Vitrali Moema

Posts tagged filme

Depois de Crepúsculo, Jogos Vorazes e Divergente, Lionsgate vai investir em franquia sobre Júlio César

0

584698

Emperor será baseado nos livros de Conn Iggulden.

João Vitor Figueira, no Adoro Cinema

O estúdio Summit Entertainment, subsidiário da Lionsgate, irá produzir o filme Empire, desenvolvido para ser o primeiro longa-metragem de uma franquia que foca na ascenção do imperador romano Júlio César e sua inicial amizade com seu futuro inimigo mortal Marco Júnio Bruto.

A Lionsgate é famosa por produzir as populares franquias Crepúsculo, Jogos Vorazes e Divergente, baseadas em séries de livros de ficção distópica voltada para adolescentes.

Emperor será baseado nos livros “O Imperador I – Os Portões de Roma” e “O Imperador II – A Morte dos Reis”, do escritor Conn Iggulden, famoso por seus livros de ficção baseados em fatos históricos. A série de livros O Imperador conta ainda com os volumes “O Imperador III – Campo de Espadas”, “O Imperador IV – Os Deuses da Guerra” e “O Imperador V – Sangue dos Deuses”.

No primeiro filme, Júlio e Marco serão mostrados inicialmente em suas infâncias. De acordo com o site Deadline, o filme terá intrigas políticas, batalhas, personagens sedentos por poder e irá explorar situações sexuais, à exemplo da fórmula bem sucedida apresentada na série Game Of Thrones.

O roteiro do filme está sendo escrito por William Broyles Jr (Apollo 13 – Do Desastre ao Triunfo, A Conquista da Honra), Stephen Harrigan (da série de TV Cleopatra), Burr Steers (Orgulho e Preconceito e Zumbis, Como Perder um Homem em 10 Dias) e Ian Mackenzie Jeffers (A Perseguição).

Emperor ainda não tem previsão de estreia.

James Foley é o favorito para comandar sequência de “Cinquenta Tons de Cinza”

0

img-670521-jamie-dornan-o-christian-grey20150424091429879243-620x310

Publicado no CineSet

De acordo com o site do The Hollywood Reporter, três diretores estão na disputa para comandar “Cinquenta Tons Mais Escuros”, a segunda parte da trilogia “Cinquenta Tons de Cinza”, baseada nos livros da autora E. L. James. O favorito dos três nomes é o de James Foley. O artesão Foley fez filmes de destaque nos anos 1990, como “O Sucesso a Qualquer Preço” (1992), com Al Pacino e Jack Lemmon, e “Medo” (1996), com Mark Wahlberg. Nos últimos anos, estava se dedicando à TV, onde dirigiu recentemente episódios de “Hannibal” e “House of Cards”.

A informação é de que o estúdio Universal estaria interessado em fazer da continuação um filme mais voltado para o suspense, por isso Foley seria o diretor mais cotado. Ele é também o mais experiente dentre os nomes apontados.

Os outros dois nomes que o THR informa como candidatos ao posto são Mark Pellington, de “O Suspeito da Rua Arlington” (1999), e Tania Wexler, do filme “Hysteria”.

Devido a desentendimentos com E. L. James, a diretora do filme original, Sam Taylor-Johnson, não retornará para dirigir os demais filmes da trilogia. Dakota Johnson e Jamie Dornan estão confirmados para retornar. “Cinquenta Tons Mais Escuros” já tem data de estreia para chegar aos cinemas: 14 de fevereiro de 2017.

O Pequeno Príncipe em 3D estreia nos nos cinemas nesta quinta

0
Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Publicado na Tribuna da Bahia

A animação O Pequeno Príncipe, inspirado pela obra-prima de Antoine de Saint-Exupéry, escrita em 1942, estreia nos cinemas nesta quinta-feira. Dirigido e produzido por Mark Osborne e roteiro escrito por Irena Brignull e Bob Persichetti, a história é centrado na amizade entre um excêntrico velho, O Aviador e uma garotinha bem crescida que se muda para a casa ao lado com sua Mãe. Através das páginas do livro do Aviador e seus desenhos, a menina descobre a história de como ele há muito tempo caiu em um deserto e encontrou o Pequeno Príncipe, um menino enigmático de um planeta distante. As experiências do Aviador e o conto das viagens do Pequeno Príncipe para outros mundos fazem a menina e o Aviador ficarem muito próximos, embarcando juntos em uma aventura memorável.

O filme produzido por Aton Soumache, Dimitri Rassam e Alexis Vonarb, sócios do No Animation Studios ganhou as vozes de Jeff Bridges/ Marcos Caruso (O Aviador), Rachel McAdams/ Priscila Amorim (a mãe), Marion Cotillard/ Aline Ghezzi (A Rosa), James Franco/ Hércules Franco (A Raposa), Albert Brooks/ Élcio Romar (O Homem de Negócios), Mackenzie Foy/ Larissa Manoela (A Menina), Benicio Del Toro/ Marco Antonio Costa (A Cobra), Ricky Gervais/ Marcio Simões (O Homem Vaidoso), BudCort/ Isaac Bardavid (O Rei) e Riley Osborne/ Mattheus Caliano (O Pequeno Príncipe).

Segundo o diretor, o mundo da menina e sua mãe são apresentados no mais avançado estilo de animação CGI, usado habilmente como moldura para a clássica história do Pequeno Príncipe, que vem à vida de uma forma com a técnica de stop-motion, representando os olhos e a imaginação da menina. A música do filme é composta por Hans Zimmer. “Em 2009, meu agente me perguntou se eu sabia do livro, porque dois produtores franceses queriam fazer um grande filme de animação baseado nele”, lembra Mark Osborne, contando que, conhecia o livro muito bem e é por isso seu primeiro instinto foi dizer não. “Eu acreditava que não havia nenhuma maneira que permitisse fazer uma adaptação. Mas eu pensei mais sobre isso e percebi que o material era bom demais para dizer não. Era a chance de uma vida para construir uma história deste ponto de partida; os temas do livro são tão ricos e emocionam tanto. Além disso, a oportunidade de unir o livro com o filme era algo que eu não podia deixar passar. Quando eu sugeri que construíssemos uma história em torno do livro, para protegê-lo, em vez de expandi-lo, eu estava exultante que seria bom para a propriedade intelectual”.

Osborne revela que o livro o afetou profundamente em nível pessoal, quando anos atrás sua esposa, ainda sua namorada, lhe deu um exemplar. Os dois eram estudantes universitários e tentavam manter vivo seu relacionamento à distância. “O Pequeno Príncipe nos manteve juntos”, ele admite, explicando que, “significa muito para mim e para todos os que leram o livro, porque ele conecta você com as relações e amizades significativas em sua vida”.

O diretor diz que ele se aproximou do filme como um enigma a ser resolvido. “A grande questão era como você pode fazer uma experiência cinematográfica paralela ou igual à experiência emocional muito profunda da leitura do livro?”, diz o diretor, contando que, a grande idéia era explorar a relação comovente entre a versão mais antiga e excêntrica do Aviador e a menina que se muda para a casa ao lado. “Eu senti que finalmente teria de ser a história da menina aprendendo a dizer adeus a uma amizade, fazendo profundamente o paralelo com o livro. Parecia o caminho certo para abordar este material muito delicado. Mas, honestamente, eu nunca esperava que tudo fosse acontecer”, afirma.

Vida da escritora Jane Austen virará comédia romântica

0

jane-austen-620x310

Publicado no CineSet

Jane Austen, autora de clássicos populares como “Orgulho e preconceito”, terá sua vida transformada no filme “Jane by the sea“, também baseado num livro, escrito por Carolyn V. Murray. Esta também ficará responsável pelo roteiro do longa.

Segundo o The Guardian, “Jane by the sea” será uma comédia romântica e combinará elementos da biografia e das obras de Austen. O foco será mostrar como alguns relacionamentos importantes que ela teve influenciaram seus livros.

A produção de “Jane by the sea” está a cargo da Voltage Pictures. Ainda não há informações de diretor ou elenco para o filme, que está em seus estágios iniciais de pré-produção. Por hora, os fãs de Jane Austen aguardam o filme que mistura comédia, terror e romance, “Orgulho, preconceito e zumbis“, que será estrelado por Sam Riley e Lena Headey e chega aos cinemas em 5 de fevereiro de 2016.

Elle Fanning irá estrelar adaptação para os cinemas do livro Por Lugares Incríveis

0

PARK CITY, UT -- JANUARY 20, 2014--Actress Elle Fanning, from the film, "Low Down," photographed in the L.A. Times photo & video studio at the 2014 Sundance Film Festival, Jan. 20, 2014. (Jay L. Clendenin / Los Angeles Times)

Livro comparado a A Culpa é das Estrelas ganhará as telonas sob a direção de Miguel Arteta (Por um Sentido na Vida).

João Vitor Figueira, no Adoro Cinema

Elle Fanning irá estrelar a versão para os cinemas do romance adolescente “Por Lugares Incríveis”, escrito por Jennifer Niven. O longa-metragem terá a direção de Miguel Arteta, responsável pela direção de episódios de The Office e American Horror Story, e dos filmes Alexandre e o Dia Terrivel, Horrível, Espantoso e Horroroso e Por um Sentido na Vida. O roteiro será escrito pela própria Niven, que com sua obra alcançou o quinto lugar na lista dos best-sellers do jornal New York Times.

219033Fanning vai interpretar Violet Markey, uma jovem atormentada pela culpa por ter sobrevivido ao acidente de carro que vitimou sua irmã. Ela aguarda ansiosamente o fim das aulas, para deixar para trás sua cidade e seus traumas do passado. O caminho dela se cruza com o de Theodore Finch, personagem cujo intérprete nos cinemas ainda não foi definido. Theodore é um rapaz que sofre com o descaso de sua própria família, o bullyng dos valentões e a constante sensação de não pertencimento. Quando estava prestes a cometer suicídio, Theodore conhece Violet e a vida de ambos muda para sempre. “Um ajuda o outro a sair dali, e essa dupla improvável se une para fazer um trabalho de geografia: visitar os lugares incríveis do estado onde moram. Nessas andanças, Finch encontra em Violet alguém com quem finalmente pode ser ele mesmo, e a garota para de contar os dias e passa a vivê-los”, diz a sinopse oficial do livro.

Alguns críticos literários já compararam a história de “Por Lugares Incríveis” com a trama de livros como “A Culpa é das Estrelas” e “Eleanor & Park”, por trazer a relação entre adolescentes desajustados.

Não foi anunciado quando as filmagens de Por Lugares Incríveis vão começar. O filme também não tem previsão de estreia.

Alguns dos trabalhos ainda inéditos de Fanning são o drama biográfico Low Down, sobre a derrocada do pianista de jazz Joe Albany; a comédia sci-fi How to Talk to Girls at Parties, baseada em conto de Neil Gaiman, onde interpreta uma estrangeira na Londres de 1970; o drama biográfico Trumbo, sobre o roteirista americano Dalton Trumbo (Bryan Cranston) que se recusou a cooperar com o Comitê de Atividades Antiamericanas do congresso, e acabou preso e proibido de trabalhar; o drama familiar Três Gerações, onde interpreta o jovem transexual Ray, contracenando com Naomi Watts e Susan Sarandon; o drama romântico A Storm in the Stars, que narra a história de amor entre o poeta Percy Shelley e a jovem Mary Wollstonecraft; o terror The Neon Demon, de Nicolas Winding Refn, diretor de Drive; e o suspense policial Live By Night, próximo projeto de Ben Affleck como diretor, com Zoe Saldana, Sienna Miller e o próprio Affleck no elenco.

Go to Top