Passageiro clandestino – Diário de vida

Companhia das Letras publicará mais dois livros da série Millennium

0

386063.jpg-c_620_260_x-f_jpg-q_x-xxyxx

Fábio Mourão, no Dito pelo Maldito

Depois de “A Garota na Teia de Aranha”, quarto livro da série Millennium publicado em agosto do ano passado, o jornalista sueco David Lagercrantz escreverá mais dois romances policiais. A Companhia das Letras comprou os direitos das continuações, que devem ser lançadas em 2017 e 2019, respectivamente.

“A Garota na Teia de Aranha” ficou entre os 12 livros mais vendidos no Brasil em 2015, na categoria Ficção. A trama, que traz novamente à cena a hacker Lisbeth Salander e o jornalista Mikael Blomkvist, envolve uma conspiração internacional e a agência de segurança norte-americana.

A Garota na Teia de Aranha – Vol.4 – Série Millennium

milennium livro 4Lisbeth Salander e Mikael Blomkvist estão de volta na aguardada e eletrizante continuação da série Millennium. Neste thriller explosivo, a genial hacker Lisbeth Salander e o jornalista Mikael Blomkvist precisam juntar forças para enfrentar uma nova e terrível ameaça. É tarde da noite e Blomkvist recebe o telefonema de uma fonte confiável, dizendo que tem informações vitais aos Estados Unidos. A fonte está em contato com uma jovem e brilhante hacker – uma hacker parecida com alguém que Blomkvist conhece.

As implicações são assombrosas. Blomkvist, que precisa desesperadamente de um furo para a revista Millennium, pede ajuda a Lisbeth. Ela, como sempre, tem objetivos próprios. Em A Garota na Teia de Aranha, a dupla que já arrebatou mais de 80 milhões de leitores em Os homens que não amavam as mulheres, A menina que brincava com fogo e A rainha do castelo de ar se encontra de novo neste thriller extraordinário e imensamente atual. David Lagercrantz nasceu na Suécia, em 1962. Jornalista, romancista e biógrafo premiado, Lagercrantz foi escolhido para continuar as aventuras de Lisbeth Salander e Mikael Blomkvist (Editora Companhia das Letras)

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments

11 citações de Jane Austen que provam que ela era a Rainha da Insolência

0
Filme Become Jane, 2007 (Miramax)

Filme Become Jane, 2007 (Miramax)

 

Publicado no Escritoras Inglesas

Até Jane Austen tinha seus críticos. Mark Twain, por exemplo, não era um fã (certa vez, ele disse “toda vez que leio Orgulho e Preconceito, me dá vontade de desenterrá-la e acertar o crânio dela com sua própria tíbia”). Por outro lado, Harper Lee admirava Austen, dizendo que “em outras palavras, tudo o que quero ser é a Jane Austen do sul do Alabama”. Charlotte Brontë definitivamente não era uma fã e já disse que “dificilmente eu gostaria de viver com suas senhoritas e cavalheiros em suas casas elegantes, mas restritas”, entre outras críticas. Virginia Woolf explicou suas opiniões sobre Jane Austen dizendo que havia “muito pouco de rebeldia em sua composição, muito pouco descontentamento”.

Pessoalmente, tenho que descordar da última afirmação. Em primeiro lugar, não posso evitar notar o humor oculto e as duras críticas que permeiam a sua obra (embora frequentemente as deixem passar por causa do sr. Darcy). Em segundo lugar, se ler suas cartas, você vai ver que Jane Austen era a rainha da insolência. Ela deu um bom uso ao seu humor afiado e ela foi, basicamente, a definição de “ignorar os haters”. Acha que Jane Austen era toda histórias de amor e citações românticas? Escolha uma de suas cartas e você encontrará uma história bem diferente.

A propósito, como vou deixar a juventude, acho muito gratificante ser uma espécie de acompanhante (em bailes), porque sou colocada no assento perto do fogo e posso beber o tanto de vinho que eu quiser”. Carta de 6 de novembro de 1813 sobre envelhecer.

Não vou dizer que suas amoreiras estão mortas, mas receio que não estão vivas”. Carta de 3 de maio de 1811 sobre suas habilidades de jardinagem.

Pensarei com delicadeza e prazer no belo e sorridente semblante dele e em seus modos interessantes, em uns anos, o terei transformado em um rapaz incontrolável e descortês”. Carta de 27 de outubro de 1798, sobre o seu sobrinho de 3 anos de idade.

Não gosto das srtas. Blackstones; de fato, sempre fui determinada a não gostar delas então não há menos virtude nisso”. Carta de 8 de Janeiro de 1799 sobre não gostar das pessoas.

Na próxima semana, devo começar a trabalhar no meu chapéu, no que você sabe que minhas principais chances de felicidade dependem”. Carta de 27 de outubro de 1798 sobre a importância dos chapéus.

“Seu silêncio sobre o assunto do baile me faz supor que sua curiosidade é muito grande para caber em palavras”. Carta de 24 de janeiro de 1809 sobre a importância dos bailes.

Enviei minha resposta… a qual escrevi com muito esforço, porque era rica e ricos são sempre respeitáveis, qualquer que seja seu estilo de escrita”. Carta de 20 de junho de 1808 sobre classe e poder.

Ben e Anna vieram aqui… e ela estava tão bela, foi um tanto prazeroso vê-la, tão jovem, tão florescente e tão inocente, como se ela nunca tivesse tido um pensamento mau na vida, e ainda assim há razão em supor que ela já teve, se acreditasse no pecado original”. Carta de 20 de fevereiro de 1817 sobre as aparências enganarem.

“… que ótimo a sra. West pudesse ter escrito tais livros e reunido tantos trabalhos difíceis, com todo o cuidado de sua família, é de se admirar! Escrever parece impossível para mim com a cabeça cheia de juntas de carneiro e doses de rubarbo”. Carta de 8 de setembro de 1816 sobre a sra. West que, aparentemente, não é muito brilhante.

Ele e eu não devíamos concordar minimamente, é claro, em nossas ideias de romances e heroínas – retratos da perfeição, como você sabe, deixam-me doente e má”. Carta de 23 de março de 1817 sobre a importância de heroínas imperfeitas.

Não quero que as pessoas sejam muito agradáveis, isso me poupa o trabalho de gostar muito delas”. Carta de 24 de dezembro de 1798 sobre gostar das pessoas.

Fonte: Bustle

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments

5 formas de estimular a socialização em sala de aula

0
Fonte: Shutterstock

Fonte: Shutterstock

 

Professor: entenda como pode fazer com que os estudantes sociabilizem mais entre si

Publicado no Universia Portugal

Além de fazer com que os alunos entendam e aprendam os conteúdos ministrados em sala de aula, é importante que os docentes percebam a importância de fazer com que os estudantes socializem entre si, principalmente quando são mais novos. A sala de aula é o primeiro ambiente no qual as pessoas têm a experiência de interação com as outras e onde é estabelecida uma micro sociedade. Por isso, veja como pode fazer com que os seus alunos socializem uns com os outros:

1 – Agende uma aula externa
Principalmente por causa da tenra idade, sair da rotina pode ser algo muito proveitoso para a aprendizagem. Escolha um tema para a aula e convide os alunos para aprenderem num local diferente como, por exemplo, o jardim da escola ou mesmo em alguma outra área de lazer.O clima de descontração faz com que os alunos conversem mais entre si e sociabilizem melhor.

2 – Escolha um dia para passar um filme
Selecione um filme que acredite ser importante para os estudantes, convide-os a assistir no período da aula e abra um debate, para que comentem as perceções que tiveram sobre a obra. Desta forma, fará com que conheçam melhor o gosto uns dos outros, facilitando a aproximação entre eles.

3 – Crie um clube do livro
Os livros são objetos que podem gerar grande empatia entre os estudantes. Por isso, uma boa ideia pode ser criar um clube do livro com os alunos que se interessam muito pela leitura. Além aumentar a expressividade pessoal sobre os mais variados assuntos, eles serão capazes de aumentar a capacidade de argumentação e também de ouvir pontos de vista diferenciados. Vai perceber que aqueles alunos que têm gostos similares provavelmente vão criar um laço maior.

4 – Planeje passeios extracurriculares
Devido à importância da socialização, reserve algumas datas do calendário escolar para propor passeios diferentes, que não estejam necessariamente ligados a um conteúdo da sala de aula. Os parques de diversões ou um passeio ao zoológico, podem ser excelentes sugestões, que podem permitir que os estudantes fiquem mais tempo juntos e que se sintam bem com isso.

5 – Estimule competições saudáveis
Crie pequenos campeonatos envolvendo o conteúdo programático para que estimule o trabalho em equipa e a colaboração mútua. Além de ser uma atividade completamente lúdica, faz com que os alunos se dediquem mais, já que todos querem ganhar o prémio final da competição. Devido à diversão por detrás da brincadeira, a aprendizagem torna-se mais rápida eficaz e duradoura.

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments

JK Rowling expande o universo de Harry Potter com quatro novas escolas de feitiçaria

0

7048

Publicado no Filmspot

Em novembro chega mais um filme com base nas personagens e no universo criado por JK Rowling. Antes da estreia de “Monstros Fantásticos e Onde Encontrá-los” (Fantastic Beasts and Where to Find Them) a autora britânica decidiu brindar os fãs com uma revelação: no total existem onze grandes escolas de feitiçaria espalhadas pelo mundo.

Em “Harry Potter e o Calice de Fogo” foram apresentadas Durmstrang, do norte da europa, e a francesa Beauxbatons, numa competição contra a britânica Hogwarts. Agora, ficamos a conhecer mais quatro instituições localizadas no Brasil, Estados Unidos da América, Japão e África.

Aqui ficam as apresentações das novas escolas:

7047

Castelobruxo

É a escola brasileira, localizada nas profundezas da floresta tropical, num templo em ruínas que oculta um enorme edifício coberto de ouro, vigiado por espíritos peludos e imprevisíveis conhecidos por Caiporas.

Os estudantes usam vestes de cor verde e as suas especialidades são a Herbologia e a Magizoologia.

7046

Mahoutokoro

É a escola japonesa e de todas a que aceita uma menor quantidade de alunos. Fica no topo da ilha vulcânica de Minami Iwo Jima num palácio de jade.

As vestes que usam mudam de cor consoante o progresso na aprendizagem. Outras características importantes de Mahoutokoro incluem severas punições para quem seja apanhado a usar Magia Negra e o facto de incluir um dos mais exigentes terrenos para a prática do Quidditch, o desporto criado por Rowling e que aparece com frequência nos livros e filmes.

7045

Uagadou

A escola africana é uma das maiores e mais antigas. A sua localização precisa é desconhecida, sabe-se apenas que foi esculpida na encosta de uma montanha e que está permanentemente envolta em neblina, dando a impressão de flutuar.

São especialistas em astronomia, alquimia e transfiguração e os seus alunos chegam a desprezar o uso de varinhas, realizado feitiços apenas com gestos das mãos.

7044

Ilvermorny

Sabe-se apenas que é a escola norte-americana. Mais informações surgirão provavelmente em “Monstros Fantásticos e Onde Encontrá-los”, passado em grande parte nos EUA.

Para um futuro próximo fica também a revelação do locais e nomes das restantes quatro escolas anunciadas no site Pottermore.

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments

“Animais Fantásticos e Onde Habitam” ganha vídeo com cenas inéditas

0
animais-fantasticos-e-onde-habitam-14nov2015-1-696x464

Eddie Redmayne em “Animais Fantásticos e Onde Habitam” (Reprodução/Internet)

 

Wesley Pego, no Registro Pop

“Animais Fantásticos e Onde Habitam”, o novo filme baseado no universo de Harry Potter, ganhou um novo vídeo com cenas inéditas e entrevistas com a equipe de produção do longa.

O filme, que será uma adaptação do livro didático de mesmo nome, usado por Harry e seus amigos em Hogwarts, irá se passar 70 anos antes dos acontecimentos de “Harry Potter e a Pedra Filosofal” e irá contar a história de Newt Scamander e como ele conseguiu catalogar todas as criaturas fantásticas deste universo.

“Animais Fantásticos e Onde Habitam” é o primeiro filme de uma possível trilogia e será roteirizado por J.K. Rowling, criadora dos livros de Harry Potter. O filme será dirigido por David Yates, que dirigiu os quatro últimos filmes da franquia de bruxaria.

Estão no elenco nomes como Eddie Redmayne (que fará o protagonista), Katherine Waterston, Ezra Miller, Alison Sudol, Colin Farrell, Dan Fogler, entre outros.

O filme estreia dia 17 de Novembro de 2016.

Confira o vídeo:

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments

Go to Top