Vitrali Moema

Posts tagged primeiro livro

Mary E. Pearson, autora de The Kiss of Deception, lança outra série pela DarkSide Books

0

Victor Tadeu, no Desencaixados

Após o grande sucesso com a trilogia Crônicas de Amor & Ódio, foi anunciado pela DarkSide Books a próxima série em livros de Mary E. Pearson. Os leitores da autora retornarão ao universo criado por ela em seus primeiros livros publicado no Brasil, porém, agora vamos acompanhar a história de um reinado alguns anos depois do desfecho da trilogia.

Dinastia de Ladrões é a próxima série da escritora que a DarkSide Books está trazendo para o Brasil, seu primeiro livro está sendo publicado com o título Dance of Thieves pela casa editorial e conta a história do império Ballenger, justamente quando Jase torna o novo líder, onde todos se curvam diante da família real, que são totalmente fora da lei.

Só que, uma era surge movimentada por uma jovem rainha, que logo se torna alvo de ressentimentos e ira da dinastia. E Kazi, uma mulher que faz parte dos Rahtans, a guarda da rainha, e é enviada por ela para investigar transgressões e violações de tratados vigentes junto a Synové e Wren, outras duas soldadas da guarda real.

Durante a leitura do primeiro livro de Dinastia de Ladrões, os leitores irão reconhecer alguns nomes e personagens, enquanto acompanharão a jornada da guarda em uma batalha de poder entre Kazi e Jase pode lhes custar a vida — e seus corações. O livro ainda não tem previsão de lançamento.

Hush, Hush: Conheça os protagonistas da adaptação do livro Sussuro para o cinema

0

Publicado no Metro

A saga “Hush, Hush”, da escritora Becca Fitzpatrick, já tem os seus protagonistas no cinema. Liana Liberato (“Se Eu Ficar” e “Confiar”) e Wolfgang Novogratz (“Sierra Burgess é uma Loser”, que estreia na Netflix em 7 de setembro) foram escalados para viver o par central.

Getty Images

O primeiro filme, “Sussurro”, equivalente ao primeiro livro da série, lançado em 2009, já está em pré-produção. Liana viverá Nora Grey, adolescente típica que se encanta pelo jeitão malvado do novo colega, Patch Cipriano (Novogratz), sem saber que, na verdade, ele é um anjo caído.

“Hush, Hush” tem ainda mais três livros: “Crescendo” (2010), “Silêncio” (2011) e “Finale” (2012), todos campeões de vendas.

TNT encomenda The Angel of Darkness, sequência de The Alienist

0

Bruno Tomé, no Observatório do Cinema

A TNT está expandindo o universo baseado nos livros de Caleb Carr. Após estrear a série The Alienist, baseada em livro do autor, a emissora encomendou uma produção que segue a continuação da história, The Angel of Darkness (O Anjo das Trevas).

Os livros, que se passam na Nova York do século 19, acompanham misteriosos assassinatos, enquanto o protagonista, um alienista, ajuda a formular o perfil do assassino. Após o desfecho de The Alienist, The Angel of Darkness bota novamente o Doutor Laszlo Kreizler em busca de um novo criminoso.

Dessa vez, Laszlo e seus companheiros precisam descobrir o paradeiro da filha de um diplomata espanhol. Para melhorar (ou piorar) a situação, a época é de clima tenso entre Estados Unidos e Espanha.

Detalhes da nova série não foram divulgados, mas espera-se que seja uma continuação direta da série baseada no primeiro livro. Em The Alienist, o elenco foi formado por Daniel Brühl, Luke Evans, Brian Geraghty e Dakota Fanning.

Enquanto isso, a direção ficou por conta de Jakob Verburggen. Curiosamente, o diretor havia comentado recentemente a possibilidade de continuar com a história através de The Angel of Darkness. A fala foi concedida ao The Hollywood Reporter.

“Partimos para fazer uma série baseada no primeiro livro de Caleb Carr, então nós fechamos a história e o arco dos personagens. Mas nós também nos apaixonamos por eles. Há um segundo livro, com mais aventuras para esses personagens viverem. Mas eu não sei de nada por nossa parte. Acho que isso é mais com a Paramount e a TNT”, finaliza.

The Alienist foi exibida no início do ano pela TNT.

Compra livros e não os lê? Os japoneses criaram palavra específica para isso

0

Vitor Paiva, no Hypeness

Se você não pode ver uma livraria que já sente subir pelo corpo o impulso de comprar uma porção de livros, independentemente de se conseguirá de fato lê-los, saiba que existe uma palavra específica para tal hábito, diretamente do Japão: tsundoku. Juntando os termos tsumu (“empilhar”) e doku (“ler”) em tradução livre, o tsundoku nada mais é do que a tão comum prática de comprar livros e empilha-los sem chegar a ler – quem nunca o fez, que atire o primeiro livro.

E não se trata de um hábito moderno, ao qual podemos justificar com a velocidade ou a falta de tempo da atualidade: segundo reportagem da BBC, a palavra já é encontrada em textos e publicações japonesas há mais de um século. Tsundoku não se trata, no entanto, de termo ofensivo, e nem mesmo carrega um sentido crítico em sua aplicação: quem compra os livros, segundo a etmologia do termo, tem ao menos a intenção de lê-los – diferentemente da bibliomania, na qual a pessoa simplesmente tem o desejo de possuir os livros.

Em tempos de e-book, o tsundoku pode parecer ameaçado de extinção, mas se nem o vinil chegou a desaparecer (e suas vendas seguem crescendo em perfeita comunhão com o domínio dos serviços de streaming de música), o livro físico também seguirá seduzindo o público por muito tempo. Além de oferecer uma leitura mais tranquila, concentrada e menos sujeita a distrações que o livro eletrônico, o livro físico é ainda um belo objeto, que posto em uma estante parece oferecer mais vida a uma casa.

Claro que para que ele não se torne somente um pomposo objeto de decoração, é preciso superar o tsundoku e realmente coloca-lo em sua verdadeira função: de ser lido.

Conheça o menino de oito anos que é escritor premiado pela NASA

0

João Paulo com Jayathma Wickramanayake ONU (Créditos: Fernanda Calfat)

Samuel Strazzer, no Meom

Bilíngue, palestrante internacional e escritor premiado pela NASA. Esse é o caso de sucesso de João Paulo Guerra Barrera de oito anos de idade… isso mesmo, apenas oito anos. Com esta idade ele é o escritor bilíngue mais novo do mundo.

O menino prodígio mora na cidade de São Paulo e já tem dois livros publicados. Quando tinha seis anos de idade ele disse aos pais que queria gravar um filme. Eles responderam que antes de fazer um filme deveria escrever uma história. Foi aí que o garoto começou a escrever. Seu primeiro livro levou o menino a vencer o concurso NASA AMES Space Settllement Contest, na categoria mérito literário. O garoto é o mais jovem vencedor da história do concurso.

João Paulo terá um estande na 25ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo, que acontece de 03 a 12 de agosto, no Pavilhão de Exposições do Anhembi. Durante a Bienal, o menino será embaixador da visitação escolar no evento. Ele também fará uma palestra na arena cultural as 11h do dia 9 de agosto com o tema “Sonhando Alto”.

Obras e viagens

O primeiro livro de João se chama “No mundo da Lua e dos planetas – In the world of the Moon and the planets”. A obra conta a história de três amigos que constroem um foguete com materiais recicláveis e saem pelo espaço para aprender ciência. Com esse livro João venceu o NASA AMES Space Settllement Contest, na categoria mérito literário. Este é um concurso mundial promovido pela NASA para jovens com até 18 anos. João Paulo se tornou o mais jovem vencedor da história quando recebeu o prêmio em 2016.

Livro “Morando no Espaço – Living in Space”

Com oito anos de idade, João publicou seu segundo livro “Morando no espaço – Living in Space” em que o trio de amigos volta ao espaço para construir uma estação espacial. A obra tem como um dos temas a sustentabilidade. Por conta disso, João foi convidado para um encontro com a Secretária Geral da ONU para a Juventude, Jayathma Wickramanayake, na sede da ONU em Nova Iorque. No encontro eles discutiram pontos da agenda da ONU 2030 que tem como tema o desenvolvimento sustentável.

Em sua viagem pelos Estados Unidos, João teve encontros com o Embaixador e Cônsul-geral Enio Cordeiro no consulado Geral do Brasil em Nova Iorque, fez uma doação de seus livros bilíngues para a BEA – Brazilian Endowment for the Arts (Biblioteca Brasileira de Nova Iorque) e visitou a Mantena Global Care (organização de ajuda a imigrantes latinos em comunidades de baixa renda na cidade de Newark-NJ).

Em junho deste ano João Paulo foi convidado para dar uma palestra no Massachusetts Institute of Technology (MIT). O menino foi palestrante do encerramento da 5ª Conferência Mundial do ensino promoção e manutenção do Português como língua de herança.

Go to Top