Ansiedade 3 - Ciúme

Posts tagged livros

Confira a capa de Turtles All The Way Down, novo livro do autor John Green

0

zainab

Guilherme Cepeda, no Burn Book

Depois de seis anos, dois filmes e 4,5 milhões de livros vendidos no Brasil, John Green está de volta!

O autor acaba de divulgar a capa do seu novo livro, Turtles All The Way Down (ainda sem título em português), via Twitter.

Nesse livro vamos conhecer a história de Aza Holmes, uma jovem de 16 anos em busca de um bilionário desaparecido para tentar ganhar a recompensa oferecida. Um livro sobre amizades duradouras, reencontros inesperados, fan fictions de Star Wars e répteis neozelandeses.

20663811_10207612835517677_4717607472453053407_n

John Green incluiu na nova obra muitos elementos da própria vida, entre eles o transtorno obsessivo-compulsivo (TOC), com o qual conviveu por muitos anos – mas é uma história totalmente fictícia. Em entrevista ao Entertainment Weekly, o autor declarou:

Há anos que trabalho em Turtles All The Way Down e estou animado para compartilhar essa história com os leitores, em outubro. É minha primeira tentativa de escrever diretamente sobre o tipo de distúrbio mental que afeta minha vida desde a infância, então, embora seja uma história ficcional, também é algo muito pessoal.”

O livro será publicado simultaneamente com os Estados Unidos, em 10 de Outubro.

via Intrínseca

Você compra mais livros do que consegue ler? Esta palavra te define

0
(Foto: Flickr/ABC Open Riverland)

(Foto: Flickr/ABC Open Riverland)

 

Publicado na Galileu

Você não resiste a uma livraria. Mesmo sabendo que já tem vários livros ainda não lidos em casa, entra mesmo assim e sai com novas aquisições. Ou faz o mesmo na internet ao receber um e-mail avisando que alguns livros do assunto pelo qual você tem interesse estão em promoção. Resultado: você tem uma pilha de leituras muito maior do que realmente consegue ler.

Quem é apaixonado por livros provavelmente se identifica com a situação descrita acima. Isso acontece tanto que existem, inclusive, grupos de apoio sobre o assunto em redes sociais voltadas para leitores, como o Goodreads, por exemplo.

Existe ainda uma palavra em japonês que define a sensação já bem conhecida por leitores e compradores ávidos de livros: tsundoku.Trata-se do hábito de comprar materiais de leitura e deixá-los em uma pilha sem nunca serem livros. Em entrevista ao Quartz, o professor de japonês Sahoko Ichikawa, da Universidade Cornell, dos Estados Unidos, explicou que o termo teve origem no século 19 e que “tsunde” significa empilhar coisas e “oku”, deixá-las de lado por um tempo.

Poder da leitura
A ciência estuda a influência que os livros que de fato são lidos têm em seus leitores. Um levantamento recente mostra, por exemplo, que ler Harry Potter faz com que fãs lidem melhor com a morte. Já um estudo publicado no periódico Social Science and Medicine afirma que ler regularmente pode aumentar sua expectativa de vida.

Crianças alemãs preferem livros a YouTube

0

18354953_303

Mais da metade das crianças entre 6 e 13 anos leem livros, revistas infantis e quadrinhos todas as semanas, afirma pesquisa, e só um terço diz assistir a vídeos no YouTube.

Publicado no DW

Na Alemanha, onde nasceu a imprensa, o futuro de livros e revistas parece estar garantido. De acordo com um estudo publicado nesta terça-feira (08/08), 61% das crianças alemãs entre 6 e 13 anos afirmaram ler livros mais de uma vez por semana, e mais da metade delas (55%) disse ler revistas infantis e histórias em quadrinhos várias vezes por semana.

O estudo foi encomendado por um grupo de seis editoras, incluindo Panini, Gruner + Jahr, Egmont Ehapa Media, Spiegel e Zeit. Para a pesquisa foram realizadas por volta de 2 mil entrevistas com crianças e seus responsáveis.

Enquanto 62% das crianças entre 6 e 13 anos afirmaram usar internet e aplicativos, somente 34% dos entrevistados disseram assistir regularmente a vídeos no YouTube. Uma parcela ainda menor (28%) respondeu que jogava videogames.

Somente a TV bate a mídia impressa quando se trata de chamar a atenção dos pequenos: 93% das crianças entre 4 e 5 anos disseram que assistiam à televisão várias vezes por semana, enquanto 97% de meninos e meninas entre 10 e 13 anos responderam que se sentavam regularmente diante da tela.

Não foi surpreendente, no entanto, a constatação de que DVDs e Blu-rays não desempenham um papel importante na vida de crianças alemãs: somente 15% dos guris e gurias de 6 a 13 anos disseram que os usavam com frequência.

Celulares são comuns

Só porque muitos gostam da leitura não significa que as crianças do país não estejam por dentro das novas tecnologias. Na faixa etária entre 6 a 9 anos, 37% delas disseram possuir celular ou smartphone próprio. Entre aquelas de 10 a 13 anos, essa cifra pulou para 84%.

Nessa última faixa etária, o serviço de mensagens WhatsApp ultrapassou as mensagens de texto à moda antiga – 68% disseram utilizar WhatsApp e 61%, mensagens de SMS. E somente pouco mais de um quarto (25%) afirmou usar o Facebook.

Mais de 80% dos entrevistados entre 6 e 13 anos afirmaram, no entanto, que a sua principal forma de comunicação é telefonar.

CA/afp/epd/dw

18ª Bienal do Livro no Rio traz espaços inéditos e celebra a literatura nacional

0

oi

Bárbara Allen, na Cabana do Leitor

O maior evento literário do Brasil, que acontece entre 31 de agosto e 10 de setembro no Riocentro, realizou ontem (08/08) uma coletiva para apresentar toda a programação cultural. A 18ª Bienal do Livro Rio traz espaços inéditos e celebra a literatura nacional.

Esse ano, a Bienal contará com 40% do número de sessões a mais do que da última edição. Serão mais de 300 autores, nacionais e internacionais. Para Marcos Pereira, presidente da SNEL, a intenção desta edição é resgatar o valor do livro.

13 autores internacionais estarão distribuindo autógrafos e batendo um papo super divertido com os seus fãs. A autora Abbi Glines estará no dia 03/09 (domingo) falando um pouco sobre seus livros e o norte americano Carl Hart marcará presença no evento no dia 09/09 (sábado). Charles Duhhigg, Jenny Han (Para todos os Garotos que Já Amei), Leisa Rayven e outros também estarão presentes.

Além dos tradicionais espaços Café Literário e o espaço infantil, nesta edição teremos duas novas arenas que prometem atrair a atenção dos visitantes. A primeira é a Arena #SemFiltro, nome escolhido através de votação na internet, que terá capacidade para 400 pessoas e será comandada por Rosane Svartman. As atividades realizadas neste espaço serão de bate-papo com autores e influenciadores que discutirão temas como feminismo, moda, comportamento, game, música, entre outros assuntos. A lista de convidados é extensa, mas alguns dos nomes são: Thalita Rebouças, Maisa Silva, Hélio de La Peña, Isabela Freitas, Raony Phillips e outros.

O Geek & Quadrinhos é a outra novidade da Bienal 2017. A ideia é levar novas narrativas para o maior evento literário. O responsável por toda programação do espaço é Affonso Solano, um dos principais nome da literatura fantástica no Brasil. As atividades que irão ocorrer no Geek & Quadrinho vão desde bate papo com assuntos variados até mesa de jogos, área de realidade virtual e arena de swordplay (para batalhas medievais). Os assuntos discutidos pelos convidados serão bem do universo geek e abordarão a representatividade feminina, publicações independentes, desenvolvimento de games, lançamento do jogo da Hora de Aventura e claro terá muito sobre a Marvel Comics. Alguns dos convidados são: Fernando Caruso, Mikannn, Carlos Ruas, Thiago Rex, FML Pepper, entre outros.

O Café Literário também está com atrações e temáticas maravilhosas. Coordenador por Rodrigo Lacerda, o espaço trará temas atuais e do interesse da sociedade. A programação será dividida em 3 eixos, são eles: Cotidiano, reforma pública, democracia brasileira, religião, gênero e outros. A literatura, que trará discussões e debates sobre a literatura brasileira, tendo as obras de Ferreira Gullar, Lima Barreto e Tom Jobim como centrais. E a celebração, o espaço irá celebrar datas e acontecimentos que marcaram não só a literatura, mas também toda uma ordem da sociedade. Uma grande novidade será as sessões infantis, nomeadas de Cafézinho Literário. Carl Hart, Martinho da Vila, Rita Lobo, Alessandro Molon e Miriam Leitão, são alguns dos nomes que compõe a lista dos convidados.

E claro não poderíamos deixar de falar do Espaço Infantil, aliais é importante o incentivo da leitura para os pequenos. E para esta edição a curadora Daniela Chindler apresenta um espaço lúdico e interativo que incentiva o questionamento do “O que faz um livro ser um livro?”. Ficarão livros gigantes expostos representando diversas letras do alfabeto, o cenário convidará o visitante a brincar e explorar o local com o corpo. De acordo com Chindler “cada letra é um livro e cada livro sé um universo semântico que cada um viajará da sua forma. ”

Além desses quatro espaços, a 18ª Bienal do Livro Rio terá mais uma vez a Agents & Business Center, parceria com a Feira de Frankfurt, II Fórum de Educação, Interlivros e Praça da Língua, instalação audiovisual que recria a experiência-símbolo do Museu da Língua Portuguesa. Mesmo com tantas novidades, cerca de 8% do espaço para expositores ficarão vagos, por conta da crise muitas editoras tiveram que fechas. Mas Marcos Pereira afirma que visualmente esse número não fará muita diferença.

A 18ª Bienal do Livro Rio acontece entre os dias 31 de agosto a 10 de setembro no Riocentro. Os ingressos já podem ser adquiridos pelo site do evento e a programação completa também já está disponível.

Morcegos ajudam a conservar livros em biblioteca de Portugal

0
Os morcegos se tornaram uma forma eficiente de lidar com as traças que atacam os livros (Foto: Wikimedia Commons)

Os morcegos se tornaram uma forma eficiente de lidar com as traças que atacam os livros (Foto: Wikimedia Commons)

Biblioteca do Palácio Nacional de Mafra, em Lisboa, garante a janta dos mamíferos, que já estão famosos na região e já viraram atração turística na cidade

Publicado no Globo Rural

Costumeiramente visto como vilões, os morcegos possuem a fama hollywoodiana de estarem sempre associados às trevas e ao mal – exceto os companheiros do Batman. Mas, em uma tradicional biblioteca localizada no Palácio Nacional de Mafra, em Portugal, esses pequenos mamíferos são muito bem quistos.

Os morcegos da biblioteca já viraram atração na região, pois trabalham como guardiões noturnos dos mais de 36 mil livros da biblioteca. Os bichinhos da espécie morcego-anão e morcego-orelhudo-castanho fazem uma verdadeira “faxina noturna” e garantem a própria janta.. Eles se alimentam de insetos, principalmente daquelas traças que adoram devorar as páginas de livros. O sonar dos morcegos é que ajuda na tarefa de localizar as traças e garante o banquete.

Os morcegos acabaram se tornando uma forma ecológica de lidar com esse problema muito comum em bibliotecas. E os pequenos voadores ganharam tanta fama que já fazem parte do tour do local. Alguns deles foram encontrados mortos no chão da biblioteca e foram guardados para serem exibidos aos visitantes, segundo o Jornal de Mafra.

Biblioteca do Palácio Nacional de Mafra (Foto: Wikimedia Commons)

Biblioteca do Palácio Nacional de Mafra (Foto: Wikimedia Commons)

Go to Top