Posts tagged Estados Unidos

Malala Yousafzai anuncia livro sobre refugiados

0


Foto: Divulgação

Romance deve ser lançado em setembro nos Estados Unidos

Publicado no Destak Jornal

Depois do sucesso de “Eu sou Malala – A história da garota que defendeu o direito à educação e foi baleada pelo Talibã”, a paquistanesa anunciou seu segundo livro intitulado “We Are Displaced” (“Estamos deslocados”, em tradução livre). A publicação tem lançamento previsto para o dia 9 de setembro, nos Estados Unidos, pela Little, Brown Books for Young Readers. A informação é da EW.

O livro focará na experiência de pessoas refugiadas e mostrará “como é viver um um mundo completamente diferente do que o único que você já conheceu”. Yousafzai usa sua própria experiência para narrar a história, mas inclui depoimentos de pessoas que conheceu enquanto viajava para campos de refugiados.

Amazon lançará antologia inspirada na obra de Philip K. Dick em janeiro

0
Janelle Monae é uma das estrelas do seriado | Foto: Reprodução / CP

Janelle Monae é uma das estrelas do seriado | Foto: Reprodução / CP

“Electric Dreams” terá 10 episódios, cada um inspirado em um conto do escritor

Publicado no Correio do Povo

A Amazon já tem data de estreia para uma antologia de ficção científica inspirada na obra de Philip K. Dick. Conforme informações divulgadas pelo site Deadline, “Electric Dreams” começa a ser transmitida em 12 de janeiro, pelo Amazon Prime Video, nos Estados Unidos, na Alemanha, na Índia, na Itália, no Japão, na Espanha, na Turquia e na América Latina.

De acordo com o que foi divulgado até agora, cada um dos 10 episódios será baseado em um conto do escritor norte-americano – e os capítulos não terão ligação entre si. O elenco terá nomes como Anna Paquin, Benedict Wong, Bryan Cranston, Janelle Monae, Lara Pulver, Richard Madden, Steve Buscemi, Terrence Howard, Timothy Spall e Vera Farmiga.

“Electric Dreams” foi desenvolvida em uma parceria entre a Sony e o Channel 4, a emissora que criou Black Mirror. A Amazon adquiriu os diretos de exibição nos Estados Unidos após a rede AMC sair do processo de desenvolvimento no início deste ano. “Estamos entusiasmados em compartilhar o mundo fantástico de Philip K. Dick”, afirmou Brad Beale, vice-presidente mundial de aquisição de conteúdo da Amazon Prime Video. “Com o gênio criativo combinado por trás desta série, bem como o elenco estelar e locais visivelmente atraentes, cada episódio desta antologia de ficção científica certamente será uma experiência divertida para nossos assinantes”, concluiu, em comunicado.

Philip K. Dick escreveu mais de 50 livros e deixou mudanças profundas no gênero literário ficção científica. Há anos, textos do autor têm servido de inspiração para o cinema, como é o caso de “Blade Runner”, “Minority Report: A Nova Lei” e “O Homem Duplo”, entre outros. A Amazon Prime Video já exibe uma série inspirada na obra de PKD, intitulada “The Man in the High Castle”.

Universidade dos Estados Unidos cria graduação sobre maconha

0
(Foto: Creative Commons/ Kyrnos)

(Foto: Creative Commons/ Kyrnos)

 

Publicado na Galileu

A combinação maconha e faculdade nunca foi uma novidade. Mas na Universidade do Norte do Michigan (MNU), nos EUA, a planta deixou o intervalo e as matadas de aula para virar tema de quatro anos de graduação. Quase metade dos 50 estados norte-americanos já reconhecem o uso terapêutico da planta, sendo que oito unidades da federação legalizaram inclusive o uso recreativo. Nasceu assim um mercado bilionário, mas ainda faltam pessoas capacitadas para lidar com ele. Visando preencher essa lacuna surgiu o curso de Química de Plantas Medicinais.

Somente no ano passado, o mercado legal da maconha e seus derivados movimentou U$ 6.7 bilhões somente nos EUA. A expectativa é que o volume dispare nos próximos anos, atingindo a marca de U$ 44 bilhões em 2020, tanto que a revista Forbes apontou o mercado da erva como a melhor oportunidade de negócios para empreendedores e investidores de startups. A Sociedade Americana de Química criou recentemente uma subdivisão que visa apresentar as novidades da indústria em seus encontros nacionais.

Foi justamente em um desses encontros que um professor da MNU, Brandon Canfield, observou a necessidade de formação técnica na área. Nos quatro anos de curso os alunos obterão conhecimento em química e biologia da Cannabis, além de aprender sobre empreendedorismo e a cultivar a planta. O curioso é que a Universidade não vai poder manter sua própria plantação de maconha, já que o Michigan não é um dos estados em que a erva foi legalizada.

Hillary chama Trump de “asqueroso” em livro de memórias

1

trump_e_hillary_-_agencia_lusa_0

Publicado na Agência Brasil

A ex-candidata democrata à presidência dos Estados Unidos, Hillary Clinton chamou o presidente, Donald Trump, que a venceu nas últimas eleições, de “asqueroso” em um livro de memórias que conta a campanha presidencial de 2016. A informação é da EFE.

Um trecho da versão em áudio do livro, divulgado hoje (24) pela emissora MSNBC e lido pela própria ex-secretária de Estado, cita um incidente ocorrido em um dos debates entre os dois. “Foi incrivelmente incômodo. Ele estava literalmente respirando no meu pescoço. Minha pele arrepiou”, disse ela no livro intitulado “What Happened?” (O que aconteceu?).

“Você se mantém calma, segue sorrido e continua como se não estivessem invadindo de maneira repetida seu espaço? Ou você se vira, olha nos olhos e diz alto e claro: sai para lá, asqueroso. Se afaste de mim. Já sei que você se encanta em intimidar as mulheres, mas não pode me intimidar”, continua a ex-primeira-dama.

Hillary se referia a um dos momentos mais comentados do segundo debate presidencial, quando Trump se aproximou dela em várias ocasiões. Quando ela respondia às suas intervenções, o agora presidente se posicionava nas costas da democrata.

O novo livro da democrata, que indicou que as memórias são uma tentativa de esclarecer a sua fracassada tentativa de chegar à presidência, será publicado no próximo dia 12 de setembro.
Edição: Augusto Queiroz

“1984”, de George Orwell, volta ao ao topo dos mais vendidos da Amazon após declaração de assessora de Donald Trump

0

37216488_303

Vendas do livro disparam no site da Amazon após Trump e sua equipe contestarem relatos da imprensa e oferecerem “fatos alternativos”. História se passa num regime totalitário de constante vigilância e manipulação.

Publicado no DW

Título original: “1984”, de Orwell, lidera lista de mais vendidos nos EUA

O romance de George Orwell 1984 voltou às listas de livros mais vendidos nos Estados Unidos nesta terça-feira (24/01), após uma série de declarações incorretas ou imprecisas terem sido feitas pelo presidente Donald Trump e membros de sua administração.

Publicado pela primeira vez em 1949, o clássico de Orwell é um conto distópico que tem lugar numa sociedade onde os fatos são distorcidos e suprimidos numa nuvem de “novilíngua”. O livro chegou ao topo da lista de mais vendidos da Amazon nesta terça-feira.

Paralelos com o livro foram feitos após Trump alegar que milhões de votos ilegais foram contados contra ele na eleição presidencial. A conexão foi reforçada neste domingo, quando Kellyanne Conway, uma assessora do presidente, falou de “fatos alternativos” para se referir às declarações do porta-voz da Casa Branca, Sean Spicer, de que a posse de Trump teve o maior público da história.

A declaração provocou enorme controvérsia nas redes sociais, envolvendo até mesmo o dicionário Merriam-Webster, que, após um aumento repentino da pesquisa pelo significado da palavra “fato”, ressaltou que um fato é uma informação baseada na realidade objetiva.

História escrita por Orwell se passa numa sociedade onde fatos são constantemente distorcidos

História escrita por Orwell se passa numa sociedade onde fatos são constantemente distorcidos

 

A demanda pelo livro é tão grande que a editora Penguin programou uma impressão adicional de 75 mil cópias. A revista The Hollywood Reporter também noticiou que um filme está sendo preparado pela Sony e o diretor Paul Greengrass, o que seria a terceira adaptação do livro.

Mas 1984 não é o único livro escrito há décadas a invadir as listas dos mais vendidos esta semana devido a eventos políticos. O romance escrito por Sinclair Lewis em 1935 It Can’t Happen Here (Isso não pode acontecer aqui) sobre a eleição de um presidente autoritário nos Estados Unidos, está no lugar 46 da lista dos mais vendidos desde 25 de janeiro. O romance distópico de Aldous Huxley Admirável mundo novo, publicado em 1932, ocupa a posição 71, enquanto a obra de não-ficção de Hannah Arendt Origens do totalitarismo tem apresentado um aumento nas vendas.

MD/ap/afp

Go to Top