Sua Segunda Vida Começa Quando Você Descobre Que Só Tem Uma

Posts tagged bom livro

Sete livrarias com cafés em Curitiba para você aproveitar a leitura

0

862-1508612291-0f1c0e989b9c10eb0cb9d61744eb9876

 

Roteiro de lugares da cidade onde, além de escolher um livro, você ainda aproveita para tomar café

Laura Beal Bordin, Gazeta do Povo

Poucos são os que discordam que um livro fica melhor com um café na mão. O principal ponto é que essa combinação tem o poder de transformar tanto a leitura, que fica mais prazerosa, quanto o café, que fica ainda mais saboroso. Confira sete livrarias com cafés para você aproveitar um cafézinho enquanto aproveita o prazer de ler um bom livro.

Livraria Cultura

No segundo piso da loja, a Liquori Caffè Gourmet oferece desde os cafés mais simples até os mais elaborados, uma série de sanduíches e doces. Para beber, o que mais mais sucesso é o drink negresco, que é feito com café, leite sorvete e essência de baunilha, biscoito negresco picado, chantilly e calda de chocolate (R$ 18,90). Para comer, uma opção é o pisa, que leva pão sírio, creme de iogurte, mussarela de búfala, peito de peru, tomate e alface (18,50).

Arte & Letra

A Livraria Arte & Letra não é nem livraria, nem cafeteria, nem editora. É uma livraria-cafeteria-editora. Lá, além dos livros, é claro, primeiro você escolhe o café e depois a receita. Os livros editados também são selecionados: a ideia é sempre formar leitores por meio das palavras. Lá, é possível provar a degustação de espressos – A Polaquinha, Molly Bloom e Chinaski – todos nomes relacionados a obras literárias (R$15) e provar um ratatouille vegano com arroz cateto (R$ 24,90).

Le Mundi Livroteca

Em um conceito diferente de livraria, a Le Mundi Livroteca é mais uma cafeteria do que uma livraria. Lá, você pode degustar os cafés mais diferentes, encontrar livros exclusivos e ainda levá-los para casa como forma de locação. Um dos carros-chefes da casa é o Mocha-Paris com café espresso, calda de chocolate e leite cremado. (R$ 7,50). A comidinha preferida é o brownie que pode ser de doce de leite, chocolate, oreo ou nutella com calda (R$ 9) ou com gelato (R$ 18).

Livraria Saraiva (Shopping Crystal)

Quem passa pela livraria Saraiva do Shopping Crystal pode fazer uma pausa para o café no Café na Escada. Além da bebida, os apreciadores de livros ainda contam com sanduíches, tortas e bolos caseiros. Além de nada do que sai do café seja industrializado, os tradicionais espresso (R$ 5) e o pão de queijo (R$ 4,20) ainda são os preferidos.

Livraria Curitiba (ParkShopping Barigui)

Na livrarias Curitiba do ParkShopping Barigui, o Café do Ponto serve aos amantes da leitura o melhor dos doces. Além do tradicional espresso curto (R$ 5,90), a casa serve o Frapê Red Velvet, que leva essência de framboesa, cereja e sorvete (R$ 16,90). Até o final de outubro, 30% do valor será doado a instituições participantes de ações do Outubro Rosa. Para comer, que tal um brownie (R$ 7,90) ou uma torta (R$ 13,50)?

Livraria Curitiba (Palladium)

Quem visita a Livrarias Curitiba do Shopping Palladium também pode contar com um Café do Ponto enquanto busca o livro ideal.

Quem lê regularmente vive mais, diz estudo

0
Expectativa de vida é maior entre os que têm o hábito de ler, que estimula funções cognitivas Foto: Pixabay

Expectativa de vida é maior entre os que têm o hábito de ler, que estimula funções cognitivas Foto: Pixabay

 

Ana Paula Blower, no Extra

Encontrar uma válvula de escape que ajude a esquecer os problemas por, pelo menos, algum tempo é imprescindível para a saúde mental e física. Um estudo, publicado no periódico “Social Science and Medicine”, mostrou que aquelas pessoas que leem regularmente — uma média de três horas por semana — para relaxar têm uma maior expectativa de vida. Segundo a pesquisa, o resultado parece ter relação com a melhoria cognitiva conquistada durante a leitura.

De acordo com os cientistas, ler um livro envolve processos cognitivos que promovem a inteligência emocional, a empatia e a percepção social, características que favorecem a longevidade. Foram mais de três mil participantes acompanhados por 12 anos.

— Manter-se vivo mentalmente, com atividades como a leitura, oferece estímulos cognitivos. Essa pessoa estará muito mais protegida de doenças degenerativas, como Alzheimer do que quem não faz esse tipo de exercício — explica o psiquiatra Kalil Duailibi, da Associação Paulista de Medicina.

Kalil Duailibi explica ainda que ler estimula diversas partes cerebrais ao mesmo tempo, já que a atividade possibilita “entrar” na história a partir da imaginação.

— Traz uma riqueza sináptica enorme, melhora nossa função neural ativando memórias, associando com vivências suas — afirma o psiquiatra.

Preservar o cérebro funcionando e protegido não é a única vantagem de embarcar em um bom livro. A partir da leitura, ganha-se vocabulário e repertório emocional para enfrentar novos desafios na vida profissional ou nas relações.

Para a psicoterapeuta Aline Vilhena Lisboa, apesar da correria dos dias atuais, preservar esse hábito é fundamental do ponto de vista emocional.

— Ler proporciona essa entrada no mundo da imaginação, que facilita a fantasia e diminui aquela tensão diante do mundo real. Se estou com um problema, esqueço dele no momento da leitura. Além disso, ao entrar naquela história, tira-se um sentido dali para sua vida. Por outro lado, têm sido uma prática muito fragmentada: exige concentração e foco, coisas que não estão sendo priorizadas — observa ela.

A leitura tem ainda outra característica: “devorar” um livro possibilita conversar sobre ele com outras pessoas. Esse diálogo, com amigos ou em clubes de leitura, favorece a socialização e o bem-estar.

Vinhoteca propõe harmonizar vinhos e livros

0

naom_583d5ae567bad

Quem não gosta de ler um bom livro enquanto bebe uma taça de vinho?

Publicado no Notícias ao minuto

Quem gosta de vinhos certamente já parou para degustar uma bela taça da bebida e ler um bom livro. O fetiche com a prática é tão comum entre os amantes da bebida de Baco que um espaço foi criado especialmente para aproveitar os dois. A ideia do editor Marco Pace foi exatamente essa ao criar a Vinhoteca, dando dicas de “harmonização” de vinhos e livros.

O local existe há nove meses no bairro City América, na zona oeste de São Paulo, e o site existe há um ano. “Eu uni minhas duas paixões”, declara Pace em entrevista ao UOL. Ele trabalhou como editor de livros por 30 anos em empresas como Siciliano e Alta Books e criou sua própria editora, a Ornitorrinco.

O site disponibiliza 700 rótulos e 200 títulos; já na loja são 300 rótulos e 100 títulos, tanto nacionais quanto internacionais. “Se é uma leitura mais densa, como um grande romance, ou mais clássico e sério, nossa indicação é um vinho mais encorpado, mais robusto”, revela o editor.

Entre as bebidas mais vendidas estão as provenientes da França, Chile e Argentina, bem como vinículas n acionais. O vinho Rosé Piscine, da França, é o mais procurado. “Bons livros para ler bebendo este vinho são títulos como ‘Os Espiões’, de Luiz Fernando Veríssimo; e ‘Contos Gauchescos’, de Simão Lopes”, afirma ele, que pretende abrir uma segunda loka em São Paulo em 2018.

Leia mais em 2017! Descubra como a leitura influência nossa atividade cerebral

0
Leia mais em 2017! Descubra como a leitura influência nossa atividade cerebral  |  Fonte: Shutterstock

Leia mais em 2017! Descubra como a leitura influência nossa atividade cerebral | Fonte: Shutterstock

 

Pesquisa aponta os principais efeitos da leitura em nosso cérebro

Publicado no Universia Brasil

Se você não gosta de ler, talvez os resultados de um estudo realizado pela universidade norte-americana Emory University te façam mudar de ideia.

Visando comprovar como a leitura de livros pode provocar alterações em nossas atividades cerebrais, pesquisadores selecionaram 21 alunos para lerem, durante nove dias consecutivos, o livro Pompeia, de Robert Harris.

A pesquisa durou 19 dias e foi realizada com um aparelho de ressonância magnética. Durante as nove manhãs seguintes às leituras, os estudantes passavam por exames no equipamento. O mesmo valeu para os cinco dias anteriores às leituras e os cincos dias após.

Apesar dos participantes não estarem lendo enquanto eram avaliados, os resultados apresentaram um aumento na conectividade de uma região do cérebro associada à recepção da linguagem. Outro aumento de conexões foi identificado na região ligada à função motora, relacionada com a criação de representações das sensações do corpo humano.

Isso significa que ler pode fortalecer as regiões de processamento de linguagem no nosso cérebro e que o estímulo contínuo do pensamento pode ativar neurônios associados ao seu ato físico. Ou seja, pensar em andar pode estimular a mesma atividade cerebral caso você estivesse realmente andando.

Portanto, os resultados da pesquisa realizada pela Emory University comprovaram que sim, ler livros pode influenciar seu cérebro. Os pesquisadores, entretanto, não afirmaram quanto tempo esses efeitos podem durar. Por isso, indicam que a leitura seja contínua e torne-se um hábito na vida da pessoa, já que, além de ser uma boa forma de distração, o livro tem potencial de aprimorar sua imaginação e melhorar sua conversação.

A seguir confira outros benefícios da leitura:

1. DIMINUE O ESTRESSE

Todos os problemas parecem distantes quando nos concentramos na história de um bom livro. Além de funcionarem como motivadores em diversos momentos, livros têm a capacidade de te ajudar a relaxar, ao abstrair todos os problemas em sua volta.

2.AUXILIA A ABSORVER CONHECIMENTO E EXPANDE SEU VOCABULÁRIO

Enquanto você lê, você está aprendendo. A prática diária da leitura pode te ensinar coisas novas a cada dia, inclusive novas palavras. Ler livros e artigos pode te auxiliar na hora da construção de um texto e até mesmo na compreensão de outros.

3. DESENVOLVE A MEMÓRIA E AJUDA A TER UMA MELHOR CONCENTRAÇÃO

Ler livros diferentes pode ajudar na conservação da memória. Lembrar e falar sobre as histórias, personagens e demais características da trama é um bom exercício para não esquecer das coisas. Além disso, quando estamos lendo, geralmente nos desconectamos das outras atividades. O hábito da leitura estimula esse exercício de concentração, que pode ajudar em diversos momentos críticos, como provas e avaliações.

4. MELHORA SEU PENSAMENTO CRÍTICO E ARGUMENTAÇÃO

Para aprender sobre determinado assunto e, mais do que isso, conseguir explicá-lo para as pessoas ao seu redor, nada melhor do que ler e ler muito! Com a prática da leitura, você começa a absorver conteúdos de maneira mais rápida e, a partir do momento em que está dominando um tema, consegue dar argumentos cada vez melhores em conversas e também ao redigir textos.

12 livros para despertar o interesse pela ciência nas crianças

0
(Foto: Yellow | flickr | creative commons)

(Foto: Yellow | flickr | creative commons)

 

Publicado na Galileu

Todo grande cientista um dia já foi uma criança. Se invertermos essa constatação óbvia, chegamos a uma ideia um pouco mais interessante: toda criança um dia pode se tornar um grande cientista. Não é estimulante pensar que, no futuro, aqueles pequenos seres humanos podem realizar grandes feitos para a ciência, ganhar um Nobel ou até protagonizar o próximo grande salto do conhecimento humano? Às vezes, tudo o que eles precisam é de um empurrãozinho na curiosidade e na imaginação para que se apaixonem pela ciência e optem por seguir carreiras na área. E nada melhor que um bom livro para fornecer esse estímulo.

Para elaborar essa lista de livros que despertem nos pequenos o interesse pela ciência, pedimos a ajuda de nossos leitores do Facebook. Eles sugeriram diversos clássicos da literatura que cumprem esse papel – e nós separamos algumas das obras aqui.

Confira abaixo, e veja todas as indicações no fim do post:

– 20 Mil Léguas Submarinas, de Júlio Verne (indicação de Eduardo Fernandez)

– A Magia da Realidade, de Richard Dawkins (indicação de Gabriel Bergamaschi)

– George e o Segredo do Universo, de Stephen e Lucy Hawking (indicação de Matheus Gontijo)

– Cosmos, de Carl Sagan (indicação de Melissa Florencio)

– Tio Tungstênio, de Oliver Sacks (indicação de Nêmora Backes)

– O Homem que Calculava, de Malba Tahan (indicação de Emerson Tomé)

– O Pequeno Príncipe, de Antoine de Saint-Exupéry (indicação de Andreia Alexandre)

O Mundo de Sofia, de Jostein Gaarder (indicação de Romulo Mansur)

– O Guia dos Curiosos, de Marcelo Duarte (indicação de Rita Burnatowiski)

– O Livro dos Porquês, vários autores (indicação de Nathan dos Santos)

– O Guia do Mochileiro das Galáxias, de Douglas Adams (indicação de Thiago Prochnow)

– Albert Einstein e seu Universo Inflável, de Mike Goldsmith (indicação de Amanda Carolina)

Go to Top