Praças da Cidade

Posts tagged capa

Darkside lança livros de Lovecraft para todas as idades

0

collagelovecraft

Publicado no Literatura Policial

LANÇAMENTOS DA CAVEIRA – Para comemorar o aniversário de 5 anos da editora, a DarkSide® Books preparou edições especiais caprichadas com HP Lovecraft, um dos escritores que mais revolucionou o gênero de terror na história.

Em H.P. Lovecraft: Medo Clássico Vol. 1 – Miskatonic Edition e H.P. Lovecraft: Medo Clássico Vol. 1 – Cosmic Edition, o leitor encontrará uma seleção especial de contos e novelas do autor que revolucionou o terror e a ficção científica no século XX.

Os livros vêm com capa dura e nova tradução com notas comentadas de Ramon Mapa, grande estudioso da obra, dialogando com as ilustrações de Walter Pax. A obra também conta com uma seleção de cartas e documentos coletados pelo historiador Clemente Penna na Brown University especialmente para esta edição. A DarkSide Books preparou duas opções em capa dura para esta edição, a Miskatonic Edition e a Cosmic Edition. O texto das edições é o mesmo.

Segundo a editora, a “Miskatonic Edition” é uma obra-prima para sua biblioteca, inspirada na universidade que o escritor criou em seus contos. Já a “Cosmic Edition” é uma viagem ao recantos mais alucinados da mente de Lovecraft, mesclando loucura e realidade.

A Darkside aproveita para lançar também o primeiro livro da Caveirinha, a linha infantil da editora. O título é O fantástico alfabeto Lovecraft, livro idealizado pelo ilustrador Greg Murphy e pelo escritor Jason Ciaramella, que explora toda a mitologia de Lovecraft de A a Z para que os pequenos possam dar seus primeiros passos com o verdadeiro professor do fantástico.

Os títulos estão em pré-venda e serão lançados em dezembro. Garanta o seu exemplar na pré-venda pela Amazon clicando na capa escolhida!

The Walking Dead será publicado agora pela Panini Comics

0

the-walking-dead-hq-panini-comics-1068x601

Douglas Rodrigues, no Cosmo Nerd

Acaba de ser divulgado pela Editora Panini Comics do Brasil que The Walking Dead finalmente voltará as bancas e ainda este ano a sua estreia está prevista para a CCXP de dezembro. Há alguns anos a editora HQM estava com os direitos sobre as publicações da obra prima escrita por Robert Kirkman com os desenhos de Tony Moore e Charles Adlard.

The Walking Dead que se tornou muito popular e aclamadíssima pela crítica pelos quadrinhos que saem em vários formatos (mensal, encadernado e compendium ) e que também se estendem a livros, jogos de vídeo game com histórias exclusivas e a aclamada serie pelo canal AMC.

A HQM editora publicou em 18 encadernados de 2006 a 2015 e 48 mensais de 2012 a 2017 formato mensal com uma edição e no formato encadernado compilando 6 edições com alguns extras ( histórias solo de personagens ) no formato de 16,5 x 24 cm capa cartão.

A Panini Comics para a alegrar os fãs publicará em dois períodos aparentemente a partir do volume 1 para novos leitores e do volume 19 para os fãs que acompanhavam as publicações da HQM editora, no formato semelhante ao americano 17 x 26 cm pouco maior e com capa cartão mole custando e com páginas coloridas custando 36$ cada encadernado.

Uma conversa exclusiva com Jenny Han, autora de “Para todos os garotos que já amei”

0

9185_33419149_hr

Bárbara Allen, no Cabana do Leitor

A autora Jenny Han não está mais no Brasil, porém durante a sua estadia em terras brasileiras, nós do Cabana do Leitor tivemos a oportunidade de conversar com a autora da série “Para todos os Garotos que já amei”.

No último domingo (03/09) a editora Intrínseca, responsável pela publicação da série no Brasil, proporcionou um encontro entre os blogueiros e a autora. Foi um momento muito íntimo e agradável. Para começar, era aniversário de Jenny e logo em que chegou foi recebida com um bolo de brigadeiro com velinhas coloridas, bem estilo Lara Jean. Mesmo em uma salinha bem pequena e improvisada, todos que compareceram tiveram seu momento particular com a autora que estava bem animada.

IMG_6314-e1504804525509Muito simpática, ela recebia um por um para tirar fotos, fazer pequenas entrevistas e, algumas das vezes, era ela quem fazia perguntas super fofas. Mesmo o tempo sendo curto, conseguimos fazer algumas simples perguntas sobre curiosidades dos livros e sobre a autora. Confira abaixo a entrevista.

Por que existe tanta comida durante os livros? Você gosta de cozinhar?
Ah, sim! Eu adoro cozinhar. Cozinhar alivia o meu estresse, então quando eu fico ansiosa durante o livro ou quando eu fico “Eu preciso descobrir o que está acontecendo”, eu cozinho. É bom porque eu começo a cozinhar e em algumas horas eu termino e é muito satisfatório, diferente do livro que eu vou demorar um longo tempo e só vou ter essa sensação de satisfação quando terminar, um ano depois.

Qual a sua comida preferida?
Minha comida preferida provavelmente são massas.

Como você se sentiu ontem com os fãs brasileiros?

Me senti muito bem-vinda. Todos são tão calorosos, animados e apaixonados. São todos muito adoráveis. Foi muito legal.

Como foi o processo para escolher a capa dos livros?
Eu falei com a minha designer da capa, nós somos boas amigas, então ela me deixou colaborar com ela. Nós conversamos sobre um quarto de menina para o primeiro livro e eu peguei algumas fotos para eles usarem no ensaio, eu estava lá e ajudei. Eu peguei coisas de filmes e polaroid porque eu queria que parecesse pessoal. E a mesma coisa para esse livro também (P.S.: Ainda amo você). Foi legal, foi mais pela composição da roupa. Para esse, eu realmente queria que ela tivesse algo diferente no cabelo, afinal, ela é jovem. Então pedi para tentarem algo com um laço para ver como ficaria, e foi a que ficou melhor. Fiquei muito feliz. Eu queria que ficasse parecido com orelhas de coelho no alto do cabelo.

Como você teve a ideia para os nomes das personagens?
Eu amo dar nomes aos personagens. É a minha parte favorita. Mas eu não sei… simplesmente os nomes me vieram. Eu não lembro como eu tive a ideia, mas foram todos fáceis.

Qual é o seu livro favorito?
O meu livro favorito é “I Capture The Castle” da Dodie Smith. Ele será relançado mês que vem com uma linda capa e eu escrevi a composição no início explicando o meu amor pela história. O original saiu na década de 1940.

Agora sabemos que muitas das fotos que estão na capa de “Para todos os garotos que já amei” são realmente de Jenny Han. Uma fofa, não? Ah, e sobre o filme, ela disse que não sabe se teremos 3, assim como os livros, e que devemos focar nesse primeiro. Mal podemos esperar para ver!

Confira a capa de Turtles All The Way Down, novo livro do autor John Green

0

zainab

Guilherme Cepeda, no Burn Book

Depois de seis anos, dois filmes e 4,5 milhões de livros vendidos no Brasil, John Green está de volta!

O autor acaba de divulgar a capa do seu novo livro, Turtles All The Way Down (ainda sem título em português), via Twitter.

Nesse livro vamos conhecer a história de Aza Holmes, uma jovem de 16 anos em busca de um bilionário desaparecido para tentar ganhar a recompensa oferecida. Um livro sobre amizades duradouras, reencontros inesperados, fan fictions de Star Wars e répteis neozelandeses.

20663811_10207612835517677_4717607472453053407_n

John Green incluiu na nova obra muitos elementos da própria vida, entre eles o transtorno obsessivo-compulsivo (TOC), com o qual conviveu por muitos anos – mas é uma história totalmente fictícia. Em entrevista ao Entertainment Weekly, o autor declarou:

Há anos que trabalho em Turtles All The Way Down e estou animado para compartilhar essa história com os leitores, em outubro. É minha primeira tentativa de escrever diretamente sobre o tipo de distúrbio mental que afeta minha vida desde a infância, então, embora seja uma história ficcional, também é algo muito pessoal.”

O livro será publicado simultaneamente com os Estados Unidos, em 10 de Outubro.

via Intrínseca

Por que o livro é caro no Brasil

0

publicado na Super!

Não é novidade para ninguém. Nos Estados Unidos e na Europa, um livro sai bem mais barato que no Brasil. Vamos só lembrar um dos muitos exemplos. Na França, um dos volumes com as aventuras de Asterix (vendidos em livrarias, não em bancas) sai pelo equivalente a R$ 8,95. Aqui, custa R$ 17,00. A capa, o tamanho, o número de páginas, os quadrinhos, tudo é idêntico. Só o que muda é o idioma que vem dentro dos balões. Claro: os custos da tradução não explicam o aumento.

Livros

O problema é a tiragem. Enquanto outros países trabalham com tiragens médias de mais de 10 000 exemplares por edição, no Brasil esse número fica na casa dos 2 000. O mercado é pequeno, vende-se pouco, e elevar essa média é produzir encalhes. Daí que, com edições reduzidas, o custo por unidade sobe. O raciocínio é bem simples. Fora o papel, que varia segundo a quantidade de exemplares, toda edição tem um custo fixo, do qual não dá para fugir. Composição das páginas, máquinas, revisões, ilustrações, tudo isso independe da tiragem. E quando se divide o custo fixo pelo número de exemplares, tem-se o custo unitário.

Como o mercado brasileiro se organizou com base nas pequenas tiragens, o preço final de um volume é sempre alto. Mesmo os best-sellers, que vendem dezenas de milhares de cópias, custam caro, já que os editores fixam o preço com base em padrões (um certo “x” por página) estabelecidos a partir das baixas tiragens. A vantagem, dos editores, é que best-sellers dão mais lucro. E quase sempre compensam o prejuízo dos títulos que acabam encalhando nas prateleiras.

O leitor brasileiro é prejudicado pelas tiragens pequenas. Como o mercado de livros no Brasil é bem reduzido, as edições são minguadas. Na média, não passam dos 2 000 exemplares. A equação é cruel: tiragens mínimas projetam o custo unitário lá para as alturas. O leitor, quando pode, é quem acaba pagando a conta. Veja, em porcentagens, para quem vai cada parcela do preço de capa que você paga na livraria:

Papel

Menos de 5%

Às vezes é transformado no vilão da história. O custo subiu — depois do Real, o preço da tonelada de papel branco passou de cerca de 600 para 1 100 reais —, mas não significa nem 5% do preço de um livro.

Editor

Cerca de 25%

O editor fica com algo em torno de 25% do preço de capa. Esse valor paga os custos de funcionamento da editora, a tradução, revisão, paginação e o lucro.

Autor

De 7% a 12%

Recebe em média 10% do preço de capa de um livro, mas essa porcentagem varia. O valor inclui todos os custos de seu trabalho. Na maioria dos casos, o autor não recebe adiantamentos.

Gráfica

Cercade 8%

O custo de impressão de um livro comum, sem ilustrações impressas em papel especial, é da ordem de 8% do preço de capa, sem incluir o preço do papel.

Distribuidor

Cerca de 15%

A maior parte do preço de capa do livro fica na distribuição e venda. O distribuidor atacadista fica com 15%.

Livraria

40%

A livraria fica com 40% do preço de capa do livro, em média.

Go to Top