Assine hoje a revista Ultimato

Posts tagged cinema

Neuromancer | Diretor de Deadpool fará adaptação de clássico da ficção científica

0
Tim Miller no set de Deadpool

Tim Miller no set de Deadpool

Caio Coletti, no Observatório do Cinema

O diretor Tim Miller vai comandar a adaptação de Neuromancer, um clássico da ficção científica cyberpunk. A informação é do Deadline.

Miller conseguiu um grande hit no ano passado ao dirigir Deadpool, mas foi dispensado da sequência em favor de David Leitch (De Volta ao Jogo/John Wick). Ele foi contratado recentemente para dirigir Exterminador do Futuro 6.

O livro de William Gibson acompanha o protagonista Henry Case, um ladrão de dados muto bem-sucedido até o momento em que ex-empregados o atacam e danificam seu sistema nervoso. Ele está na pior quando um misterioso contratante o chama para um último trabalho.

Diretores como Joseph Khan (diretor de clipes para Lady Gaga e Katy Perry) e Vicenzo Natali (Cubo, Hannibal) já tentaram adaptar o livro e falharam.

Jogos Vorazes e Crepúsculo podem ganhar novos filmes

0

hungergames_twilight

Presidente da Lionsgate diz que tudo depende dos autores dos livros

Thiago Romariz, no Omelete

Em entrevista à Variety, o presidente da Lionsgate John Feltheimer disse que ainda não chegou ao fim a vida das franquias Crepúsculo e Jogos Vorazes no cinema. No entanto, há uma condição para isso tomar vida: a boa vontade das criadoras Stephenie Meyer e Suzanne Collins.

“Existem muitas histórias para contar e nós estaremos prontos para mostrá-las assim que as autoras dos livros também estiverem”, disse durante uma reunião de acionistas do estúdio na última terça.

O executivo também confirmou a intenção da Lionsgate de se aproximar de serviço de streamings, estreitando a relação entre cinema e vídeos sob demanda. Apesar disso, nenhum tipo de projeto sobre as franquias foi comentado.

Livros e cinema lideram lista de gastos do vale-cultura

0

A compra de livros, jornais e revistas se mantém no topo da lista de demanda e corresponde a 65% dos gastos viabilizados pelo recurso

Carlos Andrei Siquara, em O Tempo

Compra de títulos corresponde a 65% do consumo de beneficiados

Compra de títulos corresponde a 65% do consumo de beneficiados

O consumo dos brasileiros inscritos no vale-cultura segue um padrão que vem se perpetuando desde os primeiros anos de funcionamento do programa, instituído por meio de uma lei de 2012. A compra de livros, jornais e revistas se mantém no topo da lista de demanda e corresponde a 65% dos gastos viabilizados pelo recurso. Em segundo lugar figura a usufruição de cinema, com 23%. Para o economista Gustavo Souza Fernandes, que analisou o tema em dissertação de mestrado defendida na UFMG, esses dados podem refletir algumas das limitações percebidas em torno do projeto.

“Uma delas está relacionada à ausência de conhecimento de onde pode-se utilizar o benefício. Eu já vi vários estabelecimentos anunciando que aceitam o vale, mas falta às pessoas informação sobre esses espaços e, inclusive, sobre o fato de que elas podem acumular os R$ 50 recebidos mensalmente para gastar depois em produtos um pouco mais caros”, diz Fernandes.

Marcelo Oliveira, engenheiro florestal, conta que entre 2015 e 2016, quando recebeu o vale-cultura, concentrou os investimentos na aquisição de livros. Porém, Oliveira revela que agiu dessa maneira mais por falta de opção. “Inevitavelmente, eu fui obrigado a usar o benefício 90% das vezes na compra de livros, o que gosto bastante, mas tenho uma vida cultural bastante ativa. Vou muito ao teatro, praticamente toda semana, mas a maioria dos estabelecimentos de Belo Horizonte não aceitavam o vale”, conta o engenheiro.

Apesar dessa questão, ele reforça a pertinência da iniciativa. “Eu acho que é um programa a se melhorar, principalmente em relação a essas limitações. Mas só o fato de ser um incentivo, que no meu caso acabou sendo voltado quase exclusivamente para o consumo dos livros, eu acho que é algo ótimo”, completa ele.

Pedro Patrício Moureira Lacerda, consultor de mercado, afirma que usa o vale-cultura especialmente para ir ao cinema. Ele diz que direciona o benefício para esta área por uma questão de gosto, mas também de praticidade. “Já ouvi relatos de amigos que vão a algumas lojas e elas variam em relação ao que você pode comprar com o vale-cultura. Isso acontece muito com os jogos, porque há essa discussão se eles são ou não cultura. Outras vezes, também algumas lojas pedem um cadastro online, então eu acabo preferindo evitar todas essas etapas e vou logo ao cinema”, diz.

Sâmara Vieira, analista de recursos humanos, também divide o vale entre a sala de cinema e a livraria. “Eu gosto de comprar alguns livros que são úteis para o meu desenvolvimento profissional”, relata ela.

A bancária Renata Lúcia Santos de Souza, por sua vez, opta por gastar o bônus no cinema e, ao comentar sobre a iniciativa, ressalta que é importante sua permanência. “É muito bom você poder contar com um recurso para ir ao cinema, ao teatro. Esses R$ 50 também são a única coisa que não tem nenhum desconto em folha para pagar algum tipo de imposto, então esse é realmente um benefício que é muito válido e todo mundo deveria ter”, defende ela.

As Crônicas de Nárnia | Reboot ganha diretor de Capitão América

0

1_mALzJi6

Longa pretende reviver a franquia de C.S. Lewis

Fabio de Souza Gomes, no Omelete

Joe Johnston foi confirmado como o diretor de Narnia: The Silver Chair, filme que pretende reviver As Crônicas de Nárnia nos cinemas (Via Variety).

O cineasta esteve por trás de longas como Capitão América: O Primeiro Vingador e a produção original de Jumanji. Agora, ele terá a missão de dar sequência a franquia e foi elogiado por Mark Gordon, produtor do longa.

“Joe é um contador de história maravilhoso que sente-se confortável filmando grandes franquias e, ao mesmo tempo, trabalhando o íntimo dos personagens. Como a história de C.S. Lewis é icônica e épica, mas ao mesmo tempo afetuosa e emocional, ele é a escolha perfeita”, afirmou ao site.

Quarto livro da série criada por C.S. Lewis, e o primeiro sem a presença dos irmãos Pevensie, A Cadeira de Prata se passa 70 anos depois de A Viagem do Peregrino da Alvorada no tempo de Nárnia, o que permite a entrada de um novo elenco. Na trama, Eustáquio volta a Nárnia na companhia de sua amiga Jill Pole.

David Magee, de As Aventuras de Pi, escreve o filme. O Sobrinho do Mago, que trata das origens de Nárnia e do guarda-roupa do primeiro filme, chegou a ser cotado como o quarto longa da série cinematográfica, mas o estúdio e os herdeiros de C.S. Lewis decidiram seguir a ordem cronológica dos livros.

Animais Fantásticos e Onde Habitam 2 | Jude Law espera encontro com J.K. Rowling para falar sobre Dumbledore

0

1_b5lP2ib

Ator interpretará o personagem em sua juventude

Fabio de Souza Gomes, no Omelete

Jude Law falou pela primeira vez sobre a emoção de viver Dumbledore na sequência de Animais Fantásticos e Onde Habitam. Em entrevista à Evening Standard (Via HH), o ator afirmou que seu primeiro grande objetivo é conversar com J.K. Rowling, autora dos livros e roteirista dos novos filmes, para entender como ela encherga o mago.

“Quero falar exatamente sobre o personagem, quem ele é e quem ela quer que ele seja. Além disso, quero aprender mais sobre a visão dela deste grande homem em sua juventude”, explicou.

Eddie Redmayne fará novamente o papel de Newt Scamander e Johnny Depp também retorna como Grindelwald.

Animais Fantásticos e Onde Habitam 2 começa suas gravações em julho e tem estreia marcada para 16 de novembro de 2018. A continuação será ambientada em Paris, mas também deve ter cenas na Inglaterra, cenário habitual de Harry Potter

Go to Top