A Lista

Posts tagged sucesso

5 empresários famosos que começaram a empreender na faculdade

0
Fonte: Shutterstock

Fonte: Shutterstock

 

Saiba quem são os famosos empreendedores que começaram um grande negócio na universidade

Publicado no Universia Brasil

Muitos jovens profissionais compartilham de um sonho em comum: o de começar um negócio próprio e fazer com que ele tenha sucesso. O espírito empreendedor é uma característica cada vez mais desenvolvida no ambiente de trabalho e muitas pessoas já buscam aprender como desenvolvê-lo, seja por meio de livros ou de cursos sobre o tema. Há alguns anos, grandes nomes como Mark Zuckerberg, passavam pela mesma situação de iniciar um empreendimento, quando ainda eram jovens. E não foi somente o fundador do Facebook que se viu diante desse desafio no começo da carreira.

 

Sabendo disso, preparamos a seguir uma lista com 5 empresários famosos que começaram seus negócios ainda na faculdade. Confira quem são eles e inspire-se!

1 – Mark Zuckerberg

Fundador de uma das redes sociais mais populares do mundo, o site Facebook, Mark Zuckerberg teve a ideia de criá-lo quando ainda era aluno de graduação na Universidade de Harvard, em 2004. Até então, o que viria a se tornar o famoso Facebook ainda era um site para conectar estudantes da universidade. Até a plataforma crescer rapidamente, espalhar-se pelo mundo e conquistar mais de 1 bilhão de usuários.

2 – Larry Page e Sergey Brin

Page e Brin estavam realizando a graduação na Universidade de Stanford em 1998 quando fundaram o Google, plataforma que se tornou uma das maiores plataformas de busca na internet. Além disso, a empresa oferece uma série de outros serviços, como e-mail, aplicativos e até mesmo o site YouTube foi comprado pela companhia.

3 – Matt Mullenweg

Mullenweg ainda era estudante na Universidade de Houston quando, em 2003, resolveu criar a plataforma WordPress, em parceria com Mike Little e Michel Valdrigh. Atualmente, o site é bastante popular ao redor do mundo, sendo usado para criar websites. Atualmente, conta com mais de 100 mil páginas na internet.

4 – Michael Dell

O norte-americano Michael Dell teve a ideia de criar a famosa empresa de computação Dell ainda na universidade, em 1984. Hoje a companhia é mundialmente conhecida, sendo classificada como a principal fornecedora de monitores de computador.

5 – Britton Hadden and Henry Luce

Os dois empresários fundaram a revista Time há décadas, em 1923. Eles se conheceram na Universidade de Yale, nos Estados Unidos. Mais tarde, a Time Magazine viria a se tornar uma das revistas de notícias mais populares do mundo.

Sucesso não é mérito da inteligência, mas do esforço

0

estudo

Publicado no EBC

Estamos acostumamos a pensar que possuir inteligência “superior” ou algum tipo de habilidade (ou dom), juntamente com um senso de confiança, é a receita para o sucesso na vida, tanto escolar quanto profissional. No entanto, a investigação científica produzida nos últimos 35 anos mostra que uma ênfase exagerada na inteligência ou no talento pode, na realidade, deixar as pessoas vulneráveis ao fracasso, com medo de desafios e desmotivadas a aprender.

Um artigo divulgado* este ano pela revista Scientific America, uma das principais publicações científicas do mundo, mostra que incentivar os avanços no processo de desenvolvimento, em vez da inteligência ou talento, produz grandes empreendedores na escola e na vida. A autora do artigo é Carol S. Dweck, que atualmente é professora psicologia da Universidade Stanford, nos Estados Unidos. Ela garante: não adianta incentivar seu filho ou seu aluno dizendo que ele é inteligente.

Para ela, e para outros pesquisadores que acompanharam seus estudos ao longo de três décadas, pais e professores podem garantir o crescimento cognitivo das crianças elogiando-as por sua persistência ou estratégias para resolução de problemas (em vez de ressaltar sua inteligência). Segundo ela, ao contar histórias de sucesso que enfatizam o trabalho duro e amor pelo aprendizado, ensinamos às crianças que o cérebro é semelhante a uma máquina, que precisa ser constantemente atualizada para ter um bom funcionamento (confira abaixo uma lista de estratégias para incentivar as crianças).

O perigo da desistência – As pesquisas de Carol Dweck começaram na década de 1960, quando ela se deparou com um estudo feito com roedores que mostrava que após muitas falhas os animais deixavam de tentar completar um percurso, ficando estáticos e sem esperança. Os pesquisadores concluíram que os animais aprendiam a não ter esperanças, mesmo quando tinham a possibilidade de agir – isso porque não receberam incentivo para superar os desafios.

Dweck ficou intrigada com a “desesperança aprendida” demonstrada pelos animais e decidiu investigar mais a fundo o tema.

Segundo ela, essa “desesperança” está ligada à crença das pessoas a respeito dos motivos que as levaram ao erro. Ao longo das décadas seguintes, ela observou como esse comportamento se dava com estudantes do ensino fundamental. Em um dos estudos, ela notou que a falta de esforço (e não de capacidade) fazia com que os alunos cometessem mais erros ao tentar solucionar problemas matemáticos. Separando as crianças em dois grupos, ela notou que o grupo que recebeu apenas elogios sobre o “quanto eram inteligentes” não conseguia encontrar saída para solucionar problemas mais complexos. Enquanto o grupo que recebeu elogios sobre o “quanto eram esforçados” conseguiu driblar as dificuldades e avançar.

Estudos subsequentes mostraram que isso acontece porque os alunos mais persistentes não ficavam pensando sobre sua própria falha. Eles focavam o trabalho em encontrar os erros cometidos ao longo do processo e em tentar corrigi-los para avançar. Essa capacidade de se esforçar diante de um problema é chamada de resiliência.

Como superar os desafios – Desenvolver a resiliência é um processo que começa no início da vida e deve ser incentivado em casa e na escola.

Crianças que são elogiadas por seu talento inato, por exemplo, desenvolvem uma crença implícita de que a inteligência nasceu com elas, e acabam pensando que o esforço para aprender algo novo é menos importante do que ser inteligente para aprender aquilo. O problema está em que essa crença também faz com que elas vejam desafios, erros, e até mesmo a necessidade de exercer um esforço, como ameaças ao seu ego – e não como oportunidades para melhorar. Isso faz com que percam a confiança e a motivação quando o trabalho não é mais fácil para elas.

A pesquisadora conclui que elogiando habilidades inatas das crianças, reforçamos essa mentalidade, impedindo que desenvolvam seu potencial, seja em alguma disciplina, seja nos esportes ou até em relacionamentos pessoais. As pesquisas concluem que incentivar o processo (que nada mais é do que a soma de esforço pessoal com estratégias eficazes), ajuda a direcioná-los para o sucesso na vida acadêmica e pessoal.

Para finalizar, reproduzimos abaixo uma lista de dicas simples indicadas pela pesquisadora americana para pais e professores mudarem suas estratégias diante das crianças. Confira:

– Em vez de dizer “como você é inteligente”, diga “você fez um bom trabalho” e explicite os fatores que fazem daquele um trabalho a ser elogiado;

– Em vez de apenas elogiar a nota alta obtida em uma prova, foque o elogio no processo, dizendo, por exemplo: “Você realmente estudou para seu teste. Você leu o material várias vezes e testou-se sobre ele. E realmente funcionou!”;

– Em vez de focar no resultado da resolução de um problema, aponte as estratégias usadas pela criança, dizendo, por exemplo: “Eu gosto do jeito que você tentou essa série de estratégias diferentes no problema até finalmente resolvê-lo”;

– Elogie o tempo de estudo, focando no quanto o tempo dedicado influenciou o resultado. Por exemplo: “Você ficou em sua mesa e manteve sua concentração, por isso conseguiu achar a solução. Isso é ótimo!”;

– Não aponte o erro como uma falha imutável. Pelo contrário, mostre que o erro é apenas um desafio a ser superado e ofereça ferramentas para que a criança possa superá-lo e seguir adiante.

Tudo isso irá fazer com que a criança cresça e perceba que o sucesso não é uma questão de inteligência ou classe social, mas sim um mérito do esforço. E isso também vale para nós, adultos!

O que fazer após a universidade para ter uma carreira de sucesso?

0

amo-direito-post-ferias

Publicado no Amo Direito

Ser graduado deixou de ser diferencial e passou a ser pré-requisito para ter uma carreira de sucesso no mercado de trabalho. O primeiro passo a ser dado após a conclusão de um curso superior, na maioria das vezes, é a opção por um curso se especialização. Mas ao pesquisar sobre o assunto uma dúvida é muito comum: Pós-Graduação ou MBA? Qual a diferença entre os dois? Qual a melhor opção?

É preciso esclarecer que existem dois formatos para cursos de pós-graduação: o Lato Sensu e o Stricto Sensu. O Lato Sensu é um curso de especialização nos moldes tradicionais de como é conhecida uma pós-graduação. Sua conclusão rende ao aluno o título de especialista. Já a Stricto Sensu, é voltada para o meio acadêmico, tem uma duração superior a Lato Sensu e rende títulos como os de mestre e doutor.

A Pós-Graduação Lato Sensu, que compete com o MBA, tem duração mínima de 360 horas/aula que ocorrem ao longo de 1 ano e meio em média e é indicado para recém-formados ou jovens profissionais com pouca ou nenhuma experiência de mercado. O aluno que opta por este formato de curso, terá um número maior de disciplinas e uma abordagem mais teórica se comparada com um MBA.

Uma pós-graduação lhe dará a preparação teórica que o mercado espera. Mas é importante lembrar que não é uma garantia de emprego, nem de experiência para encarar um cargo que lhe exigirá mais. Este tipo de experiência é adquirido com dedicação e prática.

Em relação ao MBA ou Master Business Administration, o aluno geralmente possui no mínimo 2 anos de experiência de mercado, está empregado e é submetido a disciplinas mais específicas e voltadas para a área de gestão. Quem opta por um MBA está dando um foco mais corporativo a sua carreira. Assim como acontece com a pós-graduação, o MBA possui duas modalidades. Além do MBA tradicional, existe o MBA Executivo, que é voltado para profissionais mais experientes e que ocupam cargos importantes dentro de empresas. No que diz respeito ao título, o MBA Executivo está no mesmo patamar que um Mestrado. Através de um MBA o aluno pode se preparar melhor para lidar com a gestão de uma empresa e com negócios de forma geral.

A decisão sobre qual tipo de curso seguir cabe a cada um. O importante é levar em consideração os pontos levantados acima, como por exemplo, a opção por um curso mais abrangente, como a pós, ou um mais específico, como o MBA. Além disso, a experiência profissional e os planos para que você tem para futuro são fundamentais para que você acerte em sua escolha.

Por Marcello Nunes
Fonte: ricmais.com.br

Escola de SP faz sucesso com livros pendurados em muros

0

Escola Municipal Vargem Grande II disponibiliza livros para alunos e comunidade através do “Muroteca”; acervo é fruto de doações

eco-11052015-livro-didatico-ecod

Publicado em Terra
A escola Municipal de Ensino Fundamental Vargem Grande II, localizada no extremo sul da cidade de São Paulo, disponibiliza livros para alunos e a comunidade através da “Muroteca”. A ação consiste em vários exemplares pendurados em um painel na parte de fora da escola. Boa parte do acervo é fruto de doações.

O projeto nasceu em 2014, quando professores e alunos tiveram a ideia de colocar uma bolsinha com um livro dentro dos ônibus que passam pelo bairro. O programa era intitulado “Ônibus Literário”, e as pessoas podiam ler, levar para casa e depois devolver os exemplares. Porém, com o tempo, livros e sacolas não voltavam para o lugar, o que inviabilizou a continuidade do projeto.

Segundo a diretora da unidade de ensino, Maria Maura Moreira, os livros estão por toda parte. “Na hora da saída, tem aluno que pega um livro para ler enquanto espera o transporte escolar. Tem alguns que deixam até separado para terminar de ler depois”, explicou.

Dentro do projeto existe o “Canto de Encanto”, que pretende incentivar e formar leitores, tendo a mediação de leitura para famílias do bairro como base. Durante a reunião de pais, é feita uma lista com os nomes de quem deve receber a turma de alunos acompanhados de um professor.

No último dia 2 de outubro, Elizabete Aparecida de Castro, mãe de Thiago, de 7 anos, recebeu a turma do projeto em sua residência. Elizabeth conta que, desde grávida, já lia para o filho, e o hábito continuou após o nascimento. “O Thiago só dormia no berço se eu contasse uma historinha. Se não tivesse livro, eu inventava”, contou.

Depois de formada a roda, é tocado um sino que indica a hora de começar a leitura. Quem comandou a ação dessa vez foi a pequena Suzanny, de 8 anos. Cada página lida tinha, na sequência, as ilustrações mostradas.

Durante a ação, cada participante lê um trecho do livro. Também são formadas duplas para a leitura. Ao final, o sino novamente é tocado e a atividade é encerrada.

7 biografias de empreendedores para você ler e se inspirar

0
O apresentador Silvio Santos: biografia do empresário é uma das indicadas por especialista em empreendedorismo

O apresentador Silvio Santos: biografia do empresário é uma das indicadas por especialista em empreendedorismo

Mariana Desidério, na Revista Exame

Existem muitas histórias de sucesso no Brasil e no exterior que se tornaram livros e já se tornaram clássicos como as biografias de Steve Jobs criador da Apple, Bill Gates da Microsoft, Oprah Winfrey uma das mais mulheres mais poderosas do mundo, a trajetória de Silvio Santos de camelô a megaempresário da TV, os percalços do Comandante Rolim Amaro que transformou uma pequena empresa de táxi aéreo – a TAM – numa gigante da aviação e a ascensão e queda de Eike Batista.

Veja as dicas abaixo:

1 – “A Fantástica História de Silvio Santos” – do jornalista Arlindo Silva. Uma das histórias mais fascinantes do empreendedorismo brasileiro. Narra a história de Silvio Santos desde as dificuldades do início até os dias atuais. Hoje todo mundo o conhece como dono do SBT e empresário bem-sucedido. Mas o que os mais jovens desconhecem é que Silvio Santos começou como camelô no centro de São Paulo e que fez fortuna ao criar o ‘Baú da Felicidade’ no qual clientes pagavam um carnê anual e depois de quitado trocavam por um produto nas lojas do Baú. A facilidade de comunicação, o raciocínio rápido e a capacidade de aproveitar oportunidades são características de Silvio Santos e servem de inspiração para os empreendedores.

2 – “O sonho brasileiro” – do jornalista Thales Guaracy. Biografia do Comandante Rolim Amaro, o fundador da TAM. O livro mostra a trajetória de Rolim Amaro, que nasceu no interior do estado de São Paulo, teve uma infância pobre trabalhou como caminhoneiro, vendedor de bebidas mas nunca deixou seu sonho de lado: ser piloto de avião. O sonho foi além, o comandante Amaro transformou uma pequena empresa de táxi aéreo regional – a Táxi Aéreos de Marília – em uma das maiores empresas de aviação do Brasil: a TAM. Além disso, trouxe inovação e revolucionou o atendimento, hoje quase que copiado por todas as empresas de aviação.

3 – “O X da Questão” – de Eike Batista. Autobiografia de um dos mais polêmicos empresários brasileiros. Neste livro ele conta a sua trajetória como empreendedor e ensina a sua metodologia de negócios, a visão 360 graus. Narra também as suas dificuldades como o começo da carreira como vendedor de seguros porta a porta, a aventura nos garimpos da Amazônia até se tornar megaempresário dono na marca X. Eike conta quais os erros cometidos em sua trajetória empresarial, seu segundo ele, o fizeram crescer.

4 – “Ou tudo ou nada” – da jornalista Malu Gaspar. Se Eike Batista contou sua trajetória sob o seu ponto de vista em “O X da Questão”, a jornalista Malu Gaspar pesquisou documentos e entrevistou pessoas próximas ao empresário para contar não só a história do Grupo X mas também a história de Eike Batista, que passou de megaempresário e um dos homens mais ricos do mundo a um investigado pela polícia que teve seus bens apreendidos pela justiça. Pode ser lido também como uma investigação sobre a política brasileira dos últimos anos. Traz dicas importantes sobre gerenciamento e gestão empresarial, principalmente ao mostrar a derrocada das empresas.

5 – “Bilionários por Acaso: A Criação do Facebook” – de Ben Mezrich. Transformado no filme de sucesso “A Rede Social”, este livro conta a história dos estudantes de Harvard que criaram um dos maiores fenômenos da internet: o Facebook. O relato feito por Ben Mezrich conta a disputa entre o norte-americano Mark Zuckerberg e o brasileiro Eduardo Saverin e fala sobre o desenvolvimento do projeto. Se o filme “A Rede Social” diminui a participação do brasileiro no projeto, esta biografia mostra que Saverin foi fundamental para nascimento e expansão do Facebook.

6 – “Steve: Jobs a Biografia” – de Walter Isaacson. Um livro com mais de 600 páginas pode assustar muita gente. Mas este não é o caso da biografia de um das mentes mais inovadoras do planeta. Conta a história do criador da Apple desde a sua juventude, seus projetos, as dificuldades de coloca-los em prática, a associação com outros inovadores como Steve Wosniack, seus erros e acertos como empreendedor. Lançado logo após a morte de Steve Jobs, este livro mostra que a inovação deve ser a base de tudo.

7 – “Oprah: uma biografia” – de Kitty Kelley. A história de uma das mulheres mais influentes do planeta. Como a grande maioria dos empreendedores de sucesso, Oprah Winfrey enfrentou dificuldades – uma delas o racismo – até se tornar dona de uma fortuna que chega perto dos 3 bilhões, dona de emissoras de TV, editoras e uma variedade de outros negócios. É mais do que uma história de vida. Mostra que mesmo sendo uma mulher de sucesso planetário Oprah tem dilemas e dificuldades como todas as pessoas.

 

Indicação de biografias de empreendedores para ler e se inspirar. Escrito por Renato Kuyumjian, especialista em empreendedorismo. Renato Kuyumjian é sócio-fundador da Quinta Valentina

Go to Top