Praças da Cidade

Máximas de um país mínimo (2)

0


O Cristianismo é o inequívoco fundador do humanismo moderno porque é o criador do homem universal, de quem nada se exigia de prévio para ser admitido como filho de Deus.

É o fundamento religioso do que, no mundo laico, é o princípio da democracia contemporânea. Não por acaso, a chamada “civilização ocidental” é entendida, nos seus valores essenciais, como “democrática e cristã’. Isso é história, não uma crença.

Reinaldo Azevedo, em Máximas de um país mínimo (Record)

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments

Máximas de um país mínimo (2)

0


O Cristianismo é o inequívoco fundador do humanismo moderno porque é o criador do homem universal, de quem nada se exigia de prévio para ser admitido como filho de Deus.

É o fundamento religioso do que, no mundo laico, é o princípio da democracia contemporânea. Não por acaso, a chamada “civilização ocidental” é entendida, nos seus valores essenciais, como “democrática e cristã’. Isso é história, não uma crença.

Reinaldo Azevedo, em Máximas de um país mínimo (Record)

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments

Os livros indispensáveis para cada idade

0

O movimento Educar para Crescer, ligado ao Grupo Abril, listou em seu site os 204 livros mais importantes para uma faixa etária que vai dos 2 aos 18 anos. As obras foram elencadas por 18 educadores convidados, entre professores e coordenadores pedagógicos. A ideia é mostrar os livros indispensáveis à formação intelectual dos novos leitores.

Os livros são listados por idade, um para cada mês do ano. Para os mais pequenos, a partir de dois anos, a sugestão é de que os pais leiam para eles essa obra mensal. Na listagem estão clássicos infantis como Ruth Tocha e Monteiro Lobato, por exemplo, sempre em livros com muitas cores e histórias que ensinam a respeitar as diferenças e conhecer o mundo à sua volta.

– A leitura de histórias é a porta de entrada para o mundo da escrita. Pesquisas mostram que as crianças que ouvem histórias são mais felizes – explica Regina Scarpa, coordenadora pedagógica da revista Nova Escola e especialista em educação infantil.

À medida que os jovens vão se desenvolvendo, são introduzidas obras de Machado de Assis, Cecília Meirelles, José de Alencar, Álvares de Azevedo, Ariano Suassuna e Luis Fernando Verissimo. Na adolescência, a lista foca, além dos títulos requeridos pela grande maioria das universidades, trabalhos mais contemporâneos, como O Caçador de Pipas e O Menino de Pijama Listrado.

Aos 18 anos, última idade contemplada pela ação do Educar para Crescer, a sugestão é ler os clássicos, não só os nacionais como também os internacionais de Victor Hugo, Gustave Flaubert, Jane Austen e Oscar Wilde, Hemingway e Dostoievski.

Confira as primeiras sugestões para cada idade:
* 2 anos: Bem-te-vi, de Lalau (Companhia das Letrinhas)
* 3 anos: Grunter: a história de um porco insuportável, de Mike Jolley (Brinque Book)
* 4 anos: Flicts, de Ziraldo (Melhoramentos)
* 5 anos: Grandes poemas em boca miúda, organizadores Laura Sandroni e Luiz Raul (Arte Ensaio)
* 6 anos: A Arca de Noé, de Vinícius de Morais (Companhia das Letrinhas)
* 7 anos: Um lobo instruído, de Pascal Biet (Martins Editora)
* 8 anos: Pomba Colomba, de Sylvia Orthof (Companhia das Letrinhas)
* 9 anos: Como viver para sempre, de Colin Thompson (Brinque Book)
* 10 anos: Ou isto, ou aquilo, de Cecília Meireles (editora Nova Fronteira)
* 11 anos: Doze reis e a moça no labirinto de vento, de Marina Colasanti (Global Editora)
* 12 anos: O diário de Zlata – A vida de uma menina na guerra, de Zlata Filipovic (Companhia das Letras)
* 13 anos: George e o segredo do universo, de Lucy Hawking e Stephen Hawking (Ediouro)
* 14 anos: O assassinato de Roger Ackroyd, de Agatha Christie (Globo)
* 15 anos: Auto da barca do inferno, de Gil Vicente (Saraiva)
* 16 anos: Noite na taverna, de Álvares de Azevedo (Komedi)
* 17 anos: Vidas secas, de Graciliano Ramos (Record)
* 18 anos: Memórias póstumas de Brás Cubas, de Machado de Assis (Martin Claret)

Fonte: Palavra Escrita

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments

Os livros indispensáveis para cada idade

0

O movimento Educar para Crescer, ligado ao Grupo Abril, listou em seu site os 204 livros mais importantes para uma faixa etária que vai dos 2 aos 18 anos. As obras foram elencadas por 18 educadores convidados, entre professores e coordenadores pedagógicos. A ideia é mostrar os livros indispensáveis à formação intelectual dos novos leitores.

Os livros são listados por idade, um para cada mês do ano. Para os mais pequenos, a partir de dois anos, a sugestão é de que os pais leiam para eles essa obra mensal. Na listagem estão clássicos infantis como Ruth Tocha e Monteiro Lobato, por exemplo, sempre em livros com muitas cores e histórias que ensinam a respeitar as diferenças e conhecer o mundo à sua volta.

– A leitura de histórias é a porta de entrada para o mundo da escrita. Pesquisas mostram que as crianças que ouvem histórias são mais felizes – explica Regina Scarpa, coordenadora pedagógica da revista Nova Escola e especialista em educação infantil.

À medida que os jovens vão se desenvolvendo, são introduzidas obras de Machado de Assis, Cecília Meirelles, José de Alencar, Álvares de Azevedo, Ariano Suassuna e Luis Fernando Verissimo. Na adolescência, a lista foca, além dos títulos requeridos pela grande maioria das universidades, trabalhos mais contemporâneos, como O Caçador de Pipas e O Menino de Pijama Listrado.

Aos 18 anos, última idade contemplada pela ação do Educar para Crescer, a sugestão é ler os clássicos, não só os nacionais como também os internacionais de Victor Hugo, Gustave Flaubert, Jane Austen e Oscar Wilde, Hemingway e Dostoievski.

Confira as primeiras sugestões para cada idade:* 2 anos: Bem-te-vi, de Lalau (Companhia das Letrinhas)
* 3 anos: Grunter: a história de um porco insuportável, de Mike Jolley (Brinque Book)
* 4 anos: Flicts, de Ziraldo (Melhoramentos)
* 5 anos: Grandes poemas em boca miúda, organizadores Laura Sandroni e Luiz Raul (Arte Ensaio)
* 6 anos: A Arca de Noé, de Vinícius de Morais (Companhia das Letrinhas)
* 7 anos: Um lobo instruído, de Pascal Biet (Martins Editora)
* 8 anos: Pomba Colomba, de Sylvia Orthof (Companhia das Letrinhas)
* 9 anos: Como viver para sempre, de Colin Thompson (Brinque Book)
* 10 anos: Ou isto, ou aquilo, de Cecília Meireles (editora Nova Fronteira)
* 11 anos: Doze reis e a moça no labirinto de vento, de Marina Colasanti (Global Editora)
* 12 anos: O diário de Zlata – A vida de uma menina na guerra, de Zlata Filipovic (Companhia das Letras)
* 13 anos: George e o segredo do universo, de Lucy Hawking e Stephen Hawking (Ediouro)
* 14 anos: O assassinato de Roger Ackroyd, de Agatha Christie (Globo)
* 15 anos: Auto da barca do inferno, de Gil Vicente (Saraiva)
* 16 anos: Noite na taverna, de Álvares de Azevedo (Komedi)
* 17 anos: Vidas secas, de Graciliano Ramos (Record)
* 18 anos: Memórias póstumas de Brás Cubas, de Machado de Assis (Martin Claret)

Fonte: Palavra Escrita

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments

Celebrando uma vida com propósitos (2)

0

Ironicamente, na maioria das festas de Natal, a pessoa cujo aniversário deveríamos estar celebrando é completamente ignorado. Ele não é sequer mencionado. Embora seja a razão da festa, Jesus é frequentemente negligenciado ou simplesmente mencionado ao lado de Rudolph, a rena do nariz vermelho, do homem de neve, do papai Noel, dos duendes e de uma longa lista de personagens fictícios

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments

Go to Top