Sua Segunda Vida Começa Quando Você Descobre Que Só Tem Uma

Memórias – A menina sem estrela (4)

0

“Ninguém é mais importante, para nós, do que os mortos esculpidos na memória da família.”

“Por que explicar, por que justificar, se o que importa é sofre, apenas isso, sofrer.”

“Como poderia eu brotar, intacto, da catástrofe?”

“O homem esquece antes de sofrer.”

“Feita a confidência, senti uma espécie de paz, tardia, mas reparadora.”

Nelson Rodrigues, em Memórias – A menina sem estrela (Agir).

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments

Leite derramado

1

A memória é deveras um pandemônio, mas está tudo lá dentro, depois de fuçar um pouco o dono é capaz de encontrar todas as coisas. Não pode é alguém de fora se intrometer, como a empregada que remove a papelada para espanar o escritório. Ou como a filha que pretende dispor minha memória na ordem dela, cronológica, alfabética, ou por assunto. Em tempos encontrei certo coronel num corredor sombrio do hospital do Exército. Ele afirmou que estivera comigo quando ainda era terceiro-sargento, mas seu rosto na penumbra não me dizia grande coisa. Nem decerto o meu a ele, que me reconheceu pelo nome. Mas aí minha lembrança não era recíproca, e nesses casos, para não magoar o próximo, a gente costuma dizer, ah, sim, claro, como vai, e fica por isso mesmo. Porque dá preguiça vasculhar a memória o tempo inteiro…

Chico Buarque, em Leite Derramado (Companhia das Letras)

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments

Memórias – A menina sem estrela (4)

0

“Ninguém é mais importante, para nós, do que os mortos esculpidos na memória da família.”

“Por que explicar, por que justificar, se o que importa é sofre, apenas isso, sofrer.”

“Como poderia eu brotar, intacto, da catástrofe?”

“O homem esquece antes de sofrer.”

“Feita a confidência, senti uma espécie de paz, tardia, mas reparadora.”

Nelson Rodrigues, em Memórias – A menina sem estrela (Agir).

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments

O livro mais mal-humorado da Bíblia

0

  • Você acha que vai ser feliz nesta vida, trabalhando, produzindo, sendo útil, dando vazão a sua criatividade?
  • Você acha que vai ser feliz nesta vida vivendo romances intensos, apaixonando-se, entregando-se para alguém e vivendo um grande amor?
  • Você acha que vai ser feliz nesta vida, acumulando riquezas e bens, sendo bem remunerado e recebendo por seu trabalho digno e justo?
  • Você acha que vai ser feliz nesta vida, divertindo-se, tendo tempo para a contemplação do belo e dos mistério, enxergando o que está por trás da realidade do dia a dia penoso?
  • Você acha que vai ser feliz nesta vida, escutando boa música, apreciando museus, degustando um bom vinho e lendo poesia?
  • Você acha que vai ser feliz nesta vida, tendo amigos de verdade, compartilhando a mesa numa conversa de profunda intimidade e alegre comunhão?
Você está redondamente enganado! E por quê? Porque o Eclesiastes fez tudo isso e não encontrou a felicidade. Foi então que ele se perdeu.

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments

O livro mais mal-humorado da Bíblia

0

  • Você acha que vai ser feliz nesta vida, trabalhando, produzindo, sendo útil, dando vazão a sua criatividade?
  • Você acha que vai ser feliz nesta vida vivendo romances intensos, apaixonando-se, entregando-se para alguém e vivendo um grande amor?
  • Você acha que vai ser feliz nesta vida, acumulando riquezas e bens, sendo bem remunerado e recebendo por seu trabalho digno e justo?
  • Você acha que vai ser feliz nesta vida, divertindo-se, tendo tempo para a contemplação do belo e dos mistério, enxergando o que está por trás da realidade do dia a dia penoso?
  • Você acha que vai ser feliz nesta vida, escutando boa música, apreciando museus, degustando um bom vinho e lendo poesia?
  • Você acha que vai ser feliz nesta vida, tendo amigos de verdade, compartilhando a mesa numa conversa de profunda intimidade e alegre comunhão?
Você está redondamente enganado! E por quê? Porque o Eclesiastes fez tudo isso e não encontrou a felicidade. Foi então que ele se perdeu.

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments

Go to Top