Posts tagged Garoto

Garoto de 8 anos monta feira de troca de livros na calçada de casa: ‘Ler é muito legal’

0

Igor tem 8 anos e resolveu renovar o estoque de livros fazendo uma feita na calçada de casa (Foto: Facebook/Reprodução)

Igor Zuniga lê desde os 5 anos e separou cerca de 50 livros para colocar na banca que montou em Campo Limpo Paulista (SP). Apesar de se divertir com todos os presentes, ele prefere ganhar livros em vez de brinquedos.

Mayara Correa, no G1

estrutura é simples e lembra uma escola: uma mesa, duas cadeiras e vários livros. Com uma faixa grande escrito “troca de livros infantis”, o pequeno Igor Daher Moura Zuniga, 8 anos, montou um cantinho de leitura na calçada da casa onde mora, em Campo Limpo Paulista (SP).

A intenção é renovar a biblioteca particular e atrair cada vez mais leitores. Leitor assíduo de histórias infantis e fã da série “Diário de um Banana”, o pequeno resolveu aproveitar as férias escolares para fazer ar as trocas.

Em vez de comprar exemplares, ele propôs para a mãe, a professora de educação física Daniele Marques Moura Zuniga, 31 anos, que montassem a banca.

A ideia surgiu no fim do ano passado e foi colocada em prática na terça-feira (9), quando três crianças apareceram para trocar ‘figurinhas’ com o Igor, inclusive uma menina de Várzea Paulista, município vizinho.

A feira de livros foi divulgada por Daniele no Facebook e chamou a atenção dos internautas e moradores de toda a região, que até sexta-feira (12) podem trocar exemplares com o garoto.

Mãe e filho usaram um tecido, tinta e bexigas para fazer um cartaz e chamar a atenção de quem passa pela rua do bairro Vila Tavares. Cerca de 50 livros foram separados para a feira e Igor já recebeu pelo menos 60 novos exemplares.

Daniele conta que as crianças deixaram mais títulos do que levaram. “Muita gente disse que vai deixar os livros aqui para ele ler. Depois que ler tudo, daqui a um tempo, acho que vamos fazer uma nova feira”, afirma.

Igor aprendeu a ler aos 5 anos (Foto: Daniele Zuniga/Arquivo pessoal)

Igor escreveu o próprio nome aos 3 anos, aos 5 aprendeu a ler e desde bem pequeno é estimulado pela família a ler.

Em entrevista ao G1, o garoto confessou que prefere ganhar livros em vez de brinquedo, mas que se diverte com todos os presentes. Por ser fã da série “Diário de um Banana”, ele perdeu a conta de quantas vezes leu os exemplares.

“Minha mãe comprou em 2016 o livro ‘365 Histórias Encantadas para Divertir e Sonhar’, então ela lê uma história diferente para eu dormir todos os dias, é muito legal. Ela dá aula de Educação Física, mas em casa me ajuda com todas as lições da escola”, afirma Igor.

Apesar de ainda não ter pensando na profissão que pretende seguir, Igor tem uma certeza: vai continuar lendo.

Igor e Daniele montaram a feira de troca de livros na calçada de casa (Foto: Arquivo pessoal)

Policiais compram material escolar para menino que achou mochila no lixo em GO

0
Soldados deram "kit" a menino que procurava material escolar no lixo em Rio Verde (GO)

Soldados deram “kit” a menino que procurava material escolar no lixo em Rio Verde (GO)

 

Jéssica Nascimento no UOL

Dois soldados da Polícia Militar de Rio Verde, no interior de Goiás, estavam em serviço de radiopatrulha quando encontraram um menino removendo o lixo em busca de material escolar em frente a uma empresa que compra sucata. Denilton Souza, 28, e Paulo Henrique Aires, 27, foram surpreendidos com a alegria de Gabriel, de apenas seis anos, ao encontrar uma mochila azul rasgada. Emocionados, decidiram fazer uma surpresa ao garoto e compraram roupas, um par de tênis e diversos objetos para a escola.

No kit presenteado pelos PMs, estava um par de tênis

No kit presenteado pelos PMs, estava um par de tênis

Na última segunda-feira (16), por volta das 8h, Gabriel fazia companhia para a avó, Zilda Silva, que aguardava uma empresa que compra materiais recicláveis – já que a renda da família vem de lá. Após encontrar o garoto, a surpresa dos PMs ocorreu no mesmo dia: no começo da noite, a dupla foi até a casa da família entregar os materiais escolares.

A solidariedade dos profissionais começou com uma pergunta do soldado Denilton Souza. Curioso. Ele questionou a criança o que faria com a mochila, que já estava destruída.

O Gabriel me disse que ia estudar. Quando abri a mochila, havia um tênis velho, sem cadarço e com a numeração abaixo do pé dele.”

O policial conta que ficou emocionado com o garoto por lembrar as dificuldades que passou na infância. Desde os sete anos, Denilton vendia jujuba, picolé e até engraxava sapatos para comprar cadernos e livros para a escola. “Eu não vim de uma família rica, né? Então sempre soube que estudar era minha única opção e ser policial sempre foi meu sonho. Em frações de segundos, segurando a mochila, foi possível recordar de tudo isso”, disse ao UOL.

Em uma visita ao comércio da região, os policiais conseguiram arrecadar lápis de cores, canetinha, apontador, tesoura, régua e cola. Além disso, os soldados também doaram uma caminhonete de brinquedo com a caracterização da Polícia Militar. A surpresa só foi possível com a ajuda de comerciantes na região que doaram vários materiais.

Gabriel posa com "kit" ganho de policiais

Gabriel posa com “kit” ganho de policiais

“Ficamos muito felizes em ver os brilhos nos olhos do Gabriel ao receber todos os presentes e sem dúvida foi muito gratificante em saber que ajudamos uma pessoa tão importante. Com certeza mudamos algo para o futuro dele”, disse Paulo Henrique. Segundo a avó, as aulas de Gabriel iriam começar na próxima semana e ele só tinha um apontador de lápis que havia ganhado de uma vizinha.

“Agradeço muito aos policiais militares. Felizmente, meu neto vai conseguir estudar com dignidade. Ficamos muito emocionados, principalmente o Gabriel que é encantado com a PM”, disse a avó.

O garoto estuda no segundo ano do colégio público “Dona Gercina”, dedicado a alunos especiais. O menino é hiperativo e toma medicação controlada.

Presos devem erguer biblioteca para menino que arrecada livros em MT

1
Jefferson Gabriel da Silva Melo, de 12 anos (Foto: Maria Anffe/GcomMT)

Jefferson Gabriel da Silva Melo, de 12 anos
(Foto: Maria Anffe/GcomMT)

 

Detentos devem ganhar um salário mínimo para construir prédio.
Jefferson da Silva Melo, de 12 anos, já tem aproximadamente 6 mil livros.

Publicado no G1

O sonho de Jefferson Gabriel da Silva Melo, de 12 anos, de construir uma biblioteca comunitária está mais perto de se tornar realidade. Isso porque parte dos recuperandos do sistema prisional de Cuiabá devem servir como mão de obra para a construção do prédio da biblioteca. O menino arrecada livros onde mora, no Distrito de Bonsucesso, em Várzea Grande, região metropolitana da capital. O intuito dele é aproximar os jovens da comunidade do mundo da leitura.

A construção da biblioteca é um projeto do Núcleo de Ação Voluntárias de Mato Grosso (NAV-MT), em parceria com a Secretaria estadual de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh).

Para a construção do prédio, a Sejudh liberou parte dos recuperandos do sistema prisional da capital. Os presos devem receber o pagamento de um salário mínimo para trabalharem na construção da obra.

Os detentos devem ficar fora do Centro de Ressocialização de Cuiabá por cinco horas e depois retornarem. O prédio construído para abrigar os livros arrecadados por Jefferson deve ser construído na frente da residência do menino.

Sensibilizada com a história de Jefferson, a coordenadora do NAV-MT, Samira Martins, resolveu apoiar o projeto.“Ele é um menino encantador que sempre gostou de ler e estudar, além de incentivar isso em sua comunidade”, disse.

Ainda não há uma data definida para o início das obras, mas saber que o sonho vai ganhar forma deixou o garoto contente. “Eu fiquei muito feliz quando soube que eu vou conseguir realizar meu sonho”, contou.

Jefferson já arrecada os livros há algum tempo. O prédio para abrigar as obras é o grande sonho do menino. Desde que começou a receber os livros, Jefferson abriu as portas da própria casa para incentivar a leitura nos vizinhos. Ele já conseguiu juntar aproximadamente seis mil livros, que estão distribuídos no centro comunitário e na casa dele.

A inspiração para criar a biblioteca veio da própria comunidade. Jefferson diz que grande parte dos adolescentes da idade dele não gosta de ler e que, com a construção da biblioteca, a situação poderá mudar, além de auxiliar os alunos nos estudos e pesquisas escolares. Entre jogar futebol ou ler um livro, o adolescente garante que prefere a leitura.

Após acidente de carro, bombeiro lê livro para acalmar menino

0

1a38

Publicado no Blog do Galeno

Após um acidente de carro, o bombeiro Russell Whaley decidiu sentar-se na beira da estrada e ler um livro infantil para um garoto de quatro anos que estava envolvido no episódio. O momento comovente foi fotografado e viralizou nas redes sociais.

De acordo com o “Today”, o acidente aconteceu na última sexta-feira (18) no Arizona (Estados Unidos). Enquanto mãe e filha recebiam os primeiros atendimentos, o pequeno Lucas Pacheco começou a ficar preocupado, então a primeira atitude do bombeiro foi cuidar do garotinho e ajudá-lo a se acalmar.

“Ele estava vestindo uma camiseta com a estampa das Tartarugas Ninjas, então começamos a falar sobre isso. Quando me dei conta, nós já tínhamos um livro na nossa frente e estávamos lendo na calçada”, diz Whaley em entrevista ao “Today”. “Isso é parte do trabalho. Muitas vezes, estamos lidando com necessidades emocionais. Não é apenas apagar o fogo ou fazer um curativo”, acrescenta.

Registrada e postada pela enfermeira Steffani Blair, a foto teve mais de 2 mil compartilhamentos na rede social, e a atitude do paramédico também foi bastante elogiada.

A mãe, Shana Pacheco, disse ter ficado muito agradecida. “Outro bombeiro fez um balão de uma luva e desenhou um rosto bobo nele e, sabe, isso é não parte do trabalho deles”, diz ela. Durante o final de semana, Shana e os filhos fizeram uma visita aos bombeiros para agradecer a atenção prestada. “Nós queríamos agradecer e abraçá-los. Eles deram um adesivo, um distintivo de coragem e ainda deixaram ele andar no caminhão dos bombeiros”.

Apesar de algumas escoriações, as pessoas que se envolveram no acidente passam bem.

Garoto mexicano de nove anos estuda química na universidade

0

mexicano-carlos-santamaria-diaz-de-nove-anos-estuda-quimica-na-universidade-1440188202621_615x300

Publicado em UOL

O pequeno Carlos Santamaría Díaz, de apenas 9 anos, ainda não alcança os pés no chão quando está sentado assistindo às aulas da Unam (Universidade Nacional Autônoma do México). Ele está fazendo o curso de química da instituição e já concluiu dois módulos.

Carlos aprendeu a ler aos três e começou a ter interesse pela disciplina aos cinco. “Ele tem facilidade para processar informação. No maternal, quando lhe mostravam uma letra, ele queria aprender todas”, conta o pai, Fábian Santamaría.

Os familiares perceberam que o filho estava avançado na escola quando notaram que ele acabava desenhando nas disciplinas ou simplesmente dormindo. “Desde os cinco anos, ele era capaz de assimilar um livro completo de ciência de nível secundário e aprendeu a tabela periódica em algumas semanas.”

Numa viagem para a província de Valência, na Espanha, conheceram uma professora que foi chefe do laboratório local da cidade de Alboraya. Ela teria dito aos pais que Carlos perdia o interesse pela escola, não por causa dos professores do primário, mas sim porque o filho tinha uma mente de cientista.

Foi então que o pai resolveu inscrevê-lo na Unam. O vestibular foi uma entrevista com o doutor em ciências químicas Eduardo Rodriguez de San Miguel, que levou apenas 15 minutos para aceitar o menino na faculdade. “Fiquei impressionado. Perguntei aspectos genéricos para ver do que ele era capaz. Não é que seja um gênio que sabe tudo, mas ele foca muito no que gosta”, contou o pesquisador.

Os pais tiraram Carlos da escola tradicional e ele começará a estudar o quarto ano do ensino fundamental por meio de um programa da Espanha. Metade da nota será de exercícios trimestrais e o restante será analisado por meio de uma avaliação na embaixada espanhola. Dessa forma, ele poderá continuar a graduação na Unam.

Para concluir o restante dos anos escolares, o pai pensa em colocá-lo num curso do Instituto Nacional para a Educação de Adultos.

Go to Top