Orgulho & Preconceito

Você se considera uma pessoa desorganizada? Entenda como isso afeta seus estudos

0

06- amo-direito-post-desorganização

Publicado no Amo Direito

Se você é uma pessoa desorganizada, é muito possível que já tenha levado broncas da sua mãe pedindo para que você arrumasse seu quarto, por exemplo. Por mais que você acredite que ser desorganizado não atrapalha em nada a vida, não ter o hábito de arrumar as suas coisas pode influenciar negativamente os seus estudos.

O primeiro efeito prejudicial da sua desorganização nos estudos é na hora de procurar por coisas importantes. Se você procura por uma folha importante que o professor passou e não encontra, é bem provável que esse problema tenha sido causado por você não ter organizado o seu material.

Para resolver essa questão, existem duas possibilidades. A primeira é realizar uma limpeza no final de cada bimestre. Geralmente as instituições de ensino costumam dar as suas provas a cada dois meses e no final desse período o conteúdo é atualizado e outros assuntos são abordados. Por isso, esse é o momento perfeito para se desfazer de coisas que só irão ocupar espaço nos seus armários.

Outra solução é ter pastas divisórias. Elas são baratas e podem ser encontradas em qualquer papelaria. Crie uma divisão para cada matéria, ou professor, e sempre coloque as folhas nas pastas. Além de armazenar tudo que for importante, você não corre o risco e perder o seu material.

O segundo efeito prejudicial da desorganização é no seu próprio quarto. Se você possui o hábito de estudar no seu quarto, o ambiente desorganizado pode diminuir muito a eficiência dos seus estudos.

Ambientes limpos e organizados, além de serem mais agradáveis para o cérebro, também oferecem menos riscos de diminuir a sua concentração. Além disso, um quarto arrumado facilita na hora de encontrar livros e textos na hora dos estudos. Se você fica muito tempo procurando o material necessário para estudar, você perde o foco e prejudica o aprendizado.

Por fim, a desorganização também pode afetar diretamente na entrega de trabalhos. Se você não tem o costume de anotar os dias para entregar os seus trabalhos, você se perde e pode até esquecer que deveria ter feito a tarefa.

Por isso, é essencial que você tenha sempre uma agenda com você, ou pelo menos comece a anotar esses compromissos no calendário do celular. Existem diversos aplicativos que podem ajudá-lo a não esquecer as suas tarefas e organizar as suas pendências. Se você não possui um smartphone, utilize a maneira mais clássica para não esquecer coisas: cole post-its em lugares que você costuma olhar.

Seguindo essas dicas, a desorganização será um problema menos sério para a sua vida estudantil e não prejudicará o seu desempenho. Bons estudos!

Fonte: noticias universia

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments

Pegue livros emprestados com desconhecidos pelo Bookshare

0
Merixon via Visualhunt.com / CC BY-NC-SA

Merixon via Visualhunt.com / CC BY-NC-SA

Bianca Bellucci, no 33Giga

O Bookshare é uma rede social que segue os princípios da economia colaborativa (conheça outros aqui). Nela, o usuário pode emprestar livros que estão encostados em sua prateleira e aproveitar para ler aqueles que sempre teve vontade, mas, por algum motivo, nunca tinha tido a oportunidade de degustar. E, o melhor, todo esse processo é feito de graça.

Na prática, o internauta acessa o site e procura por um livro. A busca pode ser feita pelo nome, autor ou a categoria do conteúdo. Ao encontrá-lo, o usuário manda uma solicitação de empréstimo para o proprietário, que receberá em seu e-mail o pedido junto com o perfil do interessado. Cabe ao dono decidir se o produto será emprestado ou não.

Caso o proprietário autorize o compartilhamento, ambas as partes combinam por e-mail a entrega do livro. Vale ressaltar que o procedimento é feito pessoalmente. O local e horário são decididos entre os dois. Assim, na hora de procurar pelo produto, certifique-se de que o proprietário encontra-se perto à sua casa.

Com o livro em mãos, o usuário passará a receber notificações em seu perfil no Bookshare sobre seu prazo. Quando o tempo estiver acabando, novamente a dupla combinará o dia e horário da devolução. Ao receber o produto de volta, o proprietário poderá avaliar e informar publicamente se o interessado cuidou corretamente do livro ou não.

Lançado em 2007, hoje o Bookshare possui cerca de 1.790 livros cadastrados em seu sistema e separados em 34 categorias. O serviço pode ser utilizado por usuários a partir de 13 anos – com a supervisão dos responsáveis, claro.

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments

Garoto autista lê livros para cães em abrigo nos Estados Unidos

0

As visitas semanais são importantes para o garoto e os cachorros se sentirem mais confiantes.

Karina Sakita, no Portal do Dog

Há mais de um ano, um garoto de seis anos chamado Jacob visita os cachorros de um abrigo toda semana.

O menino senta na frente do canil e lê livros para os cães do Carson Animal Shelter, em Los Angeles. Um gesto simples e que pode parecer sem sentido para algumas pessoas, mas que traz benefícios para todos os envolvidos.

Jacob lê livros para os cães. (Foto: Reprodução / The Dodo)

Jacob lê livros para os cães. (Foto: Reprodução / The Dodo)

 

Os animais tímidos e assustados acabam se sentindo mais confiantes para sair de seus “esconderijos” e mostrar como podem ser dóceis. Isso aumenta suas chances de adoção.

Jacob costumava ser muito sensível a barulhos, mas essa convivência com os cachorros do abrigo fizeram bem para ele. O fato de alguns cães latirem enquanto o garoto lê, fez com que ele aprendesse a lidar com as distrações em seu cotidiano.

Essas visitas são importantes para Jacob e para os cães. (Foto: Reprodução / The Dodo)

Essas visitas são importantes para Jacob e para os cães. (Foto: Reprodução / The Dodo)

 

Fonte: The Dodo

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments

15 filmes melhores que os livros que os inspiraram

0

 

A rede social

publicado na Super

A REDE SOCIAL

David Fincher, 2010 – baseado em The Accidental Billionaires, de Ben Mezrich

A obra de Ben Mezrich sobre a criação do Facebook parece uma versão em livro dos tabloides ingleses: é cheio de fofoca, dados não confirmados e sensacionalismo. Mas o filme de Fincher supera os pontos fracos do escritor, revelando toda a complexidade do Cidadão Kane moderno que pode haver em Mark Zuckerberg.

TROPA DE ELITE

José Padilha, 2007 – baseado em Elite da Tropa, de Luiz Eduardo Soares, André Batista e Rodrigo Pimentel

Dois ex-policiais e um antropólogo se uniram para escrever sobre o Bope, o esquadrão de elite da PM do Rio de Janeiro, uma tropa aparentemente incorruptível e extremamente violenta. O livro vendeu bem, mas sua adaptação para o cinema voou mais longe. O filme de Padilha criou um dos personagens mais icônicos da cultura nacional recente, o Capitão Nascimento, e ainda faturou o Leão de Ouro no Festival de Berlim.

TRAINSPOTTING

Danny Boyle, 1996 – baseado no livro homônimo de Irvine Welsh

O filme de Boyle foi o grande trampolim da carreira do escritor Irvine Welsh, que virou cult depois que a história de um grupo de viciados ganhou as telas do planeta. “Eu gosto mesmo do filme. Não só porque me encheu de dinheiro”, afirma o autor em seu site. Tá…

FORREST GUMP

Robert Zemeckis, 1994 – baseado no livro homônimo de Winston Groom

Você leu Forrest Gump? Nem eu. Nem quase ninguém tinha lido até que Robert Zemeckis decidisse adaptar sua história para um filme vencedor de seis Oscars. Depois da “carona” de Tom Hanks, o livro não parou mais nas prateleiras – e vendeu mais de 1,7 milhão de cópias no mundo todo.

O SILÊNCIO DOS INOCENTES

Jonathan Demme, 1991 – baseado em The Silence of the Lambs, de Thomas Harris

Ok, o livro também é bom. Segunda obra sobre o psicopata canibal Hannibal Lecter (o primeiro foi Dragão Vermelho), O Silêncio dos Inocentes recebeu elogios dos críticos. Mas não dá para competir com o filme. A produção com Anthony Hopkins é até hoje um dos únicos três filmes da história a ganhar todos os cinco Oscars principais: melhor filme, diretor, ator, atriz e roteiro.

BLADE RUNNER, O CAÇADOR DE ANDROIDES

Ridley Scott, 1982 – baseado em Do Androids Dream of Electric Sheep?, de Philip K. Dick

Apesar de ter vivido sempre com dificuldade para pagar as contas, Philip K. Dick teve vários de seus livros de ficção científica adaptados para o cinema – só que quase todos depois que ele morreu. A única adaptação que ele pôde acompanhar foi a de Blade Runner – que ele aprovou, mas… teve um derrame fulminante antes que o filme fosse lançado. E não aproveitou o tutu advindo daí.

TOURO INDOMÁVEL

Martin Scorsese, 1980 – baseado na biografia Raging Bull: My Story, do lutador Jake LaMotta

Não dava para esperar muito de um livro escrito por um pugilista, o peso-médio conhecido como “o touro do Bronx”. Mas Martin Scorsese, alertado pelo amigo Robert De Niro, viu ali todo o drama de um campeão derrotado pela própria personalidade violenta e paranoica. E criou um dos maiores clássicos dos filmes de boxe.

O ILUMINADO

Stanley Kubrick, 1980 – baseado em The Shining, de Stephen King

Em 1974, Stephen King e sua esposa se hospedaram num hotel quase deserto no Colorado. De hóspedes mesmo, só eles. A experiência insólita lhe deu a ideia para escrever O Iluminado, um trabalho desaconselhado pelo seu editor, que não queria que King ficasse rotulado como autor de um gênero só. Mas o livro foi adiante, virou filme de terror e transformou o personagem de Jack Nicholson numa lenda pop.

TUBARÃO

Steven Spielberg, 1975 – baseado em Jaws, de Peter Benchley

Apesar do sucesso comercial, o livro de Peter Benchley não agradou à crítica, que via problemas na prosa e na caracterização dos personagens. Mas Steven Spielberg gostou, e é isso que importa, certo? Com os direitos de adaptação em mãos, o diretor criou o segundo melhor thriller da história do cinema, segundo o American Film Institute.

LUA DE PAPEL

Peter Bogdanovich, 1973 – baseado em Addie Pray, de Joe David Brown

Joe David Brown foi um escritor de livros que viraram filmes – não muito bem-sucedidos. Isso até que o diretor Peter Bogdanovich (de O Homem Elefante) resolvesse adaptar o último romance do escritor, Addie Pray, sobre a parceria entre um trambiqueiro e uma menininha durante a Grande Depressão. O filme foi um sucesso, deu um Oscar à pequena Tatum O’Neal, e a editora tratou logo de mudar o nome do livro, adotando o título do filme (Paper Moon, no original).

O PODEROSO CHEFÃO

Francis Ford Coppola, 1972 – baseado em The Godfather, de Mario Puzo

O próprio Mario Puzo admitia: seu livro sobre o clã Corleone não era a melhor coisa que ele já tinha escrito. Só topou falar de máfia porque devia a todo mundo, e a editora acreditava que uma história de gângsteres podia render um dinheirinho. Dinheirão! A encomenda virou best-seller e a Paramount comprou os direitos para adaptação – que se tornou um dos melhores filmes de todos os tempos.

A PRIMEIRA NOITE DE UM HOMEM

Mike Nichols, 1967 – baseado em The Graduate, de Charles Webb

Sucesso mundial e que rendeu um Oscar de melhor diretor a Mike Nichols, o filme não foi tão generoso assim com o autor do livro que o inspirou. Charles Webb não ganhou porcentagem da bilheteria milionária da produção e, ao longo da vida, já teve de lavar prato e administrar um campo de nudistas para fazer uns trocados.

DR. FANTÁSTICO

Stanley Kubrick, 1964 – baseado em Red Alert, de Peter George

Longe do humor negro da comédia de Kubrick, o livro que lhe serviu de inspiração tinha um tom bem mais solene. Afinal, falava do risco de qualquer bobagem servir de motivo para o desenlace de uma guerra nuclear. Assunto sério, certo? Mas ficou muito melhor com Peter Sellers fazendo graça sobre o apocalipse no cinema.

O SATÂNICO DR. NO

Terence Young, 1962 – baseado em Dr. No, de Ian Fleming

Ian Fleming inspirou-se no próprio passado no serviço de inteligência da Marinha britânica, durante a 2ª Guerra, para escrever sobre o espião James Bond. Foram, ao todo, 14 livros com as aventuras de 007 – uma série cujo maior mérito sempre esteve nas telas.

PSICOSE

Alfred Hitchcock, 1960 – baseado em Psycho, de Robert Bloch

Inspirado no psicopata Ed Gein, que costurava a pele de suas vítimas para fazer roupa de mulher e ficar parecido com a própria mãe, o livro de Robert Bloch acabou caindo nas graças do mestre do suspense. Tanto que, para que ninguém adaptasse a obra primeiro, Hitchcock comprou todos os exemplares que haviam nas livrarias. E baseou sua obra-prima do terror na história do atormentado Norman Bates.

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments

A Torre Negra: Stephen King fala sobre diferenças entre livro e adaptação para os cinemas

0

594396

Longa-metragem terá Idris Elba e Matthew McConaughey nos papéis principais.

João Vitor Figueira, no Adoro Cinema

O escritor Stephen King falou sobre o que os fãs podem esperar na adaptação para os cinemas de uma de suas obras mais celebradas, a série de livros A Torre Negra.

Em entrevista para a Entertainment Weekly, o autor afirmou que “espera que o filme comece onde os livros começam”, mas assumiu que algumas diferenças serão percebidas.

“Vocês sabem: O Homem de Preto está em fuga pelo deserto e o Pistoleiro o segue. Eu acho que isso o correto. Eu fui muito insistente nesse assunto e acho que todo mundo concorda comigo”, afirmou o escritor americano, que publicou os oito livros da série A Torre Negra entre 1982 e 2012.

A trama, que une faroeste, aventura, terror e fantasia, é ambientada em um mundo pós-apocalíptico, acompanhando o protagonista Roland Deschain, o Pistoleiro, que percorre um mundo desolado em busca da famosa e mítica Torre Negra. A torre é um destino sobrenatural que corre o risco de desaparecer em breve. Em sua jornada, Deschain terá de lidar com as armadilhas do Homem de Preto, vilão da trama. Deschain será interpretado por Idris Elba e o Homem de Preto será vivido por Matthew McConaughey.

A Torre Negra é baseado, principalmente, no primeiro livro da série, “A Torre Negra: O Pistoleiro”, de 1982, mas terá referências a eventos de outros livros da saga.

Segundo o autor, a versão para os cinemas tomará algumas liberdades em relação ao seu texto no que se refere à estrutura da narrativa. “O filme meio que começa in medias res, no meio da história, ao invés de começar pelo começo, o que pode irritar um pouco alguns fãs. Mas eles vão apoiar isso, porque esta é a história”.

Com direção de Nikolaj Arcel, o filme conta com Abbey Lee, Jackie Earle Haley, Tom Taylor, Katheryn Winnick e Michael Barbieri no elenco.

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments

Go to Top