State Ibirapuera

Posts tagged novos escritores

Escritores brasileiros dão dicas para novos talentos

0

Bienal-Público-Paulo-Chagas-680x365

Ler e praticar constantemente a escrita são as estratégias utilizadas pelos autores

Publicado no Diário de Pernambuco

O ditado já é conhecido e ninguém contesta: “Quem lê bem escreve bem”. Mas três integrantes da nova geração de escritores brasileiros foram além do básico e deram algumas dicas para aquela pessoa que pode sentir uma inquietude, uma vontade de escrever, e não sabe qual é o caminho.

“Não tem outro caminho a não ser escrever muito, copiar muito. Eu tenho muita coisa escrita, muitas coisas copiadas de outros autores. Mas chega uma hora que você tem uma ideia sua que tem que sair. Ela fica maturando, maturando até que você coloca no papel”, disse Leonardo Alckmin. Ele participou da terceira mesa de novos ficcionistas brasileiros, na manhã deste domingo (20), na 2ª Bienal Brasil do Livro e da Leitura, em Brasília.

Autor do romance Paralelos, Leonardo explicou que, antes de ter seu livro publicado, leu muitos outros autores e se inspirou neles até encontrar seu próprio estilo, sua própria voz. A opinião dele é compartilhada pela escritora Paula Fábrio. “A voz vai acontecer, mesmo contra tudo e contra todas as expectativas. Mas você tem que praticar, aí a voz aparece e você percebe”.

Alckmin ressaltou que, em tempos de internet, quando qualquer coisa que se escreve é mais facilmente vista, as pessoas tendem a se preocupar com o que escrevem. Para ele, os tempos atuais dão uma maior vitrine e oportunidades a novos escritores. A jornalista e escritora Vanessa Bárbara explica que cresceu escrevendo na internet, vitrine que já lhe rendeu oportunidades de trabalho. “A internet multiplica ainda mais as possibilidades. Você tem que ter perseverança e sorte, acho que a internet ajuda”.

Paula reforçou a importância de praticar a escrita, treinar até chegar ao estilo próprio, que agrada a pessoa. Ela lembrou ainda que existem editoras menores que investem em jovens escritores, sem custo de publicação para o autor. Esse é um dos caminhos para ter um primeiro livro publicado, existir de fato no universo literário. Vanessa lamentou, porém, a dificuldade de alguém viver apenas de escrever livros no Brasil. Privilégio, segundo ela, exclusivo de grandes nomes, best-sellers da literatura nacional.

Antes de tudo, porém, o escritor não depende de ninguém. E isso foi o que tirou o foco de Alckmin do teatro e o voltou para a produção de suas próprias histórias. “Para escrever, você só depende de um papel e uma caneta. E foi isso que me encantou, essa independência. Como autor, eu posso embarcar no meu próprio sonho”, disse.

Escritor Eduardo Galeano vai abrir Bienal do Livro de Brasília

0

Autor é um dos convidados ao lado de Ariano Suassuna

Ubiratan Brasil, no Estadão

Galeano é autor do clássico 'As Veias Abertas da América Latina' - Alfredo Aldai / EFE Alfredo Aldai / EFE Galeano é autor do clássico 'As Veias Abertas da América Latina'

Galeano é autor do clássico ‘As Veias Abertas da América Latina’ – Alfredo Aldai / EFE
Alfredo Aldai / EFE
Galeano é autor do clássico ‘As Veias Abertas da América Latina’

O escritor uruguaio Eduardo Galeano foi convidado para abrir oficialmente a 2ª Bienal Brasil do Livro e da Leitura, que acontece em Brasília, entre 11 e 21 de abril. O autor do clássico As Veias Abertas da América Latina fará o discurso inaugural na noite do primeiro dia.

O evento, que vai acontecer em uma estrutura montada na Esplanada dos Ministérios para abrigar os auditórios, cafés e espaços de convivência, contará ainda com a norte-americana Naomi Wolf, do chinês Murong Xuecun, do cubano Leonardo Padura (autor de O Homem que Amava os Cachorros) e da são-tomense Conceição Lima, entre os convidados estrangeiros. Também está confirmada a presença de John Dramani Mahama, presidente de Gana, que fará palestra e lançamento do livro Meu Primeiro Golpe de Estado.

Entre os autores nacionais, destaque para Ariano Suassuna, que será homenageado, além de fazer sua tradicional palestra, em que analisa as artes e a sociedade brasileiras. Estarão presentes também na bienal jovens talentos como Antonio Prata e João Paulo Cuenca.

Os 50 anos do golpe militar que instaurou a ditadura no Brasil serão analisados no seminário O Golpe, a Ditadura e o Brasil: 50 Anos. Para discutir a produção literária naquele período, foram convidados Carlos Heitor Cony, João Ubaldo Ribeiro (cronista do Estado), Thiago de Melo e Antônio Torres, dentre outros. Já a mesa sobre Narrativas Guerrilheiras: A Luta Contra a Ditadura Vista por Dentro contará com experiências como as do poeta Pedro Tierra (ex-preso político, autor de obras como Poemas do Povo da Noite e Missa dos Quilombos, em parceria com Pedro Casaldaglia e Milton Nascimento), Maurice Politi (autor de Resistência Atrás das Grades) e Frei Betto (escritor e religioso brasileiro, autor de livros como Cartas da Prisão). Finalmente, Capinam e Ziraldo participarão do debate A Produção Artística e Cultural na Ditadura: a Criatividade e a Esperança como Armas Contra o Medo e a Repressão.

Confira a lista completa dos escritores:

ESTRANGEIROS

EDUARDO GALEANO (Uruguai) – homenageado

NAOMI WOLF (EUA) – Seminário a Literatura no Feminino

LEONARDO PADURA (Cuba) – Palestra Trotski: entre a realidade e a ficção

MIA COUTO (MOÇAMBIQUE) – Seminário Krisis – A sociedade global e a utopia do desenvolvimento sustentável e mesa Tradição e  atualidade da literatura de língua portuguesa

KIM YOUNG-HA (Coréia do Sul) – Seminário A Literatura que vem do Oriente

JAMES HOLSTON (EUA) – Seminário Krisis – As transformações nos países emergentes e as alterações nos padrões de consumo e na cultura

MURONG XUECUN (China) – Seminário A Literatura que vem do Oriente

CONCEIÇÃO LIMA (São Tomé) – Seminário Brasil, América Latina e África: novas realidades, novos escritores

NNEDI OKORAFOR (EUA/Nigéria) – Seminário Brasil, América Latina e África: novas realidades, novos escritores

VALERIA LUISELLI (México) – Seminário Brasil, América Latina e África: novas realidades, novos escritores

GONÇALO TAVARES (Portugal) – mesa Tradição e  atualidade da literatura de língua portuguesa

POLA OLOIXARAC (Argentina) – Seminário Brasil, América Latina e África: novas realidades, novos escritores

DAG ØISTEIN ENDSJØ (Noruega) – Seminário Krisis – Os conflitos políticos, as guerras e a intolerância religiosa

DAN SCHAWBEL (EUA) – Seminário Internet – Estética, Difusão e Mercado

JESSICA SORENSEN (EUA) – Seminário Internet – Estética, Difusão e Mercado

PIERRE LEVY (França) – Seminário Internet – Estética, Difusão e Mercado

JOSÉ LUIZ TAVARES (Cabo Verde) – Palestra e Recital poético

MARIA CELESTINA FERNANDES (Angola) – Seminário Literatura no Feminino

OLINDA BEJA (São Tomé e Príncipe) – Seminário Literatura no Feminino

LÍLIA MOMPLÉ (Moçambique) – Seminário Literatura no Feminino

JOHN DRAMANI MAHAMA – (Gana) – Palestra e lançamento do livro Meu Primeiro Golpe de Estado

*

NACIONAIS

ARIANO SUASSUNA – homenageado

ADEMIR ASSUNÇÃO – Debate A produção poética, o leitor e o mercado editorial

ADERBAL FREIRE FILHO – O Golpe, a Ditadura e o Brasil: 50 Anos – A produção artística e cultural na ditadura: a criatividade e a esperança como armas contra o medo e a repressão

AFONSO ALMEIDA – A nova geração de ficcionistas

AFONSO CELSO – Seminário Krisis – As transformações nos países emergentes e as alterações nos padrões de consumo e na cultura

ALEXANDRE MARINO – Seminário Internet – Estética, Difusão e Mercado

ALFREDO SIRKIS – Seminário O Golpe, a Ditadura e o Brasil: 50 Anos – Narrativas guerrilheiras: a luta contra a ditadura vista por dentro

ANA MARIA BAHIANA – Lançamento Almanaque 1964

ANA MARIA MACHADO – Seminário A Literatura no Feminino

ANA MIRANDA – Seminário A Literatura no Feminino

ANA PAULA MAIA – A nova geração de ficcionistas

ANDRÉ GIUSTI – Seminário Internet – Estética, Difusão e Mercado

ANDRÉ LEMOS – Seminário Internet – Estética, Difusão e Mercado

ANGEL BOJADSEN – Debate A Literatura que vem do Oriente

ANTONIO LASSANCE – Seminário Internet – Estética, Difusão e Mercado

ANTÔNIO TORRES – Seminário O Golpe, a Ditadura e o Brasil: 50 Anos – A produção literária nos anos de chumbo

ANTÔNIO PRATA – Seminário Brasil, América Latina e África: novas realidades, novos escritores

BETO ALMEIDA – Seminário Krisis – Comunicação, cultura e violência na sociedade contemporânea

CAPINAM – Seminário O Golpe, a Ditadura e o Brasil: 50 Anos – A produção artística e cultural na ditadura: a criatividade e a esperança como armas contra o medo e a repressão

CARLOS CHAGAS – Palestra Ditadura Militar: disputas e contradições dentro do poder e lançamento do livro A Ditadura Militar e os golpes dentro do golpe: 1964-1969

CARLOS EUGÊNIO PAZ – Seminário O Golpe, a Ditadura e o Brasil: 50 Anos – Narrativas guerrilheiras: a luta contra a ditadura vista por dentro

CARLOS NOBRE – Seminário Krisis – A Sociedade Global e a utopia do desenvolvimento sustentável

CARLOS HEITOR CONY – Seminário O Golpe, a Ditadura e o Brasil: 50 Anos – A produção literária nos anos de chumbo

CAROLA SAAVEDRA – Palestra A nova geração de ficcionistas brasileiros

CID BENJAMIN – Seminário O Golpe, a Ditadura e o Brasil: 50 Anos – Narrativas guerrilheiras: a luta contra a ditadura vista por dentro

CRISTOVAM BUARQUE – Seminário Krisis – As transformações nos países emergentes e as alterações nos padrões de consumo e na cultura

DANIEL GALERA – Seminário Internet – Estética, Difusão e Mercado

DÉBORA DINIZ – Seminário A Literatura no Feminino

DOMINGOS PELLEGRINI – Seminário O Golpe, a Ditadura e o Brasil: 50 Anos – A produção literária nos anos de chumbo

EDNILSON XAVIER – ANL – Debate O espaço do livro nas mudanças do Brasil Contemporâneo

ERMÍNIA MARICATO – Seminário Krisis – Cidades rebeldes: o povo nas praças e a crise dos modelos de representação política

EVA WAIROS – Seminário O Golpe, a Ditadura e o Brasil: 50 Anos – A educação no Brasil antes, durante e depois da ditadura

FERNANDA KAINGANG – Seminário Narrativas Contemporâneas da História do Brasil – A história na construção das desigualdades sociais

FERNANDA MARTINELI – Seminário Internet – Estética, Difusão e Mercado

FREI BETTO – Seminário O Golpe, a Ditadura e o Brasil: 50 Anos – Narrativas guerrilheiras: a luta contra a ditadura vista por dentro

FRANKLIN MARTINS – Seminário O Golpe, a Ditadura e o Brasil: 50 Anos – Narrativas guerrilheiras: a luta contra a ditadura vista por dentro

GILNEY VIANA – Seminário O Golpe, a Ditadura e o Brasil: 50 Anos – Narrativas guerrilheiras: a luta contra a ditadura vista por dentro

GRAÇA RAMOS – Seminário Brasil, América Latina e África: novas realidades, novos escritores

HELIO SCHWARSTMAN – Seminário Krisis – Os conflitos políticos, as guerras e a intolerância religiosa

ÍRIS BORGES – Debate O espaço do livro nas mudanças do Brasil Contemporâneo

ISAAC MENDES – Debate Experiências populares de fruição e difusão literária

JOÃO UBALDO RIBEIRO – Seminário O Golpe, a Ditadura e o Brasil: 50 Anos – A produção literária nos anos de chumbo

JOCA TERRON – Seminário Internet – Estética, Difusão e Mercado

JOEL RUFINO – Seminário Narrativas contemporâneas da história do Brasil

JOSÉ CARLOS VIEIRA – Debate A produção poética, o leitor e o mercado editorial

JOSÉ CATILLO – FBN/MinC – Debate O espaço do livro nas mudanças do Brasil Contemporâneo

JOSÉ JORGE DE CARVALHO – Seminário Krisis – Cidades rebeldes: o povo nas praças e a crise dos modelos de representação política

JOSÉ PAULO CAVALCANTI FILHO – Debate Biografias: literatura, história e identidade cultural e debate As múltiplas faces de Fernando Pessoa

JOÃO PAULO CUENCA – SEMINÁRIO – Brasil, América Latina e África: Novas Realidades, Novos Escritores

JOSÉ PAULO CUNHA – Mesa A nova geração de ficcionistas brasileiros

JOSÉ REZENDE – Mesa A nova geração de ficcionistas brasileiros

JOSÉ RIBAMAR BESSA – Seminário Narrativas Contemporâneas da História do Brasil – A história na construção das desigualdades sociais

KLESTER CAVALCANTI – Palestra e lançamento do livro Dias de inferno na Síria

LEONARDO ALKMIN – Mesa A nova geração de ficcionistas brasileiros

LIZIANE GUAZINA – Seminário Internet – Estética, Difusão e Mercado

LÍLIA SCHWARCZ – Seminário Narrativas Contemporâneas da História do Brasil

LUCÍLIA NEVES – Seminário Narrativas Contemporâneas da História do Brasil

LÚCIO DE CASTRO – Debate Futebol e Ditaduras

LUIZ ALBERTO MENDES – Palestra Liberdade, cárcere e literatura: recordações da alma dos vivos

LUIZ GUTTEMBERG – Seminário O Golpe, a Ditadura e o Brasil: 50 Anos – A produção artística e cultural na ditadura: a criatividade e a esperança como armas contra o medo e a repressão

LUÍZA GLEISER ­– Mesa A nova geração de ficcionistas brasileiros (mais…)

Reynaldo Gianecchini divulga capa da sua biografia

0


Publicado originalmente no Lux.pt

O ator brasileiro Reynaldo Gianecchini divulgou a imagem da capa da sua biografia, intitulada «Giane ¿ Vida, Arte e Luta», no seu Twitter oficial.

O ator revelou ainda que o lançamento oficial do livro será realizado no dia 11 de dezembro, num evento em São Paulo.

Escrito por Guilherme Fiuza, o livro conta detalhes do início da carreira de Gianecchini como modelo e como depois seguiu o caminho da representação.

Na biografia é ainda abordada a luta do ator contra um cancro e a forma como lidou com a morte do pai.

10 fontes de inspiração para quem escreve

0


Publicado originalmente no Escrevemos.com

Diz-se que escrever é 90% transpiração e 10% inspiração, mas a verdade é que sem a segunda, a primeira torna-se ainda mais difícil. Para aperfeiçoar o seu talento e arte de escrever, um escritor tem de fazer uma coisa de forma consistente: escrever! Porém, nem sempre isso é tão fácil como parece e a folha branca ou o ecrã vazio que olha para si é prova disso mesmo. Para os momentos em que escrever parece impossível, inspire-se nestas sugestões.

  1. Caderno de escrita: não abdique dele nem por nada e tenha-o sempre por perto para anotar toda e qualquer ideia, conversa ou imagem que tenham suscitado o seu interesse. Lembre-se que as boas ideias nem sempre surgem quando mais precisamos delas, por isso, não há melhor inspiração para escrever do que ter um caderno de escrita recheado de ideias interessantes.
  2. Saia da rotina: a rotina pode ser inimiga da criatividade e da inspiração, por isso, se precisa de uma lufada de ar fresco na sua escrita, altere a rotina diária. Levante-se mais cedo e veja o nascer do sol; escolha um novo caminho para chegar ao trabalho; almoce num restaurante diferente; jante na varanda; em vez de ver televisão à noite, saia ou vá para a cama ler; inscreva-se num curso com um tema desconhecido; ouça um género de música diferente… alterar hábitos ativa o cérebro, que se torna especialmente atento às novidades que lhe está a oferecer. A sua escrita também agradece.
  3. Observar pessoas: esta é uma excelente atividade, não só para abrir a mente quando se está a sofrer de “writer’s block”, por exemplo, mas também como formar de estimular a criatividade. Haverá maior fonte de inspiração do que a humanidade e a forma como as pessoas vivem, de forma distinta e única, o seu dia-a-dia? Sente-se numa esplanada ou no parque da cidade e absorva a vida que o rodeia: vai sentir-se fascinado e inspirado para escrever sobre tudo aquilo que viu!
  4. Ler, ler, ler: para escrever bem e muito, um escritor também tem de ler muito e bem! Se busca inspiração para escrever, refugie-se num bom livro ou na sua revista preferida durante uma hora e deixe-se contagiar por todas as ideias, imagens e histórias que invadirem a sua mente durante essa pausa. Para uma verdadeira lufada de ar fresco, leia um livro sobre um tema completamente novo ou familiarize-se com o trabalho de um escritor que nunca leu.
  5. Veja um filme: os filmes são uma verdadeira fonte de inspiração devido não só à sua história e personagens, mas também graças ao seu estímulo visual e áudio (as bandas sonoras podem ser fabulosas e igualmente inspiradoras). Independentemente de ser um filme digno de um Óscar ou um filme mais light, a próxima vez que precisar de um pouco de inspiração extra para voltar a escrever com vontade, ligue o DVD ou, melhor, vá ao cinema. Histórias inspiram histórias…
  6. Faça exercício físico: algumas das nossas melhores ideias ocorrem não quando estamos a escrever, mas sim quando estamos a fazer outras coisas, como exercício físico, por exemplo. A concentração, a adrenalina e o bem-estar generalizado que advêm da prática de qualquer tipo de exercício físico são ingredientes chave para estimular a mente, a criatividade e uma vontade renovada para escrever. Quer escrever? Mexa-se!
  7. Citações e outras informações relativas à escrita: a inspiração é a força por de trás da criatividade e se precisa de dinamizar aquilo que escreve, inspire-se nos seus colegas, ou seja, noutros escritores. Qualquer escritor adora ouvir e ler o que inspira os seus conterrâneos, por isso, seja citações interessantes ou entrevistas sobre a vida, a rotina, o ato de escrever e onde é que outros escritores procuram inspiração… deixe-se contagiar pela paixão de escrever alheia!
  8. Música: a música é capaz de nos transportar para lugares longínquos, fazer-nos recordar momentos especiais e memórias guardadas, evocar todo o tipo de sentimentos, fazer-nos sonhar e sentir que somos capazes de fazer tudo aquilo que desejamos. Uma excelente fonte de inspiração para um escritor, não acham?
  9. Passear ao ar livre: uma das melhores inspirações no mundo é o contacto com a Mãe Natureza – seja um nascer ou pôr-do-sol, uma caminhada pela floresta, um passeio à beira-mar, andar de bicicleta no campo… para quem escreve, estes são cenários que vão dar-lhe a volta à cabeça da melhor maneira possível… só tem de apreciar ao máximo a beleza que o rodeia.
  10. Internet: nos dias que correm, não haverá maior fonte (para não dizer inesgotável) de inspiração concentrada do que a Internet. As possibilidades são infinitas e há sempre alguma coisa para inspirar todos os gostos: arte, vídeo, crafts, culinária, fotografia, moda, desporto, música, ciência, ficção, não-ficção…a inspiração está em todo o lado, só tem de estar recetiva a ela. A sua escrita agradece…

5 dicas práticas para ser um escritor melhor

0

Imagem Google


Publicado originalmente em No Mundo & Nos Livros

1. Dedique-es a ler somente os grandes escritores, pois se você não ler os grandes escritores, você não saberá como fazer igual. Faça como todo mundo começa aprendendo com os mestres, depois de sua cara ao texto. Leia bastante e preste atenção também ao estilo, além de conteúdo.

2. Aponte suas ideias sempre. Tenha algum caderno para registrar suas ideias. Muitas ideias podem vir a sua mente e você precisa anotá-las sempre. Reviravoltas, suspense, conversas e detalhes de cenas. Isso tudo ajuda-o a inspirá-lo. Mantenha sua lista de idéias e amplie sempre que surgir.

3. É só escrever, evite rituais e o pc conectado a internet. Comece a digitar qualquer coisa, pois logo você começa a entrar no fluxo das coisas e tudo já fica mais fácil.

4. Evite distrações. É melhor escrever no silêncio, ou com alguma música tocando suavemente ao fundo.
Desativar as notificações de e-mail ou mensagem instantânea, desligue o telefone e seu telefone celular, desligue a TV e limpe sua mesa.

5. Use frases poderosas . Procure utilizar frases curtas com verbos fortes, mas procure variar e criar glamour no seu texto. Procure fazer isso quando for revisar seu texto.

Go to Top