Vitrali Moema

Posts tagged Destinos

Destinos turísticos sombrios para os amantes da literatura de terror

0

Fabio Mourão, no Dito pelo Maldito

A primavera é uma das melhores estações para se viajar! Nem tão fria que atrapalhe o passeio, e nem tão quente que torne o trajeto insuportável, o que a torna uma época ideal para atividades ao ar livre. Porém, esse não é um clima que agrade diretamente os amantes do gênero de terror. Nós queremos adentrar castelos sombrios, explorar catacumbas profundas, conhecer lendas fantasmagóricas, e, se possível, dormir em cidades perdidas que só podemos visitar através dos livros.
Foi pensando nisso que selecionamos aqui alguns destinos macabros como sugestão turística para os fãs do terror. E não estamos falando de locações de filmes ou parques temáticos, esses locais são reais e realmente perturbadores.

O Hotel Stanley
Colorado, EUA

The-Stanley-Hotel
O Hotel Stanley é famoso por ter sido a inspiração para o Hotel Overlook de Stephen King em O Iluminado, mas a sua história real não é menos sombria que a fictícia. O local foi inaugurado em 1909 por um casal no intuito de tratar a tuberculose do marido Freelan Oscar Stanley, com o ar puro da montanha. No longo tempo em que hospeda pessoas de todo o mundo, o hotel coleciona histórias bizarras, sendo considerado até hoje como um viveiro de atividades paranormais. Pode ser que as histórias sejam apenas uma jogada de marketing para atrair os leitores de King, mas, na verdade, a vista do lugar é tão linda, que isso pouco importa aos hospedes. Mas, ainda assim, você pode reservar o quarto 217 por sua própria conto e risco.

Castelo de Bran (Castelo do Drácula)
Braşov, Romênia

videotour-thumb
Situado na fronteira entre a Transilvânia e a Valáquia, esta bela fortaleza é tida como o lar do lendário Drácula – embora exista controvérsias. Apesar do próprio Bram Stoker nunca ter visitado a Romênia, a sua descrição do castelo de Bran é bem real: “. . . na extremidade de um precipício fantástico. . . com ocasionalmente uma fenda profunda onde há um abismo com fios de prata onde os rios serpenteiam em desfiladeiros profundos através das florestas.” Já sobre o verdadeiro Vlad Tepes, (um dos líderes mais violentos da história) só é confirmado que ele foi preso no Castelo de Bran por dois meses em 1462. Então, seja para conhecer o homem ou o mito, o Castelo de Bran parece o lugar ideal para um jantar sob à luz do luar.

Floresta de Hoia Baciu
Cluj-Napoca, Romênia

hoia-forest-the-5-freakiest-places-on-earth
Enquanto você estiver na Romênia, que tal estender o passeio e dar uma passadinha pela infame Floresta de Hoia Baciu? O lugar, muitas vezes denominado como o ‘Triângulo das Bermudas da Romênia’, ostenta diversos relatos de atividades paranormais que varia desde fantasmas a OVNIs. A própria floresta foi nomeada por um pastor que desapareceu por ali com todo o seu rebanho de duzentas ovelhas. A vegetação local cresce estranhamente, muitos relatam marcas misteriosas de queimaduras nas árvores, e os moradores locais têm medo de frequentar a floresta devido às suas lendas e mitos. Se você é corajoso o suficiente para fazer uma visita, sugerimos que tire muitas fotos e depois verifique as imagens em busca de aparições estranhas.

O Museu da Tortura
Amsterdã, Holanda

the-table-of-torture
Um pequeno museu escondido no coração de Amsterdã, The Torture Museum é exatamente o que o nome sugere: um museu histórico dedicado a dispositivos de tortura. Porém, o que o torna memorável são os quartos pequenos, sombrios e cavernosos que nos passa a sensação de se estar em um labirinto subterrâneo. Sem contar que muitos dos instrumentos expostos estão liberados para que você possa realmente manipulá-los, a maioria incluindo livros com imagens e instruções que descrevem o seu uso. A experiência varia do cômico ao incrivelmente sombrio e perturbador. De fato não é um passeio indicado para os fracos de coração.

Ilha das Bonecas
Cidade do México, México

46cfd84925e1b5f8ce2db8887589bd63
O que é mais assustador do que encontrar uma boneca abandonada olhando para o fundo da sua alma? E que tal centenas e mais centenas delas, mutiladas e decrépitas, penduradas em árvores em uma ilha isolada? Isso é o que você vai encontrar se você se atrever a visitar a Isla das Muñecas em Xochimilco. Lendas relatam que o dono da ilha, Don Julián Santana Barrera, encontrou uma garotinha afogada e pendurou a sua boneca em uma árvore como sinal de respeito. Mas depois que ele ficou assombrado por sussurros e choros misteriosos, ele começou a pendurar bonecas em toda a ilha na tentativa de libertar o espírito da menina. Embora os moradores locais afirmem que o lugar está “amaldiçoado”, os visitantes descrevem consistentemente visões assustadora do lugar. Muitos trazem suas próprias bonecas para pendurar como um tipo de oferenda.

A Mansão Winchester
Califórnia, EUA

VCW_D_Sjose_T4_WinchesterMysteryHouse_ChristySharp_1280x642
A história de Sarah Winchester pode ser considerada uma das mais fascinantes da história dos EUA. Viúva do magnata William Wirt Winchester, Sarah construiu uma mansão que alegou ser assombrada por todos os mortos pelos rifles de Winchester. Contam que alguém a convenceu de que o único jeito de apaziguar os espíritos das vítimas, seria continuar construindo a sua casa. A casa é conhecida por ser um intenso epicentro de avistamentos sombrios até hoje, além de ser famosa pela sua arquitetura excêntrica e não planejada. Muitos afirmam que Sarah continuou ampliando a casa até o dia de sua morte, quando finalmente todas as construções cessaram.

O Ossário de Sedlec
Kutna Hora, República Tcheca

DSC_6329
Uma capela católica localizada embaixo da Igreja do Cemitério de Todos os Santos, conhecida por armazenar dezenas de milhares de ossos humanos – muitos deles arranjados artisticamente. Crânios e outras peças formam paredes inteiras, guirlandas, sinos, brasões e até mesmo um candelabro espetacular. Embora os ossos sejam fruto de séculos de mortes, o atual arranjo macabro é trabalho de František Rint, um estilista com uma estranha visão artística, contratado para organizar os ossos em 1870. Você pode visitar o ossário marcando uma turnê noturna especial.

Cratera de gás Darvaza (A porta do inferno)
Derweze, Turcomenistão

4619013557_c2a641a4a9_b
Nem todos os lugares assustadores do mundo foram construídos pelas mãos humanas, alguns foram presentes da própria natureza. Quando um campo de gás natural no Turquemenistão entrou em colapso, foi gerado uma cratera com mais de 200 pés de largura e quase 100 metros de profundidade, banhada pelo fogo. Os geólogos incendiaram o lugar em 1971 para evitar a propagação do gás metano, e ele está ardendo em chamas desde então. O resultado é um poço incrível e infernal com chamas de um laranja fervente. Uma vez que o fogo é mais visível durante à noite, muitas pessoas levam barracas e acampam no deserto ao redor. É bom avisar que o lugar não é roteiro das companhias de turismo, e nem mesmo existe um estacionamento no local. Portanto, se você decide acampar por lá, certifique-se de levar suprimentos essenciais para a sua sobrevivência.

Casa do terror de Amityville
Nova Iorque, EUA

MW-EQ389_amityv_20160629095319_ZH
Em 1974, Ronald DeFeo Jr. assassinou seis membros da sua família na infame casa de Amityville. E esse é apenas o começo do histórico trágico dessa residência. A família Lutz – O casal George e Kathy mais três filhos – comprou a casa após o acontecido, mudando-se menos de um mês após os assassinatos, e logo na primeira noite no lugar alegam terem sidos aterrorizados por atividades sobrenaturais. A casa ficou ainda mais famosa quando o autor Jay Anson publicou o livro ‘Horror em Amityville’ em 1977, no intuito de relatar a “verdadeira história” do calvário sofrido pela família Lutz. Embora a casa tenha permanecido como uma residência privada, o endereço mudou na tentativa de desencorajar os visitantes.

Central Nuclear de Chernobyl
Pripyat, Ucrânia

Chernobyl_nuclear_plant5
Se você tem mais de 30 anos, provavelmente já ouviu falar do desastre de Chernobyl de 1986, uma explosão que se tornou o pior desastre nuclear que o mundo já viu. Uma tragédia responsável por muitas mortes diretas e indiretas (o número exato é contestado). Disseram que a sua evacuação seria temporária, e a maioria dos moradores abandonaram a cidade deixando todos os seus pertences, e nunca mais conseguiram retornar para suas casas, razão pela qual o lugar tornou-se um destino turístico apesar do eminente perigo de envenenamento por radiação. Pripyat tornou-se uma cidade congelada no tempo – um verdadeiro museu sem vida na Europa Oriental antes da queda da Cortina de Ferro. O resultado é uma cidade fantástica, incrivelmente misteriosa, e que tornou-se um destino icônico para os fotógrafos, os caçadores de atividade mórbidas, curiosos e paranormais. Além de ser uma excelente sugestão de base para um Super Vilão dos quadrinhos.

Livro encadernado com pele humana é descoberto na biblioteca de Harvard

0
Dr. Ludovic Bouland (1839-1932) recebeu exemplar original como presente do autor e tratou de encapá-lo com a pele de uma paciente; médico explicou o processo em nota contida no livro, mas o texto era tomado como uma piada

Dr. Ludovic Bouland (1839-1932) recebeu exemplar original como presente do autor e tratou de encapá-lo com a pele de uma paciente; médico explicou o processo em nota contida no livro, mas o texto era tomado como uma piada

Universidade norte-americana confirmou em análises a presença do órgão humano em exemplar de ‘Des destinées de l’ame’, do francês Arsène Houssaye

Publicado no Divirta-se

Pesquisadores da universidade de Harvard (Cambridge, Massachusetts, noroeste dos Estados Unidos) anunciaram a surpreendente descoberta de um livro francês do século XIX conservado na biblioteca Houghton da prestigiosa universidade: está encadernado com pele humana.

“Provas revelaram que a cópia de ‘Des destinées de l’ame’ (Destinos da alma) de Arsène Houssaye tem, sem dúvida, uma encadernação de pele humana”, informou a biblioteca em artigo publicado em seu blog, assinado pela curadora assistente em livros modernos e manuscritos, Heather Cole.

“Pesquisadores e curadores de Harvard analisaram a encadernação utilizando vários métodos diferentes. Segundo o curador de livros raros Alan Puglia, as provas demonstram com 99% de certeza que a encadernação é de origem humana”, diz o texto. A descoberta não é nada mais do que uma confirmação, já que o próprio Houssaye (1815-1896) deixou uma nota manuscrita no interior do livro em que explicava que a obra estava encapada com “pele humana apergaminhada”.

“Um livro sobre a alma humana merecia ter uma vestimenta humana”, justificou o escritor francês, autor de vários romances, poesia e obras de crítica de arte. Segundo Cole, Houssaye ofereceu “Destinos da alma” ao amigo Ludovic Bouland, que o encadernou “com pele do cadáver não reclamado de uma doente mental que morreu de um ataque”.

As amostras examinadas pelo especialistas de Harvard foram retiradas de várias partes da capa, lombada e contracapa do livro e analisadas mediante a técnica de rastro peptídico (PMF, na sigla em inglês), que coincidiu com a referência humana e permitiu eliminar a possibilidade de que se tratasse de outros materiais de encadernação, como a pele de ovelha, cabra ou gado. A Biblioteca Houghton é a principal de Harvard para livros raros e manuscritos.

O curioso mundo dos animais empalhados do Sr. Potter

0

Livro mostra fantástica coleção de animais empalhados em cenas do cotidiano de Walter Potter, que faziam sucesso na Inglaterra vitoriana.

Publicado no G1

Um novo livro do historiador Pat Morris e da artista Joanna Ebenstein celebra a obra, a técnica e a arte de Walter Potter, um conhecido mestre da taxidermia dos tempos da Inglaterra vitoriana — ele viveu do século 19 a início do 20 (Foto: Pat Morris/Joanna Ebenstein)

Um novo livro do historiador Pat Morris e da artista Joanna Ebenstein celebra a obra, a técnica e a arte de Walter Potter, um conhecido mestre da taxidermia dos tempos da Inglaterra vitoriana — ele viveu do século 19 a início do 20 (Foto: Pat Morris/Joanna Ebenstein)

Potter, que morreu em 1918, começou a aprender a taxidermia ainda garoto, aprendendo a preservar corpos de pássaros e animais. Logo após deixar a escola, de início à sua coleção particular (Foto: Pat Morris/Joanna Ebbenstein )

Potter, que morreu em 1918, começou a aprender a
taxidermia ainda garoto, aprendendo a preservar
corpos de pássaros e animais. Logo após deixar a
escola, de início à sua coleção particular
(Foto: Pat Morris/Joanna Ebbenstein )

As cenas de animais empalhados protagonizando uma cena cotidiana do século 19 tornaram-se ícones da Inglaterra vitoriana. Walter Popper tinha fascínio pela taxidermia e começou a aprender a arte de empalhar animais ainda garoto.

VEJA A GALERIA COMPLETA

Um novo livro do historiador Pat Morris e da artista Joanna Ebenstein celebra a obra, a técnica e a arte de Potter, que, em vida, fundou e manteve o Museu de Curiosidades do Sr. Potter, perto de Brighton, na costa sul da Inglaterra.

Com sua morte em 1918, a coleção teve vários destinos e acabou desmembrada em um leilão no ano de 2003.

O artista britânico Damien Hirst tentou comprar tudo por mais de R$ 3,5 milhões, mas já era tarde demais para o lance.

O livro “Walter Potter’s Curious World of Taxidermy”, assinado por Pat Morris e Joanna Ebenstein, foi publicado pela editora Constable, de Londres.

Esperava-se que a coleção fosse vendida inteira, mas não houve nenhuma oferta pelo acervo completo, que acabou desmembrado. O artista britânico Damien Hirst tentou comprar tudo por mais de R$ 3,5 milhões, mas já era tarde demais para o lance (Foto: Pat Morris/Joanna Ebenstein)Esperava-se que a coleção fosse vendida inteira, mas não houve nenhuma oferta pelo acervo completo, que acabou desmembrado. O artista britânico Damien Hirst tentou comprar tudo por mais de R$ 3,5 milhões, mas já era tarde demais para o lance (Foto: Pat Morris/Joanna Ebenstein)
Go to Top