A Lista

Posts tagged leitura

5 dicas infalíveis para se manter motivado nos estudos

0

anime-tired

Ana Lourenço, no Guia do Estudante

Você estuda, estuda e estuda, por horas a fio, pensando no Enem ou no vestibular que vai prestar. E agora, faltando pouco tempo para as provas, e os problemas com aquela matéria chata só aumentam. Bate aquele desânimo… Mas ficar desmotivado é normal. A dificuldade do vestibular, o peso de tomar a decisão sobre a carreira que vai estudar, a preocupação com as notas de corte: tudo isso pode sobrecarregar muito o emocional do estudante.

Se você ainda está inseguro, preparamos cinco dicas infalíveis para você se manter motivado nos estudos ao longo do ano. Veja:

1. Pense menos nas dificuldades

Acredite, não adianta nada ficar nervoso pensando na quantidade de coisa que ainda falta estudar, e no pouco tempo que você tem para aprender tudo. Afaste de si os pensamentos negativos: se você acumulou matérias atrasadas de ontem, tente refazer seu cronograma para recuperar o tempo perdido no fim de semana. Se não entendeu muito bem aquele tópico de Física, pare de se torturar pensando que nunca vai conseguir aprendê-lo: vá logo ao professor ou ao plantão de dúvidas e resolva de uma vez o problema. Evite ficar irritado consigo mesmo se cometer algum erro ou não conseguir cumprir a rotina de estudos algum dia. Sem noia!

2. Faça uma lista do que você aprendeu no dia

Reconhecer o progresso que você vem fazendo pode ser uma boa estratégia para as horas em que se sentir desmotivado. Ao fim de cada dia, pegue um papel e faça uma lista do que você estudou e o que conseguiu aprender em cada disciplina. Assim, você pode manter um controle do trabalho que vem fazendo e de cada avanço que dá, por menor que seja. É hora de se parabenizar pelo seu esforço, não acha? 😉

3. Reconheça as pequenas vitórias

Esta etapa está muito relacionada com a anterior. Ficar feliz com cada pequena vitória que você alcança, ao longo de toda a extensa preparação para o vestibular, é uma das chaves para compreender que o seu objetivo pode ser alcançado, e para te dar uma dimensão mais completa do que você já fez (e o que ainda falta ser feito). Por isso, anote cada vitória que obtiver na batalha contra o exame. Aqui vai uma lista de exemplos:

– Conseguiu terminar um ou mais livros da lista de obras obrigatórias?
– Conseguiu refazer uma das provas do Enem, de anos anteriores, dentro do prazo dado de 4 horas e meia?
– Conseguiu resolver toda a lista de exercícios de uma determinada matéria?
– Conseguiu dominar por inteiro algum dos tópicos daquela disciplina?

rocky-gif

Faça como o Rocky! Você é um vencedor! 😛

4. Cuide do básico

Lição básica para o vestibulando: corpo cansado não consegue aprender nada. Virar a noite estudando (e dormir mal), deixar de se alimentar direito ou, ainda, não fazer nada além de estudar: tudo isso pode ser o que está “acabando” com você e com a sua disposição. Se você não se cuida, não é de surpreender que se sinta desmotivado. Antes de pensar no vestibular e no curso que quer passar, pense primeiro em si mesmo. Nada de ficar bitolado, ok?

5. Mantenha o foco no que o seu objetivo significa para você

Pense no curso que você quer fazer. Por que você quer fazê-lo? Quais são os motivos verdadeiros que fizeram você optar por essa carreira? Há muitas respostas possíveis para essa pergunta, como “vai me trazer muito reconhecimento”, “tenho afinidade com as matérias”, “é o que mais se encaixa no meu perfil” ou até “posso ganhar muito dinheiro”. Todas as razões são legítimas, mas, além disso, tire um tempo para pensar nos motivos pessoais que te levam a esse grande esforço de passar nesse curso. Esqueça as recompensas. Pense no que isso significa para você, o que te faz perseguir esse sonho e o que vai mudar na sua vida daqui para frente. Estabeleça o que é importante para você, pessoalmente, e priorize os seus sentimentos. Muito mais do que pensar nas recompensas a longo prazo, como sucesso ou dinheiro, abraçar o significado de tudo isso pode te fazer seguir em frente muito mais motivado.

O que acontece com o seu cérebro quando você lê Jane Austen?

0
Os participantes tiveram que alternar seus ritmos de leitura para que os pesquisadores avaliassem os fluxos de sangue em seus cérebros (Foto: Divulgação)

Os participantes tiveram que alternar seus ritmos de leitura para que os pesquisadores avaliassem os fluxos de sangue em seus cérebros (Foto: Divulgação)

 

Isabela Moreira, na Galileu

Um grupo de pesquisadores da Universidade de Stanford, nos Estados Unidos, realizou um estudo para verificar uma possível conexão entre leitura, atenção e distração.

Para isso, a equipe, composta por neurobiólogos, radiologistas e especialistas da área de humanas, fez com que os participantes da pesquisa lessem trechos da obra “Mansfield Park”, de Jane Austen, enquanto estavam na máquina de ressonância magnética.

Segundo Natalie Phillips, a principal autora do estudo, esse foi “um dos primeiros experimentos a estudar como nossos cérebros respondem a literatura”.

A equipe de pesquisadores ficou atenta às alterações dos fluxos de sangue nos cérebros dos voluntários (Foto: Reprodução/Stanford)

A equipe de pesquisadores ficou atenta às alterações dos fluxos de sangue nos cérebros dos voluntários (Foto: Reprodução/Stanford)

 

O experimento foi conduzido da seguinte forma: os participantes (todos candidatos a um PhD em literatura inglesa em Stanford) tinham que ler um capítulo do livro de Austen projetado em um espelho dentro máquina de ressonância magnética. De tempos em tempos, os pesquisadores pediam que os voluntários alterassem seus ritmos entre o de uma leitura relaxada e o de uma mais atenta.

Com a máquina de ressonância magnética, foi possível que os pesquisadores tivessem uma visão do fluxo de sangue dentro dos cérebros dos participantes. “Percebemos que só a mudança de atenção já mostra um grande impacto no padrão de atividade durante a leitura”, diz o neurocientista Bob Dougherty.

Por fim, ambos os tipos de leitura causaram um aumento no fluxo de sangue no cérebro, porém em áreas diferentes. “Isso serve para nos mostrar que poderíamos ter algum tipo de treinamento cognitivo, nos ensinando como ajustar a nossa concentração e como passar por diferentes formas de atenção”, conclui Phillips.

Via Stanford News

4 dicas para ler mais em 2016

0

noticia_108108

Administrar o nosso tempo para ler é tão importante, e difícil, quanto controlar as finanças pessoais, por isso separamos essas dicas

Filipe Morais, no Administradores

Ler ainda é o melhor aprendizado, mas a rotina atribulada impede muitas pessoas de devorarem os livros tanto quanto gostariam. Para quem colocou em sua lista de resoluções de ano novo a tarefa “ler mais”, uma boa meta é em torno de 10 a 15 livros. Entretanto, apesar de ser um hobby, a leitura requer disciplina. Veja algumas dicas para aproveitar melhor seu tempo lendo:

Organize a leitura

O método de leitura varia de acordo com a pessoa. Há quem leia o mesmo trecho mais de uma vez para absorver melhor a informação, ao mesmo tempo em que tem quem prefira grifar as partes mais importantes. Mas quem dedica 30 minutos diários a uma leitura comum consegue ler, em média, 20 páginas. Em um ano, são 7.300 páginas, que correspondem a 25 livros de 300 páginas, ou seja, dois livros por mês.

Divida o tempo entre dois livros

Especialistas dizem que dividir o tempo de leitura em dois livros, ainda que seja um capítulo de cada, exercita mais o cérebro. Portanto, manter dois livros de cabeceira, ou um em casa e outro na mochila, facilita a dinâmica e agrega intelectualmente.

Aproveite o tempo ocioso

Leia durante o trajeto do trabalho ou na volta para casa, no ônibus, metrô, táxi ou Uber. Também aproveite o horário de almoço para desconectar do trabalho por um momento, além de distrair, esta prática pode auxiliar seu próprio processo criativo. Outra boa oportunidade é ler durante a espera no consultório médico ou dentista.

Evite distrações

Ler antes de dormir é relaxante, mas é fundamental manter a TV desligada e o smartphone longe da cama para que a leitura não concorra com a Internet e as redes sociais. Outro aliado é o horário de verão, que permite aproveitar a luz natural depois do expediente com uma ida a um parque ou praça, lugares ótimos para a leitura.

Além do prazer da leitura, ela também é uma poderosa ferramenta para o desenvolvimento pessoal e profissional, para adquirir novas habilidades e incrementar a carreira e a performance no trabalho.

12 sugestões de livros para quem quer passar o Carnaval lendo

0

Girl sitting on red chair reading on beach

Caio Delcolli, no Brasil Post

Ah, o Carnaval!

Uma época do ano repleta de aglomerações, trios elétricos barulhentos e festas selvagens. No entanto, nem só deste tipo de diversão vivem os seres humanos. Livros e feriados combinam muito bem também.

O Carnaval é uma ótima oportunidade para você colocar em dia a leitura acumulada ou simplesmente aproveitar a companhia dos livros nesses dias de folga.

Aqui está uma lista com sugestões de títulos interessantes. Todos são lançamentos recentes: vai de poesia brasileira a histórias em quadrinhos e questões políticas.

Gostando ou não de folia, lembre-se dos livros nos feriados. Ler é bom demais.

1 – ‘A Garota Dinamarquesa’, de David Ebershoff

slide_475254_6484654_free
Divulgação
Inspirado na história da dinamarquesa Lili Elbe (1882-1931), considerada uma das primeiras pessoas transgêneras a fazer a cirurgia de mudança de sexo, o romance de Ebershoff narra a transformação da protagonista. Antes de perceber-se como mulher, via-se como um homem: Einar era um renomado pintor. Seu casamento, sua arte e sua vida social são afetados pela mudança. E o desafio de ser quem ela realmente é em uma época em que a ciência e a sociedade pouco sabiam a respeito da transgeneridade torna-se um desafio. O livro foi adaptado para o cinema, sob direção de Tom Hooper (Os Miseráveis).

Editora: Fábrica 231
Páginas: 368
Preço: R$ 34,50; e-book R$ 22,50

2 – ‘Grande Magia: Vida Criativa sem Medo’, de Elizabeth Gilbert

slide_475254_6484660_free
Divulgação
Neste livro de não ficção, a autora do sucesso Comer, Rezar e Amar investiga a criatividade em textos jornalísticos e autobiográficos. Segundo a autora, a curiosidade é essencial para se viver uma vida sem medo. Por meio de seu texto claro e envolvente, Gilbert entra em assuntos como viver o cotidiano com mais paixão e lidar com dificuldades no trabalho. O livro se divide em seis partes: coragem, encantamento, permissão, persistência, confiança e divindade. Você pode começar por esta palestra no Ted para ouvir o que a autora tem a dizer sobre criatividade e sua pesquisa sobre o assunto.

Editora: Objetiva
Páginas: 192
Preço: R$ 29,90; e-book R$ 19,90

3 – ‘Entre o Mundo e Eu’, de Ta-Nehisi Coates

slide_475254_6492114_free
Divulgação
Entre o Mundo e Eu é, antes de mais nada, uma carta do autor para o próprio filho. Uma das vozes negras de mais ressonância na atualidade, Coates, aclamado jornalista da Atlantic, usa experiências pessoais para relatar como é ser negro nos Estados Unidos e dizer ao filho que, apesar de resquícios da escravatura estarem presentes até hoje na sociedade, é possível encontrar seu lugar no mundo. O escritor entrelaça, no livro, a história dos EUA com preocupações íntimas que apenas um pai pode ter pelo filho. O New York Times elogiou Entre o Mundo e Eu por este ser dirigido apenas a pessoas negras. O livro venceu o National Book Award, um dos principais prêmios literários do país. Em 2016, o autor estreia como roteirista dos quadrinhos do super-herói Pantera Negra, da Marvel.

Editora: Objetiva
Páginas: 144
Preço: R$ 25,50

4 – ‘Revival’, de Stephen King

slide_475254_6487356_free
Divulgação
Jamie Morton, com seus 30 a poucos anos, toca em uma banda de rock, é dependente químico e vive atormentado por uma lembrança terrível do passado. Ele reencontra, inesperadamente, um dos personagens desse momento: o carismático reverendo Jacobs, expulso da cidade muitos anos atrás após chocá-la em um sermão. Obcecado por experimentos elétricos, Jacobs “cura” Jamie. Após isso, o protagonista percebe não ser a mesma pessoa de antes, mas agora ele já está envolvido com o reverendo, que parece estar enlouquecendo. Em mais um elogiado romance de terror, Stephen King retrata o comportamento humano em seus momentos mais sombrios e esquisitos.

Editora: Suma de Letras
Páginas: 376
Preço: R$ 49,90; e-book R$ 29,90

5 – ‘O Livro da Literatura’

slide_475254_6484658_free
Divulgação
Se você tem vontade de investigar escritores e suas obras de modo dinâmico e divertido, aqui está a oportunidade. O novo livro da coleção As Grandes Ideias de Todos os Tempos estuda clássicos literários de diferentes gêneros, analisando as influências (mais…)

Ótimas dicas de concentração e rotina de como estudar melhor na madrugada

0

Estudando

Publicado no Amo Direito

Pode ser que você tenha uma rotina muito corrida. Pode ser que prefira o silêncio da noite e a falta de distrações. Pode ser apenas uma preferência sua mesmo. Os motivos que te levam a estudar tarde da noite são particulares a você. Mas leia essas dicas de concentração e rotina para quem estuda para concursos de madrugada. Confira!

Se você é daqueles:

– Que dizem que “rende melhor de madrugada” e prefere estudar à noite?

– Toma litros de café?

– Dorme poucas horas por noite e nem sempre consegue recuperar durante o outro dia?

Então, cuidado! Ficar privado do sono pode levar o cérebro a parar de produzir novas células e dificultar seu aprendizado. O organismo, bem como o cérebro, precisa de, pelo menos, 6 horas diárias de sono contínuo. É nesse período de descanso que o consciente dá lugar ao subconsciente para trabalhar e analisar tudo que foi absorvido pelo consciente durante o dia.

Confira então as nossas dicas de como estudar de madrugada. Aqui, queremos te ajudar a encontrar um equilíbrio entre estudos e descanso, visando melhorar a qualidade do sono e evitar problemas sérios para seu desempenho nos estudos e à sua saúde.

Problemas de se estudar a noite sem dormir nem planejamento
Estresse

Longas horas forçadas sem dormir aumentam os níveis de corticosterona, considerado hormônio do estresse, no organismo. Então você não vai querer aumentar ainda mais o estresse, não é? Se o seu dia já é estressante, preserve suas horas de sono para um período de relaxamento ao seu organismo.

Cansaço, Memória e Concentração

É durante o sono profundo que as informações adquiridas durante o dia são armazenadas na chamada memória de longo prazo. E é também uma das regiões envolvidas na formação de memórias no cérebro – o hipocampo – que são mais afetadas pela privação do sono.

Assim, se o indivíduo é privado das horas de sono profundo, seu hipocampo é afetado e o armazenamento de memórias também. O que você aprendeu durante as horas de estudo naquela madrugrada podem estar simplesmente “entrando” na sua cabeça, mas sem permanecer lá.

Além disso, a concentração e a atenção ficam prejudicadas, que provoca também fadiga mental e física, sonolência nas horas erradas e perda de motivação.

Neurônios

Outro dano causado pela insônia forçada é a diminuição da produção de neurônios no cérebro.

A situação é tão séria que, mesmo que você restabeleça uma rotina saudável e normal de sono, enquanto outras funções do organismo normalizam-se em uma semana, os níveis de produção de células nervosas levam duas semanas para voltarem à normalidade e ainda demandam um grande esforço do cérebro.

Ficou chocado com as informações acima? Não precisa se apavorar, ainda dá tempo de recuperar a qualidade de seus estudos e do seu sono mesmo estudando a noite. Veja o que fazer:

Medidas para melhorar seus estudos
– No período da noite, até as 22h ou no máximo 23h, é possível ter um bom aproveitamento de estudo. Estude dois ou três períodos com no máximo 50 minutos cada um. Não se esqueça dos intervalos de 5 a 10 minutos entre um período e outro.

– Nunca comece outra semana de estudo sem ter feito a revisão da semana anterior. Este procedimento ajuda na fixação da matéria, faz com que você ganhe tempo na véspera da prova e crie uma memória sobre aquele tema. Invista algumas horas nisso.

– Se o sono chegar durante seu horário de estudo, não fique lutando contra o sono. Se conseguir, cochile entre 10 a 15 minutos ou levante-se, faça um alongamento, espreguice-se, tome água. Faça uma caminhada rápida pela casa e retorne ao estudo.

– Deixe o ambiente de estudo bem iluminado para que você fique em estado de alerta.

– Na hora de preparar o seu material de estudo invista em resumos dinâmicos, com informações categorizadas por cores e datas.

Medidas para recuperar a qualidade do sono
– Durma, no mínimo, 6 horas por dia. Menos do que isso fará o seu aprendizado e até saúde ficarem comprometidos.

– Estabeleça uma regularidade no horário de dormir e acordar e evite compensar a falta de sono noturno com o diurno.

– Se estiver com dificuldades de dormir ou insônia, não force o sono “rolando na cama”, procure uma atividade relaxante (como uma leitura leve ou ouvir um pouco de música baixa) para tentar provocar o sono natural. Forçar só provoca ansiedade e angústia, afastando ainda mais a possibilidade de cair logo no sono.

– Intervalos regulares entre as refeições durante o dia e mais leves à noite e um chá 30 minutos antes de dormir também estimulam o sono natural, além de melhorarem o funcionamento do seu organismo.

– Sempre falamos e enfatizamos: Adicione a prática de exercícios físicos à sua rotina, de forma moderada (duas vezes por semana é o suficiente). Uma atividade física ajuda como um todo no funcionamento do seu organismo, mas é particularmente boa para lhe ajudar a descansar pois aumenta a quantidade de hormônios como a dopamina e a serotonina, responsáveis pelas sensações de prazer e bem estar. Com isso, resultam em relaxamento e sono mais profundo, além de oferecer uma sensação maior de descanso no despertar. Mas atenção! Prefira fazer exercícios durante o dia ou no começo da noite. A prática de exercícios próximos à hora de dormir podem atrapalhar pois a alta estimulação do organismo pode prejudicar a qualidade do sono.

– Evite o consumo de estimulantes (principalmente à base de cafeína como guaraná natural e café depois das 14h00, pois tem vida média no organismo). Tais produtos, assim como o álcool, provocam insônia e ansiedade.

– Faça da hora de dormir uma hora prazerosa: tome um banho em temperatura agradável, faça um lanche leve e deixe seu quarto limpo e confortável para suas próximas horas de relaxamento e descanso mental. Assim, você acordará mais disposto e pronto para enfrentar a maratona de estudos do dia seguinte.

Viu como essas iniciativas podem te ajudar a aproveitar melhor seus estudos?

Mãos à obra e bons estudos!!!

Fonte: Nova Concursos

Go to Top