BKO WAVE SAÚDE

Posts tagged palavra

Compra livros e não os lê? Os japoneses criaram palavra específica para isso

0

Vitor Paiva, no Hypeness

Se você não pode ver uma livraria que já sente subir pelo corpo o impulso de comprar uma porção de livros, independentemente de se conseguirá de fato lê-los, saiba que existe uma palavra específica para tal hábito, diretamente do Japão: tsundoku. Juntando os termos tsumu (“empilhar”) e doku (“ler”) em tradução livre, o tsundoku nada mais é do que a tão comum prática de comprar livros e empilha-los sem chegar a ler – quem nunca o fez, que atire o primeiro livro.

E não se trata de um hábito moderno, ao qual podemos justificar com a velocidade ou a falta de tempo da atualidade: segundo reportagem da BBC, a palavra já é encontrada em textos e publicações japonesas há mais de um século. Tsundoku não se trata, no entanto, de termo ofensivo, e nem mesmo carrega um sentido crítico em sua aplicação: quem compra os livros, segundo a etmologia do termo, tem ao menos a intenção de lê-los – diferentemente da bibliomania, na qual a pessoa simplesmente tem o desejo de possuir os livros.

Em tempos de e-book, o tsundoku pode parecer ameaçado de extinção, mas se nem o vinil chegou a desaparecer (e suas vendas seguem crescendo em perfeita comunhão com o domínio dos serviços de streaming de música), o livro físico também seguirá seduzindo o público por muito tempo. Além de oferecer uma leitura mais tranquila, concentrada e menos sujeita a distrações que o livro eletrônico, o livro físico é ainda um belo objeto, que posto em uma estante parece oferecer mais vida a uma casa.

Claro que para que ele não se torne somente um pomposo objeto de decoração, é preciso superar o tsundoku e realmente coloca-lo em sua verdadeira função: de ser lido.

Como aperfeiçoar a linguagem?

0

publicado na Exame

Em pleno ano de crise, algumas pessoas abençoadas conseguirão uma grande oportunidade no mercado de trabalho. Sabem elas que atitude e nova linguagem serão necessárias. Vem, então, a conhecida reflexão: “Como aperfeiçoar minha linguagem?”

De acordo com o dicionário Aurélio, a palavra Linguagem, substantivo feminino, refere-se ao uso da palavra articulada ou escrita como meio de expressão e de comunicação entre pessoas; é também a forma de expressão pela linguagem própria de um indivíduo, grupo, classe, etc.

size_810_16_9_mulher-megafone

Como a nossa forma de expressão não apenas se refere à palavra escrita, vamos a alguns pontos:

1. VESTIMENTA
Estude muito a ideologia de sua nova empresa; espelhe-se em executivos coerentes da sua área e note como esses seres de sucesso vestem-se. É natural que – até um determinado momento da vida – não nos preocupemos com a linguagem da vestimenta. No entanto, o desleixo (para a maioria dos cargos) causará péssimas impressões.

A tríade “barba, cabelo, bigode” exige muita atenção.

2. ESCRITA CRIATIVA NAS MÍDIAS SOCIAIS
Seja como executivo em Tecnologia da Informação, seja como um estagiário, as mídias sociais têm o enorme poder de lapidar seu poder de comunicação com o cliente. Mostre-se sensato, humano, estudioso, literato, interessado em espalhar conteúdo.

Exemplo: em uma planilha, separe os dias da semana e relacione cada dia a um sentimento e/ou habilidade. Escreva sobre isso; programe suas mídias sociais; em breve, o hábito melhorará sua escrita e sua palavra terá ampla divulgação.

3. HANGOUTS, PERISCOPE, VÍDEOS
Se realmente você almeja (ou mesmo já alcançou) um bom espaço profissional, já se posicione como um executivo de sucesso: não tenha medo de câmera e procure – a cada dia mais – a postura jornalística para se comunicar com o cliente.

Você já assistiu a um vídeo seu? Como é sua dicção? O sotaque é excessivo? Não são “oito” nem “oitenta”, pois o som pode dar tons caricatos a sua imagem.

É preciso estar atento à expressão facial; tenha muito cuidado com o franzir da testa.

Veja a câmera como um ente querido; transmita paz, serenidade, segurança, energia, sabedoria ao gravar um vídeo.

4. LÍNGUA
Como sempre digo aos meus alunos: saber gramática no Brasil é garantia de “ir além”. Desvencilhar-se de vícios (orais ou escritos), muletas linguísticas, conhecer os sinais de pontuação, os casos de concordância, colocação pronominal, conjugação verbal, crase são habilidades necessárias.

E-mails elegantes, slides bem-feitos (sintéticos), letra legível escancaram portas.

Sob pressão, Câmara de SP tira palavra ‘gênero’ de plano de educação

0

15161583

Publicado em Folha de S.Paulo

A reunião deveria discutir questões como verba para a educação e custo por aluno na rede municipal de São Paulo. Virou, porém, uma disputa polarizada entre defensores da “família tradicional” e defensores da diversidade.

O motivo da discórdia na comissão de Finanças e Orçamento da Câmara, nesta quarta (10), foram trechos do Plano Municipal de Educação que preveem mecanismos para denunciar casos de violência e discriminação por etnia, deficiência, religião e, também, gênero.

Religiosos, inclusive Odilo Scherer, arcebispo de São Paulo, viram no plano uma tentativa de anular a diferença entre meninos e meninas.

Os idealizadores negam, mas, em meio à discórdia, os vereadores da comissão de Finanças acabaram retirando trechos com as expressões “gênero”, “orientação sexual” e “sexualidade”.

Se no plano de mais de 50 páginas a expressão “gênero” aparecia oito vezes, agora não aparece em nenhuma.

Dom Odilo divulgou uma carta em que critica a chamada “ideologia de gênero”, que entende as crianças como “neutras”, sem divisão de feminino ou masculino, que só seriam definidos mais tarde.

Na carta, Scherer diz acompanhar a tramitação do plano na Câmara, fala em “perplexidade e preocupação” e que “as consequências de tal distorção antropológica na educação poderão ser graves”.

“Quero saber: onde está a ideologia de gênero no nosso plano? Onde está escrito que vamos tratar meninos e meninas do mesmo jeito?”, disse Toninho Vespoli, vereador do PSOL e relator da comissão de Educação. “Acredito que a maioria não leu.”

A Folha leu a íntegra do relatório, mas não identificou nenhuma menção à chamada “ideologia de gênero”.

O relatório acabou rejeitado pela comissão de Finanças. No plenário, protestos, vaias e manifestações.

De um lado, dezenas de jovens com crucifixos pendurados no pescoço, padres e freiras. De outro, grupos cantavam “homofobia, não!”.

“O pessoal fundamentalista começou a participar das reuniões da comissão de Finanças. Então, viemos também”, disse a educadora Adriana Souza, 41.

“Existe intromissão exagerada do Estado, com viés ideológico”, disse João Bechara Ventura, 31, padre da paróquia São Vito, no Brás, no centro de São Paulo.

“Não venham aqui gritar contra a família”, disse o vereador Adilson Amadeu (PTB). Jair Tatto (PT) também pediu a exclusão do tema do plano e disse ser uma orientação da bancada petista.

Concurso Cultural Literário (98)

29

capa bom dia

LEIA UM TRECHO

Que tal começar o dia adicionando a palavra de Deus a seu café da manhã? Max Lucado oferece leituras diárias simples, mas não menos relevantes, para que você consiga enfrentar seu dia a dia.

Uma boa meditação fundamentada na palavra de Deus pode ser o farol de que você precisa para iluminar seus caminhos. Deixe Deus falar com você e permita que ele transforme sua vida. Confie nele. Ninguém conhece você tão bem como o Criador, e ninguém sonhou um sonho tão lindo para sua vida como ele o fez.

O corre-corre diário atinge a todos, por isso estas meditações não lhe tomarão mais que alguns minutos. Acredite. Você começará seu dia revigorado no frescor que somente a brisa suave do Senhor pode proporcionar.

Vamos sortear 3 exemplares de “Bom dia! – Leituras diárias com Max Lucado vol. 2“, lançamento da Mundo Cristão.

Para participar, basta completar a frase: “Começar o dia com Deus é…“.

Se usar o Facebook, por gentileza informe seu e-mail.

O resultado será divulgado dia 23/10 neste post.

Participe! 🙂

***

Parabéns aos ganhadores: Emileine RosaMatheus AbreuBianca Mariane. \o/

Por gentileza enviar seus dados completos para livrosepessoas@gmail.com em até 48 horas.

Concurso Cultural Literário (89)

46

capa poder da esposa

Um texto cativante e desafiador que elucida, sem rodeios ou falácias, os diversos contextos da vida a dois. Os princípios da palavra de Deus expostos cuidadosamente, permitindo ao leitor uma rica experiência de aprendizado. Mensagens de fé e encorajamento tão necessárias quando se enfrenta lutas e dissabores na vida conjugal. Esses são alguns dos ingredientes perfeitamente combinados que fazem de O poder da esposa que ora, escrito por Stormie Omartian, um sucesso de vendas no Brasil e no exterior. A obra, que supera o marco de 1 milhão de exemplares vendidos no país, está em sua 2ª edição, agora revisada e ampliada.

No livro, a autora compartilha sua experiência sobre como aprofundar o relacionamento com o cônjuge a partir do poder da oração e a como utilizar essa arma espiritual em prol da harmonia no seio matrimonial.

Um manual para a saúde do casal e da família

Em pleno século 21 – com sua frenética correria e demandas cada vez mais urgentes – estresse, falta de comunicação, vícios, excesso de trabalho e depressão têm vitimado inúmeros casais que se veem afetados pela crise, dissolução, amargura e a ameaça do divórcio. A situação é intensificada pela crescente inversão de valores e conceitos equivocados que duelam contra os princípios da palavra de Deus no que diz respeito à família, fidelidade conjugal, criação de filhos e moral. Nesse cenário, faz-se extremamente necessário que as esposas estejam munidas da poderosa arma da oração para lutarem vitoriosamente pelo casamento, pela estabilidade do lar e pela saúde integral do marido.

É para ajudá-las nessa missão que Stormie Omartian oferece um apanhado abrangente de temas que remetem à dinâmica da vida a dois e discute alguns problemas de casais que pareciam condenados ao fracasso, mas que conseguiram superar suas dificuldades graças à perseverança da esposa em oração. Emoções, finanças, sexualidade, paternidade, autoimagem, fé e futuro, são alguns dos assuntos apresentados em 31 capítulos. A autora também fala sobre as áreas-chave e prioridades da vida do homem, oferecendo às esposas conhecimento e sabedoria para auxiliarem seus respectivos maridos na caminhada.

Stormie Omartian já ajudou milhares de mulheres a recuperar casamentos em crise. Você também pode ser instrumento de restauração ao oferecer esta obra para uma amiga ou parente que esteja passando por problemas conjugais.

Vamos sortear 3 exemplares da nova edição de “O poder da esposa que ora“. Para concorrer, basta mencionar na área de comentários “eu quero”. Se usar o Facebook, por favor deixe um e-mail de contato.

O resultado será divulgado em 18/9 neste post.

***

Parabéns: Aline SantosAnilde RamosÉrika Moreira \o/

Por gentileza enviar seus dados completos para livrosepessoas@gmail.com em até 48 horas.

Go to Top