Caixa Rubem Braga

Posts tagged cantora

Mia Couto lança seu novo livro em evento que terá Maria Bethânia

0
Na Sala Cecília Meirelles. O autor vai lançar “Sombras da água” e autografar exemplares - Divulgação / Renato Parada

Na Sala Cecília Meirelles. O autor vai lançar “Sombras da água” e autografar exemplares – Divulgação / Renato Parada

 

Cantora lerá trechos de ‘Sombras da água’ na Sala Cecília Meireles

Luiz Felipe Reis, em O Globo

RIO – Mia Couto diz que escreve “ouvindo vozes”, e que foram “vozes femininas que criaram em mim o apetite pelas histórias infinitas”, diz, em entrevista concedida ao GLOBO na última quinta-feira. Autor de obras marcadas pela elaboração de diferentes vozes narrativas e de uma ficção contaminada pelas histórias orais do seu país, o autor moçambicano terá uma noite de deleite logo mais, quando ouvirá excertos de seu novo livro, “Sombras da água” (Cia. das Letras), lidos, ou melhor, reinventados pela voz de Maria Bethânia. O encontro entre os dois, gratuito, acontecerá hoje na Sala Cecília Meireles, às 19h.

— Para a escolha desses trechos, eu, meu editor (Luiz Schwarcz) e Bethânia levamos em conta o conteúdo poético de cada excerto, a necessidade de cada um dar ideia do conjunto da história, e também no modo como o texto pode transitar para a voz de Bethânia — diz.

“Sombras…” é a segunda parte da trilogia “As areias do imperador”, e assim como a primeira etapa (“Mulheres de cinzas”, de 2015), é guiada pelo entrelaçamento de vozes e perspectivas africanas e portuguesas, fronteiras que inspiram tanto a escrita de Couto como o canto de Bethânia, de quem Couto se revela um fã.

— Gostaria que ela lesse o livro todo.

O encanto do autor pela voz de Bethânia se dá pelo apreço que Couto guarda pelo efeito poético, essa capacidade que um verso, prosa ou canto têm de remodelar nosso olhar sobre o conhecido. Couto vê no canto e na fala de Bethânia a expressão do poético, liberado tanto da forma escrita como do suporte do papel.

— A poesia que me interessa não mora apenas no papel. Por exemplo, a voz de Bethânia é já poesia: profundamente evocativa e telúrica — diz. — Quando Bethânia lê um texto que eu já conheço é como se tomasse contato com esse texto pela primeira vez. Como se o texto acabasse de nascer. A voz dela tem o timbre e a modulação da água e da terra, ela inaugura as palavras como se as estivesse criando pela primeira vez.

E é esse mesmo prazer que se tem com uma revelação que o autor espera alcançar com sua literatura:

— A aposta do meu fazer literário é produzir encantamento — diz. — A minha escrita é sempre poética.

“Sombras da água” se inicia com o sargento português Germano de Melo ferido e sendo levado ao hospital por Imani, a sua amada e, ao mesmo tempo, a responsável pelo tiro que esfacelou suas mãos. A partir daí, o romance orbita em torno de um conflito: de um lado, a corte do imperador africano Ngungunyane, o último líder de Gaza em fins do século XIX, e do outro o exército português, que não mede esforços para manter o status de “conquistador” através do aniquilamento de um inimigo que “tanta humilhação lhe traz a nível internacional”, diz o autor. Guiado por estrutura epistolar, este segundo volume se desenvolve a partir das vozes de Imani e das cartas escritas por Germano e pelo tenente português Ayres de Ornelas. Nelas, seguem-se detalhes de uma série de confrontos militares e a derradeira captura de Ngungunyane.

— Pretendo mostrar que “os portugueses” não eram uma categoria única. Estavam divididos nos seus propósitos e na sua relação com as colônias — diz. — Quero mostrar que ali estão duas pessoas. Me interessa resgatar as diferentes versões do passado e colocar em diálogo as vozes do tempo.

Katy Perry doa 1 milhão de dólares para ajudar escolas nos EUA

0

img-726540-katy-perry20160624101466774153

A cantora divulgou um vídeo pedindo doações para escolas nos Estados Unidos; assista

Publicado na Caras

Katy Perry anunciou que está doando o valor de 1 milhão de dólares, aproximadamente R$ 3,4 milhões, junto com a rede de lojas ‘Staple’ para ajudar escolas nos Estados Unidos.

A notícia foi divulgada através de um vídeo gravado pela própria cantora. O dinheiro arrecadado será convertido em materiais escolares e livros didáticos para os alunos que não conseguem arcar com os custos.

Assista ao vídeo:

Beyoncé recomenda livro de empoderamento feminino a suas fãs mais novas

0

beyonce-diva

Publicado no Brasil Post

Capa da edição de março da Garage Magazine, Beyoncé deu uma excelente de dica de leitura para as fãs.

Em entrevista à publicação americana, ela disse que adoraria que as mais jovens pudessem ler o livro What Will It Take To Make a Woman President? (O que você falta para termos uma mulher presidente?, em tradução livre), escrito por Marianne Schnall.

De acordo com a sinopse, o livro compila entrevistas com mulheres da política, líderes fortes, escritoras, artistas e ativistas com o intuito de debater os obstáculos que são empecilhos para o avanço delas a postos de maior destaque.

A Rainha Bey não costuma dar muitas entrevistas e, geralmente quando as concede, não fala muito sobre sua vida pessoal. E desta vez não foi diferente.

A diva do R&B falou muito pouco sobre si, contou que seus passatempos favoritos são desenhar, pintar e tirar fotos. Sua fala mais forte foi sobre sua mãe, que ela disse ser a maior heroína de sua vida.

Taylor Swift doa 25 mil livros para escolas públicas de Nova York

0

img-683669-taylor-swift20150708221436405909

A doação aconteceu depois de uma parceria da cantora com uma das maiores editoras e distribuidoras de livros infantis do mundo

Publicado na Caras

A cantora Taylor Swift resolveu surpreender algumas escolas públicas de Nova York e doou 25 mil livros.

A doação aconteceu depois de uma nova parceria de Taylor com a Scholastic, maior editora e distribuidora de livros infantis do mundo.

Ano passado, ela participou de uma mesa redonda com crianças em que compartilhava suas experiências com a literatura e como elas a ajudaram a ver o mundo de uma forma diferente.

Greg Worrell, presidente da editora, diz que pretende abrir “um mundo de possibilidades” para os estudantes.

Trecho da biografia de Taylor Swift fala sobre caso com Gyllenhaal; leia

0

Cantora pop e atriz de 24 anos ganha sua ‘história completa’.
Livro do jornalista Chas Newkey-Burden será lançado na Bienal de SP.

Publicado no G1

Capa da biografia de Taylor Swift (Foto: Divulgação)

Capa da biografia de Taylor Swift (Foto: Divulgação)

“Ela é deslumbrante de um jeito óbvio, uma bela loira de pernas longas que ainda assim costuma brincar com o papel de esquisitinha e desajeitada”, descreve o jornalista Chas Newkey-Burden, na introdução de seu livro “Taylor Swift: A história completa”. A biografia da cantora e atriz de 24 anos será lançada durante a 23ª Bienal de São Paulo.

Newkey-Burden, autor de biografias de Amy Winehouse, Justin Bieber, Adele e Michael Jackson, narra a infância e o início da carreira de Taylor Swift – sua relação com os pais e os primeiros passos no mundo da música como cantora em igrejas. A narrativa passa pela adolescência, a consolidação como cantora pop, aos 17 anos, até o sucesso do seu quarto álbum, “RED”, de 2013.

O jornalista também aborda algumas polêmicas que envolvem Swift, como os conturbados namoros com John Mayer, Harry Styles e Jake Gyllenhaal, e o episódio com Kanye West durante o MTV VMA, quando o rapper subiu no palco e interrompeu o seu discurso de agradecimento pelo prêmio de Melhor Vídeo Feminino.

Leia, a seguir, vários trechos de capítulos diferentes do livro “Taylor Swift: A história completa”:

“Não era para Taylor Swift ter se transformado em cantora e compositora; era para ela ter sido corretora de ações. Seus pais até mesmo escolheram seu nome de batismo já tendo em vista a carreira nos negócios. A mãe, Andrea, quis um nome neutro para sua filha, que servisse tanto para um menino quanto para uma menina, justamente para que, quando crescesse e fosse procurar emprego na área de finanças, predominantemente masculina, ninguém soubesse de antemão se ela era homem ou mulher. Embora fosse um plano nascido do puro amor maternal, não viria a se tornar realidade.”

“Taylor então percebeu que não era tão “legal” quanto as outras crianças por causa da sua individualidade. Sofrendo a pressão dessas provocações e já antecipando a possibilidade de ser deixada de lado, ela resolveu ir contra sua natureza individualista e começou a tentar se misturar mais com os colegas. Foi nesse momento, entretanto, que aprendeu uma lição valiosa. Descobriu que quanto mais ela tentava parecer bacana aos olhos do pessoal da escola, menos eles a respeitavam. “Foi então que eu vi que tentar ser como todo mundo simplesmente não dá certo”, conclui. Houve um dia particularmente desagradável em que sugeriu a um grupo de conhecidas que se encontrassem no shopping mais próximo. Parecia um programa divertido. Ela ficou bem desapontada, no entanto, quando todas recusaram, alegando ter outros planos. Decidiu ir assim mesmo com a mãe. Chegando lá, elas então descobriram que o grupo de meninas estava no tal shopping. “Me lembro disso como se fosse ontem”, disse Andrea à revista Elle Girl. “Taylor e eu entramos em uma loja e lá estavam as seis menininhas que tinham dito a ela que estariam ‘muito ocupadas’.”

Taylor ficou abismada e muito magoada naquele dia. Andrea rapidamente a pôs no carro e foi para outro shopping bem longe dali para fazer suas compras. Quando se recorda daquele dia tão triste, Taylor diz que a lembrança “é daquelas bem dolorosas, das quais a gente nunca se recupera totalmente”. Ela é bastante grata à atitude que Andrea tomou naquele dia. Ao ir para outro shopping e se divertir por lá, elas deram uma boa resposta às meninas que a tinham ignorado. O shopping King of Prussia ficava a uma hora e meia de carro dali, mas a viagem valeu muito a pena.”

“Ainda que ‘White Horse’ estivesse programada para aparecer no terceiro álbum, ela foi incluída em Fearless depois que os produtores do sucesso televisivo Grey’s Anatomy ligaram para Taylor e perguntaram se poderiam incluir a faixa no episódio de abertura da quinta temporada. Receberam um ‘É claro que sim!’ da cantora, já que Grey’s Anatomy é seu programa de televisão preferido. Foi fácil dizer “sim”, mas também foi um momento muito emocionante, como ela disse depois. ‘Você deveria ter visto as lágrimas escorrendo pelo meu rosto quando eu recebi aquela ligação dizendo que eles queriam usar minha música’, ela diz.
‘Eu não poderia ter ficado mais empolgada. Esse é o sonho de uma vida inteira, ver minha música tocando em ‘Grey’s Anatomy’. Meu amor por essa série nunca diminuiu. É o meu relacionamento mais duradouro até hoje’. Ela mal podia acreditar em sua sorte.”

“Além de suas atividades como ator, Gyllenhaal também é muito badalado tanto por sua beleza quanto pela vida amorosa. Namorou as atrizes Kirsten Dunst e Reese Witherspoon. Foi escolhido pela revista People como uma das “50 pessoas mais bonitas” em 2006 e eleito pela mesma publicação como um dos “solteiros mais cobiçados” naquele mesmo ano. Também já esteve em diversas listas de “mais desejados” do mundo gay. Ele tinha terminado seu romance com Witherspoon dez meses antes de conhecer Taylor. Quando ela o encontrou pela primeira vez nos bastidores do SNL, já estava bem familiarizada com a história do rapaz. Uma fonte muito cautelosa da revista People disse que os dois “tomaram muito cuidado para não serem vistos muito juntos enquanto passeavam pelos bastidores”. A mesma fonte concluía: “Era difícil dizer se estavam gostando um do outro”. Há uma diferença de idade considerável entre eles, já que Gyllenhaal é nove anos mais velho que a cantora.”

“Muitos jornalistas, em especial do sexo masculino, já descreveram Taylor como uma mulher que jamais será feliz. Afinal, ela reclama dos homens com tanta facilidade que, alegam esses críticos, nunca haverá um pretendente que obedeça aos exigentes critérios que ela estabeleceu. Em vez disso, especulam, ela está destinada a ter uma vida de relacionamentos apenas temporários, todos fadados a terminar rápido e se transformar em música. É um veredito um pouco pesado, mas ela própria não discordaria totalmente dele, como podemos ver em “The Way I Loved You”. Nessa faixa, ela reclama de como, mesmo em um encontro com um cara legal, ela deseja secretamente estar com um bad boy. O rapaz na frente dela é bem mais sensato, o que de imediato causa inveja em suas amigas, mas ela se vê almejando todo o drama e a volatilidade de um relacionamento com um homem menos perfeito.”

Go to Top