Segredos de Pai para Filho

Mapas Mentais: veja o segredo para que você possa aprender com mais facilidade

0

Mente2

Publicado no Amo Direito

O cérebro humano adora fazer conexões, adora associar uma coisa à outra, é assim que aprendemos a longo prazo. E na eterna luta da pedagogia contra o “decoreba”, usar as preferências do cérebro a favor da aprendizagem parece ser uma abordagem inteligente. Um recurso que comprova isso é o mindmapping, os mapas mentais. A ideia é simples: coloque o tópico central – a essência – do tema estudado no centro de uma folha branca e ramifique as conexões “para fora”, deixando tudo conectado e facilitando a absorção visual do conteúdo.

Neste artigo, você vai aprender como fazer um mapa mental otimizado para os estudos e conhecer alguns softwares e/ou plataformas online onde você pode armazená-los. Mas, primeiro, vamos entender um pouco melhor como surgiram os mapas mentais e porque eles são tão eficazes na aprendizagem.

Como surgiram os mapas mentais?
Os Mind Maps, ou Mapas Mentais, foram criados pelo psicólogo inglês Tony Buzan, nos anos 1970. Sua ideia era aprimorar o processo de aprendizagem e memorização utilizando uma abordagem não linear de encadeamento de informações. O método de registro de ideias proposto por Buzan remete à maneira como o nosso cérebro armazena informações nos neurônios, como uma rede de pesca, ou vários galhos de uma árvore, que saem do núcleo para as extremidades.

Não se deixe enganar por essa explicação ligeiramente rebuscada. Mindmapping é, na verdade, fácil e muito útil. Mas, é válido ressaltar que o método nasceu da natureza do cérebro humano. Trata-se de incorporar no cotidiano as peripécias da neurociência de maneira intuitiva. Uma vez familiarizado com a técnica, estudar com mapas mentais se torna uma atividade orgânica, natural.

Usando mapas mentais para estudar
Para melhor retenção e memorização do material estudado, o mindmapping sugere a substituição das anotações tradicionais – da esquerda para a direita, de cima para baixo – por um mapa com tópico central e galhos com associações, símbolos, ícones, cores e desenhos. Tudo o que facilite a nossa capacidade de assimilação é bem-vindo. Quanto mais diversidade, melhor!

Enquanto cuidamos de fazer as associações, o cérebro cuida de outras tarefas importantes: desenvolver a percepção de vários aspectos de um assunto, aprimorar a memorização pela conexão entre ideias essenciais e imagens, organizar e hierarquizar conhecimentos, desenvolver a objetividade, estimular a visão geral de ideias, desenvolver a capacidade de síntese, aprimorar o pensamento sistêmico, entre outras.

Outros benefícios do mindmapping para estudantes são:

Redução do estresse provocado pelo excesso de informação;

Maior controle sobre processos criativos e analíticos;

São mais perceptivos e interessantes, tornando o estudo mais atraente;

São impulsionadores de produtividade;

São fáceis de reestruturar.

Como fazer um mapa mental?

Fazer um mapa mental não é uma tarefa complicada. Tudo o que você precisa é de um espaço em branco e muitas cores para escrever – você pode usar papel e canetas coloridas ou alguma plataforma digital, a escolha é sua. Escolha o tema principal e coloque no centro do seu mapa; este é o assunto a ser mapeado. Deste “núcleo” puxe os “galhos”, cada galho é um subtópico do tema central, que também se ramifica à medida que as associações vão ficando mais específicas.

mapa-mental1

mapa-mental2

Se aprofunde mais no assunto pesquisando na internet, vendo videos no youtube e etc..

Fonte: estudos10

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments

Assista ao novo trailer oficial de Animais Fantásticos e Onde Habitam

0

20160723-20151215-20151106-principal2

Vinicius Leme, no Cinema com Rapadura

A Warner Bros. Brasil divulgou hoje (23) direto da Comic-Con o novo trailer oficial do aguardado “Animais Fantásticos e Onde Habitam”, spin-off de Harry Potter, que será protagonizado por Eddie Redmayne (“A Teoria de Tudo”). Assista:

Este é o primeiro de uma trilogia, dirigida por David Yates. Ele dirigiu quatro dos oito filmes da franquia do bruxo: “Harry Potter e a Ordem da Fênix” (2007), “Harry Potter e o Enigma do Príncipe” (2009), “Harry Potter e as Relíquias da Morte: Parte 1” (2010) e “Harry Potter e as Relíquias da Morte: Parte 2” (2011). O roteiro será assinado pela própria autora dos livros, J.K. Rowling.

Com 64 páginas em sua edição brasileira, o livro “Animais Fantásticos e Onde Habitam” foi publicado em 2001, como uma espécie de “livro didático” para os alunos da escola de Hogwarts. A publicação é um estudo da magizoologia, termo criado pela autora para designar animais que habitam o mundo dos bruxos e possuem características mágicas. Já os filmes terão o objetivo de explorar a vida de Newt Scamander, pseudônimo usado por Rowling e personagem criador do livro. Apesar de acontecer no universo mágico, “Animais Fantásticos e Onde Habitam” se passará 70 anos antes da história de Harry Potter, tornando improvável a volta do personagem nas telas. No entanto, outros nomes conhecidos do público podem retornar em sua versão mais jovem, como o bruxo Dumbledore.

“Animais Fantásticos e Onde Habitam” chega aos cinemas no dia 18 de novembro de 2016.

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments

Biblioteca humana substitui livros por pessoas para contar histórias

0
O visitante pode escolher entre três opções de "livros vivos" e cada conversa dura dez minutos. Foto: Philippe Ladvocat

O visitante pode escolher entre três opções de “livros vivos” e cada conversa dura dez minutos. Foto: Philippe Ladvocat

A iniciativa permite trocar a palavra escrita pela experiência pessoal, que envolve troca de olhares e interação entre os indivíduos

 

Publicado no Diario de Pernambuco

Um projeto inusitado do Museu da Empatia em Londres substitui os livros comuns por pessoas: a Biblioteca Humana. A proposta é trocar a palavra escrita pela experiência pessoal, que envolve intercâmbio de olhares e interação entre os indivíduos. A estreia ocorreu no último sábado (25).

A Biblioteca Humana funciona assim: o visitante pode escolher entre três opções de “livros vivos” e cada conversa dura dez minutos. Um sino soa para indicar a hora de trocar os pares. Cada voluntário de “livro vivo” conta para o participante a história da própria vida. As origens foram das mais diversas: um campeão de ciclismo, uma sobrevivente do holocausto e um refugiado sírio que é roteirista e vive em Londres.

Na segunda etapa, as prateleiras recebem doações dos livros favoritos das pessoas. Na parede, um mural traz um resumo de cada volume escrito pelo doador. Entre os títulos, há obra doada pelo ator Ian McKellen, o Magneto de X-Men e o Gandalf de O Senhor dos anéis.

O mesmo museu foi responsável pela criação de uma caixa de sapatos gigantes na qual os visitantes usavam os sapatos de desconhecidos para se colocar no lugar deles.

 

Foto: Facebook/Reprodução

Foto: Facebook/Reprodução

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments

Ficou bem mais fácil ler quadrinhos no smartphone

0

the-walking-dead-hq-1060x818

Com aprendizagem de máquina, aplicativo do Google sabe dar zoom nos balões de falas

Jean Prado,no Tecnoblog

Para quem lê quadrinhos, é difícil fugir do computador: a tela do smartphone é pequena e o Kindle tira as cores das ilustrações. Mas uma atualização no Google Play Livros deixou essa atividade muito mais simples. Há algum tempo, o aplicativo já havia anunciado a função de rolagem vertical, comum em HQs, mas outro recurso divulgado nesta quinta-feira (21) promete dar zoom nas falas corretas e deixar a leitura mais confortável.

BZ_Justice_League_DC_2016-07No monitor do computador, é fácil ler quadrinhos porque provavelmente a tela já é grande e você consegue dar zoom sem muito esforço. Mas não é nada prático: se você quiser ir para outro lugar, ou ler na cama, terá que ficar com um dispositivo muito maior que um smartphone por perto. Para dar mais mobilidade às suas histórias e resolver esse problema da telinha do smartphone, o Google Play Livros agora incorpora um recurso chamado Bubble Zoom.

Por meio da aprendizagem de máquina, o Bubble Zoom consegue saber onde estão os balões de fala nos quadrinhos e, portanto, ampliá-los pra você. O pensamento é o mesmo por trás do Google Fotos, que consegue identificar rostos e coisas (como uma praia ou um cachorro). Se ele consegue identificar até um abraço (!), por que não saberia onde tem uma fala no quadrinho? O funcionamento você confere na imagem ao lado.

Para aumentar o balão, basta dar um toque na área que você quer ler e pronto. Por ora, apenas alguns volumes da DC e da Marvel serão suportados. Mas a intenção é pegar o maior número de feedbacks possível para aprimorar o recurso e torná-lo disponível em várias outras HQs e até mangás. Quem tem Android já pode usar o recurso na última versão do Play Livros. Por enquanto, não há nenhuma informação quanto a uma atualização para iOS.

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments

11 filmes que vão te ajudar a estudar para o vestibular

0
(Foto: Divulgação) "A Lista de Schindler"

(Foto: Divulgação) “A Lista de Schindler”

 

Quem disse que só dá para estudar com uma apostila?

Publicado na Galileu

Se seus olhos não aguentam mais correr por páginas de conteúdo para o ENEM, não se preocupe. A GALILEU fez uma seleção especial de filmes nacionais e estrangeiros que irão te ajudar a entender melhor vários capítulos dos seus livros de história e geografia.

1. OLGA (2004)

A história de Olga Benário Prestes, alemã judia de orientação comunista. Ela vai a Moscou para um treinamento militar e é enviada ao Brasil com Luís Carlos Prestes para liderar a Intentona Comunista de 1935. A revolta fracassa, e Olga, grávida de sete meses, é deportada pelo governo de Getúlio Vargas para a Alemanha Nazista, onde vai parar em um campo de concentração. Essencial para entender a situação política do Brasil durante a ascenção de Hitler.

2. ADEUS LÊNIN (2004)

A professora Kathrin Sass, moradora da antiga Alemanha Oriental e ferrenha defensora do regime soviético, tem um ataque cardíaco e entre em coma. Nos oito meses que passa desacordada, o Muro de Berlim vai para o chão, a Guerra Fria acaba e a Coca-Cola chega ao lado leste da capital alemã. Alexander, seu filho, sabe que o choque da mudança seria forte demais para a saúde da mãe, e arma uma enorme encenação para que a professora pense que tudo ainda está como antes. Essencial para entender a última grande mudança na geopolítica internacional.

3. O NOME DA ROSA (1986)

A adaptação cinematográfica do livro mais famoso de Umberto Eco, dirigida por Jean-Jacques Annaud, conta a história do frade franciscano Guilherme de Baskerville e seu aprendiz Adson von Melk, que são chamados para desvendar um crime insólito: sete monges foram mortos ao longo de sete dias e sete noites em uma abadia. A história é fictícia, mas a ambientação medieval é precisa, e dá uma ideia excelente do que era a Europa na época.

4. CENTRAL DO BRASIL (1998)

A histórica estação de trem do Rio de Janeiro dá nome ao clássico brasileiro dirigido por Walter Salles, que retrata a história de Dora, uma mulher que trabalha no terminal ferroviário carioca redigindo cartas para pessoas analfabetas. Entre os viagentes que atende, estão Ana e seu filho Josué, do sertão nordestino. Quando Ana morre atropelada ao sair da estação, Dora assume a missão de levar o garoto de volta para casa. O filme faz um retrato socioeconômico do Brasil capaz de gabaritar qualquer prova.

5. LINCOLN (2012)

O drama histórico dirigido por Steven Spielberg narra os últimos meses da vida do 16º presidente americano, quando ele pressionou a Câmara dos Deputados dos Estados Unidos a aprovar uma emenda à Constituição que iria abolir formalmente a escravidão no país. Um capítulo essencial dos livros de história.

6. NASCIDO EM QUATRO DE JULHO (1989)

O soldado americano Ron Kovic, interpretado por Tom Cruise, volta paraplégico da Guerra do Vietnã e se torna um ativista político. A história mostra as condições a que eram submetidos os militares que voltavam debilitados do front e a reação da opinião pública americana à intervenção no sudeste asiático durante a Guerra Fria. Um retrato da turbulência política nos EUA das décadas de 1960 e 1970.

7. CORAÇÃO VALENTE (1995)

O filme dirigido por Mel Gibson conta a história de William Wallace, guerreiro escocês e herói medieval que lutou contra a opressão do rei inglês Eduardo I no século 13. Houve críticas a certas imprecisões históricas no roteiro, mas o longa ainda é uma das melhores formas de conhecer uma operação militar do final da Idade Média.

8. 12 ANOS DE ESCRAVIDÃO

Mais real do que isso, impossível. O filme foi baseado na autobiografia de Solomon Northup, um homem negro que nasce livre no estado de Nova York, no norte dos EUA, mas é capturado e vendido como escravo em Louisiana, onde trabalha por 12 anos. Um aula sobre o país no século XIX, dividido entre o norte progressista e o sul conservador.

9. A LISTA DE SCHINDLER (1993)

A história de Oskar Schindler, empresário alemão que salvou mais de mais de mil judeus durante a Segunda Guerra Mundial contratando-os para trabalhar em sua fábrica. Um clássico essencial para compreender o Holocausto.

10. SPARTACUS (1960)

O escravo que liderou uma revolta contra a decadente República Romana ganha vida nas mãos do diretor Stanley Kubrick. Na história, por sua desobediência, ele é sentenciado a combater como gladiador. Uma ótima alternativa para entender a cultura, a política e os costumes romanos na virada para o Império.

11. GANDHI (1982)

O filme biográfico épico narra a vida de Gandhi, que liderou o movimento de desobediência civil não-violenta na defesa da independência da Índia, que passou a primeira metade do século XX como colônia britânica. A direção de Richard Attenborough rendeu ao filme oito Oscars, incluíndo o de melhor filme.

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments

Go to Top