Sua Segunda Vida Começa Quando Você Descobre Que Só Tem Uma

Posts tagged Argo

Sugestões de filmes para assistir antes do vestibular da UFRGS

0
Cena do filme Argo, de Ben Affleck, que retrata período da Revolução Iraniana: entretenimento com lições de história Foto: Warner Bros. / Divulgação

Cena do filme Argo, de Ben Affleck, que retrata período da Revolução Iraniana: entretenimento com lições de história Foto: Warner Bros. / Divulgação

Deixando os livros um pouco de lado, vestibulandos também podem relaxar neste fim de ano, quando os filmes podem ser bons aliados

Publicado no Zero Hora

Na tela do notebook ou da televisão, disfarçado como entretenimento, pode estar um grande auxílio ao conhecimento.

Filmes que podem contribuir para o vestibulando chegar melhor informado às provas da UFRGS que se aproximam são uma ótima companhia nestes dias de festejos e comilança.

Ressaltando que não há película que substitua a leitura de livros, os professores destacam uma variedade de filmes capazes de ajudar os estudantes a melhor entender alguns períodos históricos. Que tal saber mais sobre o Estado Novo acompanhando um suspense na telona?

– Há uma infinidade de opções na televisão ou em sites como o Netflix, e aproveitá-las vai muito do interesse do aluno – afirma o professor de história do Unificado Felipe Pimentel.

Felipe avalia que os filmes são pontuais e retratam apenas parte dos eventos. Ainda assim, para quem deseja firmar os conteúdos ou descobrir mais sobre determinadas épocas nos dias que antecedem o vestibular, os longas podem ser aliados valiosos.

Também professor de história, Zé Tamanquevis recomenda que se busque os filmes para descansar a mente nestas semanas turbulentas. Para ele, todo filme histórico é interessante, bem como documentários, e ainda que possa não ser útil para se responder às questões da prova, a atividade serve também para relaxar os alunos antes do vestibular. Pedimos a ele e outros professores que destacassem algumas recomendações para os vestibulandos. O resultado você confere a seguir.

Getúlio

Foto: Divulgação

Getúlio (2014)
Temática: os últimos dias de Getúlio Vargas

Limitando-se aos dias finais do presidente que “saía da vida para entrar na história”, Getúlio não é um bom parâmetro para se compreender toda a vida política do gaúcho que foi chefe de Estado durante 20 anos – oito deles como ditador. Mas é um bom começo. A obra, que tem Tony Ramos como protagonista, mostra o tenso clima político do Rio de Janeiro nos anos 1950.

Não se trata de uma cinebiografia, mas de uma dramatização de um dos nossos períodos históricos mais intensos. O longa ajuda a entender mais sobre quem foi Getúlio e parte do que se passou entre o atentado ao jornalista de oposição Carlos Lacerda e o suicídio do ex-presidente.

De olho na prova, vale também lembrar que Getúlio Vargas se popularizou por regulamentar as leis trabalhistas e ficou conhecido como o “pai dos pobres”, mas teve sua história no poder marcada pela censura e por denúncias de corrupção.

Sugestão de Zé Tamanquevis

 

A Inglesa e o Duque

Foto: Divulgação

A Inglesa e o Duque (2001)
Temática: a Revolução Francesa, após a Queda da Bastilha

Uma análise dos aspectos sociais da França pela concepção aristocrática, o filme A Inglesa e o Duque conta diversos episódios da Revolução Francesa pós-Bastilha. Baseado no diário de uma aristocrata que esteve em Paris durante a revolução, o longa mostra acontecimentos que culminaram na condenação e na morte do rei Luis XVI.

Sugestão de Felipe Pimentel

 

Argo (2012)

Foto: Divulgação

Argo (2012)
Temática: Revolução Iraniana e a crise entre Estados Unidos e Oriente Médio

Quando um grupo de revolucionários invade a embaixada dos Estados Unidos na capital iraniana, começa uma história que, mesmo antes de chegar às telonas, já parecia de cinema. No início de 1980, uma operação da CIA (Agência Central de Inteligência, em inglês) inventou que estava procurando locações para um filme de ficção científica para resgatar seis diplomatas norte-americanos de Teerã.

A trama é de interesse dos vestibulandos porque resgata um pouco da Revolução Iraniana, que transformou o país em uma república islâmica de regime teocrático. Com a ascensão do aiatolá Khomeini ao poder, em novembro de 1979, um grupo de revolucionários contrários às interferências da política externa americana no país decide invadir a embaixada dos EUA em Teerã. É o início das relações nada amistosas entre americanos e iranianos.

Sugestão de Zé Tamanquevis

 

Lutero (2003)

Foto: Divulgação

Lutero (2003)
Temática: Reforma Protestante e a oposição à Igreja Católica

O filme mostra a visão de Lutero quanto às indulgências da Igreja Católica, seus ideais e teses (em protesto às práticas de então), além dos conflitos com o papa Leão X, já que seus conceitos incomodavam a tradição secular. É o início do luteranismo, identificado como um movimento protestante em relação ao catolicismo.

Sugestão de Felipe Pimentel

 

Revolução (1985) e O Patriota (2000)

Foto: Divulgação

Revolução (1985) e O Patriota (2000)
Temática: Revolução Americana e a independência das 13 colônias

Quando os americanos se revoltam contra as “intoleráveis” leis inglesas, cidadãos unidos pelos ideais de liberdade resolvem tomar as ruas – em um ambiente propício à revolução, que culminaria na luta dos Estados Unidos contra a Inglaterra. Foi quando as 13 colônias americanas, mesmo enfrentando lutas internas, conseguiram desafiar a nação mais poderosa do mundo na época. Tanto Revolução, com Al Pacino (acima), quanto O Patriota, com Mel Gibson (abaixo), mostram (mais…)

Filme adaptado por Ben Affleck, “Argo” chega ao Brasil em versão impressa

0

Cena da versão cinematográfica de “Argo”, dirigida e protagonizada pelo ator americano Ben Affleck

Jessika Gresko, no UOL.com

Pergunte a quase todo adulto norte-americano sobre a crise dos reféns do Irã e você vai ter os contornos de uma história bem conhecida: militantes que atacam a embaixada americana em Teerã, em 1979, e fazem dezenas de reféns por 444 dias.

Agora, em “Argo”, o mestre dos disfarces da CIA Antonio Mendez conta uma história bem menos conhecida sobre a crise. Na confusa e caótica tomada, seis americanos escaparam.

Durante quase três meses, o grupo se escondeu no Irã, protegido pelo governo canadense. Mas a situação tornou-se cada vez mais precária. No fim das contas, a CIA enviou dois agentes para o país para resgatar o grupo. Como cobertura, a CIA inventou uma história elaborada, envolvendo um filme de Hollywood.

Mendez desenvolveu um plano para disfarçar os americanos como um grupo de Hollywood procurando locações para um filme de ficção científica falso chamado “Argo”. Mendez não fez nada pela metade. Ele obteve um script, anunciou o filme, imprimiu cartões, e alugou um escritório e contratou pessoal em Hollywood no caso de alguém no Irã verificar sua história. Então, posando como o produtor do filme, ele entrou em Teerã, ajudou a transformar os funcionários da embaixada em tipos de Hollywood e constrabandeou os americanos em um avião para a Suíça.

Durante anos, porém, a história completa do envolvimento da CIA era um segredo. Isso mudou em 1997, no 50 º aniversário da CIA. Mendez foi homenageado pela agência naquele ano, e ele relatou a história de “Argo” para o jornalista Dan Rather.

Agora, no que é uma ironia, a história do filme falso está se tornando o enredo de um filme de Hollywood real. O lançamento está previsto para 12 de outubro, e Ben Affleck dirige e estrela como Mendez.

Os leitores que quiserem a versão não-hollywoodiana vão descobrir que além de ser um espião talentoso, Mendez também é um contador de histórias talentoso. Este habitante de Maryland escreveu anteriormente sobre o seu trabalho clandestino em “O Mestre do Disfarce” e “Spy Dust”. Seu último livro é muito fácil de ler apesar do fato de os leitores sabem desde o início como a história vai acabar. Ainda assim, manter as biografias e personalidades dos seis fugitivos em linha reta não é fácil. Talvez assistir ao filme primeiro ajudaria bastante.

Go to Top