Vitrali Moema

Posts tagged Mestre

Estudantes fazem mestrado em Matemática antes da faculdade

0
Os colegas Vitor e João Pedro: mestrado antes de concluir a graduação (Foto: Camilla Maia / Agência O Globo)

Os colegas Vitor e João Pedro: mestrado antes de concluir a graduação (Foto: Camilla Maia / Agência O Globo)

Eduardo Vanini, em O Globo

RIO – Recém-aprovado para a faculdade de Matemática Aplicada na Fundação Getúlio Vargas, João Pedro Ramos, de 18 anos, nem sabe ao certo quando começam as aulas. Mas segue em dia com as atividades do mestrado no Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada (Impa). O estudante frequenta o curso desde o ano passado, quando estava no 3º ano do ensino médio. Assim como ele, outros estudantes estão fazendo mestrado no instituto antes mesmo da graduação.

Ex-aluno do Colégio Estadual Engenheiro Bernardo Sayão, João Vitor foi admitido definitivamente no mestrado no final do ano passado, após escrever uma carta de apresentação e entregar outras duas de recomendação de seus professores. O curso tem duração de dois anos, mas ele vai terminá-lo em um ano e meio, pois já havia adiantado algumas disciplinas.

– Comecei a fazer um curso de análise combinatória nas férias do ano passado e depois continuei fazendo outras disciplinas. Tinha aula todo dia e gostava disso. Então, resolvi buscar o mestrado pela minha vontade de aprender cada vez mais e por querer seguir carreira de pesquisador – diz o garoto.

Seu colega Victor Bitarães, de 19 anos, segue o mesmo caminho. Cheio de conquistas em competições de matemática, o rapaz veio de Betim, em Minas Gerais, com o plano de estudar no Impa. Ele chegou ao Rio em maio do ano passado, e começou a dar aulas num colégio particular para alunos que farão as olimpíadas de matemática. Ao mesmo tempo, passou a frequentar aulas no Impa e foi conquistando o seu lugar. Agora, ele vai ser colega de classe de João Pedro na FGV e no mestrado.

– Sempre gostei de matemática e percebi que aqui havia ótimas possibilidades. O meu ingresso no mestrado mostra como é possível ter algo maior do que se pensa. Sinto que estou investindo nos estudos muito mais pelo meu interesse em conhecimento do que simplesmente pela formação – conta o rapaz, que ainda não decidiu quais serão os seus rumos profissionais.

O diretor adjunto do Impa, Claudio Landim, explica que qualquer pessoa pode assistir às aulas do instituto como ouvinte e, posteriormente, tentar ingresso no mestrado, sendo avaliado em algumas disciplinas. Além das aulas, os selecionados têm direito a uma bolsa mensal de R$ 1.400. Mesmo concluindo o curso, é preciso terminar a faculdade para obter o certificado. Landim, entretanto, adverte que o ingresso não é simples:

– Os alunos aprovados para o mestrado são excepcionais. O João Pedro sempre tirou A em suas avaliações no Impa e o Bitarães já representou o Brasil em competições internacionais. Durante o curso, os alunos têm uma carga horária semanal média de nove horas de aulas, mas também precisam dedicar muitas horas de estudo em casa para acompanhar as disciplinas – adverte.

Segundo Claudio, cerca de 15% dos alunos de mestrado ingressaram antes da graduação. O Impa investe neste perfil. Este ano, o instituto lançou um programa em que convida alunos que se destacam nas olimpíadas de matemática para fazerem o mestrado junto com uma graduação no Rio, oferecendo também bolsa de estudos para a universidade.

– Estes alunos são frequentemente convidados por instituições internacionais e queremos retê-los no Brasil por mais tempo – justifica. – Quem começa o mestrado mais cedo, tem oportunidade de conviver com os melhores professores do Brasil desde o início da formação. E, ao saírem da universidade com essa titulação, fica mais fácil para eles tentar um doutorado ou pós-doutorado no exterior.

Mestre aos 16 anos

Quando tinha 11 anos, o jovem Daniel Santana Rocha, foi com o pai, que é professor de Matemática, a uma aula do Programa de Aperfeiçoamento e Professores de Matemática do Ensino Médio do Impa. Em um dado momento, os professores foram desafiados a resolver alguns problemas, entre os quais havia um que ninguém conseguia concluir. Daniel se candidatou e solucionou a questão. A partir do episódio, ele não parou de frequentar aulas no instituto.

Hoje, aos 16 anos, Daniel está no 3º ano do ensino médio e já concluiu um mestreado pelo instituto e faz matérias do doutorado.

– Fiz minha primeira matéria no Impa quando tinha 12 anos, como ouvinte. No ano seguinte, fiz para valer. Como tirei nota A, fui admitido para cursar as disciplinas do mestrado. Fui fazendo várias matérias até que, no verão do ano passado, fui selecionado no curso. Concluí em novembro – relembra.

Para obter a aprovação final no mestrado, os alunos têm duas opções: apresentar uma dissertação ou fazer duas disciplinas do doutorado. Daniel ficou com a segunda opção e ainda fez uma terceira disciplina. Foi aprovado nas três. Sacrifício? Nenhum. Ele garante que assumir responsabilidades desse nível nunca foi problema, apesar da pouca idade.

– Sempre tive a noção de que todo mundo pode fazer o que quiser. A questão é gostar do que está fazendo. Quando é assim, você pode avançar infinitamente na área que gosta. Se uma pessoa gosta de bilogia, por exemplo, por que não ir à UFRJ assistir a uma aula de Medicina? Ninguém vai impedi-la de fazer isso – conclui.

Stephen King detona Crepúsculo: ‘Pornô para pré-adolescentes’

1

Em entrevista a jornal, autor critica ainda Cinquenta Tons de Cinza e Jogos Vorazes

Stephen King, autor de clássicos como O Iluminado, A Coisa e Christine

Stephen King, autor de clássicos como O Iluminado, A Coisa e Christine

Publicado por UOL

Stephen King, mestre da literatura de terror e suspense, não ficou nada impressionado ao ler alguns dos maiores best-sellers da atualidade. Em entrevista ao jornal The Guardian, o escritor detonou a Saga Crepúsculo, de Stephenie Meyer; Jogos Vorazes, de Suzanne Collins; e Cinquenta Tons de Cinza, de E.L. James. King, no entanto, elogiou Morte Súbita, o novo livro de J.K. Rowling, autora de Harry Potter, chamando-o de “fabuloso”.

O escritor, cujas obras foram adaptadas para mais de 50 filmes, lê obras modernas por interesse profissional. Sobre Crepúsculo, o qual classifica como “pornô para pré-adolescentes”, reclamou, “Eles não são sobre vampiros ou lobos. Eles são sobre como o amor de uma garota pode transformar um cara mau em um cara bom”.

“Eu li Crepúsculo e não senti vontade de continuar. Eu li Jogos Vorazes e não senti vontade de continuar. Não é diferente de O Gladiador, um filme em que pessoas assistem a outras pessoas serem mortas, uma sátira aos reality shows”.

“Eu li Cinquenta Tons de Cinza e não senti vontade de continuar. Eles chamam isso de pornô para mamães, mas não é isso. Ele é bem direcionado pelo sexo e é para mulheres entre, digamos, 18 e 25 anos”, acrescentou.

Stephen King lançará, na próxima quinta-feira (26), a sequência do livro O Iluminado. Intitulado Doctor Sleep, a obra mostrará Danny Torrance – o menininho estranho do filme – 40 anos após a tragédia ocorrida no Hotel Overlook. Já adulto, Danny visita pacientes que estão em fase terminal para guiá-los durante a passagem para uma outra vida.

O curioso mundo dos animais empalhados do Sr. Potter

0

Livro mostra fantástica coleção de animais empalhados em cenas do cotidiano de Walter Potter, que faziam sucesso na Inglaterra vitoriana.

Publicado no G1

Um novo livro do historiador Pat Morris e da artista Joanna Ebenstein celebra a obra, a técnica e a arte de Walter Potter, um conhecido mestre da taxidermia dos tempos da Inglaterra vitoriana — ele viveu do século 19 a início do 20 (Foto: Pat Morris/Joanna Ebenstein)

Um novo livro do historiador Pat Morris e da artista Joanna Ebenstein celebra a obra, a técnica e a arte de Walter Potter, um conhecido mestre da taxidermia dos tempos da Inglaterra vitoriana — ele viveu do século 19 a início do 20 (Foto: Pat Morris/Joanna Ebenstein)

Potter, que morreu em 1918, começou a aprender a taxidermia ainda garoto, aprendendo a preservar corpos de pássaros e animais. Logo após deixar a escola, de início à sua coleção particular (Foto: Pat Morris/Joanna Ebbenstein )

Potter, que morreu em 1918, começou a aprender a
taxidermia ainda garoto, aprendendo a preservar
corpos de pássaros e animais. Logo após deixar a
escola, de início à sua coleção particular
(Foto: Pat Morris/Joanna Ebbenstein )

As cenas de animais empalhados protagonizando uma cena cotidiana do século 19 tornaram-se ícones da Inglaterra vitoriana. Walter Popper tinha fascínio pela taxidermia e começou a aprender a arte de empalhar animais ainda garoto.

VEJA A GALERIA COMPLETA

Um novo livro do historiador Pat Morris e da artista Joanna Ebenstein celebra a obra, a técnica e a arte de Potter, que, em vida, fundou e manteve o Museu de Curiosidades do Sr. Potter, perto de Brighton, na costa sul da Inglaterra.

Com sua morte em 1918, a coleção teve vários destinos e acabou desmembrada em um leilão no ano de 2003.

O artista britânico Damien Hirst tentou comprar tudo por mais de R$ 3,5 milhões, mas já era tarde demais para o lance.

O livro “Walter Potter’s Curious World of Taxidermy”, assinado por Pat Morris e Joanna Ebenstein, foi publicado pela editora Constable, de Londres.

Esperava-se que a coleção fosse vendida inteira, mas não houve nenhuma oferta pelo acervo completo, que acabou desmembrado. O artista britânico Damien Hirst tentou comprar tudo por mais de R$ 3,5 milhões, mas já era tarde demais para o lance (Foto: Pat Morris/Joanna Ebenstein)Esperava-se que a coleção fosse vendida inteira, mas não houve nenhuma oferta pelo acervo completo, que acabou desmembrado. O artista britânico Damien Hirst tentou comprar tudo por mais de R$ 3,5 milhões, mas já era tarde demais para o lance (Foto: Pat Morris/Joanna Ebenstein)

Toda a obra poética de Fernando Pessoa para download

2

Car­los Wil­li­an Lei­te, no Jornal Opção

1O portal Domínio Público disponibilizou para download a poesia completa de Fernando Pessoa. Embora sem uma ordem cronológica adequada e com edições repetidas, o acervo contempla toda a obra conhecida do poeta português.

Fernando Pessoa nasceu em Lisboa, em junho de 1888, e morreu em novembro de 1935, na mesma cidade. É considerado, ao lado de Luís de Camões, o maior poeta da língua portuguesa e um dos maiores da literatura universal.

Seus poemas mais conhecidos foram assinados pelos heterônimos Álvaro de Campos, Ricardo Reis, Alberto Caeiro, além de um semi-heterônimo, Bernardo Soares, que seria o próprio Pessoa, um ajudante de guarda-livros da cidade de Lisboa e autor do “Livro do Desassossego”, uma das obras fundadoras da ficção portuguesa no século XX.

Além de exímio poeta, Fernando Pessoa foi um grande criador de personagens. Mais do que meros pseudônimos, seus heterônimos foram personagens completos, com biografias próprias e estilos literários díspares. Álvaro de Campos, por exemplo, era um engenheiro português com educação inglesa e com forte influência do simbolismo e futurismo. Ricardo Reis era um médico defensor da monarquia e com grande interesse pela cultura latina. Alberto Caeiro, embora com pouca educação formal e uma posição anti-intelectualista (cursou apenas o primário), é considerado um mestre.

Com uma linguagem direta e com a naturalidade do discurso oral, é o mais profícuo entre os heterônimos. São seus “O Guardador de Rebanhos”, “O Pastor Amoroso” e os “Poemas Inconjuntos”. O crítico literário Harold Bloom, em entrevista à revista “Época”, afirmou que a obra de Fernando Pessoa é o legado da língua portuguesa ao mundo. Para acessar: http://bit.ly/ffoF7T

dica do Sidnei Carvalho de Souza

Go to Top