Sua Segunda Vida Começa Quando Você Descobre Que Só Tem Uma

Posts tagged ajudar

Geladeiras viram bibliotecas públicas para compartilhar leitura de livros em Macapá

0
50 'galadeirotecas' serão espalhadas em espaços públicos de Macapá com livros à disposição (Foto: Paulo Rocha/Fumcult)

50 ‘galadeirotecas’ serão espalhadas em espaços públicos de Macapá com livros à disposição (Foto: Paulo Rocha/Fumcult)

Rita Torrinha, no G1

Uma campanha intitulada “Doe Livros, Compartilhe Leitura!” pede doação de títulos de literatura infanto-juvenil, adulto e revistas em quadrinhos. O acervo vai ser usado no projeto “Geladeiroteca”, que transformam geladeiras sem uso em bibliotecas. Elas serão colocadas em áreas de lixeiras viciadas, Unidades Básicas de Saúde (UBSs), praças e outros espaços inusitados de Macapá.

O lançamento da campanha será em outubro, mas ainda não foi informada a data. As geladeiras serão preenchidas com livros e ficarão à disposição das pessoas, que podem escolher, ler e, se quiserem, até levar para casa. A iniciativa é da Fundação Municipal de Cultura (Fumcult), que quer incentivar o hábito da leitura, ampliar o acesso aos livros e ajudar o meio ambiente.

Para conseguir fornecer o maior número possível de livros para a população, é preciso reunir um acervo grande. Por isso, mesmo antes do lançamento oficial, os interessados em apoiar a campanha podem levar doações ao prédio da fundação, localizada na Rua Eliezer Levy, com a Avenida Mendonça Furtado.

O uso de geladeiras como bibliotecas não é inédito no Brasil. Já existe em cidades como Goiânia, Florianópolis e Cuiabá, e nesses lugares o projeto virou referência.

Em Macapá, o projeto iniciará com 50 “geladeirotecas”. Elas foram confeccionadas após serem encontrados em lixeiras públicas ou doadas por pessoas que pretendiam descartá-las, como conta o diretor-presidente da Fumcult, Sérgio Lemos.

Para ajudar, a população pode doar gibis, revistas e livros de literatura (Foto: Paulo Rocha/Fumcult)

Para ajudar, a população pode doar gibis, revistas e livros de literatura (Foto: Paulo Rocha/Fumcult)

“Provavelmente o destino dessas geladeiras seria o ferro velho ou simplesmente iam continuar sendo mais um volume nas problemáticas lixeiras. Mais de 20 delas nós encontramos no lixo, durante ações de limpeza da prefeitura. As demais recebemos de pessoas conhecidas que iriam jogá-las fora”, conta.

Ainda de acordo com o titular da pasta, a instalação dessas geladeiras funcionará de forma rotativa, para que alcance maior público.

A intenção é que as pessoas se deparem com elas e se surpreendam, tenham curiosidade de pegar livros, de lê-los e de ajudar a cuidar do espaço onde estará a biblioteca inusitada. A previsão é que elas comecem a circular pela cidade em dezembro.

Estudante, confira 5 ótimas dicas para que você consiga estudar muito melhor

0

direito-oab-concursos-5-dicas-simples

Publicado no Amo Direito

Para muita gente, estudar é um verdadeiro prazer. No entanto, para a grande maioria, essa atividade é sinônimo de tortura, e só o fato de pensar em ter que passar várias horas na companhia de livros e anotações já é um sofrimento. Para essa turminha, o pessoal do site For Dummies publicou algumas dicas simples que podem tornar as horas de estudo menos penosas. Confira a seguir:

1 – Prepare-se mentalmente
Pense em como você se prepara para fazer algo que realmente gosta, como assistir a filmes ou jogar o seu game favorito, por exemplo. Como você prepara o ambiente? Qual é a postura que você adota? Costuma deixar comidinhas e quitutes por perto para não ter que interromper a sua atividade toda hora para buscá-los?

A ideia é que você “empreste” algumas dessas ações que você normalmente realiza enquanto está se dedicando à sua atividade favorita para tornar uma experiência desagradável — neste caso, estudar — menos chata, por associação. Além disso, um ambiente agradável pode ajudar você a se sentir melhor mentalmente, portanto o espaço no qual você vai estudar não precisa ser austero nem parecer uma estação de trabalho.

2 – Conheça o seu ritmo
A verdade é que não existe um ritmo ideal, e cada um estuda — e progride — à sua maneira. O importante é conhecer qual é o seu, e lembrar que, se você é mais minucioso e leva mais tempo para estudar, vai ter que reservar um período maior para essa atividade.

Mas, independente de que você precise de muito ou pouco tempo ou tenha mais ou menos disponibilidade na sua agenda, não se esqueça de que fazer pequenos intervalos é superimportante. Portanto, você pode estabelecer “recreios” — como 10 minutinhos a cada meia hora de trabalho, por exemplo — durante as sessões de estudo, além de se dar pequenos agradinhos de prêmio por ter se concentrado na sua atividade.

3 – Tire proveito da sua memória
Saber como a memória humana funciona pode ajudar bastante nessas horas. Estudos já demonstraram que, no caso de um texto, por exemplo, as pessoas se lembram melhor das primeiras e das últimas coisas que leram, tendo mais dificuldade para recordar claramente o conteúdo do “meio”. O mesmo ocorre com atividades realizadas no decorrer do dia.

E não adianta querer mudar isso, pois os nossos cérebros estão programados para processar as informações dessa forma. Então, para tirar o maior proveito disso na hora de estudar, tente organizar o conteúdo de forma que as questões mais importantes fiquem concentradas no começo e no final da sua sessão de estudos.

4 – Planejamento
Independente de que você tenha que estudar para uma prova supercomplexa ou para algo mais simples e menos dispendioso, é sempre bom ter um plano de como você vai fazer para se preparar. Uma forma de fazer isso é dividir o conteúdo total em blocos menores, que podem ser os diferentes tópicos do assunto que você está estudando.

Isso pode ajudar com que você perceba com mais facilidade os elementos mais importantes do texto, além de memorizar palavras ou aspectos-chave. Com esse método, você pode utilizar esses bloquinhos de informação para criar uma base de dados mental que pode ser acessada quando você precisar. Aqui também vale aquela velha técnica de relacionar termos complicados a palavras e frases engraçadas para aguçar a memória.

5 – Mapa mental
Criar diagramas também pode ajudar você a memorizar informações mais facilmente. Assim, a partir de um conceito principal, relacione os aspectos menos importantes progressivamente através de mapinhas, criando subcategorias. Nelas, você pode incluir qualquer termo ou ideia que considere importante, contanto que o conjunto ajude você a organizar melhor as informações.

Os mapas mentais — ou diagramas — são simples e fáceis de criar, e você vai perceber que eles são muito mais eficientes do que as listas convencionais. Eles podem ajudá-lo a se lembrar de um volume maior de informações, devido à forma como foram criados, seguindo uma linha específica de raciocínio. Tente fazer um na próxima vez que tiver que estudar para uma prova de História, por exemplo!

Fonte: megacurioso

Universitária vende balas no ônibus para pagar faculdade e ajudar a família

0
Alessandra com o gancho de doces que pesa 60 quilos Foto: Cíntia Cruz / Extra

Alessandra com o gancho de doces que pesa 60 quilos Foto: Cíntia Cruz / Extra

Cintia Cruz, no Extra

“Qualquer saco de doce por apenas R$1! Come ele, come ela, come até minha avó que é banguela!”. É com esse bom humor que a vendedora ambulante Alessandra Murilo Batista, de 24 anos, divulga os doces que vende diariamente em algumas linhas de ônibus em Nova Iguaçu. E também é com humor que ela enfrenta a rotina pesada de trabalhar nove horas por dia na rua, carregando um gancho de 60 quilos. Todo esse sacrifício tem uma finalidade. Além de sustentar a casa onde mora com os pais, no bairro Nova Aurora, Alessandra paga o curso de Logística no Centro Universitário Uniabeu, em Belford Roxo. Depois da maratona de vendas, ela é universitária do último período no turno da noite.

— Comecei a trabalhar com 7 anos. Meu pai limpava valão pela prefeitura, mas se acidentou e ficou encostado sem receber. Vi que a situação apertou e comecei a catar ferro velho para vender. À tarde, ia para a escola — lembra a jovem.

Depois disso, ela trabalhou em lojas, lanchonete e em quiosque na praia. Até que decidiu trabalhar por conta própria. Com a mãe, vendia água e doces nas ruas de Nova Iguaçu. Mas nunca parou de estudar:

— Sempre quis ser marinheira. Fiz a prova três vezes e quase passei na última. Vi na Logística uma forma de entrar para a Marinha. Mas quando comecei a faculdade, me apaixonei pelo curso. A Logística sempre esteve na minha vida, porque eu me organizo, faço planilhas e vejo quanto tempo o estoque de doces vai durar, por exemplo.

Alessandra na biblioteca da faculdade, onde costuma estudar antes da aula Foto: Cíntia Cruz / Extra

Alessandra na biblioteca da faculdade, onde costuma estudar antes da aula Foto: Cíntia Cruz / Extra

O início do curso foi difícil. Vencida pelo cansaço, ela chegava a cochilar nas aulas, que iam até as 22h, mas depois se adaptou à rotina. Passou a gravar as aulas e ouvir nos ônibus, enquanto vendia. Hoje, os planos de Alessandra são outros: trabalhar como despachante aduaneira.

Por enquanto, ela tenta intensificar suas vendas, que diminuíram porque os motoristas foram proibidos de levar ambulantes. Ela divide o ponto de vendas com outros 11. Mas apenas três motoristas têm levado os vendedores.

Alessandra em visita técnica da turma da faculdade ao Porto do Rio Foto: Divulgação / Uniabeu

Alessandra em visita técnica da turma da faculdade ao Porto do Rio Foto: Divulgação / Uniabeu

Sem revelar quanto lucra, ela prefere falar em número de saquinhos vendidos:

— Minha meta é vender 50 saquinhos de bala por dia. Aos sábados, começo às 8h, sem hora de parar. Depois, vou comprar mais doces na Central.

Alessandra confessa que vai sentir saudades quando parar de trabalhar na rua.

— É um trabalho como outro qualquer. Não é legalizado, mas é organizado. Às vezes, sirvo até como psicóloga para as amigas motoristas — brinca.

Os 23 melhores livros de desenvolvimento pessoal para ler antes dos 23 anos

0
  Fonte: Shutterstock

Fonte: Shutterstock

 

Estas obras podem ajudar no aperfeiçoamento de habilidades e na superação de desafios

Publicado no Universia Portugal

A leitura faz parte do crescimento de uma pessoa. Alguns livros podem auxiliar no aperfeiçoamento de habilidades e na superação de desafios. Conheça uma lista de 23 livros que ajudam no desenvolvimento pessoal para ler antes dos 23 anos – a ajuda que estava a precisar pode estar escondida numa das obras abaixo:

1. Whatcha Gonna Do with That Duck?: And Other Provocations, de Seth Godin

O livro reúne o melhor conteúdo do blog do autor Seth Godin. A coletânea escolheu os melhores posts dos últimos seis anos, além de textos exclusivos que falam desde sobre como tratar os clientes até como partilhar histórias e ideias.

2. Fooled by Randomness: The Hidden Role of Chance in Life and in the Markets, de Nassim Nicholas Taleb

O livro faz parte da série Incerto, juntamente a The Black Swan, Antifragile e The Bed of Procrustes. Fooled by Randomness é uma obra sobre sorte, incerteza, probabilidade, erro humano, riscos e tomadas de decisões.

3. As 48 leis do poder, de Robert Greene

A obra conta como agem os mestres em requisitos que envolvem inteligência, perspicácia, planeamento e dissimulação. As 48 Leis do Poder incluem a capacidade de esperar pelo momento certo para atacar e como criar uma aura de mistério para confundir os inimigos.

4. Os Sete Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes, de Stephen Covey

Sete princípios que, se estabelecidos como hábitos, ajudam a atrair a verdadeira interdependência efetiva. O livro é o resultado de pesquisa feita em duzentos anos de publicações sobre sucesso pessoal.

5. Eat That Frog!, de Brian Tracy

A obra mostra a maneira certa de organizar as tarefas diárias: fazendo com que o leitor obtenha resultados mais rápidos e assertivos.

6. Pense e Enriqueça, de Napoleon Hill

Investigando a vida de diversos milionários, o autor descobriu um segredo que poucos tinham desvendado: o que esses homens têm em comum que e que fez com que fossem tão bem-sucedidos? Descubra com Pense e Enriqueça.

7. The attention revolution, de B. Alan Wallace

A meditação oferece um método para atingir níveis de concentração previamente inconcebíveis. O autor, que pratica meditação há quase 30 anos, apresenta o seu conhecimento sobre o assunto mostrando resultados reais da prática.

8. The Paleo Manifesto: Ancient Wisdom for Lifelong Health, de John Durant

No seu livro, John Durant defende uma visão evolutiva, revolucionária e futurista para a saúde.

9. Mindsight: The New Science of Personal Transformation, de Daniel J. Siegel

Com suas pesquisas científicas voltadas para a vida quotidiana, o autor desenvolveu abordagens inovadoras, que estão a ajudar centenas de pessoas a livrarem-se dos obstáculos que bloqueiam a sua felicidade.

10. Como Fazer Amigos e Influenciar Pessoas, de Dale Carnegie

Os conselhos, métodos e ideias dados pelo autor Dale Carnegie auxiliam as pessoas, de maneira extremamente direta, a criar boas relações e a alcançar os seus objetivos pessoais e profissionais.

11. Feeling Good, de David D. Burns

O livro mostra como a ansiedade, a culpa, o pessimismo, a procrastinação e a baixa autoestima podem ser curados com uma simples leitura. David D. Burns apresenta técnicas cientificamente comprovadas que irão ajudar os leitores a desenvolver uma perspetiva positiva sobre a vida.

12. Psycho-Cybernetics, de Maxwell Maltz

A obra mostra como é possível criar e alcançar metas que podem transformar a vida, além de mostrar como é possível conquistar o sucesso de maneira simples.

13. Rápido e Devagar: Duas Formas de Pensar, de Daniel Kahneman

O vencedor do Nobel de Economia, Daniel Kahneman, mostra as duas formas de pensar: o pensamento rápido, intuitivo e emocional; e o lento, lógico e ponderado. A obra apresenta-nos de que forma o entendimento do seu funcionamento nos pode ajudar nas nossas decisões pessoais e profissionais.

14. Guia de um astronauta para viver bem na Terra, de Chris Hadfield

A história pessoal do autor, que queria tornar-se astronauta em 1969, quando o primeiro homem pisou a lua.

15. Failing forward, de John C. Maxwell

Qual é a verdadeira razão para o seu sucesso? O autor John C. Maxwell tem a resposta: a diferença entre as pessoas comuns e as pessoas realizadas é sua perceção e resposta ao fracasso.

16. O Poder do Agora, de Eckhart Tolle

Combinando conceitos de diferentes tradições espirituais, o autor elaborou um guia para a descoberta do nosso potencial interior: manual prático que nos ensina a tomar consciência dos pensamentos e emoções que nos impedem de vivenciar plenamente a alegria e a paz.

17. The Last Lecture, de Jeffrey Zaslow e Randy Pausch

Livro sobre a importância de se superar obstáculos e de se aproveitar cada momento. O autor combina humor, inspiração e inteligência na sua escrita.

18. A Coragem de Ser Imperfeito, de Brené Brown

Os maus sentimentos podem prejudicar-nos nos estudos, no trabalho e dentro da nossa própria casa. O autor mostra de que forma as sensações podem ser transformadas em coragem, emprenho e propósito.

19. O Mundo Assombrado pelos Demónios: A Ciência Vista Como Uma Vela No Escuro, de Carl Sagan

O autor reafirma, no seu livro, o poder positivo e benéfico da ciência e da tecnologia para tentar recuperar os valores da racionalidade. A obra aborda a falsa ciência e os irracionalismos acompanhados por lembranças da infância.

20. Philosophy for Life: And Other Dangerous Situations, de Jules Evans

Jules Evans entrevistou soldados, psicólogos, gangsters, astronautas e anarcas e descobriu as maneiras pelas quais as pessoas estão a usar a filosofia agora para construir uma vida melhor.

21. Em Busca de Sentido, de Viktor Frankl

O livro retrata as experiências do autor como um detido de um campo de concentração, descrevendo o seu método psicoterapêutico para encontrar uma razão de viver.

22. Simplify: Ten Practices to Unclutter Your Soul, de Bill Hybels

O autor identifica questões que atrapalham a vida e oferece medidas para ajudar o leitor a viver de uma maneira melhor, erradicando a desordem do seu mundo interior e criando propósitos mais claros e relações mais ricas.

23. Love Yourself Like Your Life Depends On It, de Kamal Ravikant

Coleção de pensamentos sobre aprendizagens diárias: o que funciona ou não; onde é possível encontrar o sucesso; e como lidar com as falhas. O segredo está em saber amar-se a si mesmo.

5 dicas para ajudar o seu filho “a tomar gosto” pelos livros

0
 © iStock

© iStock

 

Estimular o gosto pela leitura é papel dos educadores e dos pais

Publicado no Notícias ao Minuto

Estimular a criança a tomar gosto pelos livros é missão dos educadores – no caso, a escola – e dos pais. Quem afirma é Katarina Bergami, Coordenadora Educacional da Faces Bilíngue, escola situada no bairro de Higienópolis, em São Paulo, que há quase 20 anos educa crianças dos 4 meses aos dez anos.

“Na Faces, a próxima semana será temática e dedicada ao livro”, exemplifica. “Os alunos participarão de atividades variadas sempre tendo como tema o universo da leitura, das histórias, ilustrações e autores que tanto colaboram – por meio de suas obras – para o desenvolvimento infantil”.

A última pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, promovida pelo Instituto Pro Livro e divulgada em março de 2016, mostrou o que já se sabe: o brasileiro lê muito pouco. Apenas 26% dos entrevistados disseram ter comprado um livro nos últimos três meses. 73% prefere assistir TV no tempo livre e 43% disseram que não leem por falta de tempo – ou seria hábito?

“O gosto pela leitura precisa ser desenvolvido desde cedo. Se a criança cresce vendo que a leitura faz parte do cotidiano de sua família, a chance dela tornar-se uma leitora é grande”, reforça Katarina. “O aluno habituado à leitura tem desempenho diferenciado: ele demonstra mais cultura, tem um repertório de informações variado, sabe argumentar e até fazer reinvindicações com mais propriedade”, completa.

A seguir, a educadora Katarina Bergami compartilha cinco dicas bastante importantes para desenvolver, nos pequenos, o gosto pelos livros:

1 – Seja exemplo: “É o básico. Não adianta dizer ao seu filho que ele precisa ler se você não lê – nem livro nem jornal ou uma revista. Se ele crescer num ambiente familiar onde a leitura tem espaço, é grande a chance de também incorporar e valorizar este hábito”.

2 – Desligue a TV e crie um momento de leitura: “Em muitas casa, a TV fica ligada o tempo todo, mesmo se as pessoas estão envolvidas em outras atividades. Que tal desliga-la por um tempo quando toda a família estiver reunida? Neste momento, pegue algo para ler e estimule o seu filho a fazer o mesmo. No começo, a troca talvez cause um estranhamento. Com o tempo, pode virar um hábito e este momento sem TV será bastante prazeroso”.

3 – Incentive o contato com o livro: “Que tal criar um cantinho para os livros na sua casa? Pegue uma cesta, um móvel que esteja encostado ou instale algumas prateleiras e coloque alguns livros para que os pequenos possam vê-los e pegá-los. Quando for ao shopping, visite as livrarias – quase sempre há cantinhos especiais para as crianças com os livros dedicados a elas”.

4 – Mostre as possibilidades e respeite o gosto do pequeno leitor – “Se o seu filho gosta muito de futebol, por exemplo, que tal começar com os livros que falam deste universo? Ele não se interessou por nenhum livro? Que tal checar se há alguma história em quadrinhos? Se a menina sonha em ser princesa, este pode ser o caminho para descobrir os livros que ela pode se interessar. Os pais que querem formam leitores precisam mostrar as possibilidades de leitura e, sempre, respeitar o gosto do leitor”.

5 – Não os pressione – “Incentivar é uma coisa. Obrigar é outra. Ninguém passa a gostar de ler se sentir-se pressionado ou obrigado a fazê-lo. Também não vale ficar perguntando, o tempo todo, se gostaram ou entenderam a história de determinado livro. Vá com calma! Deixe os pequenos descobrirem o prazer da leitura com tranquilidade. Só assim esta descoberta será feliz e se transformará num hábito”.

Go to Top