Vitrali Moema

Posts tagged livros

Quem é Você, Alasca? | Confira quem serão os protagonistas da série

0

Publicado no Entreter-se

O escritor John Green fez um grande sucesso com seus livros, você provavelmente o conhece por A Culpa é das Estrelas e Cidade de Papel, que foram adaptados para as telinhas.

Mais um livro do autor será adaptado, dessa vez para uma série que será produzida pelo Hulu, será Quem é Você, Alasca?

Kristine Froseth (Sierra Burgess é uma Loser) será Alaska e Charlie Plummer (Todo o Dinheiro do Mundo) será Miles.

Mandatory Credit: Photo by Jordan Strauss/Invision/AP/REX/Shutterstock (9296931bq)
Charlie Plummer
World Premiere of “All the Money in the World”, Beverly Hills, USA – 18 Dec 2017

Green também revelou que falou com os atores por telefone e gostou muito de ambos. Disse que está grato a todos envolvidos com a série e que tudo está começando a parecer mais real.

Quem é Você, Alasca? foi publicado em 2005 e será adaptado para uma minissérie de oito episódios. Ainda não há data de estréia.

Livros de Machado de Assis ajudaram autor da novela das sete a criar diálogos exóticos entre os personagens

0

Machado de Assis | Reprodução

Publicado no TNH1

Os “congelados” da novela “O Tempo Não Para” (Globo), que acordaram mais de cem anos depois de “caírem no sono”, não tiveram que se adaptar só às roupas e aos costumes dos tempos modernos. A novela mostra com bom humor que a língua portuguesa falada hoje é totalmente diferente da usada durante o século 19. Um exemplo: no leilão de joias de Cesária (Olívia Araújo), Agustina (Rosi Campos), ao ver os lances dados pelas peças, solta a frase: “Vai encher a burra de cobres!”. Damásia (Aline Dias), agora escrava liberta, não percebe o quanto é explorada por Coronela (Solange Couto) e, quando Elmo (Felipe Simas) questiona o contrato das duas, a mocinha diz com firmeza: “Sinhá tem razão, estou apalavrada com ela”.

Diferentemente de se aproveitar de diálogos de outras novelas de época, o autor Mário Teixeira conta que se preocupou em usar palavras mais coloquiais, utilizadas no dia a dia daquele século. “Algo que me seduz muito é quando as palavras fogem do dicionário”, conta o autor, lembrando que algumas citadas pelos “congelados” nem no dicionário ele encontrou. “Só entendi o termo após me aprofundar no contexto”, completa. E revela suas fontes. “Usei basicamente os livros da época, o ‘Quincas Borba’ [1891], o ‘Memorial de Aires’ [1908], livros do Machado de Assis, que têm mais a temperatura das ruas, menos intimistas que os livros mais conhecidos dele.” Com o decorrer da trama, os personagens devem soar mais modernos, mas é difícil que percam sua essência. “É normal que incorporem termos, mas sem jamais perder a identidade léxica do seu tempo.” E vão continuar distribuindo amor, como disse Paulina (Carol Macedo) a Marocas, sua amiga do século 19. “Você diz muitas palavras difíceis, mas te entendo no olhar”.

‘A Pequena Caixa de Gwendy’: a nova fantasia envolvente de Stephen King

0

LIVRO – Stephen King: o poder de destruir o mundo nas mãos de uma menina (//Divulgação)

Romance foi escrito pelo autor de ‘A Zona Morta’ ao lado de seu amigo Richard Chizmar

Publicado na Veja

(Tradução de Regiane Winarski; 168 páginas; 49,90 reais ou 29,90 reais em versão digital) Gwendy tinha 12 anos quando foi abordada por um estranho de roupa preta que lhe deu um curioso presente: uma caixa com botões. Cada um deles, a menina vai descobrir, aciona poderes espetaculares — há até um botão que pode destruir a Terra. Fantasia envolvente, o livro foi escrito a quatro mãos pelo prolífico Stephen King e por um amigo escritor menos conhecido, Richard Chizmar. O cenário já apareceu em A Zona Morta e outros livros de King: Castle Rock, cidade fictícia no Maine.

Livro sobre o Planet Hemp será lançado em dezembro

0

O escritor Pedro de Luna em frente ao extinto Garage, fechado em 2001: um ano e meio pesquisando o Planet Hemp Foto: Marcelo Régua / Agência O Globo

O filme, que narra o surgimento da banda, há 25 anos, estreiou dia 18

Mauricio Peixoto, em O Globo

RIO —- Johnny Araújo e Gustavo Bonafé lançaramm nesta quinta-feira, dia 18, o filme “Legalize já: a amizade nunca morre” , que conta a história do encontro entre Marcelo D2 e Skunk, e de como eles fundaram o Planet Hemp, nos idos de 1993. No longa-metragem, o local onde hoje fica um casarão abandonado na Rua Ceará, na Praça da Bandeira, ganha destaque: ali funcionou, até 2001, o Garage, lendária casa de shows onde se apresentaram várias bandas da cena underground carioca e onde, há 25 anos, aconteceu o primeiro show do grupo.

Em paralelo ao filme, o escritor niteroiense Pedro de Luna l ançou um livro contando curiosidades da história da banda , em comemoração a essas duas décadas e meia de sucesso. Ao GLOBO-Tijuca, De Luna falou sobre a edição, da Belas Letras, intitulada “Planet Hemp: mantenha o respeito”, com lançamento previsto para o dia 1º de dezembro.

— Iríamos lançar o livro em outubro, mas para não ser abafado pelo filme, decidimos transferir para dezembro. O foco do filme é na amizade entre D2 e Skunk, que morreu em 1994, antes do lançamento do primeiro disco, em 1995. Eu me debruço também nesse encontro, mas abordo mais curiosidades e histórias da banda como um todo — explica de Luna.

Com oito livros lançados, sendo a maioria sobre o underground brasileiro, de Luna, de 43 anos, diz que a ideia era mostrar que o papel da banda era vanguardista e ia muito além do debate sobre a legalização da maconha, abordando temas como a liberdade de expressão e as críticas políticas. Cenas que marcaram a primeira apresentação, no Garage, e a prisão em Brasília, em 1997, sob acusação de apologia às drogas, não ficaram de fora de “Planet Hemp: mantenha o respeito”.

— Aproveitei os 25 anos do Planet Hemp e decidi voltar à banda. Pesquisei muito, em jornais e revistas, entrevistei todos os músicos com passagens pelo Hemp. Esse trabalho intenso de pesquisa durou um ano e meio — conta.

Série Legend vai ganhar mais um livro

0

Guilherme Cepeda, no Burn Book

Marie Lu assinou um acordo multimilionário com Roaring Brook Press e vai escrever mais 3 livros, um deles é um quarto livro para série Legend.

Segundo informações, o novo volume se passará 10 anos após os eventos de Champion e trará de volta nossos icônicos personagens. Deve chegar às livrarias no outono de 2019.
Os outros dois livros formam uma nova duologia da Lu, que se chamará SKYHUNTER.

Go to Top