Lavvi

Posts tagged blog livros e pessoas

Estudar filosofia faz com que o desempenho escolar das crianças melhore, sugere pesquisa

0
Foto: Flickr/Rick&Brenda Beerhorst)

Foto: Flickr/Rick&Brenda Beerhorst)

 

Isabela Moreira, na Galileu

Filosofia é o tipo de matéria com a qual a maioria de nós só entra em contato na faculdade. No entanto, um estudo realizado por uma entidade britânica revela que, quanto antes tivermos aulas de filosofia, melhor. Isso porque tais ensinamentos podem fazer com que o desempenho das crianças na escola melhore.

O estudo conduzido pela Education Endowment Foundation (EEF) avaliou os resultados do Philosophy for Children (P4C), um programa cujo objetivo é ensinar o básico de filosofia às crianças. O projeto é utilizado por algumas escolas da Inglaterra e, sua implementação, segundo o The Conversation, tem relação com a melhora do desempenho dos alunos em matérias como matemática e leitura.

O programa foca menos em filósofos específicos e mais na capacidade das crianças de realizarem questionamentos. Elas são estimuladas a participar de discussões, levantando questões como “Será que um coração saudável deveria ser doado para uma pessoa que não cuida de si mesma?” e “É aceitável que as pessoas usem símbolos religiosos no ambiente de trabalho?”.

A EEF analisou os dados de 48 escolas primárias e 1,5 mil estudantes que tiveram as aulas de filosofia, além de outros 1,5 mil que não receberam as aulas no mesmo período, mas no ano seguinte. De acordo com a pesquisa, as crianças que tiveram as aulas primeiro mostraram uma melhora em seus desempenhos quando comparadas às que ainda não tinham contato com filosofia na época.

Os professores também perceberam essa melhora. “O feedback dos professores ao longo dos testes sugere que as sessões de filosofia criaram uma oportunidade de fazer com que os alunos se engajassem e desenvolvessem uma nova forma de pensar, ouvir, falar e argumentar na escola”, explicam os pesquisadores. Eles afirmam que perceberam que as crianças se tornaram mais confiantes e pacientes ao participar dessas atividades.

Os dados indicam ainda que os estudantes mais pobres foram os que mostraram maior progresso durante esse processo. A implementação do programa custa cerca de 30 libras (R$ 156) por criança, com benefícios incríveis.

Adolescente improvisa biblioteca na laje de casa para incentivar leitura em BH

0

Iniciativa surgiu para que as crianças do bairro Jardim Vitória tenham acesso à literatura

Publicado no R7

 No local, as crianças leem e também ouvem algumas histórias Record Minas

No local, as crianças leem e também ouvem algumas histórias Record Minas

Uma adolescente de 13 anos improvisou uma biblioteca dentro de casa para emprestar livros para os vizinhos em Belo Horizonte. Larissa Batista monta a estrutura todos os finais de semana na laje da casa onde mora no bairro Jardim Vitória, na região nordeste da capital.

— Melhor do que ficar vendo televisão, melhor deixar as pessoas entrarem no mundo da leitura.

Larissa também conta com a ajuda da amiga Ana Luíza Mendes. Juntas, elas organizam o ambiente que, além da estante de livros, também tem cadeiras e tapetes no chão para que as pessoas possam se sentar e ler.

— Toda vez, quando eles pegam os livros, a gente pede para eles se sentarem e todo mundo fica em silêncio. As vezes, a Larissa também lê os livros para as crianças.

A ideia da biblioteca, frequentada principalmente por crianças, surgiu há seis meses com 50 livros da própria Larissa. Mas, hoje, ela já conta com mais de 400 exemplares de vários autores.

— Quando minha mãe ganhou uma caixa de livros eu iria doar para o meu primo Pedro. Mas, aí eu tive uma ideia e falei: “Ah mãe vamos fazer uma biblioteca comunitária para ajudar as pessoas porque tem várias crianças que as mães não incentivam e a ler”.

Atualmente, há livros para crianças, jovens e adultos e, além da leitura na própria biblioteca, as pessoas da comunidade podem levar para a casa mediante a realização de uma ficha com dados dos leitores. Além disso, os livros também são catalogados.

8 filmes que não existiriam se não fosse por Edgar Allan Poe

0

giphy

Caio Delcolli, no Brasil Post

Há 207 anos, em 19 de janeiro, nascia escritor norte-americano Edgar Allan Poe.

Autor de histórias cruciais para consolidar o terror como gênero literário, Poe presentou nós, devoradores de livros, com contos como A Queda da Casa de Usher (1839), Os Assassinatos da Rua Morgue (1841) e O Gato Preto (1843). O Corvo, poema publicado em 1845, é um marco da literatura gótica e uma das principais obra do escritor.

Considerado por muitos o criador do gênero policial, foi pioneiro na escrita de contos e na criação de histórias macabras e misteriosas.

O legado de Poe transcende as influências literárias em escritores como Neil Gaiman, Clive Barker e Sir Arthur Conan Doyle. Chega ao cinema, inspirando diretores que o referenciam em suas obras originais ou adaptações.

Aqui estão alguns exemplos da marca que Poe deixou no cinema:

‘A Colina Escarlate’ (2015)

slide_474112_6464114_free
Divulgação
Neste filme de Guillermo Del Toro, as influências de Poe estão perceptíveis. “Essencialmente”, disse o diretor ao Film School Rejects, “A Colina Escarlate é um cruzamento de um romance gótico como Jane Eyre com [o conto de Poe] A Queda da Casa de Usher. Tentei capturar o espírito sombrio que o romance gótico tem”. Veja o trailer.

‘O Corvo’ (2012)

slide_474112_6464116_free
Divulgação
No mistério dirigido por James McTeigue, um assassino se inspira na obra de Poe para cometer crimes hediondos. Não é uma adaptação do clássico poema do escritor, mas ele aparece como personagem interpretado por John Cusack.

‘Vincent’ (1982)

slide_474112_6464122_free
Reprodução
Tim Burton é referência do visual gótico no cinema. Neste curta-metragem em stop-motion do diretor, produzido pela Disney, o garotinho Vincent finge ser Vincent Price, ator imortalizado em vários filmes de terror baseados em contos de Poe. Vincent lê a obra do escritor no curta, que você pode ver aqui.

‘Sherlock Holmes’ (2009)

slide_474112_6464124_free
Divulgação
Sir Arthur Conan Doyle (1859-1930), criador do personagem Sherlock Holmes, se inspirou no detetive C. Auguste Dupin, criado por Poe – considerado o primeiro da ficção literária – para conceber sua principal obra. Entre várias adaptações, em 2009, Sherlock Holmes protagonizou o filme dirigido por Guy Ritchie, em que o detetive é vivido por Robert Downey Jr.

‘Assassinato no Expresso Oriente’ (1974)

slide_474112_6464142_free
Divulgação
Hercule Poirot, detetive bigodudo criado por Agatha Christie (1890-1976), nasceu após Dupin ter aberto caminho para os investigadores da literatura policial. Assassinato no Expresso Oriente, clássico indicado a seis Oscar, é uma das mais famosas adaptações das histórias de Poirot. No filme de Sidney Lumet, Albert Finney interpreta o detetive.

‘Dois Olhos Satânicos’ (1990)

slide_474112_6465204_free
Reprodução
Neste filme, dois dos principais cineastas do terror, Dario Argento e George A. Romero, dirigem uma história Poe cada. O primeiro, O Gato Preto; o segundo, A Verdade sobre o Caso do Sr. Valdemar. Veja o trailer.

‘O Solar Maldito’ (1960)

Vincent Price in House of Usher, 1960.

Vincent Price in House of Usher, 1960.

Reprodução
Baseado no conto A Queda da Casa de Usher, o filme de Roger Corman protagonizado por Vincent Price é o primeiro de oito em que diretor e ator se unem para contar histórias de Poe no cinema. Veja o trailer.

‘O Corvo’ (1963)

slide_474112_6465210_free
Divulgação
Este aqui é baseado no famoso conto homônimo do escritor. É o quinto do ciclo de Corman e Price. Com elementos de comédia, o filme B é importante no nicho do terror clássico. Assista ao trailer.

 

Saiba o que fazer nos dias da segunda fase da Unicamp 2016

0

sala-feliz-aluno-folha

Veja dicas de alimentação, planejamento e o que fazer na hora da prova

Publicado no Guia do Estudante

A partir deste domingo (17), às 13h, ocorre a segunda fase do vestibular 2016 da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Serão três dias de provas, cada um com duração de 4h. As três provas são idênticas para todos os quase 16 mil candidatos: no primeiro dia, prova de redação, português e literatura; no segundo, prova de história, matemática e geografia; no terceiro, prova de química, física e biologia.

Com a proximidade da prova, outras coisas além do estudo viram prioridade, como descanso, alimentação e muito planejamento. Para isso, fique ligado nas dicas que o GUIA preparou para você saber o que fazer antes e durante a maratona de provas!

Na véspera

Mesmo que dê vontade de dar uma última estudadinha, procure evitar pegar nos livros no dia anterior. Faltando tão pouco tempo para a prova, isso só provocaria mais estresse para o dia seguinte. Por isso, o mais recomendável é que você descanse bastante: durma, assista ao seu seriado favorito, vá ao cinema, encontre os amigos.

Quanto à alimentação, você provavelmente já sabe que é muito pouco recomendável que se faça extravagâncias no almoço do dia do vestibular, mas essa dica também deve ser seguida nos dias anteriores a ele. Nem precisamos dizer para você passar longe da feijoada, não é?

Planejamento

Decida já se você vai de carro ou transporte público. Veja bem qual ônibus pegar e programe quanto tempo de antecedência é necessário para sair de casa, levando em conta que você deverá chegar uma hora antes do início da prova (ou seja, às 12h). Lembre-se também de separar a documentação necessária no dia anterior (veja na tabela abaixo).

O que você pode levar
Documento oficial com foto (RG ou equivalente) – obrigatório
Foto 3×4 (apenas no primeiro dia) – obrigatório
Caneta preta em material transparente, lápis preto, borracha, régua transparente e compasso
Relógio analógico
O que você não pode levar
Aparelhos celulares e eletrônicos quaisquer
Relógios digitais
Corretivo, lapiseira, caneta marca texto, bandana, lenço, boné, chapéu

Não esqueça de checar a previsão do tempo e verificar que tipo de roupa deverá vestir para que o clima não o incomode. Na hora de escolher as peças que vai usar, lembre-se de dar prioridade absoluta ao seu conforto. Agora, só resta uma coisa a fazer: dormir! Nada de ir para a balada ou ficar até tarde no computador. Nos dias anteriores, não abra mão das oito horas de sono. Lembre que serão três dias de prova: para aguentar uma maratona dessa, o mínimo que você deve estar é descansado.

Nos dias de prova

No dia do vestibular, evite acordar em cima da hora para não ter que sair correndo. Procure levantar mais cedo, tomar um café da manhã equilibrado e planejar bem o que vai comer no almoço (já dissemos, nada de comida pesada). Separe também o lanche e a bebida que vai levar para a prova: leve aquilo que mata a sua fome e que te deixa confortável, procurando evitar, novamente, comidas muito gordurosas.

Chegue cedo. Você pode achar que conhece bem o caminho até o local de prova, ou que é perto da sua casa e basta sair meia hora antes do fechamento dos portões. Mas não se engane: você nunca sabe que tipo de imprevisto pode acontecer. Se você chegar mais cedo, não vai acontecer nada, apenas terá que esperar um pouco mais. Mas, se você atrasar, pode encontrar os portões fechados e perder a prova. Não arrisque!

Na prova

Reserve dois momentos de cinco a dez minutos para comer, se esticar e ir ao banheiro. Pode ser que você fique desesperado com essa sugestão, afinal, são minutos a menos de prova! No entanto, as pausas são muito necessárias para que você retome o foco e a atenção que vão caindo ao longo do exame. Se você levanta um pouco e come alguma coisa, é como se estivesse entrando novamente para fazer a prova, impedindo o sono de vir.

Agora, respire fundo. Você se preparou bastante durante o ano e o sucesso é apenas a consequência disso. Estaremos torcendo! Boa sorte!

Próximas datas Unicamp
Provas de habilidades específicas 25 a 28/1
Divulgação da primeira chamada 12/2
Matrícula da primeira chamada 13 e 14/2
Divulgação da segunda chamada 16/2
Matrícula da segunda chamada 18/2

Consultoria: Professor Alexandre Linares, do Cursinho Henfil; Professores Célio Tasinafo e Wander Azanha, do Oficina do Estudante.

Biblioteca Brasiliana abre livros de receitas antigos para download gratuito

0

Rodney Eloy, no Pesquisa Mundi

Aqui vai um prato cheio para os interessados em comida e história: a Biblioteca Brasiliana Guita e José Midlin abriu para download gratuito livros de receitas publicados a partir do século XVIII. Há títulos publicados em Portugal e no Brasil, com receitas e mais receitas de todos os gêneros, europeias e brasileiras, doces e salgadas, e dicas variadas sobre como escolher miúdos, manter a cozinha limpa com o auxilio de areia de beira-rio e como conservar banha, entre outros.

Redação Paladar | Estadão

Veja abaixo alguns dos títulos e trechos do resumos extraídos do site da Biblioteca (para fazer o download, basta clicar no título de cada livro).

Cozinheiro-dos-Cozinheiros

O Cozinheiro dos Cozinheiros
Autor desconhecido (Lisboa, 1905)
Reúne receitas de escritores e famosos de Portugal no início do século XX e inclui quitutes preparados por Alexandre Dumas, pai e filho, Saint Simon e o Visconde de Belacanfor. As receitas são uma mistura de ingredientes e pratos de diversas regiões europeias com a culinária típica portuguesa. Dentre as receitas francesas, destacam-se clássicos do século XIX como o pombo com ervilhas, o court-buillon de frutos de mar, a enguia grelhada, e omeletes de vários tipos. Do lado português, caldeiradas, ensopados, sopas e rabanadas, chamadas pelo seu nome francês, pain perdu, ou português, pães perdidos.

A sciencia no lar moderno
Eulália Vaz (São Paulo, 1912)
O livro ensina como preservar latas de banha, escolher bem os miolos e lavar e esfregar bem a cozinha com areia fina de beira de rio. Foi um sucesso editorial e teve mais de cinco edições. Traz a receita de Electricos, uma espécie de pé-de-moleque de amêndoas, açúcar e ovos cortado em formato oblíquo.

OLivrodasNoivas

O livro das noivas de receitas e conselhos domésticos
Júlia Lopes de Almeida (São Paulo, 1929)
Traz receitas apetitosas e modernas para a época, como a do club sandwich e o pudding dos recém-casados.

Arte de cozinha: primeira parte. Trata do modo de cozinhar varios manjares, e diversas iguarias de todo o genero de carnes, tortas, empadas, e pasteis
Domingos Rodrigues, 1637-1719, (Lisboa, sem data)
O mais conhecido e considerado o primeiro tratado de cozinha publicado em Portugal. Domingos Rodrigues dizia ter 29 anos de fogão e uma infinidade de banquetes devorados pelos convivas da mesa real portuguesa quando publicou um pequeno volume dedicado às artes da cozinha. Em seu tempo – isto é, no final do século XVII –, percebemos que a utilização do (mais…)

Go to Top