Apaixonada por Histórias

Posts tagged Brasil

Kindle Unlimited, o serviço de aluguel de e-books da Amazon chega ao Brasil

0

Kindle Unlimited, o serviço de aluguel de e-books da Amazon chega ao Brasil

Pelo preço de R$ 19,90 por mês, você terá à disposição mais de 700 mil títulos

Felipe Alencar, no Mobile Expert

Na semana passada a Amazon Brasil pegou todos de surpresa ao lançar o serviço Kindle Unlimited no país. Se você não sabe do que se trata, explicamos. O Kindle Unlimited foi lançado em junho nos EUA e, por uma taxa mensal, te permite ler qualquer livro em qualquer um dos dispositivos ou aplicativos Kindle que você tenha em casa. Funciona mais ou menos como o Netflix, só que ao invés de filmes e séries, você tem livros. Não à toa esse serviço foi apelidado de “Netflix dos Livros”.

Nos Estados Unidos os usuários pagam US$ 10 por mês e podem ler quantos livros quiserem. No Brasil, a Amazon fixou o preço da mensalidade em R$ 19,90 o que, se convertido, sai mais barato que a mensalidade praticada na terra do Tio Sam. E, como não podia deixar de ser, você tem um período de testes gratuito de 30 dias antes de efetivamente começar a pagar pelo Kindle Unlimited. A Amazon informa que mais de 700 mil títulos estão disponíveis no serviço. Porém, a grande maioria está em inglês, com alguns títulos em francês, alemão e espanhol. Desses 700 mil livros, apenas 12 mil se encontram em português, dentre eles podemos citar toda a saga Harry Potter, Diário de um Banana 1 e 2; As Crônicas de Gelo e Fogo; Guia Politicamente Incorreto da História do Brasil e outros.

Kindle Unlimited, o serviço de aluguel de e-books da Amazon chega ao Brasil

Neste começo, porém, as ofertas são poucas e de editoras pouco conhecidas. Todas as grandes e conhecidas editoras, tais como L&PM, Novo Conceito, Objetiva, Planeta, Record, Rocco, Sextante, Companhia das Letras, Intrínseca e Ediouro não fecharam com a Amazon. Pelo menos neste começo. O resultado disso é que nenhum dos livros mais populares atualmente fazem parte do acervo do Kindle Unlimited. Das editoras que fizeram parceria com a Amazon, podemos citar: Gente, Globo, LeYa, PandaBooks, Universo dos Livros, Vergara & Riba (V&R) e Zahar.

A coisa melhora se você dominar o idioma inglês, onde o leque de opções é bem maior, onde temos a saga O Senhor dos Anéis; Jogos Vorazes; 2001: Uma Odisséia no Espaço; contos do Stephen King e uma série de livros não-ficção. Para ler um livro no Kindle Unlimited, basta clicar no botão “Leia de Graça” na tela de compra do livro. Assim, ele automaticamente será baixado para seu dispositivo e estará disponível para leitura. Os livros “alugados” no Kindle Unlimited podem ser sincronizados com até 6 dispositivos, tanto outros aparelhos Kindle, quanto PCs e gadgets rodando iOS ou Android e que estejam com o app Kindle instalados.

Não há prazo de “entrega” do livro. Você pode ficar com ele o quanto quiser. A única limitação é que você só pode “alugar” 10 livros simultâneamente. Se quiser pegar mais, terá que devolver um. Mas acho que ninguém lê 10 livros de uma vez só, né? A tendência é que o número de títulos cresça e o serviço se torne mais atraente com a entrada das grandes editoras.

Brasil é um dos 10 países mais mortais para jornalistas

0
Fotojornalista Andrei Stenin foi encontrado morto na Rússia, relembra estudo da PEC

Fotojornalista Andrei Stenin foi encontrado
morto na Rússia, relembra estudo da PEC

Publicado no Comunique-se

“2014 é um ano terrível para os jornalistas”. É com essa frase que a Press Emblem Campaign (PEC), entidade com sede na Suíça, apresenta o seu relatório a respeito dos países mais perigosos para um profissional da imprensa trabalhar. No levantamento divulgado nesta segunda, 15, o Brasil aparece como o décimo Estado mais perigoso para quem atua com a produção de notícias.

A condição para definir a periculosidade em relação à vida dos jornalistas foi baseada no número de assassinatos de profissionais da classe ao longo dos últimos meses. No inglório top 10 do estudo, o Brasil teve, segundo dados colhidos pela PEC, quatro homicídios de jornalistas, mesmo número apresentado pela República Centro-Africana. México (oito assassinatos) e Paraguai (três) são as outras duas nações latino-americanas a aparecem entre as 15 primeiras posições.

Somados, os 15 assassinatos de jornalistas ocorridos nos três países da América Latina em 2014 são menores do que o mesmo tipo de crime cometido na Palestina (Faixa de Gaza), onde foram registradas 16 mortes. Os responsáveis pelo levantamento creditam o dado ao resultado da “ofensiva israelense”. Também do Oriente Médio, a Síria aparece na segunda colocação, com 13 assassinatos.

Secretário-geral da PEC, Blaise Lempen reforça que os números fazem com que a entidade busque um trabalho de união global para evitar mais assassinatos de jornalistas. “É por isso que a PEC tem apelado repetidamente para um instrumento internacional para proteger os jornalistas. A vontade política dos países mais afetados, necessária para lançar luz sobre os assassinatos e levar os responsáveis à Justiça, está faltando, e nos países em conflito muitas vezes é impossível lançar um inquérito”.

Oriente Médio, a região mais perigosa
O estudo afirma que 36% dos crimes fatais contra jornalistas ocorreram no Oriente Médio. Além de Gaza e Síria, a região aparece no levantamento com Iraque (4°, 10 mortes) e Afeganistão (7°, com seis assassinatos) na lista dos dez países mais perigosos para os trabalhadores da área. Ásia (24%), América Latina (21%), África Subsaariana (11%) e Europa (8%) completam o índice.

Os dados completos do estudo da Press Emblem Campaign estão disponíveis no site da organização.

Começa no Brasil aluguel de livros eletrônicos

0

Publicado por Catraca Livre

Já estamos habituados ao aluguel mensal de filmes. Mas agora, surge no Brasil o aluguel de livros eletrônico, muito semelhante ao mesmo sistema. A pessoa paga R$ 19 por mês e tem direito a 10 livros mensais. Ou seja, por o preço de um livro pode ler atá 10 exemplares.

Trata-se do Kindleunlimeted que ,assim como outros canais de locação, não inclui os lançamentos na plataforma. Se quiser testar, os primeiros 30 dias são gratuitos. Clique aqui

1

2

3

Seis startups que podem mudar a educação no Brasil

0
startup

Empreendedores apoiados pelo Start-Ed apresentam suas ideias em São Paulo (Foto: Divulgação/Rodrigo M. Morales)

Quizzes no celular, Netflix de livros, programação de softwares em português… Iniciativas querem transformar a relação entre os alunos e o aprendizado

Edson Caldas, na Época Negócios

Dezenas de estudantes em uma sala de aula. Todos acompanham o mesmo conteúdo em seus livros, independentemente de quais sejam suas dificuldades individuais. O professor explica, eles ouvem. Essa descrição ainda é familiar à grande parte das escolas no Brasil. Mas tem como ser diferente. Empreendedores brasileiros já investem em formas de transformar o ensino tradicional — e tornar as aulas mais eficientes.

Uma plataforma que permite estudar para provas com quizzes no celular, um Netflix de livros, um projeto educacional que ensina programar softwares em português. Essas são algumas das ideias apoiadas neste ano pelo Start-Ed, da Fundação Lemann. O programa oferece auxílio financeiro, mentoria e interação com profissionais da área de educação. Em 2014, foram mais de 170 startups inscritas, filtradas por meio de um processo seletivo. Na última semana, as seis startups selecionadas nesta edição apresentaram suas iniciativas para representantes de empresas que investem no setor.
saiba mais

“O objetivo principal é ter uma educação que garanta o aprendizado dos alunos”, disse Denis Mizne, diretor-geral da Fundação Lemann, em entrevista à Época NEGÓCIOS. “São pouquíssimas as crianças que realmente aprendem. Acreditamos que, da mesma maneira que a tecnologia ajudou outros setores, ela pode ajudar também a educação.” Segundo Mizne, o uso novos recursos pode aumentar o engajamento dos estudantes, permitir personalização da aprendizagem e oferecer conteúdo gratuito.

Durante os seis meses de orientação, os empreendedores participaram de encontros mensais para aprimorar seus produtos e modelos de negócio. “A possibilidade de networking que o programa oferece, com pessoas do mundo da educação e também com empreendedores que já estão em outro nível, os mentores, é muito diferenciada”, afirma Anna Laura Schmidt, coordenadora de projetos da Fundação Lemann. Confira as propostas das seis startups selecionadas:

appprova

Aplicativo tem versões para Enem, OAB e concursos públicos (Foto: Reprodução)

AppProva
É uma plataforma de quizzes que gamifica atividades para engajar alunos. Ela permite que os professores, com base nos resultados dos estudantes, identifiquem as principais dificuldades deles e, se necessário, mudem suas estratégias de ensino. Segundo João Gallo, diretor executivo da startup, mais de 20 escolas já utilizam a ferramenta. “Ao jogar, o aluno recebe um feedback automático, que indica o que ele precisa fazer para acertar as questões que ele zerou.” O aplicativo tem versões para provas do Enem, da OAB e de concursos públicos. E é grátis para alunos — quem paga são as escolas, para ter acesso às informações.

Árvore de Livros
A startup tem como objetivo tornar a leitura mais acessível. Funciona como um Netflix de livros — os usuários têm diversos títulos à disposição e podem acessar o conteúdo de qualquer dispositivo. O serviço ainda oferece relatórios para professores. Eles podem sugerir obras para seus alunos e acompanhar o progresso deles. “Em São Joaquim da Barra, no interior de São Paulo, uma cidade com 46 mil habitantes, nossa média de leitura já supera em quatro vezes a nacional”, diz João Leal, cofundador da ferramenta. Quem paga para que os alunos usem a ferramenta são as escolas públicas e privadas.

me_salva

Me Salva – Explicações na plataforma são desenhadas (Foto: Reprodução/YouTube)

Me Salva
A plataforma oferece aulas online para estudantes do ensino médio e superior. Ela já conta com mais de 30 milhões de aulas assistidas. A ideia, segundo os criadores, é passar o conteúdo de forma mais prazerosa. As explicações são baseadas em desenhos. “Valorizamos muito a criatividade e autenticidade no nosso conteúdo”, afirma Miguel Andorffys, CEO da empresa. A startup oferece cursos gratuitos e pagos.

PortPy
O projeto quer criar parcerias com instituições de ensino para oferecer aulas de programação de softwares em português — hoje, quem quer aprender a programar tem de fazê-lo em inglês. A metodologia mistura aulas online e offline para ensinar o ‘pensamento computacional’. O PortPy dá treinamento aos professores, para que eles mesmos repassem a informação. “Nossa meta é chegar a um milhão de alunos em três anos”, diz Lona Szkurnik, cofundadora da ferramenta. A intenção é que o acesso seja livre, por isso a empresa busca patrocínio de fundações.

Sílabe
A plataforma quer se tornar o braço direito dos professores. É um ambiente virtual em que os profissionais podem disponibilizar conteúdo para seus alunos de forma prática e integrá-lo com material externo. “No Sílabe, o professor pega o conteúdo que ele já usa em sala de aula e envia pela plataforma”, afirma o cofundador Ricardo Sudário. Os alunos ainda têm acesso a áreas de discussão e fazem atividades dentro do serviço — mais tarde, elas geram gráficos para que os gestores possam acompanhar a evolução dos estudantes. A ferramenta é licenciada para escolas e custa de R$ 7,50 a R$ 30 por aluno.

Stoodi já tem mais de 3 milhões de aulas assistidas (Foto: Reprodução/YouTube)

Stoodi já tem mais de 3 milhões de aulas assistidas (Foto: Reprodução/YouTube)

Stoodi
A plataforma atua como um professor particular — ela realiza um diagnóstico do nível do estudante e customiza o curso de acordo com suas necessidades. As aulas são voltadas a alunos do ensino médio, que estão se preparando para o vestibular. A ferramenta foi lançada em janeiro e já conta com mais de 3 milhões de aulas assistidas. “Faltava uma plataforma em que fosse muito fácil o aluno encontrar a aula que ele precisa e que tivesse uma trilha [de aprendizagem] pronta”, diz o cofundador Daniel Liebert. Os alunos se cadastram gratuitamente, mas para ter acesso completo pagam uma assinatura mensal.

“Sombra e Ossos” – 60 resenhas

0
Foto: Blog Mariana Everyday

Foto: Blog Mariana Everyday

Felipe Castilho, especial para o Livros e Pessoas

Entre todas as principais sagas do momento, poucas são originais como a Trilogia Grisha, de Leigh Bardugo – aclamada escritora israelense radicada nos Estados Unidos.

A Editora Gutenberg já publicou os dois primeiros livros da saga, Sombra & Ossos e Sol & Tormenta. A conclusão da trilogia, Ruína & Ascensão, chega às livrarias em fevereiro. A trama se inicia com Alina Starkov, que é uma cartógrafa a serviço dos Grishas, divisão especial do exército de Ravka – país que é uma espécie de Rússia pós-apocalíptica. Os Grishas são manipuladores de forças da natureza ou portadores de dons especiais, e são liderados pelo Darkling, braço direito do Rei e o único capaz de manipular sombras.

Alina, até então uma garota comum, passa a manifestar o poder de conjurar a luz do Sol, o que chama a atenção do Darkling pelo poder antagônico aos seus, fator que desencadeia um romance proibido entre a garota e o líder dos Grishas. Isso causa atrito com o melhor amigo de Alina, Malyen Oretsev, que não gosta do rumo que as coisas estão tomando – e que no final das contas, também parece nutrir algum sentimento pela Conjuradora do Sol, a nova arma de Ravka na guerra contra a Dobra das Sombras.

Conhecida pelas incessantes reviravoltas em suas histórias, Bardugo dá sequência à série com piratas em barcos alados, artefatos místicos que podem mudar o rumo da guerra e líderes religiosos fanáticos e uma incessante disputa pelo trono de Ravka, circundada por luz e trevas – agora embalada por Hollywood, já que o filme de Sombra & Ossos está em pré-produção pelas mãos de David Heyman, que assinou blockbusters como Harry Potter e a Pedra Filosofal e Harry Potter e as Relíquias da Morte – Parte 2.

Links

Slideshow

 SombraeOssos

Clique na imagem para assistir.

Resenhas

“O livro não é só bom, ele é fantástico” [Livros e Citações]

“Fãs de fantasia estão proibidos de perder essa leitura!” [Brincando com Livros]

“Bardugo criou um universo rico e com personagens superenvolventes” [Memories of the Angel]

“Desde Vampire Academy eu não via um livro com uma mitologia tão original” [Nem Um Pouco Épico]

“Me senti em um jogo de RPG”[Pausa para um Café]

“Estou subindo pelas paredes LOUCA pelo próximo volume da trilogia” [Quatro Amigas e um livro viajante]

“Leigh Bargudo ganhou meu coração e me fez surtar com o final!” [Garota It]

“Não quero revelar muito da história porque imploro, de joelhos, pra que vocês corram ler esse livro!” [Juliana Dolinski]

“Você precisa ler esse livro” [Apenas um trecho]

“Simplesmente me apaixonei por esse livro” [Mariana Everyday]

“Um dos melhores livros de fantasia que já li” [BurnBook]

“Uma aventura sem igual” [Calibre Cultural]

“Leiam e se surpreendam!” [Cultivando a Leitura]

“Meu coraçãozinho disparou em certos momentos” [Depois que eu mudei]

“Corra para uma livraria mais próxima, e leia!” [Entrando numa fria]

“É o tipo de livro que prende do início ao fim” [Feed Your Head]

“Uma trama envolvente, original e criativa” [House of Chick]

“Uma das melhores leituras que fiz no ano” [It Cultura]

“Quase fiquei sem respirar enquanto lia” [Minha Mini Biblioteca]

“Quando a gente começa a ler, não quer mais largar” [Mon Petit Poison]

“A Gutenberg está de parabéns!” [Lendo e Escrevendo]

“Uma fantasia altamente viciante” [My Book Lit]

“Uma leitura instigante” [Dear Book]

“A narrativa é incrivelmente sensorial e… visível” [Nem Te Conto]

“Alina é uma protagonista envolvente” [O Livreiro]

“Esse livro tirou o meu fôlego diversas vezes” [Pausa para um Livro]

“Estava carente de autores que conseguissem criar algo novo, complexo e surpreendente” [Perdido em Palavras]

“Fantasia em sua melhor forma” [Poderosas e Girlies]

“Envolvente e cativante, entrou para a minha lista de favoritos”  [Por essas Páginas]

“Nunca havia lido nenhum livro de fantasia assim e gostei bastante” [Psychobooks]

“Me pegou de surpresa com um enredo rico em detalhes e personagens cativantes” [Um Leitor a Mais]

“Quando menos se espera, já está mergulhando de ponta cabeça em um mundo onde as aparências enganam” [Um Reino Muito Distante]

“É difícil acreditar que este é o livro de estreia da autora, ela é uma legítima contadora de histórias” [Viagem Literária]

“Completo, cheio de reviravoltas e de personagens bem construídos” [Viajando na Estante]

“Bardugo te surpreende completamente ao mudar o ponto de vista da história” [Who’s Thanny?]

“Me vi vidrada na história desde o início” [Blog da Vecchi]

“Não larguei o livro até ler a última página” [Versos Não Ditos]

“Um livro que você devora” [Ensaio de Monomania] [Sacudindo as Palavras]

“A história me prendeu e apaixonou do início até o final” [Distrações Literárias]

“Trama que faz o coração bater mais forte a cada página” [Moonlight Books]

“Digno de adaptação cinematográfica” [De Cara nas Letras]

“Não é preciso muitas palavras para descrever esse livro, uma é mais que suficiente: maravilhoso” [Dicas da Semana]

“O livro joga várias perguntas e mistérios para o leitor, mas responde todas” [O Espaço Entre]

“Ele tem tudo que eu amo em um livro!” [Sonhos Infinitos]

“Gostei do modo de criação dessa sociedade, quase que separada em castas, numa Rússia alternativa.” [Apenas uma História]

“Aliás, o que foi aquele final? FANTÁSTICO!!” [Irreparável]

“Me deixou de queixo caído” [Cidade das Cerejas]

“Há reviravoltas, mistério, jogo de poder, sedução… ” [Retalhos Assimétricos]

“Se você gosta de fantasia esse livro é para você” [Eu Leio, Eu Conto]

“O livro está na prateleira de honra, a prateleira reservada para a nata” [Insônia, You’re Doing it Wrong]

“A autora criou uma trama singular e optou por produzir artifícios narrativos geniais” [Infoescola]

“Achei legal como Bardugo não subestima a inteligência dos leitores” [Sobre Mim e Meu Mundo]

“Simplesmente apaixonante, e não posso mais esperar pelos próximos volumes” [Meu Mundo]

“A autora criou um mundo místico e fantasioso incrível!” [Face dos Livros]

Mensagem da Leigh Bardugo para os blogueiros brasileiros. :-)

Vídeos

“Esse livro me fez surtar!” [Garota It]

“É empolgante porque fala com o nosso desejo de não apenas conviver, mas superar adversidades” [Cabine Literária]

“O mundo é descrito de uma tal forma que me surpreendeu”[Mariana Everyday]

“Depois que li, entrei em ressaca literária” [Beatriz Costa]

“Esse livro é bom, pronto acabou o vídeo!” [Show do Luan]

“Fui surpreendida!” [Resenhando Sonhos]


PS: Se você resenhou o livro e ela não aparece nesta lista, por gentileza informe o link nos comentários ou envie para livrosepessoas@gmail.com.

Go to Top