A literatura pode fazer a denúncia da desigualdade e da miséria, diz moçambicano Mia Couto em Brasília

0
O escritor moçambicano Mia Couto é um dos participantes na 2ª Bienal Brasil do Livro e da Leitura, que está a decorrer em Brasília. Presente no debate sobre a “utopia do desenvolvimento sustentável”, que reuniu cientistas e escritores, Mia Couto criticou a ideia de que a natureza pode ser “controlada, administrada”.

Publicado no Portugal Digital

mia_couto2Brasília – O escritor moçambicano Mia Couto é um dos participantes na 2ª Bienal Brasil do Livro e da Leitura, que está a decorrer em Brasília. Presente, quarta-feira (16), no debate sobre a “utopia do desenvolvimento sustentável”, que reuniu cientistas e escritores, Mia Couto criticou a ideia de que a natureza pode ser “controlada, administrada”.

Para ele, é preciso localizar as razões pelas quais o mundo enfrenta, hoje, uma crise ambiental profunda: “Esse sistema não está mal porque não anda bem. Está mal porque produz miséria, desigualdade, causa ruptura em modos que vida que aí, sim, poderiam ser sustentáveis”.

Crítico da ideia de desenvolvimento sustentável, o escritor e também biólogo avalia que a ideia de desenvolver traz uma negação. “Estamos retirando o núcleo central, o ambiente. E essa negação é a negação da identidade cultural dos povos que foram expropriados”. Povos cujos modos de vida poderiam inspirar uma relação do homem com a natureza, que seja baseada no respeito e não na compreensão “de que a natureza pode ser vista como um recurso natural”, segundo Mia Couto.

Na opinião de Mia Couto a literatura pode, desde já, “mostrar que o ambiente não é assim como nós o arrumamos; mas é tudo; não está fora de nós; está dentro de nós. A literatura pode fazer e deve fazer essa denúncia daquilo que é uma espécie de fabricação permanente da desigualdade e da miséria”, afirmou. Crítico da situação atual, o escritor alertou: “Nós estamos falando de uma situação que poderá ser catastrófica. Mas para dois terços da humanidade, essa catástrofe já está aqui e vem por causa da fome, da guerra”. Agência Brasil

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments

7 maneiras de incentivar alunos a transformarem conhecimento em prática

0

Você quer que os seus alunos sejam capazes de transformar o conhecimento dado em sala de aula em prática no cotidiano? Veja 7 dicas para conseguir isso

Publicado no Universia Brasil

Um dos maiores desafios que os professores enfrentam nas salas de aula é incentivar os seus alunos a transformarem o conhecimento em prática. Afinal, informações só são úteis quando permitem produzir coisas novas com elas. Por isso, veja 7 dicas para estimular o uso do conhecimento no cotidiano:

Fonte: Shutterstock

Incentive os alunos a terem o costume de analisarem seu progresso nas aulas

1 – Faça conexões

A primeira e mais conhecida dica é fazer conexões entre conceitos complexos e fenômenos comuns: um professor de física pode explicar refração de luz utilizando o arco-íris como exemplo.

2 – Progresso

Incentive os alunos a terem o costume de analisarem seu progresso nas aulas. Peça para que eles criem calendários com pequenas metas e vejam como está o seu desempenho escolar.

3 – Cotidiano

Ao invés de aprender somente dentro da sala de aula, alunos podem conhecer novas teorias e conceitos por meio de coisas comuns no dia a dia. Antes de uma aula botânica, o professor pode propor que os estudantes façam um relatório das plantas que eles têm em casa.

4 – Recursos

Aproveite os benefícios que a tecnologia pode trazer para a sala de aula e os utilize no aprendizado. Traga vídeos demonstrando teorias da química e física, ou jogos que reforcem o conhecimento em matemática. Além de ser divertido, utilizar outros recursos na aula faz com que os alunos vejam aplicações reais do que eles aprendem nos livros.

5 – Colaboração

Grupos de estudos são uma ótima ferramenta para aprender mais e melhor. Por isso, proponha que os alunos resolvem exercícios em conjunto e possam argumentar entre si sobre as possíveis soluções.

6 – Habilidades

Fique atento às habilidades que seus alunos demonstram ter. Se você conhece um estudante com grande conhecimento em música, por exemplo, trabalhe com ele e, juntos, criem uma música ensinando um novo conceito. Além de ser bom para ele, músicas são ótimas estratégias para decorar informações.

7 – Repetição

Se o conceito for muito complexo, a melhor estratégia para os alunos o colocarem em prática é a repetição. Proponha diferentes exercícios, que abordem o tema de diversas formas, e os resultados serão melhores.

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments

5 Trechos bizarros que você não esperava encontrar em livros clássicos

1

Publicado no Dito pelo Maldito

Eu sempre fui encucado com certas classificações de livros. Principalmente quando ela define uma obra como ‘intelectual’. 
Que fatores, além da qualidade básica da escrita, faz alguns livros serem mais valorizados do que outros? E se os leitores têm gostos diferentes; quem decide esse tipo de coisa, afinal?

Em resumo, podemos dizer que ‘livros intelectuais’ são aqueles que abordam temas significativos e profundos. Mas se você prestar atenção, algumas dessas obras possuem trechos surpreendentes que poderiam facilmente fazer parte de alguma comédia pastelão.
Abaixo separamos cinco livros clássicos, considerados ‘intelectuais’, que contêm partes estranhas que talvez tenham lhe passado despercebido:
 
✔  O Conto do Inverno , de William Shakespeare
Obviamente Shakespeare é um mestre da linguagem. Ele passeia entre diferentes situações com facilidade, salteando, como ninguém, entre cenas insanas e a alta tragédia. Alguns estudos definem suas peças como: Uma meditação sobre a morte. Ou ainda: Um julgamento do coração humano. Mas há uma coisa que ninguém consegue explicar…

O momento que você não esperava: Ursos. Shakespeare não era conhecido pela sua direção de palco. Normalmente, dar a deixa de entrada e da morte dos personagens, era tudo que se limitava a fazer. Mas em O Conto do Inverno, há uma encenação que diz: “Ele sai, perseguido por um urso.” Nenhum urso foi mencionado anteriormente na cena, e não havia absolutamente nada que justificasse isso. Uma situação digna de fazer parte dos filmes da franquia ‘Todo Mundo em pânico’… Mas estamos falando em algo escrito pelo mestre do idioma Inglês.

 
✔  Ulysses, de James Joyce
Esta obra-prima literária é verdadeiramente um épico de quase 1.000 páginas, e não há dúvidas de que está na prateleira dos “intelectuais”. A obra é embalada com referências literárias e composta de uma escrita densa. James Joyce disse uma vez que colocou o suficiente no livro para manter os professores ocupados por centenas de anos. Até agora, ele tem tido razão.

O momento que você não esperava: Merda. Literalmente. Logo no início da narrativa, um dos protagonistas é introduzido em algumas páginas inteiramente dedicadas ao coco.

 
✔ Chapeuzinho Vermelho (O original), de Charles Perrault
Como tantos outros contos de fadas que são tão onipresentes em diversas culturas mundiais, há muitas versões diferentes desta história. Em algumas um caçador salva a Chapeuzinho Vermelho, em outras, ela salva a si mesma. Às vezes ela é apresentada com uma menina astuta, ou então, como ingênua, e em outras simplesmente como uma estúpida. Em uma das primeiras, e mais famosas versões do conto, o lobo diz a ela para subir na cama com ele, é aí que ela…

O momento que você não esperava: Primeiro, ela faz uma pausa para tirar as roupas, embora o lobo nunca ter mencionado nada sobre ela se despir. Ela faz isso de livre e espontânea vontade. Se ela sabia que era o lobo, ou se achava que era a sua velha avó que estava sobre a cama, não faço ideia. Mas de qualquer forma,… O que você está fazendo Chapeuzinho Vermelho? O que você está fazendo?

 
✔  Watchmen, de Alan Moore
Ok, essa é, tecnicamente, uma graphic novel, mas a partir do momento que ela é considerada um diferencial dentro do gênero, acho que vale a sua inclusão nessa lista. Esta história é, sem dúvida, um tour conduzido por uma narrativa não linear que salta décadas com facilidade e cria personagens ricas e complexas que não têm medo de ser profundamente falhos.

O momento que você não esperava: Uma das personagens fica nua e transa em pleno planeta Marte. Faz todo o sentido no contexto da história, mas ainda parece algo saído de uma comédia intergaláctica feita por nerds para um trabalho de faculdade.

 
✔ A Filosofia na Alcova, de Marquês de Sade
Este pode ser um contraponto dentre os outros itens desta lista, afinal, os livros do Marques de Sade não ficaram famosos por citar assuntos profundos ou significativos. A obra de Sade sempre foi considerada um tabu infame, não apenas para a sua época, mas também para os padrões de hoje em dia. E se você está se perguntando o porque de eu ter incluído um livro desse autor na categoria ‘intelectual’, acho válido lembrar que ele influenciou muitos pensadores e filósofos do século passado.
O momento que você não esperava: No meio de todo o seu erotismo explícito, Sade consegue encaixar uma ruminação longa, sofisticada e progressista sobre a filosofia e a moral de uma verdadeira república, filosofando sobre o fato da religião ser o ópio do povo.
dica do Fabio Mourão

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments

Escritor Gabriel García Márquez morre, dizem jornais

0

Autor colombiano tinha 87 anos e ficou internado com infecção respiratória.
Ele escreveu ‘Cem anos de solidão’ e ‘O amor nos tempos do cólera’.

O escritor ganhador do Nobel da Literatura Gabriel García Márquez cumprimenta jornalistas à porta de sua casa na Cidade do México no seu aniversário, no dia 6 de março, em 2014 (Foto: Edgard Garrido/Reuters)

O escritor ganhador do Nobel da Literatura Gabriel García Márquez cumprimenta jornalistas à porta de sua casa na Cidade do México no seu aniversário, no dia 6 de março, em 2014 (Foto: Edgard Garrido/Reuters)

Publicado no G1

Morreu escritor colombiano Gabriel García Márquez, informou a agência de notícias Reuters. A notícia foi dada por jornais como o colombiano “El Tiempo”, o mexicano “Excelsior” e o espanhol “El País”. Ele ficou internado. Ele ficou internado com uma infecção respiratória na Cidade do México, onde morava, entre o fim de março e início de abril.

Em julho de 2012, o mais novo de seus dez irmãos, Jaime García Márquez, revelou que o autor sofria de demência senil “há alguns anos” e que estava lutando contra a perda de memória. O escritor era casado com Mercedes Barcha Pardo desde 1958. Eles tiveram dois filhos: Rodrigo, que nasceu em 1959, e Gonzalo, nascido em 1962.

Considerado um dos mais importantes escritores do século 20 e um dos mais renomados autores latinos da história, Gabriel García Márquez nasceu em 6 de março de 1927, em Aracataca, na Colômbia. Chegou a estudar Direito e Ciências Políticas na Universidade Nacional da Colômbia, mas não concluiu o curso, preferindo iniciar carreira no jornalismo.

Seu primeiro romance, “A revoada (O enterro do diabo)” foi escrito no início da década de 1950, mas publicado apenas em 1955 por iniciativa de amigos enquanto ele estava na Europa.

Já tendo como cenário a cidade de Macondo, que apareceria em outras de suas obras, o livro tinha como narradores três personagens, um velho coronel, sua filha e o neto, ainda criança.
O sucesso internacional, no entanto, veio principalmente após a publicação de seu romance mais famoso, “Cem anos de solidão”, em 1967.  Entre seus títulos mais conhecidos estão ainda “A incrível e triste história de Cândida Eréndira e sua avó desalmada”, “O outono do patriarca”, “Crônica de uma morte anunciada”, “O amor nos tempos do cólera”, “Do amor e outros demônios” e “Memórias de minhas putas tristes”.

Márquez recebeu o Prêmio Nobel de Literatura em 1982 pelo conjunto de sua obra. Foi o primeiro colombiano e quarto latino-americano a receber o prêmio, e, na ocasião, agradeceu com um discurso intitulado “A solidão na América Latina”.

“El Gabo”, como era conhecido na América Latina, continuou escrevendo até o final da década de 90, mas seu trabalho foi reduzido a partir de 1999, quando recebeu o diagnóstico de um câncer linfático. Em 2002, ainda em tratamento, publicou sua autobiografia, “Viver para contar”. A aposentadoria oficial do escritor foi anunciada em 2009 por agentes literários.

García Márquez casou-se com Mercedes Barcha Pardo em 1958, e no ano seguinte nasceu o primeiro filho do casal, Rodrigo. Roteirista e diretor de TV e cinema, Rodrigo García dirigiu filmes como “Questão de vida” e “Albert Nobbs” e episódios de diversas séries, como “Família Soprano” e “A sete palmos”, além de ser o criador da série “In treatment”, que ganhou versões em diversos países, incluindo o Brasil, onde recebeu o nome de “Sessão de terapia” e foi produzida pelo canal GNT. Nascido em 1962, no México, o filho mais novo do escritor, Gonzalo, é designer gráfico.

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments

Concurso Cultural Literário (65)

2

capa senna

LEIA UM TRECHO

Considerado hoje um dos maiores pilotos de todos os tempos, Ayrton Senna era ainda um ilustre desconhecido até a largada do Grand Prix de Mônaco de 1984. Enquanto o principado está sob um dilúvio e a maior parte dos pilotos perde o controle do carro, o jovem brasileiro causa sensação no volante de um Fórmula 1 de segunda classe, e tem uma performance impressionante, que o leva à dianteira da corrida e a ameaçar o campeão Alain Prost. Esse dia marca o início da lenda que se escreveu nos dez anos seguintes, durante os quais Ayrton Senna trouxe emoção para o campeonato mundial de Fórmula 1, até sua morte trágica no Grand Prix de Ímola no dia 1º de maio de 1994.

Vamos sortear 3 exemplares de “Ayrton Senna – A trajetória de um mito“, superlançamento da Editora Nemo.

Para participar, responda na área de comentários qual a lição de Senna deve ser conhecida por aqueles que nasceram após a sua morte?

O resultado será divulgado dia 12/5 às 17h30 neste post.

Se usar o Facebook, por gentileza deixe seu email de contato.

Boa sorte! :-)

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments

Go to Top