S.O.S Amor

Posts tagged mundo

Livros que merecem lugar na estante em 2017

0

livros

Amélia Gonzales, no G1

Astrologicamente, o ano de 2017 só vai começar em março, dizem os especialistas. Assim, ainda tenho tempo para sugerir aos leitores alguns bons livros que li no ano passado e que me ajudaram bastante a ampliar o pensamento a respeito das mudanças climáticas, de uma nova economia, de uma nova sociopolítica, de uma nova ordem mundial que anda se impondo. Mesmo com a eleição de um “cético do clima” à presidência dos Estados Unidos – Donald Trump, é claro – não se pode perder de vista a necessidade de manter o Acordo de Paris, conseguido a duras penas no fim de 2015, que pretende neutralizar tantas emissões de carbono, organizar mais a produção, o consumo, para que sobrem recursos. E é bom visitar textos de pessoas que pensam a respeito, propondo novos caminhos. Não proponho um debate porque acho pobre quando se fica em posições opostas. Proponho o pensamento, a reflexão, para se tentar um caminho de mudanças possíveis.

Começo, pois, com David C. Korten e seu “When corporations rule the World”. Infelizmente ainda não foi traduzido no Brasil, mas deveria ter sido. Porque traz ponderações de grande importância sobre o valor imenso que deixamos que as megas corporações tenham em nosso mundo. Algo semelhante já foi escrito, depois traduzido para um vídeo documentário, com o nome de “The Corporations”, em 1995.

A primeira edição do llivro “When corporations rule the World” é do mesmo ano, e ganhou em 2015 uma introdução para comemorar os vinte anos de sua publicação.Fiquei presa às observações do autor feitas há vinte anos, vejam só:

“A escalada da concentração do poder econômico atual é revelada em estatísticas. Das cem maiores economias do mundo, 50 são corporações, e as vendas agregadas das dez maiores corporações em 1991 excedem o PIB das cem economias dos menores países do mundo. As receitas obtidas com as vendas da General Motors em 1992 (133 bilhões de dólares) quase se esquivale ao PIB de Bangladesh, Etiopia, Kenya, Nepal, Nigéria, Paquistão, Tanzania, Uganda e Zaire. 550 milhões de pessoas habitam esses países, um décimo da população global. As 500 maiores corporações industriais do mundo, que empregam somente meio a 1 por cento da população mundial, controlam 25% do rendimento econômico do mundo”.

Fico impressionada porque todo esse poderio, que já assustava, foi identificado e descrito há vinte anos. E, de lá para cá, só fez crescer. Será sempre necessário refletir a esse respeito, trazendo para a mesa uma série de indagações que não têm sido feitas pelo senso comum. O livro de David Korten é um convite.

De uma certa forma, o historiador Jessé Souza, pesquisador e ex-presidente do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), também ajuda a pensar sobre o papel protagonista das empresas brasileiras quando faz uma retrospectiva em seu “A Radiografia do Golpe” (Ed. Leya). O problema de estarmos vivendo um dos períodos de maior polarização política no país é a dificuldade de se abrir espaço para o “outro” expor suas ideias se elas não se adaptam à crença do “um”. Jessé, já no título, deixa claro o que pensa sobre o impeachment da presidente Dilma Roussef. E parte de uma leitura sofisticada e lúcida sobre a divisão de classes no sistema capitalista para ampliar o pensamento sobre o momento político.

Jessé Souza também denuncia o poderio do mundo das empresas, do mundo das finanças, identificando-os como “elite do dinheiro e do poder” que sempre precisaram “convencer a imensa maioria dominada e explorada de que seus privilégios são merecidos e justos”. O historiador denuncia também o racismo de classe, que se revelou de diversas maneiras durante todo o período do Lulismo. Para ele, um presidente com modos populares e metáforas de futebol foi demais para uma classe média que não gostava também de compartilhar espaços sociais antes restritos com os “novos bárbaros” das classes populares. Este sentimento seria o pano de fundo que deu força à manobra que depôs Dilma Roussef do poder.

“Foi nesse contexto que se deu a construção da ‘linha do moralismo’, como mais uma forma alternativa de produzir solidariedade interna entre os privilegiados e de permitir formas aparentemente legítimas de exercer preconceito e racismo de classe contra os de baixo. A linha do moralismo é a linha divisória imaginária que separa aqueles que se percebem como superiores , posto que se escandalizam com a corrupção política partidária e estatal, daqueles que não se sensibilizam com esse tema”, escreve ele.

O livro de Jessé Souza certamente também merece lugar na estante daqueles que não se conformam e querem ter mais dados para pensar sobre nosso tempo.

Pulando de um para outro tema, vou sugerir aos leitores a leitura de “A espiral da morte” (Ed. Companhia das Letras), do jornalista Claudio Angelo, atualmente um dos diretores da ONG Observatório do Clima. Já tinha este livro na lista antes mesmo de ler, hoje à tarde, a notícia sobre o iceberg gigante que está se desprendendo da Antártida, o que anda gerando muita preocupação aos ambientalistas.

O bloco de gelo de 5 mil quilômetros quadrados pode se soltar a qualquer momento e, se todo o gelo derreter, o nível dos mares aumentaria em cerca de dez centímetros. Não é pouca coisa e, como se lê no livro de Ângelo, trata-se de uma crônica do desastre anunciado.

“As duas regiões polares foram as vítimas iniciais do aquecimento global. Da maneira como elas reagirão ao aumento das temperaturas nos próximos anos dependerá, em larga medida, o futuro da sociedade, em especial nos países em desenvolvimento. A consequência mais conhecida e temida do degelo polar, claro, é a elevação do nível médio dos oceanos”, escreve ele.

O jornalista não se limita a repisar sobre a decorrência mais conhecida e comentada do degelo. Vai fundo também na história de vida dos cientistas que se dedicam anos a fio explorando as zonas mais inóspitas da Terra para estudar e tentar informar aos outros detalhes cada vez mais perturbadores e reveladores sobre o clima do planeta. Claudio Ângelo acompanhou alguns desses cientistas e não poupa os leitores quando descreve o que viu e ouviu:

“Mesmo que as emissões de carbono fossem zeradas hoje, várias mudanças já em curso são irreversíveis. A inércia do sistema climático fará os polos derreterem e o mar subir por milênios. Segundo um cálculo do climatologista americano David Archer, da Universidade de Chicago, uma parte do CO2 que já lançamos na atmosfera estará mudando o clima da Terra daqui a cem mil anos, graças ao tempo de vida longo desse gás na atmosfera e à enorme inércia dos oceanos ao absorver calor”, escreve ele.

O livro de Claudio Ângelo, assim como os outros dois que sugeri, certamente não vai deixar os leitores em harmonia com o universo, muito menos se sentindo navegando em mares de almirante. É mesmo para mexer, colaborar com novos pensamentos e reflexões. Boas leituras!

Foto: CDC/ Amanda Mills

Confira 6 livros das pessoas mais influentes no mundo dos negócios

0
Confira 6 livros das pessoas mais influentes no mundo dos negócios  |  Fonte: Shutterstock

Confira 6 livros das pessoas mais influentes no mundo dos negócios | Fonte: Shutterstock

 

O ditado diz que quem você anda define quem você é. Que tal ouvir as ideias das pessoas influentes da atualidade? Indicamos os livros das pessoas mais influentes nos negócios

Publicado no Universia Brasil

A leitura de livros para inspiração é uma das maiores – e mais indolores -oportunidades de aprendizado que alguém pode ter no mundo moderno. A maioria dos autores defende que o melhor jeito de aprender é com erros, mas o detalhe é que eles não precisam ser os seus erros.

Descubra os equívocos, modos de pensar e ideias de quem teve uma vida que deu muito certo. Veja a seguir 6 livros das pessoas mais influentes no mundo dos negócios e aplique os seus conselhos para conseguir uma vida melhor:

1. COMO AVALIAR SUA VIDA? – CLAYTON CHRISTENSEN
Clayton Christensen é um professor da Universidade de Harvard. É considerado um dos maiores experts em inovação do mundo. No seu livro de 2012 “Como avaliar sua vida?”, ele se desvia do padrão dos seus outros trabalhos para escrever um livro muito mais pessoal. A obra é baseada nas suas experiências de pesquisa e vida pessoal. Christensen explora, por exemplo, o que realmente significa ser bem-sucedido e o que leva algumas pessoas talentosas a crescerem.

2. PRESENÇA – AMY CUDDY
Amy Cuddy é uma psicóloga social da Universidade de Harvard que conseguiu a atenção da grande mídia com a sua TED Talk de 2012 “Sua linguagem corporal molda quem você é”, que já foi visualizada mais de 40 milhões de vezes. No seu livro “Presença” ela explica como a auto percepção dos nossos cérebros pode ser manipulada para superar a falta de confiança para permitir que você se desenvolva melhor socialmente e como pessoa.

3. DAR E RECEBER – ADAM GRANT
Adam Grant é um psicólogo de organizações em Wharton. Ele conduz uma pesquisa que mostra como não são os tipos egoístas e maquiavélicos aqueles que chegam no topo de empresas, mas aqueles vistos como generosos. No seu livro de 2013 ele explica que essas pessoas são aquelas que criam valor para outros sem esperar nada em troca. Essa abordagem funciona muito bem para o mundo profissional, desde que seja bem feita.

4. AJA COMO UM LÍDER, PENSE COMO UM LÍDER – HERMINIA IBARRA
Herminia Ibarra é professora da INSEAD. No seu livro de 2015 ela apresenta um guia de carreira não convencional que ensina como se aproveitar do mercado de trabalho atual com seu ritmo frenético, para chegar numa posição de liderança. Por exemplo, ela desafia a importância de ter “autenticidade”, uma palavra popular no mundo da liderança, dizendo que existem sim formas de ser honesto demais, e que a linha pode ser extremamente fácil de cruzar.

5. A ASCENSÃO DA CLASSE CRIATIVA – RICHARD FLORIDA
Richard Florida é o diretor do Instituto de Marin Prosperity, na Rotman School of Business. Ele é mais conhecido pelo seu trabalho com a classe criativa e sua relação com cidades. No seu livro de 2002 “A Ascensão da Classe Criativa”, ele argumenta que as cidades de maior sucesso vão evoluir para atrair talentos jovens, ser o lar de setores da tecnologia e passar políticas sociais liberais.

6. O FIM DA VANTAGEM COMPETITIVA – RITA MCGRANTH
Rita McGrath é professor da Columbia Business School. Ele serviu como consultor de liderança para grandes companhias como a Coca-Cola, a GE e a Pearson. No seu livro de 2013, “O Fim da Vantagem Competitiva”, ela argumenta que as empresas de maior sucesso precisam ser mais agressivas com novas oportunidades e passar para uma nova fase no mercado antes que se tornem ultrapassadas.

Paulo Coelho entra em lista com os 100 maiores pensadores da atualidade

0
Paulo Coelho e a obra da Fundação Albert Einstein || Créditos: Getty Images/Divulgação

Paulo Coelho e a obra da Fundação Albert Einstein || Créditos: Getty Images/Divulgação

 

Publicado no Glamurama

Paulo Coelho foi incluído na lista dos 100 maiores pensadores da atualidade, elaborada pela Fundação Albert Einstein, junto com outros “visionários” dos tempos modernos como a escritora canadense Alice Munro, o político israelense Shimon Peres, morto em setembro, o arquiteto Frank Gehry, a cantora Barbra Streisand, a artista Marina Abramovic, e pelo menos dez ganhadores do prêmio Nobel.

Cada um dos homenageados pela instituição deverá escrever um relato sobre o mundo em que vivemos e seus problemas, que será publicado em uma coletânea em homenagem aos 100 anos da Teoria da Relatividade. A obra, batizada “Genius: 100 Visions of the Future”, vai ser a primeira impressa em 3D no mundo, e terá o formato do busto de Einstein.

Com sede em Jerusalém, a Fundação Albert Einstein é subordinada à Universidade Hebraica, onde se encontra o arquivo pessoal do físico alemão, com mais de 55 mil itens, conforme uma determinação feita por ele em seu testamento. (Por Anderson Antunes)

19 livros para ler pelo menos uma vez em 2017

0
19 livros para ler pelo menos uma vez em 2017 | Fonte: Shutterstock

19 livros para ler pelo menos uma vez em 2017 | Fonte: Shutterstock

 

19 livros para ler em 2017: temas abordados nas obras podem influenciar o momento que você está vivendo; Confira a lista

Publicado no Universia Brasil

Cada história contida em um livro nos ensina a lidar com diferentes fases e momentos de nossas vidas. Os livros têm o poder de nos auxiliar a enxergar sempre além e nos dão a oportunidade de vivenciar experiências únicas, as quais não teríamos oportunidade de viver sem lê-los.

Confira 19 livros, sobre diferentes temas e de diferentes estilos, que você deve ler pelo menos uma vez em sua vida. Identifique aquele que está mais relacionado com seu momento atual e boa leitura!

1. O CAÇADOR DE PIPAS, DE KHALED HOSSEINI

A história de Amir, um garoto afegão que se sente culpado por ter traído seu melhor amigo, tem como cenário uma série de acontecimentos políticos, que começa com a queda da monarquia do Afeganistão em 1973, golpe de estado comunista em 1978, invasão soviética em 1979, a migração de refugiados para o Paquistão e para os EUA e a implantação do regime Militar pelos Talibã.

2. NUMBER THE STARS, DE LOIS LOWRY

O livro mostra que diferenças culturais e religiosas não importam entre amigos. Number the Stars conta a história de Annemarie Yohansen, uma menina dinamarquesa que cresceu na Segunda Guerra Mundial com sua melhor amiga, Ellen, que é judaica. Quando Annemarie descobre o que os nazistas estão fazendo contra o povo judeu, faz de tudo para proteger Ellen e toda comunidade judaica.

3. ORGULHO E PRECONCEITO, DE JANE AUSTEN

A história mostra como a personagem Elizabeth Bennet lida com os problemas relacionados à educação, cultura, moral e casamento na sociedade aristocrática do início do século XIX, na Inglaterra. Orgulho e Preconceito, uma das obras mais duradouras da literatura inglesa, ensina a superar diferenças e a encontrar a alegria em tudo o que vivemos.

4. THE OUTSIDERS, DE SUSAN E. HINTON

Hilton escreveu The Outsiders quando tinha apenas 16 anos visando apresentar a realidade de um adolescente americano do século 20. O livro acompanha dois grupos rivais, os Greasers e os Socs, que são divididos por suas condições socioeconômicas e nos lembra que a transição para a vida adulta nunca foi uma tarefa fácil.

5. LITTLE WOMEN, DE LOUISA MAY ALCOTT

O livro conta a história de quatro irmãs crescendo durante a Guerra Civil Americana, entre 1861 e 1865, e como elas aprenderam a superar juntas as dificuldades da vida. Ensina, acima de tudo, sobre a importância da união familiar.

6. A MENINA E O PORQUINHO, DE E. B. WHITE

O livro infantil fala sobre um porco chamado Wilbur e sua amizade com uma aranha chamada Charlotte. Publicado em 1952, é uma lição para as crianças e um lembrete para os mais velhos da beleza da natureza, do ciclo da vida e da importância de lembrar que cada criatura tem seu lugar na terra.

7. JANE EYRE, DE CHARLOTTE BRONTË

A obra conta as experiências de sua heroína homônima, Jane Eyre. O livro contém elementos de crítica social, com um forte senso de moralidade, mas não deixa de ser considerado a frente do seu tempo, dado o carácter individualista da personagem e a exploração do classicismo, religião e feminismo.

8. POR FAVOR, NÃO MATEM A COTOVIA, DE HARPER LEE

O livro é baseado nas memórias familiares da autora, assim como em um evento ocorrido próximo a sua cidade natal, em 1936, quando ela tinha dez anos de idade. Conhecido pela sua vivacidade e humor, discute assuntos sérios como estupro, desigualdade racial e as injustiças do sistema jurídico.

9. HARRY POTTER E A PEDRA FILOSOFAL, DE J. K. ROWLING

Leia todos os livros, mas comece a série pelo primeiro deles. A história de Harry Potter apresenta a importância da amizade, ensina a como lidar com a perda, mostra o triunfo do bem sobre o mal e como devemos enfrentar nossos problemas internos.

10. O JARDIM SECRETO, DE FRANCES HODGSON BURNETT

É um clássico atemporal sobre a beleza da natureza, o poder de cura do amor e a crença na magia. O livro é considerado a mais importante obra de Burnett, pois é a primeira obra na qual um garoto, Dickon, e uma garota, Mary Lennox, são os personagens principais.

11. O LEÃO, A FEITICEIRA E O GUARDA-ROUPA, DE CLIVE STAPLES LEWIS

Quando Peter, Susan, Edmund e Lucy encontram a terra mágica de Nárnia, fazendo amizades com animais falantes e lutando contra o mal, descobrem o verdadeiro significado dos laços familiares e o valor da coragem. Mais do que uma história sobre um mundo inteiro escondido em um armário, a obra, que se passa durante a Segunda Guerra Mundial, exalta Nárnia como a esperança de um futuro melhor.

12. ANNE OF GREEN GABLES, DE L. M. MONTGOMERY

Quando Anne Shirley, órfã de 11 anos, vai morar com uma nova família, descobre que houve algum erro: eles queriam adotar um menino. Enquanto essa descoberta deixa Anne insegura, com medo de não ser amada, você verá como a imaginação e o coração bondoso de uma criança pode te tocar. Uma história emocionante de amor e amizade, que nos lembra que a vida pode nos apresentar boas surpresas, mesmo quando acontecem coisas que não estávamos esperando.

13. THE GIRL WHO FELL FROM THE SKY, DE HEIDI W. DURROW

Após uma tragédia, a menina Rachel vai morar com sua avó em um bairro predominantemente branco. Com sua pele negra e seus olhos azuis, a garota enfrenta o desafio de aprender a viver em um mundo preconceituoso. A obra discute a construção cultural e nos desafia a confrontar nossos prejulgamentos.

14. O DIÁRIO DE BRIDGET JONES, DE HELEN FIELDING

O livro tem sido um símbolo do feminismo para mulheres de todo o mundo. Humorística e reconfortante, a obra apresenta comentários cômicos, mas críticos sobre o significado de ser mulher na sociedade atual.

15. A CABANA DO PAI TOMÁS, DE HARRIET BEECHER STOWE

O livro apresenta o conflito vivido entre escravos norte-americanos e proprietários de terras dos Estados Unidos, mostrando como foi horrível o período de escravidão. A obra é uma história de fé, coragem e luta pela liberdade.

16. ALICE NO PAÍS DAS MARAVILHAS, DE LEWIS CARROLL

O livro infantil é um conto de magia que gira em torno de Alice e um mundo imaginário. A história, que encanta crianças e adultos com seu discurso entre o real e o faz de conta, pode ser interpretada de diversas maneiras. Uma delas afirma que a narrativa representa a adolescência, com uma entrada inesperada, as mudanças, confusões e transformações que aparecem com o desenrolar da trama.

17. O PEQUENO PRÍNCIPE, DE ANTOINE DE SAINT-EXUPÉRY

Um dos livros mais traduzidos do mundo, a obra conta a história de um garoto que cai de um asteroide na Terra quando estava buscando entender a humanidade. Durante sua viagem, ele encontra uma série de personagens, que o auxiliam a compreender o poder transformador da amizade e da confiança.

18. O MUNDO MÁGICO DE OZ, DE L. FRANK BAUM

Um clássico sobre aventura e magia, o livro conta a história de Dorothy, seu cão Toto e os personagens que encontram durante o caminho para a Cidade das Esmeraldas, como o Espantalho e o Leão Covarde. Juntos, viajam para encontrar o famoso Mágico em busca de conhecimento, amor e coragem.

19. A CULPA É DAS ESTRELAS, DE JOHN GREEN

A história tocante aborda a vida de Hazel, uma adolescente com câncer que convive com outros jovens em seu grupo de apoio à doença – juntos, eles compartilham seus medos e alegrias. O livro consegue capturar a doença com ternura e autenticidade, lembrando os leitores que o amor, a amizade e a fé transcendem tudo, inclusive a própria morte.

Saiba quanto custa estudar em 5 universidades americanas de ponta

0
Campus da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos (Darren McCollester/Newsmakers)

Campus da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos (Darren McCollester/Newsmakers)

 

Na prestigiada Harvard, por exemplo, o aluno vai desembolsar cerca de US$ 72.100

Denise Charato, na Veja

Não basta ter apenas uma boa conta bancária. Para estudar nas melhores universidades dos Estados Unidos, e do mundo, é preciso passar por um rigoroso processo de seleção que inclui da avaliação do desempenho escolar ao histórico pessoal do candidato. “Essas universidades querem saber o que esse aluno irá agregar para a comunidade”, explica Carolina Lyrio, responsável pelo desenvolvimento de bolsistas da Fundação Estudar, uma entidade que apoia estudantes interessados em estudar nos Estados Unidos.

Os custos anuais vão de US$ 60 mil a US$ 85 mil, mas muitas dessas instituições têm programas de bolsas totais ou parciais. A Fundação Estudar (www.estudar.org.br) seleciona, todo início do ano, candidatos interessados em disputar uma vaga nessas universidades.

Harvard

A mais conhecida e premiada universidade americana, localizada em Cambridge, Massachusetts, não é a mais cara. O aluno vai desembolsar cerca de US$ 72.100, sendo US$ 43.280 de matrícula e aula, US$ 3.974 de taxas, US$ 9.894 de moradia, US$ 6.057 de alimentação e US$ 1.000 de livros. Sem falar nas despesas pessoais, em torno de US$ 2.875, e deslocamento, US$ 5.000. Entre os critérios para a admissão, a universidade pede ao estudante que escreva um texto com até 500 palavras sobre ele mesmo.

MIT

Com 77 professores premiados com o Nobel, Massachusetts Institute of Technology (MIT) é um dos principais centros de estudo e pesquisa em ciências, engenharia e tecnologia do mundo. Localizada em Cambridge, a instituição segue os mesmos padrões de seleção das demais universidades americanas. O custo anual é de cerca de US$ 65.478, incluindo US$ 48.452 de taxas e matrículas, US$ 14.210 com moradia e alimentação e US$ 2.816 com despesas pessoais.

Stanford

Situada em Palo Alto, na Califória, a Stanford University é uma das instituições mais prestigiadas do mundo. Não à toa, é também uma das mais caras. A universidade calcula gastos anuais de US$ 83.719, entre matrícula e aulas (US$ 63.108), taxas (US$ 1.488), moradia (US$ 6.359), alimentação (US$ 5.880), livros (US$ 1.000), despesas pessoais (US$ 2.875) e deslocamento (US$ 3.000). Stanford também valoriza muito o perfil do aluno _ um dos critérios de seleção é a análise do texto de uma carta que o candidato deve escrever com até 200 palavras direcionada ao seu futuro colega de quarto.

UC Berkeley

A University of California, Berkeley é uma universidade pública e, por isso, uma das mais seletivas do mundo. A instituição destina 80% de suas vagas aos estudantes da Califórnia e as 20% restantes são disputadas por alunos dos demais Estados americanos e do mundo todo. Mesmo sendo pública, não é nada barato estudar aqui_ os custos anuais giram em torno de US$ 61.582,00: US$ 40.167 entre matrícula e taxas, US$ 15.115 para moradia e alimentação, além de US$ 1.240 com livros e US$ 5.060 com deslocamento.

Yale

A universidade onde estudaram os ex-presidentes Bill Clinton e George Bush fica em New Haven, Connecticut, e também é muito procurada por estudantes brasileiros. Os custos anuais para um estrangeiro, segundo a própria instituição, chegam a US$ 68.230. Entre matrícula e taxas, o aluno desembolsa US$ 49.480, mais US$ 8.520 com moradia, US$ 6.650 com alimentação e US$ 3.580 com livros, despesas pessoais e deslocamento.

Go to Top