Ansiedade 3 - Ciúme

Posts tagged estudar

Saiba qual é realmente o melhor horário para estudar e aprender muito melhor

0

direito-oab-concursos-horario-estudar-estudante

Publicado no Amo Direito

Muitas vezes somos pegos por várias dúvidas cruéis, e muitas delas nos perturbam sem dó, algumas são fáceis de resolver outras realmente temos que descobrir na prática e nesse mundo complicado dos concursos sabemos que se for para descobrir algo na pratica, melhor que seja antes da prova, pois assim da tempo de arrumar, na prova só dá tempo de marcar e torcer para estar certo.

Uma das muitas dúvidas que sempre tive é se existe hora certa para estudar, hoje com a concorrência cada vez maior e bem preparada, com editais cada vez maiores e complexos o tempo parece voar e as horas de estudos ficam insignificantes diante de tanta informação a se apreender. Mas será que existe uma hora certa de estudar? Tirando lógico o fato de que algumas pessoas funcionam melhor durante o dia e outras a noite, acredito que devemos estudar em todo e qualquer tempo que nos sobre, claro você deve ter em sua rotina de estudos um horário certo para se dedicar aos livros e resumos, uma hora do dia só sua de silêncio e concentração para estudar e isso muda de pessoa para pessoa, de acordo com os afazeres e a rotina de cada um, feliz de quem pode estudar no seu melhor horário de rendimento! Agora para que não pode paciência, pois não temos opção, ou estudamos e vamos para a luta, ou ficamos parados esperando a melhor hora e vamos deixando as oportunidades passarem por nossos olhos.

Qualquer hora é de estudar, afinal são inúmeras as matérias e pouco tempo para bater o edital, então por mais que tenhamos nosso ritmo e nosso horário especifico de estudo precisamos apertar o passo e buscar soluções criativas para nossa falta, ou má administração de tempo. Precisamos ter em mente que cada minuto faz diferença e que a questão, ou o a matéria que você deixou de ver cairá na prova e seu concorrente vai acertar, foi o tempo em que bastava decorar alguns artigos saber um pouco de português e matemática que a prova estava garantida, hoje os detalhes das questões estão sendo a verdadeira diferença entre o sucesso e a espera pelo próximo edital veja que não é a diferença entre sucesso e fracasso, pois por mais que você tenha ido mal em uma prova isso não quer dizer que você fracassou, pois cada prova que fazemos, por mais que o resultado não foi agradável nos deixa mais perto do sucesso e do futuro que queremos, aprendemos a cada dia e com cada erro. Eu levei um certo tempo para perceber isso, mas ainda bem que não é tarde, pois o certame que escolhi ainda não foi publicado, mas deve sair em breve, e faz um tempo estou debruçado sobre o edital anterior, fazendo questões e correndo contra o tempo estudando forte, além do tempo que estudo a noite após o dia de trabalho, procuro resolver o máximo de questões no trajeto que faço de casa para o trabalho, pois só nesse trajeto que leva cerca de 40 minutos de ônibus consigo resolver varias questões e depois a noite conferir meu índice de acerto pelo gabarito, é claro ainda não atingi a incrível capacidade de resolver questões de raciocínio lógico no ônibus, mas estou a caminho quem sabe com um pouco mais de prática.

O que importa é que esse tempo que eu perdia e antes me massacrava hoje passa e eu nem vejo, vou ali com um caderninho de questões por dia, e sigo nele até acabar depois faço a correção e vejo o resultado. É claro nem todos os dias dá para fazer isso, pois todos sabemos que transporte publico assim como concursos públicos não é um lugar onde sobram vagas, mas nesses dias de lotação excessiva em que as pessoas não tem espaço nem para seus pensamentos eu ligo meu Mp3, com fone é claro, pois ninguém é obrigado a estudar comigo, e vou ouvindo áudio aulas: direito constitucional, direito administrativo, isso ajuda a revisar o conteúdo e dá mais um gás nos estudos.

Fonte: estudos 10

Confira 10 ótimos hábitos de estudo que vão melhorar bastante as suas notas

0

direito-oab-concursos-estudante-estudando

Publicado no Amo Direito

Nós sabemos. Metade do ano já passou voando! Mas… Não custa nada aproveitar, e aquelas famosas promessas, para melhorar as notas, certo?

E quer melhor maneira de fazer isso do que melhorando seus hábitos de estudo? Nunca é tarde para desenvolver bons hábitos.

Melhore seu desempenho em sala de aula, assim como suas notas.

Veja essa lista com os 10 hábitos que vão melhorar as suas notas:

1 – Anote qualquer coisa
Faça listas com as tarefas que você precisa realizar, anote o que os professores estão dizendo em aula, as datas das provas e trabalhos, tudo. Não importa em que lugar você vai fazer isso, no seu caderno, celular, agenda… O importante é não perder nenhum detalhe.

2 – Lembre-se da lição de casa
Você já está cansado de ouvir, mas muitas vezes esquece o trabalho em cima da cama. Ou usa essa desculpa simplesmente porque não terminou suas tarefas. Reserve um lugar especial na sua casa para fazer e guardar os trabalhos e crie o hábito de colocar sempre suas tarefas lá.

3 – Se comunique com os professores
Todo relacionamento de sucesso é construído com base em comunicação. Isso não seria diferente na relação professor-aluno. E a falta de comunicação é uma das maiores causas de notas ruins. Por isso é importante se certificar de que todas as suas dúvidas estão resolvidas. Lembre-se de que o professor vai responder quantas vezes você precisar.

4 – Se organize com cores
Seja uma pessoa organizada, e aproveite as cores para identificar suas tarefas. Azul para o que você já fez, verde para o que você faz bem, vermelho para o que precisa melhorar. Esse sistema serve para tarefas, pesquisas, aulas… E seus cadernos nunca mais terão orelhas, dobras, etc. Além de mais organizados, seus estudos serão mais limpos.

5 – Estabeleça uma zona de estudos em casa
Esqueça essa história de estudar na cama ou no chão do quarto. Isso não te ajuda em nada. Estabeleça um local de estudos na sua casa, onde você possa se sentar e estudar. Um local bem iluminado, confortável e calmo é o ideal.

6 – Se prepare para os testes
Você sabe que é importante estudar para os dias de testes, mas nunca faz isso, certo? Se acostume a separar algumas horas do seu dia para dedicar ao estudo e assim você não precisará entrar em pânico um dia antes da prova. Evite distrações e encontre o melhor estilo para você.

7 – Conheça seu estilo de estudo
Não fique dando murros em ponta de faca tentando se encaixar em um estilo que te enjoa, cansa e dá dores de cabeça. Encontre a melhor maneira para estudar e siga sempre esse cronograma. Não se julgue por não estudar no modo convencional, ele pode não funcionar para você. Procure recursos visuais, como vídeos ou desenhos.

8 – Pegue o que é mais importante
Destaque no seu caderno as anotações mais importantes, use marca textos, grifos, caixas coloridas. Isso ajuda muito na hora de estudar, especialmente se você é uma pessoa visual. Usando esses recursos, fica mais fácil identificar as informações principais na página.

9 – Não procrastine
Pare de enrolar. Não coloque dificuldades na hora de estudos. Dedique-se ao que você tem que fazer e mantenha em mente que quanto antes você começar a estudar, mais cedo vai terminar o que precisa fazer.

10 – Cuide-se
Para estudar, é preciso estar com a cabeça em ordem. Então não descuide da sua saúde, coma bem e mantenha a cabeça e os pensamentos limpos. Evite passar muito tempo nos video games, computadores e mensagens de texto.

Fonte: noticias universia

Vendendo amendoim, ambulante muda de vida e ganha bolsa para cursar direito

0

jh

Jhone Vicente dos Santos, 29, vende amendoim em avenida de Maceió e ganhou uma bolsa para cursar a faculdade de direito

Carlos Madeiro, no UOL

Quando Jhone Vicente dos Santos deixou a cidade de Palmeira dos Índios, no semiárido alagoano, para morar em Maceió após problemas familiares, em 2008, foi em busca de refazer a história marcada por problemas na juventude.

Hoje vendedor de amendoim na avenida Fernandes Lima –a principal de Maceió–, o rapaz de 29 anos conseguiu bancar com seu trabalho de ambulante todo o curso superior da mulher em Recursos Humanos. A ideia era que ela, depois de formada, arrumasse um emprego, trabalhasse e sustentasse então o sonho do marido: fazer faculdade de direito.

Uma gravidez, porém, mudou os planos da família. Leyla engravidou e deu à luz, há quatro meses, ao segundo filho do casal.

“Com o filho, ela não ia poder trabalhar. E também queria que ela curtisse mais a criança. Quando completasse seis meses de vida, é que pensaria em distribuir currículos dela por aí”, conta.

Mas a vida pregou uma peça em Jhone, que vai antecipar o sonho. No dia 10 de julho, ele teve sua história publicada em uma página do Facebook chamada “Humans of Maceió”. A postagem fez tanto sucesso –com mais de 5 mil curtidas e 500 compartilhamentos–, que ele recebeu uma bolsa integral de uma faculdade privada de Maceió.

Se fizesse o vestibular e fosse aprovado, ele teria os estudos totalmente bancados. E Jhone conseguiu. O resultado saiu nesta quarta, e o curso começa no dia 7 de agosto.

Conhecido na engarrafada avenida maceioense, Jhone conta que ficou ainda mais famoso após a publicação. “Depois disso, as pessoas param aqui, me parabenizam pela história”, relata o jovem, que admite ter pouca intimidade com as redes sociais. “Não sou muito de mexer.”

Como a mulher vai seguir em casa com o bebê, ele já planeja conciliar os estudos com a venda de amendoim. “É com ele que sustento minha família, não tem como parar”, diz.

jhone-vicente-dos-santos-29-vende-amendoim-em-maceio-e-ganhou-uma-bolsa-para-cursar-a-faculdade-de-direito-1500515895194_615x300

Carlos Madeiro/UOL

“Direito é uma carreira que me encanta porque faz a ligação entre a justiça e o povo. E minha vontade é essa: fazer essa ligação”

Juventude difícil

O interesse de Jhone em se formar é bem diferente da época de adolescência. Aos 18 anos, quando cursava o 1º ano do ensino médio, ele decidiu parar de estudar.

“Na verdade, parei mesmo por questão da juventude, nada de droga ou crime. Achava que o tempo não iria passar. Na época queria saber mais de festa, de jogar bola, não queria muita coisa pela vida”, admite.

O jovem conta que chegou a ter oportunidade de estudar gratuitamente em colégios particulares, mas refutou. “Eu me destacava porque jogava bem futebol, tive até a chance de estudar com bolsa, mas não quis. A maioria dos companheiros de que tenho conhecimento estão formados. O único que ficou estagnado fui eu”, disse.

A mudança para a capital ocorreu quando tinha 20 anos e estava responsável por sacar o dinheiro da aposentadoria de sua avó –à época internada em um hospital. “Fazia sempre tudo certinho, mas aí teve uma vez que –não sei o que deu– eu gastei o dinheiro. Foi então que eu vim para cá para casa da minha tia, que me recebeu como se nada tivesse acontecido. Foi aí que o negócio começou a se desenvolver”, conta ele.

A avó citada foi a mulher que criou Jhone. Ela morreu em 2011, mas não sem antes chegar a um entendimento com o neto. “Graças a Deus a gente superou, não teve mais nada”.

Quando chegou à capital, Jhone começou a trabalhar como servente de pedreiro. Depois, foi atuar em uma empresa de ferro. Em seguida, passou a atuar como motoboy. Foi quando decidiu ser autônomo.

A importância do casamento

Casado desde 2013 com Leyla Gabriele, 20, ele decidiu largar a vida de empregado e vender água de coco nos sinais.

“O casamento veio para me formar o caráter de homem que sou hoje. O que me motiva hoje a estar aqui é minha família”, afirma.

As vendas estavam fracas, e ele, inspirado em um amigo, decidiu vender amendoim. Hoje, sustenta a família vendendo 90 pacotes de “amendoins quentinhos” todos os dias. “Normalmente vendo tudo. Raramente volto com dois ou três para casa. Vendo cada pacote por R$ 2, mas faço três por R$ 5; é uma promoção”, conta. “Ganho mais que como motoboy”.

No ano passado, Jhone fez um supletivo e conseguiu o diploma do ensino médio, já pensando em cursar direito. Diz que gosta de ler e se informar, e por isso não espera dificuldade no curso de graduação.

Quando se formar, já tem decidido o que quer fazer na vida profissional. “Direito é uma carreira que me encanta porque faz a ligação entre a justiça e o povo. E minha vontade é essa: fazer essa ligação. Pretendo ser advogado na área trabalhista”, assegura.

Existe um método para estudar?

0

existe-um-metodo-para-a-aprendizagem-foto-reproducao_1433085

Entendendo o processo do conhecimento, entenderemos o método da aprendizagem.

Bruno Rissatto, no Blasting News

A palavra “#Estudar” remete a inúmeras incertezas e confusões sobre uma definição clara e precisa do que significa tal conceituação. Algumas pessoas assemelham “estudar” com decorar, ler, escrever, assistir aula, elaborar um cronograma de estudos etc. Mas o que de fato determina afirmarmos que alguém está estudando de maneira correta ou que está estudando de forma errada?

Com base na psicologia histórico-cultural, na dialética do conhecimento, tentaremos definir o #método preciso, cientificamente analisado, que determina qual a melhor forma para #aprender um conteúdo específico.

Existe um processo pelo qual aprendemos, e entendendo como este processo funciona, nos possibilitará ter uma eficiente e rápida aprendizagem nas próximas vezes em que formos pegar um caderno ou um livro para ler.

A dialética do conhecimento

O conhecimento funciona da seguinte forma: primeiro nos deparamos diante de um mundo de coisas e situações diversas, todavia, estas coisas estão no mundo externo, e para aprendermos devemos nos apropriar, internalizar este mundo.

Grosso modo, o conhecimento sempre parte do externo para o interno, e o indivíduo ao se apropriar do objeto do conhecimento, retorna a ele – agora o compreendendo em seu modo mais amplo – com uma nova e mais desenvolvida forma psíquica e basilar para futuros conhecimentos mais avançados.

Analisemos o processo da aprendizagem da fala de uma criança. Antes da criança pequena começar a falar as primeiras palavras, a linguagem já existia independentemente dela. A criança nasce numa cultura já “pronta” e seu desenvolvimento requer uma apropriação desta cultura.

A linguagem, portanto, existe fora dela, externamente a ela. Deve por conseguinte internalizar este código de comunicação paulatinamente, aos poucos.

A criança no início da fala não sabe o significado da palavra – a sua essência – ela apenas está aprendendo sua sonoridade. Ao aprender a pronunciar determinada palavra, o psiquismo da criança ganha uma forma mais desenvolvida que possibilitará à ela aprender outra nova palavra, e assim por diante, mas sempre apoiada em uma base biológica que permite este desenvolvimento acontecer.
O método para estudar

Como então aplicamos a presente análise nos estudos em si e por conseguinte ter a certeza de que estamos estudando da maneira correta? Para aplicarmos o método, devemos usar como analogia a aprendizagem da criança.

Pensemos num conteúdo específico de química, matemática – que ainda não o sabemos e que é um tipo de conhecimento avançado – ou um texto de filosofia super complexo. Devemos ter a consciência, a priori, que não há possibilidade de aprender tais conteúdos de forma imediata, da mesma maneira que o bebê não começa conjugando os verbos ou fazendo concordância nominal.

Primeiro ele parte do simples, conteúdo este pelo qual seu psiquismo está apto a aprendê-lo no momento.

Para isso servem as aulas e por isso é importante assistir às aulas. O professor nada mais é que um facilitador e auxiliador no processo da aprendizagem. Mas quem estuda e deve estudar é o próprio indivíduo.

Vejamos o seguinte exemplo para compreendermos o método de estudo.

O aluno se depara com um texto específico de filosofia, o qual contém uma linguagem super avançada. Naturalmente, na primeira vez que o aluno ler o texto, não irá entender praticamente nada do que está ali escrito. Entretanto, ao assistir à aula sobre o conteúdo em si, o professor terá facilitado parcialmente a compreensão do presente texto.

Na próxima vez em que o aluno retornar ao texto de filosofia, ele terá – através da aula do professor – ganho uma nova forma de conhecimento que servirá de base para uma melhor compreensão do conteúdo, melhorando paulatinamente o entendimento da leitura.

Aplicando o método

O método para estudar pode ser sintetizado na seguinte linha de pensamento: antes da aula, é imprescindível que o aluno leia e estude; por mais que o mesmo não entenda nada do conteúdo.

Logo, após a explicação da aula, o aluno deve retornar a ler e estudar o conteúdo – desta vez o compreendendo mais – por conta e através da explicação do professor. Por conseguinte, o aluno deve repetir este processo sucessivamente, criando novas formas basilares de pensamento que o possibilitará a apropriar-se de novos aprendizados e de novos conteúdos mais avançados.

O método para estudar, portanto, se encontra neste processo dialético da apropriação de novos conteúdos. Aprendendo num determinado nível de complexidade, deve-se partir para o próximo e assim consecutivamente.

Aprenda a forma certa de estudar ouvindo música, ela pode melhorar muito a sua concentração!

0

Música

Publicado no Amo Direito

Estudar ouvindo música pode melhorar muito a sua concentração. Para isso, é necessário que seja feito da forma correta. Confira algumas dicas para chegar melhor no seu formato.

Cada pessoa tem a sua própria técnica para estudar: alguns preferem estudar sozinhos, em lugares silenciosos, outros gostam de estudar em grupos e há quem prefira revisar o conteúdo ouvindo música. Caso o seu método se encaixe a esse último, saiba que existem atitudes que devem ser tomadas para que a música realmente melhore a sua concentração.

Primeiramente, lembre-se que você está estudando, e não num show. Assim sendo, escute músicas num volume baixo ou médio, que não vá atrapalhar a sua concentração. A ideia é que você coloque um som que torne o seu ambiente de estudos mais tranquilo.

Quanto ao gênero musical, não há um consenso: muito se fala sobre a música clássica ou instrumental ser perfeita para manter o foco. Há quem discorde afirmando que sente sono ou preguiça ao ouvi-las. Cabe a você fazer testes com vários estilos diferentes e descobrir qual é a melhor opção.

Se você escolher poucas músicas, provavelmente, terá que interromper seus estudos várias vezes para selecionar novas canções prejudicando a sua linha de raciocínio. Para evitar que isso aconteça, crie playlists e deixe-as tocando ininterruptamente. A dica é criar listas que durem um tempo calculado, assim você saberá a hora de fazer uma pausa.

Portanto, na próxima vez em que você for estudar ouvindo músicas, lembre-se de seguir essas dicas e perceba o impacto delas na sua concentração.

Fonte: noticias universia

Go to Top