas dos livros) é que, com poucos cliques, é possível obter diversos detalhes sobre este universo, como qual família é proprietária daquela região ou terra, ou ter uma ideia da distância entre Winterfell (Casa Stark) e A Muralha de Gelo, na qual ficam os vigilantes da Night’s Watch.

Dá pra separar o mapa entre os brasões da nobreza, ou acessar os perfis de diversos personagens no AWOIAF (A Wiki of Ice and Fire). Que, a propósito, está cheio de spoilers do livro, então, fique atento. Por exemplo como aquela vez em que [SPOILER DETECTED AND SUPRESSED].

Aliás, não se trata de uma ferramenta só para leitores. Dá pra trocar as informações exibidas no mapa entre capítulos, mas também entre episódios exibidos na série da HBO, e ir acompanhando o trajeto que cada personagem fez pelos mapas, como o percorrido por Daenerys Targaryen.

westeros4670

Certamente é um site que todo fã da obra, seja de A Guerra dos Tronos, seja de As Crônicas de Gelo e Fogo, deve favoritar para futuras referências.

Dica adicional: se você também é fã de Senhor dos Anéis, o Hobbit ou qualquer obra do Tolkien, este site, feito para o Google Chrome, permite que você navegue pela Terra Média, como por exemplo essa página com detalhes sobre Rivendell (ou Valfenda) e tantos outros lugares deste universo concebido de uma forma igualmente genial.

Mais detalhes no vídeo abaixo:

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments

Go to Top