Laís Álvares conta que gosto por leitura e escrita é herança de família.
‘Meu Pedacinho de Mundo’ reúne poesias escritas pela adolescente.

Ricardo Welbert, no G1

Laís Álvares posa ao lado de exemplares do livro dela (Foto: Laís Álvares/Arquivo pessoal)

Laís Álvares posa ao lado de exemplares do livro
dela (Foto: Laís Álvares/Arquivo pessoal)

Uma adolescente de 15 anos, moradora de Conceição do Pará, no Centro-Oeste de Minas, se destaca na literatura. Laís Álvares Fonseca lançou recentemente o primeiro livro dela, chamado “Meu Pedacinho de Mundo”, da editora All Print. A obra inclui poesias escritas por ela desde os oito anos de idade.

“Procurei criar um diferencial para atrair o público jovem. Todas as poesias são ilustradas e instigam o leitor a se perguntar sobre o significado de cada desenho”, explicou a autora.

Apesar da pouca idade, Laís já acumula experiências literárias. Algumas das poesias dela foram publicadas no caderno “Guri” do jornal “Estado de Minas”. Antenada com as tecnologias, a garota também usa a internet para publicar textos e divulgar os trabalhos. “Adoro escrever poesias para demonstrar meus sentimentos, minhas expectativas e para expor minha indignação com certas ações humanas. Ler e escrever poesias é vital para mim. É como respirar e me alimentar”, definiu.

Laís Álvares nasceu em Pitangui, a 40 quilômetros de Conceição do Pará. Ela se orgulha em dizer que pertence à sétima geração de Maria Tangará (mulher rica, senhora de muitos escravos e bastante influente na política do Brasil no século XVIII). O livro “Uma Dama Esquecida e Injustiçada”, de Tasso Lacerda Machado, traz a genealogia da família da personagem histórica, de quem a menina descende.

Leitores em fila para receber autógrafo da autora em lançamento (Foto: Laís Álvares/Arquivo pessoal)

Leitores em fila para receber autógrafo da autora
em lançamento (Foto: Laís Álvares/Arquivo pessoal)

Recém-formada no 1º ano do ensino médio, pela Escola Estadual Doutor Isauro Epifânio, Laís conta que o gosto pelas letras surgiu ainda na infância. Influência da mãe, Maria Raimunda Alves da Silva, professora de Língua Portuguesa. “Ela sempre teve incentivo para ler e escrever em casa. Toda vez que cria um novo texto, me mostra. Se encontro alguma coisinha fora do lugar, oriento sobre o jeito certo e ela conserta”, revelou a mãe.

“Nossa casa tem muitos livros. Além disso, meus antecedentes foram pessoas ligadas à literatura. Minha bisavó materna era poetisa e tenho inclusive, cópia de carta em que meu tio-bisavô trocava correspondências com Carlos Drummond de Andrade. Sou de uma família de gente que escreve e trago no DNA o gosto pela literatura”, acrescentou Laís.

O primeiro livro
A ideia de lançar um livro surgiu em 2010, quando Laís e os pais visitaram o estande da editora All Print durante a Bienal do Livro em Belo Horizonte. “Peguei um cartão deles, depois fiz contato e, desde então, trocamos muitos e-mails. Quando vimos que Laís já tinha uma boa quantidade de material produzido, fechamos o negócio. Inicialmente, imprimimos 500 exemplares” contou Maria Raimunda.

Detalhe da capa de ''Meu Pedacinho de Mundo'' (Foto: All Print/Divulgação)

Detalhe da capa de ”Meu Pedacinho de Mundo”
(Foto: All Print/Divulgação)

O passo seguinte foi contratar um desenhista para ilustrar os textos. Renato Faria, um artista plástico que mora em Pitangui, foi procurado. “Elas [Laís e a mãe] queriam ilustrações um pouco surreais. Algo que acrescentasse aos poemas, mas que não fosse uma representação literal dos textos. Inspirei-me no título do livro e tive a ideia de recriar o mundo da Laís, baseado nas visões dela. O resultado final foi a perfeita junção dessas linguagens”, explicou o ilustrador.

Enquanto observa o início da carreira de escritora da filha, o pai de Laís, o fabricante de calçados Heli Luiz Júnior, faz planos bem humorados. “Ela já me prometeu uma fazenda com dois mil bois e uma Ferrari na garagem”, disse o pai. “Brincadeira à parte, sempre apoio as decisões de minha filha e também a incentivo a perseguir seus sonhos com dedicação e nunca desistir deles”, acrescentou.

Onde comprar
O exemplar de “Meu Pedacinho de Mundo” custa R$ 22. Em Pitangui, pode ser adquirido em na secretaria da paróquia de Nossa Senhora do Pilar, na Casa Lacerda e na Pimpolho Presentes. Em Conceição do Pará, no Solar dos Valério. O livro também pode ser adquirido pelo site da editora All Print, a R$ 25.