BKO WAVE SAÚDE

Sozinho entre as prateleiras

0

“Posso ajudar?” Eis duas palavrinhas que nos soam mais que familiares. Entra-se numa loja e lá vem: “Posso ajudar?”. Está desencadeado um processo durante o qual não mais conseguiremos nos livrar da prestimosa oferta. Ao entrar numa loja, o ser humano necessita de um tempo de contemplação. Precisa se acostumar ao novo ambiente, testar a nova luminosidade, respirar com calma o novo ar. Sobretudo, necessita de solidão para, por meio de um diálogo consigo mesmo, distinguir entre os objetos expostos aquele que mais de perto fala à sua necessidade, ao seu gosto ou ao seu desejo. A turma do “posso ajudar” não deixa. Mesmo que se diga “Não, obrigado; primeiro quero examinar o que há na loja”, ela só aparentemente entregará os pontos. Ficará por perto, olhando de esguelha, como policial desconfiado.

Onde a situação atinge proporção mais dramática é nas livrarias. Livraria é por excelência lugar que convida ao exame solitário das mesas e das prateleiras. É lugar para passar lentamente os olhos sobre as capas, apanhar e sentir nas mãos um ou outro volume, abrir um ou outro para testar um parágrafo. Um jornal certa vez avaliou como critério de qualidade das livrarias a rapidez com que o atendente se apresentava ao freguês. Clamoroso equívoco. Boa é a livraria em que o atendente só se apresenta quando o freguês o convoca. As melhores, sabiamente, dispensam o “posso ajudar”. As mais mal administradas, desconhecedoras da natureza de seu ramo de negócio, insistem nele.

trecho de Palavras que ferem, palavras que salvam, texto de Roberto Pompeu de Toledo na Veja.

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments

Sozinho entre as prateleiras

0

“Posso ajudar?” Eis duas palavrinhas que nos soam mais que familiares. Entra-se numa loja e lá vem: “Posso ajudar?”. Está desencadeado um processo durante o qual não mais conseguiremos nos livrar da prestimosa oferta. Ao entrar numa loja, o ser humano necessita de um tempo de contemplação. Precisa se acostumar ao novo ambiente, testar a nova luminosidade, respirar com calma o novo ar. Sobretudo, necessita de solidão para, por meio de um diálogo consigo mesmo, distinguir entre os objetos expostos aquele que mais de perto fala à sua necessidade, ao seu gosto ou ao seu desejo. A turma do “posso ajudar” não deixa. Mesmo que se diga “Não, obrigado; primeiro quero examinar o que há na loja”, ela só aparentemente entregará os pontos. Ficará por perto, olhando de esguelha, como policial desconfiado.

Onde a situação atinge proporção mais dramática é nas livrarias. Livraria é por excelência lugar que convida ao exame solitário das mesas e das prateleiras. É lugar para passar lentamente os olhos sobre as capas, apanhar e sentir nas mãos um ou outro volume, abrir um ou outro para testar um parágrafo. Um jornal certa vez avaliou como critério de qualidade das livrarias a rapidez com que o atendente se apresentava ao freguês. Clamoroso equívoco. Boa é a livraria em que o atendente só se apresenta quando o freguês o convoca. As melhores, sabiamente, dispensam o “posso ajudar”. As mais mal administradas, desconhecedoras da natureza de seu ramo de negócio, insistem nele.

trecho de Palavras que ferem, palavras que salvam, texto de Roberto Pompeu de Toledo na Veja.

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments

Prêmios 2008 (4)

2

Mais um blogueiro premiado, galera.

Estes são os prêmios que o Laion Monteiro escolheu:

– Um vislumbre de Jesus (Brennan Manning)
– Viciados em mediocridade (Frank Schaeffer)
– É proibido (Ricardo Gondim)
– Fusões – Cinema, televisão, livro e jornal
– Decepcionado com Deus (Philip Yancey)

Devagar a gente vai avançando (sem trocadilho) no ranking de 2008. Enquanto isso, hora de exercitar a disciplina e continuar lendo livros legais em 2009. =)

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments

Prêmios 2008 (4)

2

Mais um blogueiro premiado, galera.

Estes são os prêmios que o Laion Monteiro escolheu:

– Um vislumbre de Jesus (Brennan Manning)
– Viciados em mediocridade (Frank Schaeffer)
– É proibido (Ricardo Gondim)
– Fusões – Cinema, televisão, livro e jornal
– Decepcionado com Deus (Philip Yancey)

Devagar a gente vai avançando (sem trocadilho) no ranking de 2008. Enquanto isso, hora de exercitar a disciplina e continuar lendo livros legais em 2009. =)

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments

Livros na dianteira

0

Dia 17 de Março foi divulgada a 19a edição do relatório WebShoppers que “analisa a evolução do comércio eletrônico, as mudanças de comportamento e preferências dos e-consumidores.”

No ano de 2008, segundo dados do Ibope Nielsen, 62,3 milhões de pessoas acessaram a web, de casa, do trabalho ou de lan houses.

Os principais dados do WebShoppers relativos a 2008 são os seguintes: 30% de crescimento no faturamento em relação a 2007;R$ 8,2 bilhões de faturamento;tíquete médio de R$ 328,00;

Em volume de pedidos as categorias mais vendidas são:

  • 17% livros
  • 12% saúde e beleza (inclui cuidados pessoais, perfumes, cosméticos e medicamentos)
  • 11% informática
  • 9% eletrônicos (inclui câmeras digitais)
  • 6% eletrodomésticos

O Brasil já tem 13,2 milhões de pessoas que compraram pelo menos uma vez via web; em 2008, 51% foram do sexo feminino. De todas as pessoas que consumiram via web, 19% delas têm mais de 50 anos de idade.

As principais datas para compras, as já tradicionais, Dia das Mães, Dia dos Namorados, Dia dos Pais, Dia das Crianças e Natal, tiveram crescimento nominal em relação a 2007. Interessante notar que o livro, que é o principal produto vendido na web, em nenhuma das datas acima foi o principal.

Eletrodomésticos foi o principal no Dia das Mães; saúde, beleza e medicamentos no Dia dos Namorados; eletrônicos (inclui câmera digital) no Dia dos Pais; brinquedos no Dia das Crianças; informática no Natal.

A expectativa para 2009 é de continuidade no crescimento e, segundo o relatório, estima-se que o número de e-consumidores chegue a 17,2 milhões no fim do ano. A classe C, que já é a maior, com 42% dos e-consumidores deve aumentar mais ainda sua participação.

Sua livraria já está na web?

Jaime Mendes, no blog Livros, livrarias e livreiros.

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments

Go to Top